Caçadores de Trolls

17 de janeiro de 2017 Por:

Já faz tempo que mundo dos desenhos não parece mais tão destinado ao público infantil. Roteiros inteligentes, histórias intrigantes e que prendem e emocionam os telespectadores ganham adeptos do mundo todo. E se você, assim como eu, é fã de animações e frequenta cinemas, deve ter percebido que cada vez mais aumenta o número de adultos desacompanhados dos pequenos nesse ambiente.

Muitos adultos deixaram de ir ao cinema apenas como acompanhantes dos filhos/sobrinhos/netos e redescobriram o prazer de ver uma boa animação na tela grande e com clima escurinho. Walt Disney continua inventando novos clássicos (Oi, Toy Story e Frozen!), mas não podemos esquecer a importância da DreamWorks no cenário mundial. Como não amar Shrek, com a ogra sendo a verdadeira princesa?

A série vale cada minuto de hoje é Caçadores de Trolls (Trollhunters) animação da Dreamworks em parceria com a amada Netflix. Criada por Guilherme Del Toro, a história da série é baseada em livros de mesmo nome. Jim Lake Jr. dividia sua rotina entre cuidar da mãe Bárbara, uma médica que trabalha muitas horas para manter sua casa, e de seu melhor amigo Toby, um garoto divertido que se diz de dieta praticamente desde o berço. A vida de Jim muda radicalmente quando ele encontra um amuleto que brilha muito. Sem saber do que se tratava, ele leva o amuleto para casa.

Mais tarde Jim descobre que o amuleto o transforma no Caçador de Trolls, aquele que é responsável por proteger o mundo dos trolls e dos humanos de trolls malvados. No começo o garoto não aceita bem a ideia – e a responsabilidade. Mas logo percebe que não há como fugir. Com ajuda de seus treinadores trolls Blinky e Aaarrrgghh!!! e do amigo Toky, o Caçador de Trolls começa a despertar e dominar seus poderes, enfrentando vários perigos, incluindo o malvado Bular.

A série alterna as cenas de ação (lutas e perseguições) com a rotina dos personagens principais numa típica escola americana, vivendo seus dramas adolescentes. Essa parte é fundamental pois, além de dar leveza à história, faz a gente voltar no tempo e se identificar muitas vezes. Quem nunca passou momentos vergonha alheia na frente do primeiro amor? Sofreu bullyng por ser gordinho? Foi ou quis ser popular na escola?

Caçadores de Trolls lembra o estilo The Shannara Chronicles, mas menos sombria e mais cativante. A mitologia da série é envolvente e os momentos de alívio cômico são constantes. E nem diga que “não está com tempo para novas maratonas”. A primeira temporada tem só 26 episódios de mais ou menos 23 minutos cada um.  E se você ainda tem alguma dúvida, não deixe de conferir o trailer oficial da série:

 


Gostou da dica? Pretende dar uma chance? Já conhece? Conta pra gente.

Mineira apaixonada por séries policiais, dramas jurídicos e séries teen de qualidade (Saudades, Greek!).

Belo Horizonte - MG

Série Favorita: Grey´s Anatomy

Não assiste de jeito nenhum: House

  • Ana Rebeca Tamandaré

    Adorei a série animada, consumi os 26 episódios em uma semana. Leve, inteligente e ágil Caçadores de Trolls surpreende pela qualidade com personagens cativantes e engraçados.

    Com toda a certeza Vale Cada Minuto!

    • Andrezza

      Ana, os personagens são o melhor de tudo, né?
      Amo até alguns vilões. rs

  • Paulo Adriano Rocha

    Eu tô vendo um ou dois episódios por vez e tô curtindo demais.
    Tobby = melhor pessoa. Hahahaha.

    • Andrezza

      Tobby = melhor pessoa do mundo.
      Eu me controlei pra não ver tudo um atrás do outro e acabar logo!

  • Tavares Carol

    Amei essa série! Fiquei assistindo com meus irmãos… é leve, genial e rápido! Aquela coisa divertida que te faz querer ver sempre 🙂

    • Andrezza

      Concordo com tudo!
      Já quero mais. 🙂

  • Vinícius Alves

    Assisti o piloto devido a esse post, e sério, que coisa mais incrível. #PartiuMaratona

    • Andrezza

      OI, Vinicius!
      Você não tem ideia de como eu fiquei feliz ao saber.
      Boa Maratona! =)

  • Caio

    Eu pensava que seria uma série bem mais voltada para o público infantil, mas tem uma mescla de adolescente e adulto jovem no roteiro. É aquele típica animação que os pais podem assistir com os filhos com garantia de alguma diversão para ambos.

Painel de Gotham na Comic-Con 2017

14 horas atráscomentarios

O Batman do cinema pode até tá pronto pra montar a Liga da Justiça, mas no universo televiso da DC, ele ainda está dando os primeiros passos. E que primeiros passos. De promessa a decepção a novamente uma promessa (agora cumprida), Gotham segue para seu 4º ano, mostrando – depois de alguns problemas de tom já ajustados – que pode sim ser uma boa série de origem do Homem-Morcego e sua famosa cidade. Estiveram presentes no painel da série na San Diego Comic Con, os atores Ben Mckenzie (Gordon), Sean Pertwee (Alfred), Camren Bicondova (Selina), Jessica Lucas (Tabhita), Cory Michael Smith (Charada/Nygma), Erin Richards (Barbara), Robin Lord Taylor (Pinguim), Alexander Siddig (Ra’s al Ghul) e Drew Powell (Butch). Um dos primeiros assuntos foi a transformação que Nygma passou recentemente. […]

Leia o post completo

Painel de Happy! na Comic-Con 2017

14 horas atráscomentarios

Seguindo com a estratégia de expandir sua programação de torna-la mais amigável para um público nerd, a SyFy va produzir Happy!, adaptação de uma Graphic Novel criada por Grant Morrison e Darick Robertson. Com um protagonista altamente reconhecível e um plot igualmente violento e delirante, estamos diante de um sucesso em potencial. Presentes ao painel estavam o ator Christopher Meloni, o criador da GN Grant Morrison, o produtor executivo Brian Taylor e o showrunner Patrick MacManus. Nick Sax (Chris Meloni) é um ex-policial que se torna assassino e, durante um trabalho, sofre um ataque cardíaco. Ao acordar, descobre que agora tem a habilidade de ver Happy, o amigo imaginário de uma garotinha sequestrada, que pede sua ajuda para resgatá-la. “Ele […]

Leia o post completo

Painel de Dirk Gently’s Holistic Detective Agency na Comic-Con 2017

14 horas atráscomentarios

Uma das series que mais me surpreendeu em 2016 (e que fiz questão de rever após o finale) foi Dirk Gently’s Holistic Detective Agency. Livremente baseada na obra original de Douglas Adams, a série é uma mistura maravilhosa de detetive, romance, amizade, assassinato, mistério, oculto, comédia, animais e autodescoberta. Com uma estreia modesta, a série cresceu em público e reconhecimento e está colhendo os frutos na convenção de 2017. Pela primeira vez no Hall H (um dos maiores da convenção), a plateia estava lotada aguardando o inicio do painel e vibrou com a chegada dos integrantes. Estavam lá os atores Elijah Wood (Tood), Samuel Barnett (Dirk), Hannah Marks (Amanda), Jade Eschete (Farah), Fiona Dourif (Bart), Mpho Koaho (Ken) e as […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter