A Fórmula: 5 motivos para assistir hoje mesmo

24 de agosto de 2017 Por:

Se você tivesse a chance de reviver alguma fase da sua vida, mesmo que de uma maneira um pouco torta, você toparia? Vale tudo pela juventude? São estas reflexões que A Fórmula, comédia da Globo que termina hoje, levanta. Angélica, uma cientista cinquentona que dedicou a vida às suas pesquisas, ao ser cobaia de sua própria ‘fórmula da juventude’, se vê novamente com 20 anos por algumas horas. Após alguns enganos, ela tem a chance de reviver o romance da adolescência, que foi brutalmente interrompido por uma falha de comunicação, mas tem um detalhe: o amor de sua vida, Ricardo, se apaixona por Afrodite, sua versão pós-fórmula. Os conflitos da série se desenrolam a partir da aí, porque o que acontece quando você se vê dividindo o coração do homem que ama com você mesma?

Cheia de clichês, mas nem por isso desinteressante, a série é uma delícia de assistir e merece muito ser vista. É aquela diversão para o fim da noite de quem procura alguma produção leve e que faça relaxar. Mas este não é o único motivo pelo qual você deve assisti-la e então, vamos listar outros 5 para você.

Angélica e Afrodite, ou melhor, Drica e Luisa

Divulgação/Paulo Belote/TV Globo

Sem dúvida alguma, o grande trunfo de A Fórmula está na atuação de suas atrizes principais, Drica Moraes e Luisa Arraes. A veterana vive a Angélica cientista enquanto Luisa se divide entre a Angélica dos anos 80 nos flashbacks e Afrodite, que é a personalidade assumida pela estudiosa após a aplicação da fórmula. As duas se completam de uma maneira perfeita e, com a ajuda do jogo de cena e principalmente da caracterização, temos a certeza de que elas são realmente a mesma pessoa. Toda a “troca de corpo” é muito crível e Drica revelou ao Gshow, portal da Globo, que “uma estava sempre assistindo à outra em cena… A gente sempre roubava algo da outra e desenvolvemos os mesmos trejeitos“. É exatamente esta a sensação que cada cena que as duas gravaram, seja juntas ou separadas, passa. Com um roteiro como este, se não houvesse homogeneidade entre as atrizes, a produção inteira estaria fadada ao fracasso, já que não é uma atriz vivendo dois papeis distintos, mas duas atrizes vivendo uma mesma pessoa. Essa é a verdade que deve ser passada em cena e, neste quesito, a série merece aplausos!

Tem um tema pertinente e que levanta discussões

Divulgação/Ellen Soares/Gshow

Nossa sociedade não sabe lidar com o envelhecimento e por isso busca as mais diversas maneiras de escapar dele, seja através de alimentação, exercícios, procedimentos estéticos ou até mesmo fórmulas mágicas. Quando a questão é uma mulher envelhecer, a reação se agrava, já que elas “não podem” ostentar orgulhosamente as marcas de sua idade, para isso existem cremes anti-idade, tinta para esconder os fios brancos, aplicação de botox para “apagar” as linhas de expressão, entre tantas outras soluções que buscam rejuvenescer a aparência em 5, 10, 15 anos. Em A Fórmula, temos as duas maneiras de lidar com o envelhecimento: Angélica e Ricardo têm 50 anos de idade, mas enquanto ela assume isso, ele tem uma aparência muito mais jovem, coisa que ela está sempre jogando na cara dele. Sobre o assunto, Fábio Assunção disse para o Jornal O Globo que Ricardo “é vaidoso, quer ficar mais jovem, pinta o cabelo, faz aplicações de botox… Enquanto Angélica pensa na longevidade como qualidade de vida, meu personagem volta suas atenções só para a estética”. Não que exista certo e errado nesta questão, mas poder escolher qual caminho seguir, seja homem ou mulher, é muito mais libertador que ter que se encaixar no padrão preestabelecido.

Indo mais a fundo no tema, a série também impõe uma reflexão: a juventude a todo custo vale a pena? Angélica descobriu uma forma de rejuvenescer 30 anos sempre que quiser, mas até que ponto é pertinente ter essa “dupla personalidade” e apagar toda a maturidade e as vivências que teve no caminho? Esse desejo desenfreado pela juventude não seria uma forma de repressão, de buscar negar tudo o que foi vivido em nome de ter que aparentar ser uma versão de você que não condiz com sua trajetória? A própria Angélica, que fica intimidada pela aparência de Ricardo no primeiro encontro deles depois de 30 anos, diz já no piloto, quando dá uma palestra sobre longevidade saudável, que “envelhecer é bom, até porque a alternativa [juventude eterna] não é tão sedutora assim”. Agora basta ela acreditar – e nós torcermos, além de fazermos nossa parte, para nossa sociedade logo faça o mesmo.

É uma produção despretensiosa

Divulgação/João Miguel Júnior/TV Globo

O roteiro não busca longos e complexos diálogos, não se leva extremamente a sério e isso é muito mais do que muita comédia por aí entrega. A Fórmula é uma série despretensiosa, que sabe que não é a próxima obra-prima da televisão mundial e nem almeja ser. Com um texto fluído, entrega aquilo que esperamos de uma produção do gênero: situações engraçadas, que nos arranquem sorrisos e que sejam, às vezes, até mesmo um tanto surreais. Isso se revela no material que é visto na tela e também é o que a torna um passatempo leve e acaba prendendo o telespectador, pois você sabe que não é a série da sua vida, mas não consegue evitar querer saber quais serão os próximos passos ou o destino dos personagens.

É uma comédia romântica com um triângulo amoroso diferente

Divulgação/Raquel Cunha/TV Globo

Normalmente, em comédias românticas, o triângulo amoroso é muito bem definido: um homem dividido entre duas mulheres ou vice-versa. Aqui isso também acontece, mas ao invés de dividir o coração de Ricardo com outra mulher, Angélica o faz com ela mesma. Isso gera situações muito desconfortantes para ela, mas que são divertidas de assistir. Parece surreal ver alguém com ciúmes de si mesmo, mas em A Fórmula isso acontece, principalmente porque a fórmula de rejuvenescimento faz com que o corpo como um todo – órgãos, células e também os hormônios – tenham a mesma alteração da aparência [ficar com 30 anos a menos], o que gera uma certa insegurança na cientista, que é mais contida, séria e reservada que seu alter-ego pós-fórmula, que é impulsivo e descontraído.

Dá para maratonar em um dia

Divulgação/Artur Meninea/Gshow

A Fórmula tem apenas 8 episódios de 30 minutos de duração, então numa tarde é possível assistir a série toda. Às vezes, tudo o que a gente quer é aquela maratona curta, rápida, só para descontrair e esquecer dos problemas. Se esse é o seu caso e você gosta de comédias românticas – se não é seu estilo, talvez essa não seja a melhor opção para você -, que tal dar essa chance a esta produção nacional? É diversão na certa!


E aí, você já assistiu A Fórmula? Concorda com estes motivos? Conta pra mim nos comentários. E se ficou curioso para conferir a série, conta também!

O último episódio vai ao ar hoje depois de Os Dias Eram Assim, mas já está disponível para os assinantes GloboPlay. A temporada completa você também encontra na plataforma de streaming da Globo.

Curiosa por natureza. Chata por vocação. Social media por paixão. Viciada em séries e novela por culpa da prima que a largava na frente da TV para poder...

Ler perfil completo

Palhoça/SC

Série Favorita: Gilmore Girls

Não assiste de jeito nenhum: The Walking Dead

  • Olha a muito tempo que não me interessava por uma série nacional, acho que desde sai de baixo e a diarista… Mas essa me chamou atenção, e depois de ler esses motivos eu vou conferir sim Rê!

    • Renata Vivan

      Oba! Assiste sim, Lou, e depois me conta como foi. 🙂

1 Contra Todos

1 semana atráscomentarios

Com a lei de incentivo à produção nacional, várias produções poderiam sair do papel. Muitas delas não têm a menor pretensão de introduzirem uma ideia nova ou em mesmo de fazer sucesso. É por isso que uma série estoura na medida em que 1 Contra Todos fez, a gente tem que prestar atenção e dar os louros. Cadu (Júlio Andrade) é um advogado de Taubaté que será pai pela segunda vez, mas perde o emprego devido seus princípios éticos. Para piorar sua situação, é injustamente preso ao ser confundido com o Doutor do Crime, maior traficante do país. Para tentar sobreviver, e com o apoio de sua esposa Malu (Julia Ianina), ele decide se passar pelo criminoso como única forma […]

Leia o post completo

Queens que merecem redenção em RuPaul’s Drag Race: All Stars – Parte 2

1 semana atráscomentarios

Comemorando que RuPaul’s Drag Race acaba de conquistar o Emmy de Melhor Apresentador de Reality, Melhor Edição de Fotografia e Melhor Figurino (pelo episódio: Oh! My! Gaga!), além da VH1 não perder tempo em agendar a próxima edição All Stars para Janeiro de 2018 (está quase chegando!), em breve teremos a lista oficial das queens que estarão retornando para brigar por um lugar no Hall Of Fame do programa e ter a oportunidade de reescrever parte da sua história na competição. Assim como na primeira parte desse especial, eis aqui uma outra lista de participantes que não conseguiram atingir seu potencial e chegar longe na competição. Então, shall we begin? Trixie Mattel – Temporada 7 (Top 6) Oh honey! Quem não […]

Leia o post completo

Stephen King na televisão

1 semana atráscomentarios

Stephen Edwin King sem dúvida alguma é um (se não for “o”) maior escritor de terror e suspense de todos os tempos. Nascido em Portland, no estado de Maine, cenário da maioria das suas histórias, em 21 de setembro de 1947, teve uma infância complicada, tendo seu pai abandonado a família quando ainda tinha dois anos, e testemunhou um acidente com a morte de um amigo. Já escrevia desde criança, e vendia suas histórias aos amigos. Estudou inglês na Universidade do Maine, casou-se com Tabitha Spruce, em 1971, e lecionou sua formação em Hampden, enquanto isso escrevia para revistas masculinas. Teve problemas com álcool, e em 1999 sofreu um acidente sério, em que foi atropelado enquanto caminhava aos arredores de […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter