As narrações de Grey’s Anatomy – Season 8

11 de outubro de 2015 Por:

Greys-cast-season-8

Podemos questionar os rumos do roteiro, mas as narrações de Grey´s Anatomy, assim como a trilha sonora da série, continuam excelentes mesmo após tantas temporadas. A oitava temporada trouxe uma das finales mais polêmicas, mas teve um desenvolvimento muito bom, pelo menos pra mim. Vamos relembrar as reflexões de Meredith?

8×01 – Free Falling

Até bons casamentos falham. Em um minuto você está pisando em terra firme, no outro minuto você não está. E sempre há duas versões. A sua, e a dele. Ambas versões começam do mesmo jeito. Ambas começam com duas pessoas se apaixonando. Você acha que é o que vai fazer acontecer. Então sempre é um choque. O momento em que você percebe que acabou. Em um minuto você está pisando em terra firme, no outro minuto você não está.

Você tem o que é preciso? Se o casamento tem problema, você pode resistir à tempestade? Quando o solo desmorona… E seu mundo entra em colapso…Talvez só precise ter fé. E acreditar que podem superar isso juntos. Talvez precise aguentar firme. E não importa o que aconteça… Não desista.

 

8×02 – She’s Gone

Quando minha mãe deixou meu pai, ela não o disse que me levaria, até chegarmos ao outro lado do país.
Naqueles dias, era chamado de problema em família. Hoje seria chamado de sequestro.

Você acha que o amor verdadeiro é a única coisa que pode quebrar seu coração.
A coisa que vai iluminar sua vida…Ou destruí-la. E então…Você se torna mãe.

 

8×03 – Take the lead

Você trabalha, você estuda e você se prepara. Meses e anos direcionados a um dia. O dia em que você evolui. Neste dia, precisa estar pronto para qualquer coisa. Mas há uma coisa para a qual nunca está preparado: o dia em que regride.

Às vezes, acontece de repente. Nós evoluímos. Nos tornamos líderes. Avistamos um caminho e o seguimos. Mesmo quando não sabemos onde vamos parar.

 

8×04 – What Is It About Men

Há diferenças entre o cérebro do homem e da mulher. Os cérebros femininos tem um hipocampo maior. O que normalmente faz as mulheres serem melhores na atenção e memória. Os cérebros masculinos tem um córtex parietal maior. O que faz os homens serem melhores para se defender de um ataque. Os cérebros masculinos enfrentam desafios de forma diferente do que os femininos. As mulheres são programadas para se comunicar com a linguagem, detalhes, empatia. Homens, não muito. Não significa que nós somos menos capazes de nos emocionar. Nós podemos conversar sobre nossos sentimentos, é só que… na maioria das vezes, nós realmente preferimos não conversar.

Seja homem. As pessoas dizem isso o tempo todo. Mas o que isso quer dizer? É sobre força? É sobre sacrifício? É sobre vencer? Talvez seja mais simples do que isso. Você deve saber quando não ser homem. Às vezes precisa de um homem de verdade para deixar seu ego de lado, admitir a derrota e começar tudo de novo.

 

8×05 – Love, Loss and Legacy

O corpo humano é projetado para suportar perdas. E se adapta, assim não precisamos do que perdemos. Mas, às vezes, a perda é muito grave e o corpo não consegue suportar sozinho. É quando os cirurgiões entram.

Temos tanta esperança no começo das coisas. Parece que só existe um mundo a se conquistar… Não a se perder. Dizem que a incapacidade de aceitar a perda é uma forma de insanidade. Deve ser verdade. Mas, às vezes, é a única forma de nos mantermos vivos.

 

8×06 – Poker Face

Somos fáceis de decifrar quando bebês. Um choro significa fome… Outro choro, significa cansaço. A coisa dificulta quando viramos adultos. Começamos a esconder os nossos sentimentos. Erguemos barreiras. Chegamos ao ponto de não sabermos os que as pessoas sentem. Sem querer, nos tornamos mestres do disfarce.

Não é sempre fácil se expressar. Às vezes, você precisa ser forçado. Mas, às vezes, é melhor não se expressar. Fazer-se de mudo. Mesmo quando todo o seu corpo implora para se libertar. Então, feche a matraca, guarde o segredo, e encontre outros meios para ser feliz.

 

8×07 – Put Me In, Coach

Cirurgiões não podem ser preguiçosos. Os riscos são muito grandes. Na hora em que paramos de nos esforçar, algo terrível acontece, algo que não esperamos.

Podemos não ser sempre vencedores. Mas não somos preguiçosos. Arriscamos, corremos atrás, fazemos nossos cercos. E às vezes, sim, nós fracassamos. Mas, às vezes, conseguimos uma bela vitória.

 

8×08 – Heart-Shaped Box

Imagine que está na sala de operação. Reparando uma veia cava. Quando, de repente, tudo dá errado. Então, você corta isso, sutura aquilo… E logo o problema passa.

É assustador como tudo pode dar errado tão rápido. Às vezes, precisamos de uma grande perda, para nos lembrarmos do que realmente importa. Às vezes, ficamos mais fortes. Mais sábios, e melhor equipados para o próximo desastre. Às vezes. Nem sempre.

 

8×09 – Dark Was the Night

Eu tive um dia terrível.” Nós dizemos isso o tempo todo. Uma briga com o chefe, enjoo, engarrafamento…
É isso que descrevemos como terrível, quando nada de terrível está acontecendo.

Essas são as coisas que imploramos para ter: um canal, uma auditoria federal, café espirrado nas roupas.
Quando o terrível acontece, imploramos para um Deus que não acreditamos para resgatar os pequenos horrores. E levar isso embora. Parece fácil agora. A cozinha inundada, a madeira podre, a briga que lhe deixa com raiva.

Ajudaria se soubéssemos o que estava por vir?
Saberíamos que estes seriam os melhores momentos da vida?

 

8×10 – Suddenly

Vítimas de um impacto repentino são umas das mais difíceis de tratar. Não é só a colisão que as fere. É o que acontece depois. A força centrípeta as mantêm em movimento. Jogando-as contra o veículo. Através do para-brisas. Batendo os órgãos dentro do esqueleto. Seus corpos são feridos várias vezes. Não há como saber o dano causado. Até cessar.

Não pode se preparar para um impacto repentino.Não pode se fortalecer.Só atinge você, do nada. E, de repente, a vida como a conhecia… Acaba. Para sempre.

 

8×11 – This Magic Moment

Já teve o papel principal em uma peça? Um solo em um recital? Todos olhando para você. Esperando que você faça o que vieram ver. Sentindo a pressão para se apresentar. Houve uma época em que as salas de operações eram chamadas de teatros. Ainda parece um.Muitas pessoas se preparam para o espetáculo. Os cenários são arrumados… Tem fantasias… Máscaras. Equipamentos. Tudo precisa ser ensaiado. Coreografado. Tudo seguindo para o momento em que as cortinas sobem. Sabe o que dizem sobre o Carnegie Hall? Só tem um jeito de chegar lá.

Se a vida fosse um ensaio…E tivéssemos tempo para refazer. Poderíamos experimentar até acertar.Infelizmente, cada dia da nossa vida é o dia final.Parece que mesmo quando podemos ensaiar e praticar…Não estamos preparados para os grandes momentos da vida.

 

8×12 – Hope for the Hopeless

“Não podemos fazer mais nada.” São as últimas palavras que um cirurgião deseja falar a um paciente. Desistir não é fácil para nós. Então fazemos tudo podemos. Para os cirurgiões, “um caso terminal” significa “tente mais um pouco”.

Quando desiste você admite que casos terminais podem ser só isso? Chega a um momento em que tudo pode ser demais. Quando ficamos muito cansados para continuar lutando. Então desistimos. É ai que o verdadeiro trabalho começa. Encontrar esperança onde parece não existir nada.

 

8×13 – If/Then

O bebê que você tem é o bebê destinado a ter.. “Era para ser assim”. Isso é o que todas os assistentes sociais dizem.. Enfim… Eu gosto de pensar que é verdade. Mas tudo no mundo parece tão completamente aleatório. E se uma pequena coisa que eu tivesse dito ou feito pudesse fazer tudo desmoronar? E se eu tivesse escolhido outra vida para mim? Ou outra pessoa? Talvez nunca nos encontrássemos. E se tivesse sido criada de modo diferente? E se a minha mãe nunca adoecesse? E se eu realmente tivesse um bom pai? E se…

Sua vida é um benção. Aceite isso. Não importa quão ferrada ou sofrida pareça ser. Algumas coisas irão acontecer como se estivessem destinadas a acontecer. Como se fosse destino.

 

8×14 – All You Need Is Love

Há momentos em nossas vidas em que o amor realmente conquista tudo: cansaço, privação de sono, qualquer coisa. E depois há aqueles momentos em que parece que o amor não nos traz nada além de dor.

Estamos sempre procurando maneiras de aliviar a dor. Às vezes, fazemos o que temos de melhor. Às vezes há momentos em que perdermos a nós mesmos. E às vezes tudo o que precisamos para aliviar a dor é dar uma simples trégua.

 

8×15 – Have You Seen Me Lately?

Quando você tenta de tudo, mas a dor de cabeça não vai embora, a tosse não para, ou o inchaço não diminui, é ai que você se torna profissional. Como cirurgiões, passamos anos desenvolvendo as deduções que nos permitem ver qual é o problema. O problema é que… Às vezes, o tempo que gastamos, desenvolvendo nossa dedução, pode nos deixar com um ponto de vista limitado. E como argumentar com alguém que tem a ciência ao lado?

Podemos não gostar, mas é importante parar de vez em quando, sair de sua cabeça e refletir sobre a sua vida. Na verdade, descobrir que tem visto tudo de maneira errada… Pode ser libertador. E, de repente, você vê um novo potencial. Novas possibilidades. Onde não havia visto antes. E é ótimo quando algo horrível, de repente, fica bom. Infelizmente… Às vezes, seguimos outra direção.

 

8×16 – If Only You Were Lonel

Como cirurgiões somos treinados a consultar uns aos outros para obtermos pontos de vista diferentes. Nós ainda encorajamos os pacientes a procurar uma segunda opinião. Mas por que procurar uma segunda opinião quando você sabe que está certo? Porque se formos honestos com nós mesmos, os cirurgiões são como cowboys. Nós nos viramos sozinhos.

Você pode procurar o conselho de outros, cercar-se de assessores de confiança. Mas no final, a decisão é sempre sua, e somente sua. E quando é hora de agir, e você está sozinha, com as costas contra a parede… A única voz que importa é a única em sua cabeça. Uma voz dizendo o que você provavelmente já sabia. Aquela que está quase sempre certa.

 

8×17 – One Step Too Far

Nós somos treinados para ser vigilantes. Para perseguir o problema. Para fazer todas as perguntas certas. Para descobrir a causa raiz até que saibamos exatamente o que é. E podermos enfrentá-lo. É preciso uma quantidade extrema de precaução. Ou podemos ultrapassar a nós mesmos. Ou, podemos criar problemas onde não existem.

Nossas Intenções são sempre sinceras. Nós sempre queremos fazer o que é certo, mas também temos a capacidade de exceder os limites. Então, corremos o risco de levar as coisas longe demais. Somos ensinados a não fazer o mal, mas também somos treinados para enfrentá-lo com faca. Fazemos coisas que não deveríamos, quando deveria ter ficado quieto por um tempo. É difícil tratar um problema quando não não há um. Deveríamos ter deixado de lado um pouco. Antes de torná-lo um, antes de torná-lo muito pior. Antes mesmo de causar danos tão terríveis.

 

8×18 – The Lion Sleeps Tonight

Temos uma frase nas salas de operação: “não acaricie um leão”. Isso significa que, não importa quão bom o tumor parece, quão pequeno ele é, como perfeito suas margens podem ser, ainda é um tumor. Ainda é perigoso, e pode morder.

Nós ouvimos todas as advertências e as ignoramos. Nós empurramos nossa sorte. Arriscamos. Brincamos com fogo. É da natureza humana, quando nos dizem para não tocarmos em alguma coisa, nós tocamos… mesmo não sendo uma boa ideia. Talvez porque lá no fundo estamos querendo confusão.

 

8×19 – Support System

Toda criança conhece a letra da música: o osso do pé está ligado ao osso da perna, o osso da perna está ligado ao osso do joelho. Na escola de medicina, você aprende que é um pouco mais complicado do que isso. Mas ainda assim, a música não é errado. Tudo está conectado.

O corpo humano é constituído a partir de sistemas que o mantém vivo. Não é o que mantém a respiração, e aquele que te mantém de pé, o que dá fome, e aquele que te faz feliz. Eles estão todos conectados. Tire um pedaço, e tudo o resto desmorona. E é só quando os nossos sistemas de apoio parece falhar, nós que percebemos o quanto dependíamos dele o tempo todo.

 

8×20 – The Girl With No Name

Quando você é criança, você sempre quer que as coisas permanecem as mesmas. O mesmo professor, a mesma casa, os mesmos amigos … Ser um cirurgião não é diferente. Você se acostuma com os mesmos atendentes, enfermeiras, o mesmo hospital… Claro que tudo isso muda assim que o quinto ano termina. E quando precisa arrumar um novo emprego.

É uma daquelas coisas que as pessoas dizem. Você não pode seguir em frente, até esquecer o passado. Esquecer é a parte fácil. Seguir em frente é que dói. Então, às vezes, nós lutamos… tentando manter as peças no lugar. As coisas não podem permanecer as mesmas. Em algum momento, você tem que esquecer. E seguir em frente. Porque não importa o quão doloroso seja… É a única forma de crescermos.

 

8×21 – Moment Of Truth

Imagine isto: você passou os últimos cinco anos em sua residência treinando para se tornar um cirurgião. Mas esses cinco anos, de repente, não importam. A única coisa que importa, a única coisa entre você e o resto da sua carreira é um teste, em um hotel em uma cidade aleatória, com um examinador aleatório fazendo-lhes perguntas aleatórias. Nervoso? Você deve estar.

Escola, jardim de infância, faculdade, escola de medicina, residência. No entanto, tudo leva a esse momento. Algumas pessoas podem se quebrar com a pressão. Outros prosperar. De qualquer maneira, não há nada a fazer. Não há mais o que estudar, não mais se preparar. Goste ou não, o momento chegou. A única coisa que lhe resta fazer é aparecer.

 

8×22 – Let The Bad Times Roll

Carpe Diem”. Como você planeja uma vida, uma carreira, uma família, se está sempre “aproveitando o dia”? Se aproveitássemos todo momento, não existiriam médicos. Quem faria faculdade de medicina? Estaríamos muito ocupados…vivendo o agora. Qualquer que seja o significado disso.

Admito que os romanos têm certa razão. Precisa viver a vida. E viver significa que a cada manhã em que você acorda, você precisa tomar uma decisão. Entre aproveitar o que a vida lhe oferece e seguir em frente, não importando mais nada… Ou fechar as cortinas…e encerrar o dia.

 

8×23 – Migration

Então tem esse pássaro … uma espécie de andorinha, eu acho, todo mês de setembro, milhares voam da chuvosa Seattle , rumo ao inverno no México, estas aves não são burras….e todos os anos, um monte de pessoas se reúnem ao redor de Seattle, para beber cerveja e assistir, aqui os rebanhos decolar. Que eles chamam de “a grande migração.

Eu não sei como essas aves conseguem. Viajar milhares de quilômetros sem se perder. Bater em janelas, sendo comidos por gatos. Mas a cada primavera, eles estão sempre aqui. Eu acho que eles voltam para o que sabem. As pessoas dizem que é muito legal, observando-os ir. Eles dizem que você pode realmente ver o momento em que, em algum misterioso sinal, de uma só vez os pássaros decidir sair. Mas tanto faz … há sempre o próximo ano.

 

8×24 – Flight

Há um mês, vocês estavam na faculdade de medicina recebendo ensinamentos de médicos. Hoje… Você são os médicos. Os sete anos que passarão aqui como residentes de cirurgia serão os melhores e os piores de suas vidas. Serão pressionados além do limite. Oito de vocês escolherão uma especialidade fácil, cinco de vocês vão se descontrolar com a pressão. Dois de vocês serão convidados a se retirar. Este é o começo. Esta é a sua arena. Quão bem você irá se sair? Isso depende de você.

Os anos que passamos como os residentes são os melhores e os piores de nossas vidas. Seremos pressionados além do limite. Esse é o começo. Essa é nossa arena. Quão bem nós iremos nos sair, isso depende de nós.

 


E você, também é fã das narrações de Grey´s? Conta pra gente.

Mineira apaixonada por séries policiais, dramas jurídicos e séries teen de qualidade (Saudades, Greek!).

Belo Horizonte - MG

Série Favorita: Grey´s Anatomy

Não assiste de jeito nenhum: House

Maratona Parenthood – 3ª Temporada

1 semana atráscomentarios

Chegamos ao final de mais uma incrível temporada de Parenthood dando continuidade a nossa maratona do choro. Em termos gerais, foi um bom ano digerido em um par de semanas, tivemos algumas continuidades e fechamentos de plots iniciados na segunda temporada, assim como, testemunhamos o desenvolvimento de alguns personagens, enquanto outros permaneceram estagnados em suas posições. Não foi uma temporada perfeita, mas considero piamente esta a minha favorita até agora e sua análise merece ser realizada pelos núcleos familiares que compõem os Braverman, então vamos aos comentários.. Adam, Kristina, Haddie, Max e Nora Temporada de mudanças para todos os membros deste núcleo. A demissão de Adam e a dificuldade de se inserir novamente no mercado de trabalho abre a vertente para o grande plot da temporada – a […]

Leia o post completo

Guia da Trilha Sonora: Parenthood – 2ª temporada

1 semana atráscomentarios

A música perfeita pode tornar um episódio ainda melhor do que o que ele já foi não é mesmo? Em uma série de drama, principalmente, elas costumam ditar o clima dos acontecimentos. E a gente precisa admitir que em Parenthood esse elemento funciona muito bem, sendo sempre um dos principais motivos da série ser tão boa de assistir e conquistar tanto a gente. Se você ainda não conhece a história da família Braverman pode ficar por dentro de tudo na nossa maratona, e se já conhece ou apenas quer conhecer músicas novas vem comigo ver a trilha sonora completa da segunda temporada. Abertura: Forever Young – Bob Dylan Abertura Internacional: When We Were Young – Lucy Scwartz 2×01 – I […]

Leia o post completo

Glitch

2 semanas atráscomentarios

Sete mortos voltam à vida super bem de saúde e aparência. É essa a história de Glitch, uma série australiana que está disponível no Netflix, desde o ano passado. De cara, a história pode parecer mais uma de tantas sobre mortos-vivos, zumbis ou afins. Inclusive, Glitch chegou a ser comparada com as séries The Returned e Ressurection. Mas, apesar de usar um tema já conhecido do público, o enredo é totalmente novo e contado de uma forma diferente de tudo que você já viu sobre o assunto. Nada de apocalipse ou vírus mortal, Glitch conta a história de sete renascidos das cinzas de forma, aparentemente, espontânea e natural, e claro, misteriosa na cidade fictícia de Yoorana, na Austrália. O primeiro […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter