Chicago Med – 2×15 Lose Yourself

3 de março de 2017 Por:

Atos de heroísmo, dos mais variados tipos, deram o tom desse episódio de Chicago Med. Nem todo herói veste capa e nem todos os motivos para ajudar (ou se ajudar) são exatamente aquilo que pensamos.

O Dr. Rhodes, já faz um tempo, vem lidando com o fato de ser excepcional em seu trabalho. Lembram-se da capa de revista como um dos jovens mais bem sucedidos? No caso do rapaz que caiu de uma altura de 33 andares e sobreviveu, ele mais uma vez colocou a vaidade acima dos interesses do paciente.

Eu nem acho que o Connor seja arrogante ou se ache a última bolacha do pacote, até porque ele sempre acaba refletindo sobre isso, mas ele coloca sim o trabalho acima de qualquer coisa. Foi importante para o desenvolvimento do personagem ver que nem sempre salvar a vida de alguém é mantê-la a qualquer custo. O rapaz estava destruído, não havia realmente muita chance de sobrevivência, mas o médico queria insistir porque isso seria inédito, o tornaria famoso.

Foi bom também o leve sermão que ele tomou da Goodwin depois de dar entrevista mesmo ela tendo orientado que ele não fizesse isso. Ele é mesmo um dos melhores médicos do Med, mas, como a diretora bem sabe, precisa aprender a lidar com seu ego para que isso não atrapalhe seu trabalho.

April também teve o seu dia de heroína, embora com um sabor bem amargo. Que tristeza ela perder o bebê! Foi bonito ela lutar tanto para que o coração da moça voltasse a funcionar direito, numa clara metáfora com o coração do seu pequeno (a) que parou de bater. Será que o relacionamento dela com o Tate vai continuar depois dessa situação? Com as diferenças que os dois já tinham, especialmente em relação ao trabalho dela, fico na dúvida se a perda do bebê não será o fim do casal também.

Já a Dra. Reese continua seguindo o seu caminho para se tornar uma psiquiatra. Gosto como o Dr. Charles a ensina com sutileza, sem decidir nada por ela mas sempre a orientando. Claro que não foi uma boa ideia (embora tenha sido engraçado) a encenação de um homem passando mal para ajudar o herói mascarado, mas a forma como lidou com o caso partiu totalmente dela e deixou o professor orgulhoso. Eu já disse, e repito, que a relação de Sarah com o Dr. Charles é uma das melhores coisas de Chicago Med.

Em outro caso de heroísmo, esse as avessas, o homem paraplégico preferiu continuar fingindo que acreditava em um tratamento charlatão para não magoar a esposa, ou talvez até mesmo para não perdê-la. O Dr. Choi conseguiu entender como ele se sentia, ao contrário da Dra. Manning, que ficou horrorizada. Claro que o médico tem a experiência como veterano, e a convivência com quem perdeu membros ou movimentos, mas mesmo assim ele mostrou que está mais maduro, o que é uma avanço para o personagem.


O que acharam do episódio? Também ficaram tristes com a perda da April? Deixem seus comentários!

Jornalista, mãe, apaixonada por séries desde a época da Sessão Comédia, Gosto de dramas que emocionam e de comédias inteligentes. Também sou fã dos seriados de super-heróis.

São Bernardo do Campo, SP

Série Favorita: Outlander

Não assiste de jeito nenhum: The Blacklist

  • porlapazyporlavida lc

    Eu gosto tanto de Rhodes. Fico triste quando ele pisa na bola. hehehehe. Mas isso é bom que pelo menos faz dele humano e acho que ele vem melhorando muito nos últimos tempos. Amei como Choi conduziu o caso, deixando o paciente ter direito de escolha. Quem não anda me agradando é Manning. Faz um tempo que eu tenho achado ela muito chata. Diferente de Will que nessa temporada está divino. Amo a relação de Charles de Reese. É uma das mais bonitas de Chicago Med. Amei o episódio, principalmente o caso do héroi humano. Foi lindo. Ahh, e sobre April, muito triste vâ-la perder o bebê. Acho que a relação desanda de vez…

    • Thais Gonzaga De Oliveira

      Também estou achando a Natalie bem chatinha, mas acredito que estão fazendo isso para que ela e Will voltem a ser shippados rs. Foi um episódio bem emocionante.

O que você precisa saber de Demolidor antes de Defensores

5 dias atráscomentarios

Com o sucesso do universo cinematográfico desenvolvido pela Marvel nos cinemas, um dos personagens mais interessantes e queridos dos fãs de quadrinhos foi ansiosamente aguardado para voltar a fazer parte do mesmo mundo. Homem-Aranha? Não, na verdade Demolidor. Após a Fox deixar os direitos de uso do personagem retornar para a casa das ideias, Marvel e Netflix fecharam uma parceria para desenvolver diversas séries de heróis. Demolidor abre essa parceria com maestria, trazendo uma série obscura, e violenta, diferente do que o personagem já viveu nas telas até então (abraço Ben Affleck!) Charlie Cox (Broadwalk Empire), dá vida a Matt Murdock, sofrido e realista. A série apresenta ele como advogado com o escritório associado em Hell’s Kitchen, e em seguida suas […]

Leia o post completo

Com pais como estes, hoje é um dia para esquecer

6 dias atráscomentarios

Existe um ditado que diz que a vida imita a arte (ou vice-versa) e isso sempre se mostra realidade quando comparamos as séries que assistimos à vida real. Claro que ainda não descobrimos um universo paralelo, uma cabine telefônica que nos transporte por aí ou que alienígenas têm planos de conquistar a Terra, mas muitas vezes a realidade é espelhada nos roteiros das histórias que mais amamos. House of Cards está aí para comprovar essa teoria, se compararmos os acontecimentos aos fatos que vemos nos noticiários todos os dias. Com os pais não poderia ser diferente. Existem pais que assumem o papel integral da criação da criança, pais que são os melhores amigos dos filhos, filhos que têm dois pais, pais de […]

Leia o post completo

5 momentos incríveis da 2ª temporada de Master of None

7 dias atráscomentarios

Somos apaixonados por Master of None por aqui. Depois de uma primeira temporada sucinta, porém arrebatadora, esperamos quase dois anos (ou foi mais que isso?) para reencontrarmos Dev em um novo momento da sua vida. E, ao longo de dez episódios, tivemos a oportunidade de passear por muitos momentos incríveis na companhia do personagem, com um roteiro extremamente crítico e que faz com que a gente pare, reflita e mude algumas atitudes tão intrínsecas do nosso ser. Por isso, separamos (só) cinco dos grandes momentos dessa nova temporada, para revisitarmos e te convencermos de que, se você ainda não viu, essa é a hora para parar tudo que está fazendo e devorar o segundo ano de Master of None.   […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter