Brothers and Sisters: você precisa conhecer os Walkers

2 de junho de 2017 Por:

Good times. Bad times. Through it all…they are family.

Publicado por Brothers and Sisters em Quarta, 25 de agosto de 2010

Brothers and Sisters é um drama familiar daqueles que quem sente falta de Parenthood – já está órfão da nossa maratona do choro? – ou está ansioso pelo retorno de This is Us vai amar conhecer. A série tem 5 temporadas e conta a história do clã dos Walkers, a mãe Nora, o pai William e os filhos Tommy, Sarah, Kitty, Kevin e Justin, todos já adultos e cada um com um problema diferente – como não poderia deixar de ser. E não dá para dizer ao certo se é apesar destes problemas ou por causa deles que os Walkers são uma das melhores famílias da TV. Assim que você conhecê-los vai ser impossível não querer fazer parte do clã e conferir todos os seus altos e baixos.

Basicamente, a sinopse da história é essa: quando William Walker morre, seus segredos começam a vir a tona e complicam a vida de toda sua família, que tinha na relação dos pais o modelo de casamento perfeito. Tommy é o filho que toca os negócios da família junto do pai, fazendo-o acreditar que é natural herdar o lugar do mesmo na empresa, enquanto Sarah é uma executiva tenta conciliar maternidade – ela é mãe de duas crianças -, casamento e vida profissional. Já Kevin é um advogado que tenta se tornar sócio do escritório de advocacia em que trabalha e tem problemas em se relacionar amorosamente. Kitty era a mais próxima de William, mas não consegue ter uma relação parecida com Nora e Justin, o caçula da família, tem traumas da época que serviu ao exército e é viciado em drogas. Tudo isso é o pano de fundo das histórias que se desenrolam nos 109 episódios da série, que tem também personagens secundários de peso e com histórias complexas, que valem muito a pena serem vistas.

O elenco, com nomes como Sally Field e Calista Flockhart, não decepciona e consegue entregar um drama de qualidade, daqueles que te prendem e não deixam mais sair da frente da televisão. E a gente já sabe qual o resultado quando somamos ótimos atores a um grande texto, não é mesmo? Sucesso! E se você acha que 109 episódios para 5 temporadas é muita coisa e tem medo de mais da metade da história ser composta por fillers (aqueles episódios para encher linguiça), calma! Pode acreditar que toda vez que tudo parece que vai se acalmar, acontece alguma reviravolta, algum fato novo que não deixa a história parar. Sempre tem uma descoberta nova, um personagem que volta, acontecimentos que mudam os planos já definidos ou algum fato que, de uma forma ou de outra, acaba unindo ainda mais os irmãos. Pode confiar!

E se nada disso ainda foi capaz de te convencer que esta é a próxima série que você deve assistir, nós precisamos falar sobre o roteiro e a sensibilidade – e naturalidade – irretocável com que eles tratam assuntos que, em outras produções, poderiam ser tabu. Para não citar casos especiais aqui para não dar spoiler, devo apenas dizer que o texto trata assuntos que poderiam ser considerados polêmicos de forma orgânica, com cuidado, mas sem medo de abordá-los nas mais variadas ocasiões. Um exemplo que é parte da sinopse é o fato de Kevin ser assumidamente gay. Mas isso não permite que o roteiro caia em esteriótipos tão comuns a tantos textos e coloca suas histórias amorosas de igual para igual com a de seus irmãos, que são heterossexuais, e, por diversas vezes, ainda as faz muito mais interessantes (o Alexandre já falou sobre isso em um texto interessantíssimo sobre representatividade e o combate à homofobia). Muitos outros assuntos que não quero citar nesta apresentação da série são tratados com o devido cuidado e respeito. Algo que deveria ser regra, mas acaba sendo parte de uma exceção que, ainda bem, está ficando cada vez mais comum e a gente não pode evitar celebrar sempre que acontece.

Today, be thankful for the people in your life. #HappyThanksgiving

Publicado por Brothers and Sisters em Quinta, 26 de novembro de 2015

E nem só de choro se sustenta o roteiro de Brothers and Sisters, viu? Também tem muito alívio cômico e motivo para rir – principalmente sorrir. Essa é minha reação muitas das vezes que os Walkers se reúnem ou ligam um para os outros. É uma delícia ver a conexão e a cumplicidade entre eles. Por essas e outras, pode acreditar, essa é uma série que vale cada minuto!


Gostou da indicação e vai dar uma chance à serie? Conta pra gente aqui nos comentários, vamos adorar ficar sabendo – e quem sabe não marcamos uma maratona? Já viu e quer compartilhar tudo o que acha dos Walkers, pode usar a caixa de comentários também.

Curiosa por natureza. Chata por vocação. Social media por paixão. Viciada em séries e novela por culpa da prima que a largava na frente da TV para poder...

Ler perfil completo

Palhoça/SC

Série Favorita: Gilmore Girls

Não assiste de jeito nenhum: The Walking Dead

  • Adriano

    Amo muito, uma das minhas séries preferidas, q apesar de ñ ter tido um final fechadinho, vale muito a pena fazer maratona.

  • Olívia Carvalho

    Essa série é muito boa! Eu vi ainda quando era exibida e volta e meia tenho vontade de rever (so fico com preguiça pq nao tem na netflix). Não sei se você notou, mas o trailer deve ter sido do primeiro piloto, pq a Sally Field e o Matthew Ryes ainda nao estavam no elenco

  • Se você me disser que tem na Netflix começo hoje mesmo! Se não tiver vou precisar de um tempo extra pra poder encontrá-la… Mas de toda forma aceito a dica! Adoro dramas familiares <3

  • Paulo

    Ótima indicação! Os diálogos dessa série são excelentes e os personagens também!

  • Janaisa Viscardi

    Eu AMAVA Brothers and Sisters. Fiquei muito orfã quando acabou. rs.

  • Tiago Pereira

    Maratonei a série no começo do ano, amava os Walkers…

  • Tenho vontade de assisti-la, me lembro que quando passava Parenthood muita gente falava que ela supria quem ficou orfão de Brothers and Sisters, aí fiquei na curiosidade.
    * Netflix, se você tiver lendo os comentários por favor!* 😉

  • Luciana Santos

    Logo depois de Parenthood, comecei a ver B&S e amei! Valeu demais a pena e me apaixonei pelos Walkers. A forma como eles tratam os temas delicados é sensacional! Uma série de vanguarda pra sua época!

  • Digo

    Também tenho muita vontade de ve-la inteira, serie apaixonante. Assisti bem picado na epoca, mas sempre parava para ver os episodios. Realmente Netflix traga pra nós <3

O que você precisa saber de Jessica Jones antes de Defensores

6 dias atráscomentarios

A primeira série da Marvel protagonizada por uma mulher começa quando os pais de Hope Shottman (Erin Moriarty) pedem a ajuda de Jessica Jones (Krysten Ritter) para investigar o paradeiro da filha, e ela então descobre que o sequestrador da moça é ninguém mais ninguém menos que Killgrave (David Tennant): aquele que a traumatizou através de um relacionamento abusivo. A moça não é então a típica heroína a qual estamos acostumados, e algumas vezes até chegamos a duvidar se podemos chama-la assim. Por ter um passado marcado pelo abuso sua personalidade se torna um tanto ácida e sombria, além de deixar para a personagem um descontrole no consumo de álcool e a ideia de que desistir é a melhor saída, e […]

Leia o post completo

O que você precisa saber de Demolidor antes de Defensores

7 dias atráscomentarios

Com o sucesso do universo cinematográfico desenvolvido pela Marvel nos cinemas, um dos personagens mais interessantes e queridos dos fãs de quadrinhos foi ansiosamente aguardado para voltar a fazer parte do mesmo mundo. Homem-Aranha? Não, na verdade Demolidor. Após a Fox deixar os direitos de uso do personagem retornar para a casa das ideias, Marvel e Netflix fecharam uma parceria para desenvolver diversas séries de heróis. Demolidor abre essa parceria com maestria, trazendo uma série obscura, e violenta, diferente do que o personagem já viveu nas telas até então (abraço Ben Affleck!) Charlie Cox (Broadwalk Empire), dá vida a Matt Murdock, sofrido e realista. A série apresenta ele como advogado com o escritório associado em Hell’s Kitchen, e em seguida suas […]

Leia o post completo

Com pais como estes, hoje é um dia para esquecer

1 semana atráscomentarios

Existe um ditado que diz que a vida imita a arte (ou vice-versa) e isso sempre se mostra realidade quando comparamos as séries que assistimos à vida real. Claro que ainda não descobrimos um universo paralelo, uma cabine telefônica que nos transporte por aí ou que alienígenas têm planos de conquistar a Terra, mas muitas vezes a realidade é espelhada nos roteiros das histórias que mais amamos. House of Cards está aí para comprovar essa teoria, se compararmos os acontecimentos aos fatos que vemos nos noticiários todos os dias. Com os pais não poderia ser diferente. Existem pais que assumem o papel integral da criação da criança, pais que são os melhores amigos dos filhos, filhos que têm dois pais, pais de […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter