Chicago Med – 2×21 Deliver Us

3 de maio de 2017 Por:

Qual o limite para o que um pai e uma mãe podem fazer por seus filhos? Nesse episódio de Chicago Med, esses limites foram testados e os resultados nem sempre foram exatamente os esperados. Confiar e ouvir o outro não é fácil quando as emoções estão acima de qualquer racionalização.

Robyn seguiu em frente com a decisão de buscar ajuda psiquiátrica, mas para seu pai isso não foi suficiente. Dr. Charles não só deu um jeito de colocar a Dra. Reese no caso, como também invadiu o apartamento da filha para ter certeza que ela estava melhor. Vendo que a situação era preocupante, ele tomou a decisão de internar a médica compulsoriamente para um acompanhamento mais intensivo.

Foi triste mesmo ver aquele apartamento destruído, todo cheio de ratoeiras, na busca por ratos que não existem. Dá para entender o desespero de um pai ao ver que sua filha está passando por uma situação perturbadora com essa, mas ele foi muito impulsivo.

Divulgação/NBC

Além de ter abalado a sua já frágil relação com a filha, Dr. Charles também foi bastante injusto com a Dra. Reese. Não duvido que ele a considere sim uma excelente estudante, mas ficou claro que ele só a colocou no caso para poder acompanhar de perto o tratamento. Fazendo isso, ele prejudicou a abordagem da Sarah no caso e isso, certamente, vai pesar na ótima relação que eles tem. A Goodwin foi bastante compreensiva com o psiquiatra, mas não sei de o Dr. Rhodes terá a mesma atitude. Acho que ele vai ficar bem irritado com o que aconteceu.

Falando em Dr. Rhodes, ele e a Dra. Manning também tiveram que lidar com um caso delicado envolvendo mãe e filha. A mulher estava gerando um bebê que seria um doador de medula para a irmã mais velha, que tinha leucemia. A gravidez, no entanto, estava causando sérios problemas cardíacos para a mãe, que corria risco de morte.

Os dois tentaram de tudo para salvar a mãe e o bebê, mas no fim não conseguiram que a gravidez fosse adiante. Foi muito triste ver que a mãe, embora estivesse, claro, pensando em salvar a filha mais velha, não estava se dando conta que a vida dela importava mais para todos os integrantes da família. Como bem disse a Natalie, essa criança teria pela frente uma batalha impossível contra o câncer, mas pelo menos sua mãe estaria ao seu lado.

Divulgação/NBC

April foi outra que percebeu que ficar ajudando o irmão em tudo só estava prejudicando o crescimento profissional dele. Desde que apareceu na série, Noah sempre pareceu se apoiar nos outros para resolver seus problemas, mas foi melhorando no decorrer da trama. Agora ele está brigando por uma vaga de residente e isso só depende dele. Com um empurrão do Dr. Choi e outro da irmã, ele conseguiu resolver o teste e mostrou que pode se tornar um bom médico. Ficamos sabendo pela conversa dele com a Sarah que ela terminou com o rapaz da patologia, mas isso não significa, pelo menos agora, que os dois irão engatar um romance.

E a Nina hein? Achei tão bobo o que ela fez com a Natalie! Entendo ela sentir ciúmes do Will, mas conversasse com ele. Para o azar dela, essa atitude acabou fazendo a Natalie jogar limpo com o Will e questioná-lo se eles são mesmo apenas bons amigos. Será que o fato dela ter aceito o convite do irmão dele para o jogo de hóquei vai colocar mais lenha nessa fogueira? Veremos.


E vocês, o que acharam do episódio? Será que a Robyn vai perdoar o pai? Deixem seus comentários!

Jornalista, mãe, apaixonada por séries desde a época da Sessão Comédia, Gosto de dramas que emocionam e de comédias inteligentes. Também sou fã dos seriados de super-heróis.

São Bernardo do Campo, SP

Série Favorita: Outlander

Não assiste de jeito nenhum: The Blacklist

  • porlapazyporlavida lc

    Espero que Will fique com Nina. Detesto manstead haha.
    Fiquei com o coração apertado com Charles chorando no final do episódio. S2

    • Thais Gonzaga De Oliveira

      Eu gosto da ideia de Will e Natalie, mas não sei se daria certo rs. Charles, melhor personagem S2

  • Yara Gomes

    Eu fiquei preocupada com a Natalie e o Jay. Pelo amor de Deus, se ele fica com ela? quero nem pensar!

    • Thais Gonzaga De Oliveira

      Nossa, também Yara!

    • Alexandra Silva

      Também não gosto da idéia.

  • Alexandra Silva

    Nada ver a Nat sair com o irmão do Will, e que chata essa Nina aff

Desafio: você se lembra de quem foi essa declaração de amor?

2 semanas atráscomentarios

Ah, o dia dos namorados. Aquele momento do ano para espalhar aos quatro cantos nosso sentimento por aquela pessoa especial, que faz o coração acelerar e as palmas da mão suarem. Aquela pessoa por quem você faria qualquer coisa, até mesmo deixar a vergonha – ou o medo – de lado para professar seu amor. Nas séries, existem muitos personagens  que não esperam data especial nenhuma para declarar seu amor, seja num momento de desespero, num pedido de casamento ou só para reforçar aquilo que o parceiro já sabe e Tom Jobim cantava aos quatro ventos: é impossível ser feliz sozinho. Você também acredita nisso e se derrete toda vez que sabe que chegou a hora de surtar, porque vai ter […]

Leia o post completo

Guia da Trilha Sonora: Scream – Season 1

3 semanas atráscomentarios

Entre os poucos pontos positivos que posso destacar em Scream, a trilha sonora fica em primeiríssimo lugar (talvez porque seja da MTV). Misturando canções atuais, dançantes e tristes, que fazem parte da vida dos jovens de Lakewood, a série soube utilizá-las para compor a história e os personagens. Assim, nada melhor do que ouvir as músicas da primeira temporada, agora disponível em uma playlist na nossa conta do Spotify!

Leia o post completo

House of Cards e a Política Brasileira

3 semanas atráscomentarios

Primeiramente, #foratemer. E se você ainda não conferiu a última temporada de House of Cards, não se preocupe, esse texto não contém spoilers, – apenas reflexões. Pra gostar de House of Cards você precisa torcer pelos Underwood. Claro, a gente sabe o quanto eles são escrotos, mas é ficção, certo? Não tem problema torcer pelos vilões. Ou pelo menos era o que pensávamos em 2013, quando a série estreou. Mas de lá pra cá a política mundial virou de ponta à cabeça. Os Estados Unidos elegeram Trump e nós tivemos Temer enfiado goela abaixo. Isso sem contar os acontecimentos dignos da ficção, como a morte de Teori Zavascki, a delação do Joesley e os testes nucleares da Coréia do Norte. […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter