Beauty and the Beast – 4×07 Point of No Return

18 de julho de 2016 Por:

Aquele momento em que o vídeo promocional te enganou. Mais uma vez.

batb-407-casal

Não acredito que fui idiota suficiente para cair no conto do vigário que o vídeo promocional do episódio dessa semana de Beauty and the Beast tentou contar. E mais: não acredito que passei 40 minutos pensando que Catherine fosse realmente capaz de entregar o amor da sua vida para o Departamento de Segurança Nacional. Leandro, você foi burro num grau que não tem perdão, afinal estamos assistindo uma série que não sai do lugar e, agora, não poderia ser diferente. Por mais que tenham acontecidos alguns desentendimentos e problemas de percurso, nada poderia separar o casal principal, não nesse ponto que chegamos. Mas sim, eu fui enganado e  me sinto um completo idiota por isso.

Infelizmente, essa review não traz grandes novidades sobre  o avanço da trama nessa quarta e última temporada. Depois da morte do agente Hill, ficou muito fácil de prever que a situação de Vincent pioraria consideravelmente. Ao matar um federal, ele coloca um alvo não só na sua cabeça, mas na de todo mundo que esteve o ajudando por todo esse tempo, por isso logo vemos os problemas respigando em JT e Heather (que nunca esteve tão confusa quanto aos problemas do cunhado e da irmã).  No meio dessa bagunça que criou, a única palavra sabiamente colocada partiu de Tess, que consegue enxergar a situação de uma maneira um pouco mais objetiva que os demais. Não que ela não se preocupe com a amiga ou mesmo com Vincent, mas a questão é que Tess tem em si o vigor da lei e consegue ser muito prática quanto ao que é ou não certo. Talvez esse fosse o momento de se colocar as coisas em perspectiva e perceber que sempre, não importa muito como ou porque, enquanto a personalidade selvagem do médico for um segredo, alguma coisa estará no meio da vida do casal. É difícil, talvez impossível pensar em expor isso para o mundo, mas pode ser a única maneira de encerrar o problema.

batb-407-tess

Toda a ação do episódio ficou por conta de Catherine e de seu plano que consistia basicamente em enganar o DSN que estava completamente alienada quanto a situação do seu marido e que colaboraria como fosse possível para ajudar a provar sua inocência, nem que isso significasse trair a confiança dele. O que vimos foi, a passos lentos, isso ir sendo configurado, o que acabou confundindo demais o espectador. Não tinha como a gente saber se ela realmente estava armando um plano (o que era o mais provável) ou estava tomando medidas desesperadas para salvar o marido. Até o momento que entra na caverna, nos minutos finais do episódio, eu realmente não sabia o que pensar – o que foi simplesmente explicado pelo fato de que Vincent conhece Cat tão bem que identificou o que estava fazendo pelas batidas do seu coração fora do compasso.

Agora que não é mais vista como uma ameaça dentro do departamento, Cat pode buscar as provas que precisa para mostrar que Hill agiu pelas costas deles – o que não deve ser uma das coisas mais fáceis de se fazer, já que todos os seus arquivos parecem estar encriptados. O que eu não paro de pensar é nessa ausência de um grande vilão, que até agora o roteiro não se preocupou em entregar. Talvez a Grayal, associação que esteve envolvida com os assassinos profissionais que foram atrás de Vincent e também está envolvida com a caçada da besta, possa nos encaminhar melhor nesse caminho por um culpado. Já sabemos que pessoas diferentes estiveram na cabeça de cada operação (pelo menos ao que tudo indica, né) – então falta dar cara aos bois. Como já estamos na metade final, é a hora de se estabelecer isso mais rapidamente, para que não se cometa o mesmo erro da temporada passada, quando conhecemos o vilão nos três últimos episódios somente.

batb-407-vincent

O negócio está se complicando, de verdade. Eu sei que não posso esperar muito, mas queria pelo menos um final decente, o que passo a desacreditar cada vez mais. Encaminhem os personagem, encerrem as histórias – só isso que peço. Dê uma espiada no vídeo promocional do próximo episódio e não esquece de comentar o que está achando!

Caiçara, viciado em cultura pop e uns papo bobo. No mundo das séries, vai do fútil ao complicado, passando por comédias com risada de fundo e dramas heroicos...

Ler perfil completo

Santos - SP

Série Favorita: Arrow

Não assiste de jeito nenhum: The Walking Dead

  • Gabriel Carvalho

    Ri muito com você se insultando kkkkkkkkkkkkk

    • Leandro Lemella

      Tenho que aceitar a realidade, não é mesmo? 😀 aheuhaeuhae

  • hahahahahaha,fomos dois a nos deixar enganar Leandro, eu também só me dei conta de que ela tinha mesmo seguido o plano do início do episódio no final.

    • Leandro Lemella

      aheuhaheuhaheuhu sabia que você estaria na mesma!

      essa semana a review está atrasada por motivos de comic-con, mas logo mais tem review dupla surgindo aqui 🙂

Desafio: você se lembra de quem foi essa declaração de amor?

2 semanas atráscomentarios

Ah, o dia dos namorados. Aquele momento do ano para espalhar aos quatro cantos nosso sentimento por aquela pessoa especial, que faz o coração acelerar e as palmas da mão suarem. Aquela pessoa por quem você faria qualquer coisa, até mesmo deixar a vergonha – ou o medo – de lado para professar seu amor. Nas séries, existem muitos personagens  que não esperam data especial nenhuma para declarar seu amor, seja num momento de desespero, num pedido de casamento ou só para reforçar aquilo que o parceiro já sabe e Tom Jobim cantava aos quatro ventos: é impossível ser feliz sozinho. Você também acredita nisso e se derrete toda vez que sabe que chegou a hora de surtar, porque vai ter […]

Leia o post completo

Guia da Trilha Sonora: Scream – Season 1

3 semanas atráscomentarios

Entre os poucos pontos positivos que posso destacar em Scream, a trilha sonora fica em primeiríssimo lugar (talvez porque seja da MTV). Misturando canções atuais, dançantes e tristes, que fazem parte da vida dos jovens de Lakewood, a série soube utilizá-las para compor a história e os personagens. Assim, nada melhor do que ouvir as músicas da primeira temporada, agora disponível em uma playlist na nossa conta do Spotify!

Leia o post completo

House of Cards e a Política Brasileira

3 semanas atráscomentarios

Primeiramente, #foratemer. E se você ainda não conferiu a última temporada de House of Cards, não se preocupe, esse texto não contém spoilers, – apenas reflexões. Pra gostar de House of Cards você precisa torcer pelos Underwood. Claro, a gente sabe o quanto eles são escrotos, mas é ficção, certo? Não tem problema torcer pelos vilões. Ou pelo menos era o que pensávamos em 2013, quando a série estreou. Mas de lá pra cá a política mundial virou de ponta à cabeça. Os Estados Unidos elegeram Trump e nós tivemos Temer enfiado goela abaixo. Isso sem contar os acontecimentos dignos da ficção, como a morte de Teori Zavascki, a delação do Joesley e os testes nucleares da Coréia do Norte. […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter