CCXP Tour – Dia #2 – 14/04 Diário de Bordo (ou Aquele do Painel de Star Wars)

15 de abril de 2017 Por:

Depois de um dia dedicado a rodar e participar das atividades propostas em alguns estandes da feira, o segundo dia da CCXP Tour começou diferente: Em uma fila, gigante, com mais de 1000 pessoas, com destino ao painel dedicado a Star Wars: Os  Últimos Jedi, novo capítulo da saga criada por George Lucas. Situado no auditório Twitch (que diferente da CCXP de SP, é agora onde as principais atrações acontecem), a atração estava marcada para ter início as 12h. Cheguei na fila às 10h e, a partir daí, seguiu-se a clássica espera característica de qualquer Comic-Con ao redor do mundo.

Quanto a estrutura do auditório, nada a reclamar. Decorado com formas geométricas (círculos e quadrados) em um tom que misturava rosa com roxo, todas as cadeiras eram bem localizadas e davam uma ótima visão do palco principal. A organização da fila em si, claro, passou pelos mesmos problemas característicos, como pessoas no sol, algumas sentadas, um fluxo mais devagar… Mas nada fora do comum. Os portões foram abertos às 10h40 e, 11h, já estava dentro do auditório, sentado – e tão ansioso como uma criança esperando um presente de Natal. Pessoas com sabres de luz ligados. Gritos de “Vai ser épico! Vai ser épico!” e uma energia tão, tão contagiante que mesmo para alguém não fã de Star Wars (eles existem?), era difícil não se envolver com o que acontecia ali.



Érico Borgo subiu no palco às 11h45 para contar que assistiríamos uma transmissão exclusiva, ao vivo, da Star Wars Celebration, evento dedicado a saga e com foco no próximo filme da saga. Com a presença de Daisy Ridley (Rey), John Boyega (Finn), Mark Hamill (Luke), além do diretor Ryan Johnson e da presidente da Lucas Films, Kathleen Kennedy, o evento durou cerca de 1h. Todos os atores estavam bem a vontade e falaram, por alto, sobre o que se pode esperar do novo capítulo. Ryan se mostrou muito animado, divertido e entrosado com todo o elenco, que também lhe teceu pesados elogios. Kathleen deixou claro que Luke será uma grande parte do filme, Daisy comentou o quão ainda é inacreditável que todo mundo agora a conheça e John se confirmou como o mais palhaço e empolgado de todos.

Os momentos de revelação do teaser poster e do trailer foram os que geraram mais alvoroço, tanto no auditório Twitch quanto na Star Wars Celebration. A imagem do poster, inicialmente, por mostrar apenas Rey com o sabre de luz extendido não gerou muitas reações exaltadas, o que automaticamente mudou quando a imagem total foi revelada e é possível ver tanto Kylo Ren quanto Luke envoltos em uma luz vermelha – característica marcante dos Sith. O trailer exibido logo em seguida fez o auditório da CCXP ficar em silêncio durante sua exibição. Logo em seguida, Borgo voltou ao palco com Marcelo Hessel e Thiago Romariz para discutir tudo que havia sido mostrado e, depois de grandes apelos, conseguiu que o trailer fosse exibido uma segunda vez.

Os demais paineis no auditório principal foram dedicados a um debate acalorado sobre as adaptações do universo dos quadrinhos para a mídia audiovisual, com participação de alguns produtores de conteúdo relativo a HQ’s de cunho nacional e com foco em Marvel e DC.

No que tange a feira, foi possível observar algumas mudanças. Além do maior fluxo de pessoas, que tornou as filas maiores e, por tabela, alguns estandes quase impossíveis de se entrar, alguns, como a Netflix, apresentaram mudanças estruturais. Foi adicionado um jogo baseado em Punho de Ferro, onde você testava a força de seu soco, além de novos prêmios no Quiz (sim, ganhei mais uma camisa!) e no karaokê (que ficou mais difícil. Agora era preciso tirar acima de 8 para ter direito a qualquer um dos prêmios – bottons, adesivos ou camisas).

Um dos mais concorridos, novamente, foi o da Warner. Além de ganhar uma sacola personalizada com a Mulher Maravilha ou com o Rei Artur, era possível tirar uma foto com o escudo da Mulher Maravilha ou no meio do espaço vazio do banner de Liga da Justiça. Pra quem foi a feira com o objetivo de gastar, o estande contava com camisas, canecas e outras coisas personalizadas. Se eu tivesse alguma coisa de “ruim” a comentar, seria apenas a ausência dos uniformes dos heróis do Arrowverse, que estavam presentes na CCXP SP e teriam sido uma ótima pedida.

Um dos destinos mais procurados e disputados da #CCXPTour é o estande da Warner. Rei Arthur, Liga da Justiça e Mulher Maravilha são algumas das atrações que tem feito as pessoas sentarem e passarem horas na fila para o mesmo.👏🎉👊 #ccxptour #warner #ccxp #wonderwoman #justiceleague

Uma publicação compartilhada por Apaixonados por Séries (@apxporseries) em

Outro estande bem disputado e que não consegui visitar ontem, então entrou na programação de hoje, foi o da Iron Studios. Sério, gente. Quem gosta de action-figures, pira aqui. É uma exposição com vários personagens de Star Wars, Marvel e DC, com alguns bonecos menores e uns maiores (“honra” reservada a figuras mais icônicas, como Coringa, Darth Vader, Kylo Ren (!) e algumas conjuntas dos Vingadores). Não consegui tirar muitas fotos boas porque todos possuiam uma luz que atrapalhava a qualidade (é, meu celular não é uma coisa boa haha), mas algumas estão no instagram do blog já e amanhã vou tentar tirar outras.

Pra encerrar o dia, rolou aquela velha cantoria de What’s Up com uns amigos no karaokê da Netflix e, se eu tiver coragem, um dia esse vídeo vem a público. Debaixo de chuva, voltei pra casa, um pouco mais cansado, mas também mais animado porque amanhã tem o tão esperado painel da Netflix e vai ser aquele dia de madrugar. Amanhã conto pra vocês como foi o encontro com a galera de Punho de Ferro, 13 Reasons Why e com o Lito.

 


Está na #CCXPTour também? Conta pra gente!

Jornalista, nerd, viciado em um bom drama teen, de fantasia, ficção científica ou de super-herói. Assiste séries desde que começou a falar e morria de medo da música...

Ler perfil completo

Petrolina / PE

Série Favorita: One Tree Hill

Não assiste de jeito nenhum: The Big Bang Theory

  • Lorena Guimarães Dias

    Mas e o cosplays????

Misfits e o uso de poderes em benefício estritamente próprio

2 semanas atráscomentarios

O tema dos super-heróis tem sido bastante explorado nos moldes atuais, existem por ai séries de bastante qualidade e que fazem a cabeça de um grande público onde o enfoque são os indivíduos/as que ganham poderes e os usam para salvar o mundo, só que muito antes disso tudo uma série britânica teve a audácia de retratar um cenário onde jovens deturbados e a margem da lei ganham poderes bizarros e os usam para os mais egoístas e cômicos interesses,  criando situações inimagináveis. Esta é Misfits, uma série britânia que foi ao ar entre os anos de 2009 e 2013, totalizando 5 temporadas de grande sucesso ao mesclar com eficiência, humor, comédia e ficção científica. A série narra as peripécias […]

Leia o post completo

Girlboss: guia do que NÃO fazer na vida adulta

2 semanas atráscomentarios

Teve gente que gostou de Girlboss, teve gente que achou a série fraca. Mas em uma coisa todo mundo certamente concorda: Sophia é um dos piores seres humanos que já vimos como protagonista de uma série. E com ela a gente pode aprender muito sobre o que não fazer para ser uma pessoa melhor. 5. Não roubar Em GirlBoss, uma das primeiras coisas que descobrimos sobre Sophia é que ela acha normal roubar. Não, ela não rouba porque precisa, porque quer ajudar alguém, ou se quer por uma questão de princípios contra uma sociedade capitalista. Sophia rouba porque se sente superior e simplesmente não respeita os outros, – muito menos suas propriedades. 4. Não ser egoísta com a melhor amiga […]

Leia o post completo

Desafio: você se lembra de quem foi essa declaração de amor?

2 semanas atráscomentarios

Ah, o dia dos namorados. Aquele momento do ano para espalhar aos quatro cantos nosso sentimento por aquela pessoa especial, que faz o coração acelerar e as palmas da mão suarem. Aquela pessoa por quem você faria qualquer coisa, até mesmo deixar a vergonha – ou o medo – de lado para professar seu amor. Nas séries, existem muitos personagens  que não esperam data especial nenhuma para declarar seu amor, seja num momento de desespero, num pedido de casamento ou só para reforçar aquilo que o parceiro já sabe e Tom Jobim cantava aos quatro ventos: é impossível ser feliz sozinho. Você também acredita nisso e se derrete toda vez que sabe que chegou a hora de surtar, porque vai ter […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter