Beauty and the Beast – 4×10 Means to an End

21 de agosto de 2016 Por:

Apenas mais três episódios nos separam do grande final de Beauty and the Beast e o roteiro decide introduzir um novo vilão a essa altura do campeonato.

batb-410-tess

Não fosse o trágico final, esse episódio poderia facilmente ser apontado como um dos melhores que vimos nessa mediana quarta temporada. A ação estava bem feita, o drama do episódio ponderado e a linha narrativa adotada muito bem coerente com o que vimos até aqui. Ao colocar Tess para fora do círculo de proteção à besta, o roteiro acerta, criando uma tensão maior para os personagens, o que, a essa altura, é indispensável. O grande problema foi adotar um novo vilão. Quando Braxton começou a ganhar mais destaque dentro da trama, foi fácil acreditar que ele estava por trás de tudo que vinha acontecendo, principalmente por comandar uma instituição que vive sob o radar da DSN. Suas cenas nos levavam para o mesmo caminho, ainda mais depois de vermos os testes insanos que fez com Vincent. Foi quase simultâneo o clique em Cat e em mim. Somente uma pessoa que pudesse controlar toda a situação, poderia estar por trás de todo o problema causado a vida da Besta – só que estávamos, mais uma vez, errados.

O que me preocupa agora é a construção de um novo vilão, que também é uma besta, com apenas três episódios. Talvez venha aí um retorno que não estamos esperando, o que explicaria tanto mistério quanto a identidade do personagem – mas, conhecendo o roteiro atrapalhado da série, não é difícil de imaginar um personagem completamente desconhecido surgindo a essa altura do campeonato só para ser desmascarado daqui duas semanas. É bem difícil defender um roteiro assim. Estamos tentando de tudo para acreditar que o final será bacana, mas tudo que consigo pensar é numa trama preguiçosa e que não sai do lugar. O único ponto positivo foi mostrar com tudo isso que Vincent não é o cara mau que a polícia procura, lembrando até mesmo Tess disso. Os embates da policial com a melhor amiga nesse episódio foram incríveis, pontuando que sua profissão de cumprir a lei vinha acima de qualquer coisa. E pensando mais profundamente, foi exatamente o seu senso de justiça que a fez liberar Cat das algemas para tentar capturar o peixe maior.

batb-410-kyle

Fiquei com bastante pena de Kyle nesse episódio, mas não consigo deixar de ter o pé atrás. Geralmente, quando vemos a retrospectiva no começo da exibição, somente cenas super relevantes são exibidas e ele constantemente vem marcando presença. Seu envolvimento com Heather é bonitinho, porém apressado. Para um casal que mal se conhece e teve uma relação fundamentada em mentiras (até onde ele sabe, claro), investir em morar juntos soa um pouco desesperado da parte dele. Sua confusão ao ver o escritório de Cat tomado pelo departamento federal pode até ser verdadeira, mas me soa bastante como algo forçado para passar a impressão que precisamos. No fundo, a minha teoria é: Kyle pode ser a tal da besta que está por trás do assassinato de Braxton. Juntem as pontas e fará sentido. Ele apareceu no mesmo momento que a vida de Vincent começou a desandar. Seu interesse por Heather, que é uma menina incrível claro, sempre pareceu um tanto exagerado. Ele sempre consegue colocar de lado o ego na hora de superar as mentiras. Não sei, mas algo me cheira muito estranho por aqui – e falando assim parece até que é um absurdo alguém ter um relacionamento gostosinho e de uma hora para outra, mas não é; só que no mundo das séries, a gente sabe que isso é um alarme para problemas.

Se essa teoria se confirmar, talvez o nosso caminho até o final seja bem interessante, porque teremos alguns personagens em perigo, o que além de agitar o episódio, dá um senso de urgência para o que estamos vendo. Seria uma saída bacana e mais inteligente do que apostar em um personagem novo – até porque significaria que fomos feitos de idiota desde o primeiro episódio da temporada. Mas deixando as especulações de lado, queria só comentar, antes de finalizar, o esgotamento que todos estão demonstrando quanto a situação em que vivem. Heather não consegue manter um relacionamento porque precisa mentir o tempo todo sobre o cunhado. Tess teve que colocar sua profissão de lado em muitos momentos para conseguir manter a sua melhor amiga por perto, o que acabou contrariando muito do que acredita. JT não tem vida – é uma sombra da própria existência tomado pela culpa de ter encaminhado o amigo para um caminho que nunca mais teve volta. Cat escolheu isso para si, mas não teve a noção de quanto isso acabaria tomando da sua vida e das escolhas que faria. E Vincent, coitado. Uma vítima que paga constantemente pela escolha que nunca teve.

batb-410-morte

Todos estão muito cansados e é exatamente nesse senso que adentramos a reta final. Tudo pode acontecer agora que uma nova peça foi revelada e a trama se abre mais uma vez. Vamos ver onde que vamos parar com tudo isso. Confira o vídeo promocional do próximo episódio e comenta comigo o que está achando!

Caiçara, viciado em cultura pop e uns papo bobo. No mundo das séries, vai do fútil ao complicado, passando por comédias com risada de fundo e dramas heroicos...

Ler perfil completo

Santos - SP

Série Favorita: Arrow

Não assiste de jeito nenhum: The Walking Dead

  • “e o roteiro decide introduzir um novo vilão a essa altura do campeonato.” Você entendeu o meu desespero por querer ler a review? Eu achei isso uma loucura sem igual!
    Gostei da sua teoria sobre o Kyle, também tenho o pé atrás com ele… E achei uma boa esperança A Murifield ser citada na promo do próximo episódio, dá a ideia de que nem tudo foi em vão até aqui.

    • Leandro Lemella

      Olha, eu não sei mais o que esperar. Achei que ia ser o Braxton, mas já mataram ele.
      Os caras mudam tudo, toda semana. Não sei se eles sabem muito bem o que estão fazendo ou se não tem a menor ideia de onde estão indo, sabe? Espero muito que fique na primeira opção.

      Eu fico muito desconfiado com Kyle, apesar de achar que é mais coisa minha do que relevância do personagem. Mas se a teoria vingar, acho que seria uma virada interessante, apesar de previsível. Tomara que a série embale agora nos 3 últimos!

      Seguimos firmes!

Desafio: você se lembra de quem foi essa declaração de amor?

2 semanas atráscomentarios

Ah, o dia dos namorados. Aquele momento do ano para espalhar aos quatro cantos nosso sentimento por aquela pessoa especial, que faz o coração acelerar e as palmas da mão suarem. Aquela pessoa por quem você faria qualquer coisa, até mesmo deixar a vergonha – ou o medo – de lado para professar seu amor. Nas séries, existem muitos personagens  que não esperam data especial nenhuma para declarar seu amor, seja num momento de desespero, num pedido de casamento ou só para reforçar aquilo que o parceiro já sabe e Tom Jobim cantava aos quatro ventos: é impossível ser feliz sozinho. Você também acredita nisso e se derrete toda vez que sabe que chegou a hora de surtar, porque vai ter […]

Leia o post completo

Guia da Trilha Sonora: Scream – Season 1

2 semanas atráscomentarios

Entre os poucos pontos positivos que posso destacar em Scream, a trilha sonora fica em primeiríssimo lugar (talvez porque seja da MTV). Misturando canções atuais, dançantes e tristes, que fazem parte da vida dos jovens de Lakewood, a série soube utilizá-las para compor a história e os personagens. Assim, nada melhor do que ouvir as músicas da primeira temporada, agora disponível em uma playlist na nossa conta do Spotify!

Leia o post completo

House of Cards e a Política Brasileira

3 semanas atráscomentarios

Primeiramente, #foratemer. E se você ainda não conferiu a última temporada de House of Cards, não se preocupe, esse texto não contém spoilers, – apenas reflexões. Pra gostar de House of Cards você precisa torcer pelos Underwood. Claro, a gente sabe o quanto eles são escrotos, mas é ficção, certo? Não tem problema torcer pelos vilões. Ou pelo menos era o que pensávamos em 2013, quando a série estreou. Mas de lá pra cá a política mundial virou de ponta à cabeça. Os Estados Unidos elegeram Trump e nós tivemos Temer enfiado goela abaixo. Isso sem contar os acontecimentos dignos da ficção, como a morte de Teori Zavascki, a delação do Joesley e os testes nucleares da Coréia do Norte. […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter