Bates Motel – 5×09 Visiting Hours

19 de abril de 2017 Por:

– Eu poderia falar com o Norman?
– Ele está dormindo. Em seu quarto. Tem torta de maçãs no forno. Quando ele acordar, vai sentir o cheiro e saber que está tudo bem.
– Poderia dar então um recado a ele por mim? Poderia dizer a ele que estou com saudades?

Quis começar essa review com o diálogo entre Emma e Mother porque achei extremamente simbólico. Não só pelas palavras, que traduzem muito do que senti ao ver o episódio, como também pela linda edição, que a exemplo da semana passada, projetou Mother no reflexo do vidro que separava os dois personagens. Ouvindo isso, o que tenho a dizer é: “Norman, nós também sentimos saudades. Sinto que tudo que você viveu em Visiting Hours poderia ter sido diferente caso você estivesse ‘acordado’. Sua conversa com a advogada, sua resistência em ser internado, sua segurança com relação ao que aconteceu, sua postura na audiência, seu encontro com a Emma. Sei que você está cansado, mas é importante que em momentos assim, você apareça!” Juro que se pudesse me teletransportar para dar uma sacudida em Mother, teria feito isso em vários momentos do episódio. Meu Deus! Se por um lado é importante que as pessoas visualizem o problema de Norman Bates, por outro, é extremamente angustiante perceber que em várias ocasiões ser Mother só piora as coisas.

Reprodução/A&E

Mas, vamos lá. Visiting Hours trouxe algumas cenas que jamais imaginei que veria: Norman em uma audiência acusado formalmente de homicídio em série, Dylan admitindo com todas as letras para a esposa quem matou a sogra, Emma cogitando terminar o casamento. Foi muita coisa pra digerir em tão pouco tempo. Começando por Dylan. O personagem que sofre mais que Maria do Bairro em Bates Motel, continua sua saga de pureza, bondade e resiliência. O mundo desaba em cima da cabeça de Dylan e ele continua lá, sendo o amigo certo nas horas incertas, o marido mais amável, atencioso e compreensivo do mundo e o irmão que nem sei se Norman merecia ter.

Por mais que sua postura diante do assunto sogra seja questionável sob a ótica da Emma, precisamos concordar que a pior posição nessa história toda é justamente a do mocinho. Como agir diante de tudo que está acontecendo e que ele mal consegue entender, que dirá assimilar? Sabemos que Dylan, por insistência própria, sempre esteve a par da doença do irmão e das coisas que esse estado mental o levava a fazer. Somos testemunhas também da sua postura a favor da internação de Norman e contra a permissividade da mãe. Isso inclusive significou cortar laços com a família, outro ponto que pesa muito no coração dele.

Divulgação/A&E

Diante desses fatos é justo que ele carregue o fardo que Madeleine jogou nas costas dele? Ou que tenha a responsabilidade sozinho do seu casamento talvez chegar ao fim? A interpretação de Madeleine Loomis sobre os fatos, já que ela mal conhece Dylan e a história de Norman, é super compreensível. Mas a da Emma, não. Entendo que tudo que ela descobriu foi pesado e, por mais que seu contato com a mãe tenha sido mínimo, não é nada tranquilo ouvir o que ela ouviu. Foi pouco tempo demais também para ela assimilar as coisas, deixar a ficha cair. Por isso achei super precipitado ela já anunciar as implicações que isso teria no relacionamento. Assistir a essa cena só reforça mais ainda a percepção de que falar/fazer coisas de cabeça quente nunca traz o melhor resultado. E acho até que a Emma pensou isso, já que depois de todo o terremoto que viveu, preferiu juntar seus caquinhos e voltar pra casa. Mas não sem antes fechar seu ciclo com Mother.

A cena do cemitério me chocou profundamente, porque simplesmente não me lembrava das palavras que estavam escritas na lápide de Norma Louise. Aquele texto, por si só, já é um atestado de uma relação polêmica, intensa, patológica e quase incestuosa. Foi tão chocante ler aquilo já tendo na nossa cabeça o desenho do que Norman se tornou! E olha que eu achei que essa descoberta seria suficiente para Emma encerrar essa etapa, mas ela foi além e ficou cara a cara com Mother, numa das cenas mais bonitas/tristes da temporada. A desconstrução do garoto em quem ela sempre confiou e que até amou um dia versus a compreensão do que estava acontecendo com ele, foi nítida, completa e muito, muito dura. Emma chegou até ali movida pela vontade de olhar nos olhos dele para que ele admitisse o que havia feito. E sim, isso aconteceu, mas não foi nada do que ela esperava. Descobrir quem (não) é Norman Bates serviu não apenas para adicionar um misto de pena e horror ao que ela já está sentindo. Talvez nesse momento, ela tenha conseguido alcançar o sentimento do Dylan. Não sei. Mas vejo como muito importante esse encontro, porque foi a partir dele que ela pôde comprovar que o garoto que ela conheceu morreu há muito tempo, talvez até antes mesmo da sua mãe.

Reprodução/A&E

E quem diria que a (provável) salvação de Norman viria de Alex Romero? O ex-xerife chegou ao ápice de seu desespero ao saber da prisão do gerente do Bates Motel. Como ele mesmo disse à Maggie, ele viveu os dois últimos anos unicamente para dar fim à vida do garoto e vingar a morte do seu amor. E uma sentença que vai proteger Norman Bates da sua fúria definitivamente não estava nos seus planos. Alex está nervoso, intempestivo, mas mais do que isso, ele está desesperado. Sua sequência de ações quase pôs tudo a perder, na adrenalina daquele reencontro, mas ele recuperou a racionalidade e partiu com Norman para executar seu plano. E se eu havia chamado Norman para assumir o comando no início do episódio, agora, depois desse final, só posso rezar para que  Mother continue firme e forte atuando nesse cenário. Porque se tem alguém que vai saber como lidar com essa situação, esse alguém é Norma Louise.

Divulgação/A&E

Nem preciso dizer da minha ansiedade para o capítulo final. Jamais imaginei que Bates Motel nos conduziria a esse desfecho, mas preciso admitir que estou amando. Acho que Norman escapa dessa vivo, assim como Dylan, Emma e Madeleine. Não vai dar tempo de rolar uma chacina no episódio final. Sempre imaginei e torci pelo acerto de contas entre Alex e Norman, mas jamais poderia supor que aconteceria dessa forma. Me despeço dessa vez, deixando aqui uma preview de The Cord, o episódio final! Não se esqueçam de me contar o que acharam desse episódio. Nos vemos semana que vem!


PS: Não posso deixar de dizer que ri muito (sei que não era o momento, mas achei engraçado) na hora que o Romero chega e o Norman se recusa a sair da cela e diz: “Prefiro ficar aqui”.

PS2: Que milhares de policiais e investigadores foram aqueles que brotaram na casa e motel dos Bates? Gente! Achei até fake o Romero conseguir escapar com o carro do principal suspeito sem ninguém ali se dar conta. Oi?

 

Jornalista, cinéfila e literalmente, apaixonada por séries. Não recusa: viagem, saidinha com amigos, um curso novo de atualização/aprendizado em qualquer coisa legal. Ama: família, amigos, a vida e seus desdobramentos...

Ler perfil completo

Belo Horizonte/MG

Série Favorita: Breaking Bad

Não assiste de jeito nenhum: Two and a half Men

  • Maria Leonor

    Pergunta : Cadê Marion Crane ? Alguém se lembra dela ? Sério mesmo q Norman não vai matar Marion no chuveiro ? Outra coisa : Quando Emma disse que queria ver Norman, pensei logo : RIP Emma, pq Norman(Mother) vai matar ela. Tb num sei qual tá sendo o papel do Dylan na série. Enfim, acho q agora é esperar pela series finale e ver quem vai sobreviver ou não.

    • Renata Carneiro

      Marion acho que teve seu final bem definido, não Maria? Depois que rolou a cena do chuveiro com Sam Loomis não imaginei que a Marion fosse mais voltar.
      Dylan também acho que teve um papel bem apagado, mas que condiz com a personalidade do personagem.
      Acho que o Romero morre e os outros não. Vamos aguardar pra ver as escolhas de Mother.

  • Raquel Alves

    Concordo com tudo que você disse Renata, tanto na review quanto em relação as perguntas da Maria!!!
    Esse dialogo entre Mother e Emma foi simplesmente SENSACIONAL… AMAZING…
    Amo essa série é ela minha favorita junto a Dexter… nem acredito que vai acabar!
    Ansiosa pelo último ep.

    • Renata Carneiro

      Mega ansiosa também Raquel! E feliz pelo seriado estar sendo finalizado de forma tão maravilhosa!

  • Danilo Ribeiro

    Depois que assisiti ao episódio, ante de vir aqui, acabei lendo uma crítica que o próprio google havia me sugerido, pelo fato das minhas buscas com relação à série. O crítico afirmava que o episódio ao não focar na relação Norman/Mother, mas sim nos personagens secundários e seus dramas, errou, principalmente por se tratar de um penúltimo episódio do fim de uma série.
    No momento que li discordei e quando cheguei aqui pude perceber o quão profunda é sua análise do episódio. Eu percebi que tinha sentido falta de algo no episódio, mas não tinha me dado conta do que exatamente, e quando comecei a ler ficou claro: Norman… Norman fez muita falta mesmo e ao mesmo tempo q sentimos sua ausência, também sentimos tristeza pelos caminhos que são tomados com a condução de Mother.
    Foi um ótimo episódio, principalmente por ter focado nos personagens secundários, que durante a temporada ficaram até mesmo de lado, esquecidos… E é tão bem feito que às vésperas de terminar ainda nos apresenta dramas que nos colocam no lugar dos personagens e nos fazem pensar o que faríamos se fosse com a gente. Eu entendo a Emma, eu entendo o Dylan, e com certa dose de pena também entendo o Romero.
    O ponto alto do episódio com certeza foi o diálogo da Emma com o Norman. Quem mais além do Dylan poderia perceber que aquele não é o Norman, aquele amigo pelo qual ela se encantou. Foi triste mesmo, mas acredito que depois disso ela compreende o lado do marido. Dylan é puro amor, ponto. E Romero, coitado, se foi junto com a Norma… Ele realmente amava aquela mulher e vai fazer de tudo, inclusive arriscar a vida, pra se vingar. Porém também acredito que vai partir dessa pra melhor.
    Tô bem ansioso pro fim da série e de certa forma receoso. Queria que Norman terminasse bem ou pelo menos sendo ele mesmo, se tratando, e não sendo comandado pela Mother.
    Parabéns pelo seu texto Renata, carregado de sensibilidade, de uma pessoa que verdadeiramente ama essa série!

    • Renata Carneiro

      Ei Danilo,
      Compartilho do seu sentimento com relação a todos os personagens.
      Mesmo secundários, acho que eles mereciam sim ter um “final” bacana e bem desenvolvido e fiquei muito feliz/tocada com a parte da Emma e do Dylan.
      Romero, também sinto pena, torci muito pelo romance dele com Norma e entendo a frustração e raiva que ele carrega.
      No mais, só ansiedade pra series finale. Fiquei arrepiada com essa preview aí..
      E obrigada pelas palavras sempre tão gentis. Esse espaço de troca de ideias e teorias faz tudo isso ser uma experiência super rica e maravilhosa!

  • Carlos Henrique

    Não entendo porque muitas pessoas ainda queriam que a série repetisse a cena do chuveiro tal qual como em psicose. Tentar fazer aquela cena (ipsi literi) seria apenas uma mera imitação e não teria qualquer impacto positivo pra série, Bates Motel com sua cena própria do chuveiro, não só homenageou o filme como também foi coerente com a trama desenvolvida nesta temporada.

    • Renata Carneiro

      Concordo, Carlos

  • Leandro Lemella

    Sei nem o que falar desse episódio, de verdade.
    Eu achava tantas outras coisas, achava que a série caminharia para um final tão diferente disso.
    E, realmente, Norman está fazendo muita falta.

    Que cena maravilhosa entre a Emma e a Mother. Caralho!!

    • Renata Carneiro

      Ei Leandro, também achei que a série terminaria de forma bastante diferente, mas sendo sincera, não me desagrada até então, esse caminho.
      E esse episódio foi bem controverso mesmo e, apesar de ter gostado, vi muitas críticas negativas.
      A cena entre Mother e Emma foi incrível, emocionante e sensível. Vamos ver como termina essa saga amanhã. Ansiosa!

  • Bruno D Rangel

    Pelo que senti, esse foi o final feliz de Emma. Ela se libertou de tudo que a prendia e vai viver a sua vida com sua filha e (talvez) com seu marido. Ela mostrou que cresceu muito e se tornou uma mulher forte e corajosa. Um orgulho.

    Acho que essa visita ao túmulo será o ápice da temporada. Norma(n) mata Romero? Romero mata ele? Norman se suicida? Norman surta e consegue fugir? Norman sobrevive? Eu espero que não.

    Hoje é o último episódio! Cinco anos! Quanta ansiedade!

Maratona Parenthood – 6ª temporada

2 semanas atráscomentarios

Pegar a última temporada de Parenthood para fazer o post de maratona foi um imenso desafio. A expectativa era grande, junto com o medo de não conseguir terminar o texto. Mas é isso que uma série faz conosco, não é? Nos encher de emoções e deixar aquele gelinho na barriga no final. Família é uma coisa difícil. Você não vive sem ela e não consegue, muitas vezes, ficar perto dela. Talvez porque família não tenha o dever de ser um amigo e dizer que certas atitudes estão corretas. Ela tem o dever de apoiar, apesar dessas atitudes e estar ao lado nas horas mais importantes, sejam elas felizes ou tristes. E isso define bem o que os Braverman são. O sexto ano da […]

Leia o post completo

The Good Fight

2 semanas atráscomentarios

The Good Wife é uma das séries jurídicas mais queridas dos fãs do gênero. Mesclando casos jurídicas repletos de reviravoltas com escândalos políticos num roteiro afiado com protagonistas cativantes e coadjuvantes de luxo, os contornos da vida pessoal e profissional de Alicia Florrick e cia conquistaram nossa atenção. Mas como tudo que é bom tem um fim, a série acabou caindo na qualidade e foi cancelada após sete temporadas. Era o fim da criatividade? Graças a Deus (e aos King), não. Menos de um ano após o final de The Good Wife foi lançada The Good Fight, um spin off dos mesmos produtores e que não deixou a desejar comparando com a série mãe. TGF deu sinais de que seria interessante logo […]

Leia o post completo

Top 10 referências à Star Wars nas séries

3 semanas atráscomentarios

Hoje comemoramos o dia de Star Wars, por causa do trocadilho com a data que tem a pronuncia muito similar a “May the force be with you”, frase muito repetida nos filmes. O universo cinematográfico criado por George Lucas cresceu muito ultimamente, temos novos filmes lançados a cada ano, séries sobre o universo também. Hoje queremos fazer nossa homenagem lembrando momentos importantes que séries fora desse universo fazem referencia à Star Wars. Seinfeld Quando Jerry tem problemas com a receita federal, por ter contribuído com uma instituição de caridade junto com Kramer, Elaine pergunta ao Jarry quando foi isso e ele responde: Há muito muito tempo atrás, numa galáxia longínqua Veronica Mars Quando Logan vai pedir ajuda à Veronica para se livrar de uma acusação […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter