Bates Motel – 5×03 Bad Blood

8 de março de 2017 Por:

Quando a gente pensa que já fechou na nossa cabeça que Norman Bates é sim a encarnação do diabo, que ele tem sim consciência da sua loucura e que ele é sim 100% mau, vem Bad Blood para bagunçar nossas certezas e balançar meu coraçãozinho. Já assumi aqui que relutei muito em achar o Norman deliberadamente mau, não é? Pois bem, o terceiro episódio da até então maravilhosa temporada final de Bates Motel veio para me lembrar disso.

Divulgação/A&E

O que dizer de um Norman acordando indefeso e assustado, depois de mais um dos seus blackouts? O que dizer de um Norman afetuoso, educado e gentil, sendo o amigo que toda pessoa desamparada quer ter, com sua possível vítima Madeleine Loomis? O que dizer de um Norman acuado e temeroso, que não tem coragem de matar seu tio, mesmo sabendo que deixá-lo vivo não é uma opção? Bad Blood mostrou, pelo menos pra mim, que Norman Bates, apesar dos pesares, ainda não perdeu totalmente sua humanidade. Pelo menos nos (cada vez mais) raros momentos em que consegue ser apenas ele mesmo, uma parte considerável daquele garoto gentil e indefeso ainda está ali. Mas, como sabemos que esses episódios acontecem uma vez a cada eclipse, vamos voltar para a realidade e encarar os fatos como realmente são.

Começando por Caleb, não é loucura dizer que os desarranjos mentais são de família, né? Após acordar da pancada que recebeu no episódio anterior, nada mais natural que ele estar ainda meio lesado, mas depois de um tempo ele se deixar levar por toda a loucura que envolve aquela casa, só me fez constatar o quão desequilibrada é a família como um todo. As cenas dele relembrando sua relação com a irmã na infância e se entregando ao delírio de senti-la viva foram de cortar o coração. Não, eu não curto Caleb, e acho que o que ele fez à irmã é algo imperdoável, mas percebo que a infância traumatizante que eles compartilharam criou um laço profundo, estranho e muito difícil de ser rompido. A catarse que ele viveu nas suas horas finais, podem ter, de certa forma, justificado sua existência bizarra. Eu não esperava um desfecho daqueles, mas fiquei feliz de ser uma morte a menos na conta de Norman.

Divulgação/A&E

O que nos remete à Romero. Quando tudo parecia estar se encaixando na vida do ex-xerife, com a transferência de presídio, e talvez mais mordomias e quem sabe até novos aliados, Alex me inventa uma fuga que estava na cara que tinha tudo para dar errado. Não da forma como aconteceu. Confesso que fiquei frustrada com o desfecho da história do xerife (será que foi o fim mesmo?), porque acho que Alex, mesmo marcado para morrer, merecia um embate final com Norman-sendo-Norman, sem intermediários. Por Norma Louise e pela linda história de amor que eles viveram. Ainda tenho uma pequena esperança que o fim não tenha sido definitivo, mas sei que é pouco provável que ele sobreviva.

Agora, se tem alguém vida loka nesse seriado, essa pessoa atende pelo nome de Chick. O ex plantador de maconha, futuro sócio de Norman, firmou definitivamente sua aliança com o gerente do Bates Motel. Seja como mordomo, cozinheiro, carpinteiro, enfermeiro, conselheiro ou faz tudo, o melhor papel de Chick até agora foi ter a perspicácia de compreender a extensão da loucura do garoto de forma intuitiva e completa. A sua imediata aceitação dos fatos, o não julgamento e profundo entendimento da mente de Norman o coloca no topo da lista dos mais bem preparados psicólogos dos seriados. Ele não julgou, não ficou horrorizado, não temeu por sua vida e nem teve o mínimo de compaixão por Caleb. Sinceramente, me questionei até que ponto aquilo tudo foi realmente uma total surpresa pra ele.

Reprodução/A&E

Sabemos que Chick tem segundas e terceiras intenções nessa parceria. Desde o episódio anterior, ele vem fazendo notas do que tem observado, com o claro objetivo de publicar um livro. Mas daí a se expor dessa forma, a ter a (in)sensibilidade de se inserir no jogo do Norman, alimentando/incentivando a loucura do garoto é de uma frieza que chega a chocar. Não podemos nos esquecer que por mais maravilhado/abismado que ele esteja com tudo que está presenciando, ele tem total consciência que está testemunhando, sendo conivente e até mesmo cúmplice de alguns crimes. E que, por vontade própria, não vai tomar nenhuma atitude quanto a esse fato. Tudo em nome de um livro. Sério isso?

O que posso dizer até aqui é que Bates Motel vem, nessa quinta temporada, num crescente de episódios tensos e bem amarrados que me deixam extremamente feliz com a série. Torcendo para o alto nível se mantenha até o final! E vocês, curtiram?


Algumas observações:

  • Norma Louise vem mudando o visual quando incorpora a assassina ou a detetive, perceberam? Ela deixou de lado os vestidos românticos que a acompanharam durante todas as outras temporadas e agora vem usando terninhos e gravatas, no melhor estilo tomboy. Linda, como sempre!
  • Como alguns leitores do blog já haviam me chamado a atenção, Sam Loomis, o marido de Madeleine Loomis, é, no filme Psicose, o namorado da Marion Crane. E como no filme ele não era casado e sim divorciado, a inserção da dona da loja de tintas na história, como esposa dele, estava gerando descontentamento por parte de alguns fãs, por se afastar demais do roteiro. Mas, nesse episódio, Madeleine conta para Norman que se separou do marido. Ou seja, o caminho está livre agora para ele ser o namorado divorciado da nossa Marion original. Deu match, né?
  • E o passeio de Norman e Madeleine? Foi inocente ou vocês acham que ela já pode ter partido dessa para uma melhor?
  • A cena da Norma/Norman recusando a ajuda de Caleb pelo fato de ele e Norman serem apaixonados por ela foi de deixar qualquer incesto do Nelson Rodrigues no chinelo.

 

Jornalista, cinéfila e literalmente, apaixonada por séries. Não recusa: viagem, saidinha com amigos, um curso novo de atualização/aprendizado em qualquer coisa legal. Ama: família, amigos, a vida e seus desdobramentos...

Ler perfil completo

Belo Horizonte/MG

Série Favorita: Breaking Bad

Não assiste de jeito nenhum: Two and a half Men

  • Julia Sebber

    Eles vão fugir MESMO do filme? Pq Romero é morto por Norman em Psicose… eu to meio desorientada sem saber opinar ainda.

    • Renata Carneiro

      Pois é, Julia. Para ser como o filme, o Romero realmente teria que ter sido morto pelo Norman. Mas para que isso aconteça depois desse episódio, o xerife precisa ter mais de uma vida pra gastar, né? rs
      Quanto a se distanciar do filme, o seriado já provou que tem vida própria. Entendo que os fãs fiquem chateados com algumas mudanças, mas acho que ainda que algumas delas distanciem a série do original, acredito que os produtores foram bem coerentes até o momento.

  • Maria Leonor

    Quando Norman(vestido como Norma(aliás, aplaudo de pé o Freddie Highmore nessa cena aqui)) disse que queria conhecer a neta dele, eu só pensei em uma coisa : ”PELO AMOR DE MERLIN, DEIXEM AQUELA BEBÊ COISINHA FOFA BEM LONGE DO NORMAN !”

    • Renata Carneiro

      hahahahahhaahahaha, Maria! Kate não merece Norman, de jeito nenhum!!! E nossa como eu aplaudo o Freddie. É tiro atrás de tiro a atuação dele! Maravilhoso!

  • Eduardo Paiva

    Se Romero morrer desse jeito será decepcionante. A temporada está boa demais pra isso.

    • Renata Carneiro

      Também não quero que ele morra dessa forma, Eduardo. Ele merece ter um embate com o Norman. Mas sobreviver a esse tiro na barriga vai ser puxado, né?

  • Danilo Ribeiro

    Mais uma ótima análise, de um ótimo episódio!
    O que me impressiona a essa altura é a predominância da loucura na narrativa.
    Não temos aqui só Norman como “louco”, mas tb Caleb e Chick fazendo parte de tudo isso.
    A atuação de Freddie Highmore é impecável! A relutância dele em querer matar o tio faz com que percebamos a complexidade com que é tratada o personagem, não simplesmente o colocando como apenas um vilão.
    E é muito interessante perceber que os momentos em que ele “encarna” a mãe e aqueles nos quais ele conversa e interage com ela são semelhantes, é a mesma pessoa que em tese tenta proteger o Norman, e ao mesmo tempo é tão diferente da falecida Norma Louise, que apesar de amar tanto o Norman, não consentiria com as atitudes da Mother.
    Não acredito que o Romero vá partir dessa pra melhor com aquele tiro. Acho que é apenas um recurso para adiar o tão aguardado encontro dele com Norman. O que podemos perceber é que ele está tão determinado em acabar com o Norman que não está pensando em si mesmo e nas consequências de suas ações.
    Bem, particularmente estou bem empolgado com o andamento da temporada e espero que o desfecho seja tão bom quanto está sendo o desenrolar da história!

    • Renata Carneiro

      Ei Danilo,
      Tomara mesmo que não seja o fim do Romero, apesar de achar meio forçado ele sobreviver. Quero muito ver um encontro dele com o Norman, que se tornou, de um jeito muito prejudicial, a razão da existência dele. Viver com essa vontade vingança tão grande o faz, como você bem afirmou, esquecer de si próprio. Triste e forte.
      Quanto ao Freddie, impecável atuação mesmo. Me impressiona absurdamente a sutileza com a qual ele muda de personalidade. É delicado, mas é na medida exata para que percebamos que a Norma assumiu o controle. Ator incrível!

  • Bruno D Rangel

    Episódio mais fraco da temporada, mas ainda assim bom. Muito boa a cena do jantar. Chick começou a ter importância e deixou de ser apenas asqueroso.

    Duvido que o xerife tenha morrido. Com certeza ele ainda vai se encontrar com o Norman. O plot do Romero é o mais fraco até agora. Ah, na real tem um mais fraco ainda, em Seattle, mas eu praticamente nem lembro deles.

    • Renata Carneiro

      Ei Bruno, o plot de Seatle tá muito nonsense até agora, se eles perderam tempo de reinserir Dylan e Emma só para as cenas do primeiro episódio, vou achar paia demais.
      O do Romero também estou achando fraco, confesso que tive a sensação na temporada passada, que a prisão dele e a mudança de Dylan e Emma eram realmente os finais definitivos do trio. Enfim, forçarão a barra se ele sobreviver depois de um tiro na barriga, no meio do nada. Mas se acontecer, vou ignorar porque torço por um embate entre ele e Norman.
      Chick, além de asqueroso, agora é falso, manipulador, interesseiro e criminoso. Louca para o Norman encontrar o gravador.. rs

Girlboss: guia do que NÃO fazer na vida adulta

2 semanas atráscomentarios

Teve gente que gostou de Girlboss, teve gente que achou a série fraca. Mas em uma coisa todo mundo certamente concorda: Sophia é um dos piores seres humanos que já vimos como protagonista de uma série. E com ela a gente pode aprender muito sobre o que não fazer para ser uma pessoa melhor. 5. Não roubar Em GirlBoss, uma das primeiras coisas que descobrimos sobre Sophia é que ela acha normal roubar. Não, ela não rouba porque precisa, porque quer ajudar alguém, ou se quer por uma questão de princípios contra uma sociedade capitalista. Sophia rouba porque se sente superior e simplesmente não respeita os outros, – muito menos suas propriedades. 4. Não ser egoísta com a melhor amiga […]

Leia o post completo

Desafio: você se lembra de quem foi essa declaração de amor?

2 semanas atráscomentarios

Ah, o dia dos namorados. Aquele momento do ano para espalhar aos quatro cantos nosso sentimento por aquela pessoa especial, que faz o coração acelerar e as palmas da mão suarem. Aquela pessoa por quem você faria qualquer coisa, até mesmo deixar a vergonha – ou o medo – de lado para professar seu amor. Nas séries, existem muitos personagens  que não esperam data especial nenhuma para declarar seu amor, seja num momento de desespero, num pedido de casamento ou só para reforçar aquilo que o parceiro já sabe e Tom Jobim cantava aos quatro ventos: é impossível ser feliz sozinho. Você também acredita nisso e se derrete toda vez que sabe que chegou a hora de surtar, porque vai ter […]

Leia o post completo

Guia da Trilha Sonora: Scream – Season 1

3 semanas atráscomentarios

Entre os poucos pontos positivos que posso destacar em Scream, a trilha sonora fica em primeiríssimo lugar (talvez porque seja da MTV). Misturando canções atuais, dançantes e tristes, que fazem parte da vida dos jovens de Lakewood, a série soube utilizá-las para compor a história e os personagens. Assim, nada melhor do que ouvir as músicas da primeira temporada, agora disponível em uma playlist na nossa conta do Spotify!

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter