Banshee

24 de fevereiro de 2016 Por:

Tiro, porrada, sexo e bomba!

Essas quatro palavrinhas – super importantes – que definem Banshee em apenas uma frase, antes de você começar a ver a série. Sabe aquele post que nós fizemos para vocês, meus caros leitores, lhes informando as séries que NÃO devem ser vistas ao lado do papai e da mamãe? Pois bem! Quando for lançada a versão 2.0 do mesmo, Banshee poderá ser incluída, pois além de muito sangue e briga, o seriado nos apresenta cenas picantes entre os seus personagens.

Banshee - Logotipo de divulgação.

Sendo produzida e exibida por um canal que não faz tanto sucesso nos Estados Unidos, Cinemax (e aqui no Brasil pelo canal fechado MaxPrime da HBO), infelizmente, Banshee não tem o devido reconhecimento que merece, mas nos apresenta uma excelente história desde 2013 (ano em que ocorreu a sua estreia). Sem mais delongas, vamos ao que nos interessa:

Lucas Hood (Antony Starr de Outrageous Fortune), ex-matador da máfia Rússia, é o anti-herói da história, que acaba se envolvendo com a personagem Carrie Hopewell (Ivana Milicevic de 12 Miles of Bad Road), filha do chefão da máfia na qual trabalhou durante um tempo. Sendo mantida em segredo de Estado e lacrada a sete chaves, essa relação acabou sendo descoberta pelo Mr. Rabbit (Ben Cross de Ben Hur), tendo diversas consequências para todos (não vou revelá-las para não perder a graça, mas vale assistir para saber!).

Uma dessas consequências (que pode ser mencionada, sem nenhum perigo, rs) é o fato de Lucas ter ficado 15 anos preso na cadeia. Lá dentro ele, além de aprender a se virar da melhor maneira possível, se preparou para a vingança. Depois dessa sua estadia, Hood acaba mudando para uma cidadezinha chamada Banshee, no interior do estado da Pensilvânia. Lá ele se auto assume xerife da cidade e cria uma nova identidade, sendo considerado o mocinho, defendendo todos da bandidagem local.

Rebecca e Lucas em uma cena da série.

Ironicamente, sua amada também se mudou para a cidade e agora assume o nome de Carrie, que na verdade era Anastasia, antes de tudo ocorrer. Lá ela assume o papel de mãe e foma uma nova família ao lado de seu marido, Gordon Hopewel (Rus Blackwell de Burn Notice). Sua vida muda de rumo com o aparecimento de Lucas, já que o seu passado parecia ter sido enterrado e os jogos literalmente começam: muita adrenalina e violência são percebidas nas cenas da série

Sabe aquela sensação de ansiedade em ver o próximo episódio? Isso é um dos pontos fortes do seriado, que em muitos momentos nos leva a sensação de desespero e sufocamento com a trama. É incrível como todas as histórias acabam sendo protagonistas e, quando você menos espera, estão ligadas de alguma forma.

Outro ponto forte são as cenas de sexo entre os seus personagens. A emissora não tem nenhum tipo de pudor e mostra tudo mesmo, praticamente do começo ao fim! São bem fortes também. eu brinco que o nome da série deveria ser Sex Banshee, já que não tem praticamente um episódio que não foca pelo menos um minuto nesse quesito, rs.

Banshee: Rebecca e Kai, personagens.

Outros personagens que podem ser mencionados são: Kai Proctor (Ulrich Thomsen de Blekingegade), o “dono” da cidade que todos os moradores temem o seu poder; Sugar Bates (Frankie Faison de One Live to Life), braço direito de Lucas; Job (Hoon Lee de Fringe), o hacker do time, que sabe entrar na memória de qualquer computador; Rebecca Bowman (Lili Simmons de Hawaii Five-0), a jovem que não é flor que se cheire, sendo sedutora e malvada ao mesmo tempo e Siobhan Kelly (Trieste Kelly Dunn de Blindspot), a policial feminina que defende com carne e unha as pessoas que ama ao seu redor. 

Banshee é isso pessoal! A série é muito boa e nos remete a momentos de muito expectativa! É uma belíssima história. Vale a pena acompanhar! =) Vejam abaixo, por favor, um teaser trailer com algumas cenas da primeira temporada:

A produção executiva fica a cargo de Alan Ball (True Blood), David Schickler (Banshee Origins) e Peter Macdissi (Six Feet Under). Já na direção podemos citar o nome do Greg Yaitanes (House), com co-criação de Jonathan Tropper (Vinyl).


p.s.1: Já aqueles que estão adiantados com a série, como eu, posso dar a data da 4ª e última temporada do seriado, que terá também ao todo 08 episódios encomendados. Uma pena, né? Mas, lembrando sempre, que é melhor os produtores terminarem dignamente uma história do que ficarem prolongando algo demais, haha.

Anotem nas suas agendas: 1º de abril de 2016! Não é pegadinha do Dia da Mentira, tá bom! É só uma mera coincidência do destino.

p.s.2: Post atualizado às 11:42 do dia 28 de fevereiro de 2016.

20 anos, técnico em Química de Beagá. Usa esse cantinho para expor suas ideias, pois adora escrever sobre séries... É vestibulando de Medicina e pretende se graduar na...

Ler perfil completo

Belo Horizonte / MG

Série Favorita: Sense8 e Stranger Things

Não assiste de jeito nenhum: Smallville

  • mimiko33

    Banshee é EXCELENTE!!! E o pior é que quase ninguém conhece essa série! Todo mundo que eu recomendei, amou também!!! Excelente trilha sonora. Banshee deixou saudades!

Desafio: você se lembra de quem foi essa declaração de amor?

2 semanas atráscomentarios

Ah, o dia dos namorados. Aquele momento do ano para espalhar aos quatro cantos nosso sentimento por aquela pessoa especial, que faz o coração acelerar e as palmas da mão suarem. Aquela pessoa por quem você faria qualquer coisa, até mesmo deixar a vergonha – ou o medo – de lado para professar seu amor. Nas séries, existem muitos personagens  que não esperam data especial nenhuma para declarar seu amor, seja num momento de desespero, num pedido de casamento ou só para reforçar aquilo que o parceiro já sabe e Tom Jobim cantava aos quatro ventos: é impossível ser feliz sozinho. Você também acredita nisso e se derrete toda vez que sabe que chegou a hora de surtar, porque vai ter […]

Leia o post completo

Guia da Trilha Sonora: Scream – Season 1

2 semanas atráscomentarios

Entre os poucos pontos positivos que posso destacar em Scream, a trilha sonora fica em primeiríssimo lugar (talvez porque seja da MTV). Misturando canções atuais, dançantes e tristes, que fazem parte da vida dos jovens de Lakewood, a série soube utilizá-las para compor a história e os personagens. Assim, nada melhor do que ouvir as músicas da primeira temporada, agora disponível em uma playlist na nossa conta do Spotify!

Leia o post completo

House of Cards e a Política Brasileira

3 semanas atráscomentarios

Primeiramente, #foratemer. E se você ainda não conferiu a última temporada de House of Cards, não se preocupe, esse texto não contém spoilers, – apenas reflexões. Pra gostar de House of Cards você precisa torcer pelos Underwood. Claro, a gente sabe o quanto eles são escrotos, mas é ficção, certo? Não tem problema torcer pelos vilões. Ou pelo menos era o que pensávamos em 2013, quando a série estreou. Mas de lá pra cá a política mundial virou de ponta à cabeça. Os Estados Unidos elegeram Trump e nós tivemos Temer enfiado goela abaixo. Isso sem contar os acontecimentos dignos da ficção, como a morte de Teori Zavascki, a delação do Joesley e os testes nucleares da Coréia do Norte. […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter