Caçadores de Trolls

17 de janeiro de 2017 Por:

Já faz tempo que mundo dos desenhos não parece mais tão destinado ao público infantil. Roteiros inteligentes, histórias intrigantes e que prendem e emocionam os telespectadores ganham adeptos do mundo todo. E se você, assim como eu, é fã de animações e frequenta cinemas, deve ter percebido que cada vez mais aumenta o número de adultos desacompanhados dos pequenos nesse ambiente.

Muitos adultos deixaram de ir ao cinema apenas como acompanhantes dos filhos/sobrinhos/netos e redescobriram o prazer de ver uma boa animação na tela grande e com clima escurinho. Walt Disney continua inventando novos clássicos (Oi, Toy Story e Frozen!), mas não podemos esquecer a importância da DreamWorks no cenário mundial. Como não amar Shrek, com a ogra sendo a verdadeira princesa?

A série vale cada minuto de hoje é Caçadores de Trolls (Trollhunters) animação da Dreamworks em parceria com a amada Netflix. Criada por Guilherme Del Toro, a história da série é baseada em livros de mesmo nome. Jim Lake Jr. dividia sua rotina entre cuidar da mãe Bárbara, uma médica que trabalha muitas horas para manter sua casa, e de seu melhor amigo Toby, um garoto divertido que se diz de dieta praticamente desde o berço. A vida de Jim muda radicalmente quando ele encontra um amuleto que brilha muito. Sem saber do que se tratava, ele leva o amuleto para casa.

Mais tarde Jim descobre que o amuleto o transforma no Caçador de Trolls, aquele que é responsável por proteger o mundo dos trolls e dos humanos de trolls malvados. No começo o garoto não aceita bem a ideia – e a responsabilidade. Mas logo percebe que não há como fugir. Com ajuda de seus treinadores trolls Blinky e Aaarrrgghh!!! e do amigo Toky, o Caçador de Trolls começa a despertar e dominar seus poderes, enfrentando vários perigos, incluindo o malvado Bular.

A série alterna as cenas de ação (lutas e perseguições) com a rotina dos personagens principais numa típica escola americana, vivendo seus dramas adolescentes. Essa parte é fundamental pois, além de dar leveza à história, faz a gente voltar no tempo e se identificar muitas vezes. Quem nunca passou momentos vergonha alheia na frente do primeiro amor? Sofreu bullyng por ser gordinho? Foi ou quis ser popular na escola?

Caçadores de Trolls lembra o estilo The Shannara Chronicles, mas menos sombria e mais cativante. A mitologia da série é envolvente e os momentos de alívio cômico são constantes. E nem diga que “não está com tempo para novas maratonas”. A primeira temporada tem só 26 episódios de mais ou menos 23 minutos cada um.  E se você ainda tem alguma dúvida, não deixe de conferir o trailer oficial da série:

 


Gostou da dica? Pretende dar uma chance? Já conhece? Conta pra gente.

Mineira apaixonada por séries policiais, dramas jurídicos e séries teen de qualidade (Saudades, Greek!).

Belo Horizonte - MG

Série Favorita: Grey´s Anatomy

Não assiste de jeito nenhum: House

  • Ana Rebeca Tamandaré

    Adorei a série animada, consumi os 26 episódios em uma semana. Leve, inteligente e ágil Caçadores de Trolls surpreende pela qualidade com personagens cativantes e engraçados.

    Com toda a certeza Vale Cada Minuto!

    • Andrezza

      Ana, os personagens são o melhor de tudo, né?
      Amo até alguns vilões. rs

  • Paulo Adriano Rocha

    Eu tô vendo um ou dois episódios por vez e tô curtindo demais.
    Tobby = melhor pessoa. Hahahaha.

    • Andrezza

      Tobby = melhor pessoa do mundo.
      Eu me controlei pra não ver tudo um atrás do outro e acabar logo!

  • Tavares Carol

    Amei essa série! Fiquei assistindo com meus irmãos… é leve, genial e rápido! Aquela coisa divertida que te faz querer ver sempre 🙂

    • Andrezza

      Concordo com tudo!
      Já quero mais. 🙂

  • Vinícius Alves

    Assisti o piloto devido a esse post, e sério, que coisa mais incrível. #PartiuMaratona

    • Andrezza

      OI, Vinicius!
      Você não tem ideia de como eu fiquei feliz ao saber.
      Boa Maratona! =)

  • Caio

    Eu pensava que seria uma série bem mais voltada para o público infantil, mas tem uma mescla de adolescente e adulto jovem no roteiro. É aquele típica animação que os pais podem assistir com os filhos com garantia de alguma diversão para ambos.

10 grandes reviravoltas em Gossip Girl

6 dias atráscomentarios

Há exatos 10 anos, o mundo era apresentado a Gossip Girl: uma série badalada, cheia de jovens ricos com seus amores e problemas. O piloto foi ao ar pela CW e deu vida a personagens que marcaram uma geração de Apaixonados por Séries. Durante 6 temporadas, já sentimos amor pelos protagonistas, odiamos alguns deles, vimos os altos e baixos de todos eles e, mesmo que a série não tenha mantido o mesmo nível em todas as temporadas, deixou aquela saudade. Para comemorar os 10 anos da série, selecionar os melhores momentos seria bem clichê. E como tivemos tantos babados, revolvemos escolher 10 momentos de reviravolta na série. Vem conferir com a gente: Vida e morte de Bart Bass Vamos combinar, Bart […]

Leia o post completo

Emmy 2017 | Em noite histórica, The Handmaid’s Tale derruba favoritas e quebra recorde de 36 anos

7 dias atráscomentarios

Fazia exatos 36 anos que uma série havia vencido ao menos 4 das 5 categorias principais do Emmy (Série, Roteiro, Direção, Ator e Atriz de Drama). O recorde pertencia à primeira temporada de Hill Street Blues, em 1981. Ontem, uma nova marca foi estabelecida. Deixando as favoritas Stranger Things e Westworld comendo poeira, The Handmaid’s Tale venceu os prêmios de série, direção, roteiro e atriz principal de série dramática e fez o que nem grandes séries como Breaking Bad, The Sopranos e The West Wing fizeram no seu auge. À esses 5 prêmios, a série acumula mais 3 vencidos no Creative Emmy semana passada: Atriz Convidada (Alexis Bledel), Fotografia e Direção de Arte, totalizando 8 vitórias na edição. Às outrora favoritas, restaram apenas 5 prêmios cada, todos entregues no Creative. Na noite de ontem, não teve […]

Leia o post completo

Primeiras Impressões: The Orville

1 semana atráscomentarios

O que dizer de The Orville? Assisti ao primeiro episódio dessa nova série da Fox, criada, produzida e estrelada por Seth MacFarlane (Family Guy), e até agora não consegui entender por que o seriado está classificado como uma comédia ou, mais distante ainda, uma sátira de Star Trek. The Orville não é uma série ruim, vejam vocês, mas não é uma comédia como tentaram vender os trailers e todo o material promocional. Há piadas sim, algumas até engraçadas, mas elas fazem parte do contexto e não são o objetivo final do roteiro. A ideia de um mundo futuro, com naves espaciais e seres de diversos planetas convivendo também não é uma sátira de Star Trek, como fizeram parecer. Ao contrário, […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter