Containment – 1×11 Nothing Gold Can Stay

8 de julho de 2016 Por:

Devastador. Acredito que nenhuma outra palavra seria capaz de descrever tão bem esse décimo primeiro episódio de Containment. Embora a morte de Katie não tenha sido exatamente uma surpresa, muito pelo contrário, foi impossível se manter insensível diante aos sofridos minutos finais da professorinha. Desde o episódio piloto, tínhamos consciência de como o vírus que aterroriza Atlanta é perigoso e capaz de provocar uma morte rápida e dolorosa. Ainda assim, essa foi a primeira vez em que acompanhamos um personagem durante esse terrível processo, ver alguém tão querido nessa posição não foi fácil.

Era um fato que Katie estava fadada a morrer, mas isso não tornou seus últimos momentos menos emocionantes. Longe disso. Foi bem interessante poder entender um pouco o que a moça sentia internamente e perceber seu esforço para se manter forte. A última conversa com o filho foi um dos momentos mais tristes e sensíveis da série até aqui, tornando impossível reprimir as lágrimas. Tínhamos ali uma mãe e um filho completamente cientes que aquilo era um adeus, duas pessoas assustadas e que sabiam que todo o tempo que passaram juntos jamais seria suficiente, mas que naquele contexto sequer podiam se dar ao luxo de um último abraço.

Containment

As minhas lágrimas, contudo, logo viraram soluços quando Jake foi somado à equação. Rápida ou não, é inegável que Katie e Jake viveram uma história de amor. Uma história de amor trágica e quase impossível. Se conheceram em um momento caótico e se apoiaram um no outro para conseguir lidar com aquilo, um sentimento acabou surgindo entre eles e se intensificando durante os dias de isolamento e convivência, ainda assim, não podiam se tocar.

Talvez essa seja uma das partes mais trágicas de toda essa situação, se amaram sem nunca realmente se tocar, fizeram planos para o futuro e a moça morreu. Morreu de uma forma horrível, completamente ensanguentada e nos braços de seu amado Jake, o homem que sempre evitou compromissos e fugiu, mas que permaneceu ao lado de Katie até seu último suspiro.

Containment

Enquanto isso, no núcleo mais político da série outra das minhas previsões se realizava, Sabine obviamente não iria se render tão facilmente às vontades de Lex, arriscando sua carreira e tudo o que conquistou. Sendo assim, não chegou a ser uma surpresa vê-la virar a situação e colocar toda a culpa em Victor Cannerts , eliminando qualquer prova contra si e mais uma vez manipulando a opinião pública a seu favor.

As artimanhas de Lommers, no entanto, não foram suficiente para que Lex desistisse de sua sede por verdade e justiça. Ainda assim, as chances do major em conseguir o que tanto ansiava pareciam destruídas, até que receber uma mensagem — com gosto de pizza— de Leo, mostrando que jornalista ainda tem alguma carta na manga e também não desistiu de lutar pela verdade e para que Sabine e todos os responsáveis paguem pelo que monstro que criaram.

Containment

Em meio a tanta tristeza, tivemos ao menos o consolo de ver Bert conseguindo voltar para sua esposa, em uma cena muito linda e que evidenciava a eterna dualidade — não apenas da série, mas da vida — de constantes despedidas e reencontrosNothing Gold Can Stay foi, então, um episódio extremamente emocionante, capaz de sensibilizar até o mais duro dos corações.

A morte de Katie revela a coragem da série e vem evidenciar como esse vírus é cruel e destrói suas vítimas e as pessoas ao seu redor sem hesitar. Em uma série como Containment seria estranho se ao menos um de seus protagonistas não acabasse morrendo e a forma como tudo foi conduzido merece aplausos. Faltando apenas dois episódios para o finale fica novamente a dúvida do que vem em seguida e de como Jake irá lidar com a perda da mulher que mudou sua vida.

R.I.P Miss Katie!

Uma fangirl desastrada, melodramática e indecisa, tentando sobreviver ao mundo dos adultos.

Mariana/ MG

Série Favorita: My Mad Fat Diary

Não assiste de jeito nenhum: Revenge

  • Artur Montenegro

    Belíssimo texto, Thais! Não poderia deixar de comentar aqui após o incrível décimo primeiro episódio de Containment. Custei a acreditar que a série mataria um dos protagonistas restando dois episódios para o finale (series finale mesmo), e por isso foi muito impactante! Porém, é como fora evidenciado em seu texto: seria incoerente o vírus extremamente letal não atingir ou afetar um dos personagens principais até o final da série. As cenas finais foram lindas e torturantes de se ver, confesso que chorei sim, desde o reencontro do casal de idosos até o fim trágico de Katie. Quando decidi acompanhar Containment, nunca pensei que fosse se afetado de tal maneira. Que venha os dois últimos episódios!

  • Guilherme Gomes

    Aquele final foi arrepiante. Não sei o que esperar de agora pra frente ;`(

  • Leandro Lemella

    Tô no chão. Quero aquela música do final do episódio pra chorar tudo de novo.

    • Artur Montenegro

      Não sei se você já encontrou, mas de qualquer forma aqui está o nome da música:
      Ryan Adams – This Love

  • Nickolas Girotto

    Foi muito triste mesmo, e foi muito bom, pois a série matou um personagem principal, isso sempre da certo!! Pena que eu gostava da personagem haha, to bem ansioso para esse final!

  • janaína

    Gente, como chorei nesse epi!! Precisei catar uma resenha nessa internet pra poder compartilhar a minha tristeza, HAHAH!!!
    Eu tinha um fiapo de esperança que ela não morreria, eu pensava “hey é cw, eles não vão realmente matá-la”… pfffff para mim né. Katie is dead, e a cena de sua morte, e a cena final do sonhado beijo partiu meu coração. E se essas cenas não servem para calar os haters sobre a CW, não sei então o que serve, hahaha.

    Por curiosidade catei nas internet e descobri que a Katie da série original também morre.Ai ai :'(

  • Pri Rezende

    Pensa numa série q te deixa arrasada 2 episódios seguidos (o episódio 12 tb acaba om a estrutura emoional)… pois é Containment
    No meio de um caos surge um amor belo, sem ser meloso e no fim trágico
    É pra deixar qq um jogado no chão numa enchente d lágrimas
    Não me conformo até hj q a série foi cancelada

    • Artur Montenegro

      Oi, tudo bem? Então, realmente a série vem entregando belíssimos episódios em sequência. Porém, desde o início ela foi divulgada como ”A limited series event”, logo, ela não foi cancelada, mas sim projetada para ter seu encerramento em uma única temporada. É uma pena!

O que você precisa saber de Punho de Ferro antes de Defensores

5 dias atráscomentarios

O último dos Defensores a mostrar sua cara foi também o mais controverso de todos. Se Demolidor estreou sob o peso da expectativa positiva, Punho de Ferro tinha a dura missão de provar a todos que a crítica prévia estava errada e que a saga de Danny Rand valia a pena. A série protagonizada por Finn Jones, conhecido por interpretar Sor Loras em Game of Thrones, sofreu duras críticas pelo ritmo diferenciado, a ausência de um aprofundamento no misticismo e as fracas artes marciais.  Se a série conseguiu ou não se sair bem, vai do ponto de vista de cada um. De uma maneira geral, dá pra dizer que Punho de Ferro é diferente de suas companheiras de universo porque seu […]

Leia o post completo

O que você precisa saber de Luke Cage antes de Defensores

6 dias atráscomentarios

Dando sequência no dossiê especial que preparamos para você ficar pronto para a chegada de Defensores na próxima sexta, hoje é dia de retomar os fatos da primeira temporada de Luke Cage, um dos personagens mais controversos dessa leva de séries da parceria Marvel e Netflix. Nosso primeiro contato com Luke acontece ainda em Jessica Jones, quando o cara é introduzido como buddy call da investigadora e tudo parece muito ao acaso. Porque, na verdade, é mesmo. Aquele foi o primeiro teste do ator no papel e até uma maneira do roteiro sentir como que o público reagiria a chegada do próximo defensor. As reações na época foram bem mistas porque, como podemos colocar de uma maneira legal, Mike Colter […]

Leia o post completo

O que você precisa saber de Jessica Jones antes de Defensores

1 semana atráscomentarios

A primeira série da Marvel protagonizada por uma mulher começa quando os pais de Hope Shottman (Erin Moriarty) pedem a ajuda de Jessica Jones (Krysten Ritter) para investigar o paradeiro da filha, e ela então descobre que o sequestrador da moça é ninguém mais ninguém menos que Killgrave (David Tennant): aquele que a traumatizou através de um relacionamento abusivo. A moça não é então a típica heroína a qual estamos acostumados, e algumas vezes até chegamos a duvidar se podemos chama-la assim. Por ter um passado marcado pelo abuso sua personalidade se torna um tanto ácida e sombria, além de deixar para a personagem um descontrole no consumo de álcool e a ideia de que desistir é a melhor saída, e […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter