Conviction – 1×06 #StayWoke

15 de novembro de 2016 Por:

Essa semana em Conviction vamos acompanhar um caso inspirado no movimento Black Live Matters (Vidas Negras Importam) dos Estados Unidos. Foi um episódio cheio de conflito interno, tensão racial, reflexões de pensamento e revelações importantes sobre o passado de algumas personagens. Vem ver o que aconteceu em #StayWoke.

O assassinato de um jovem negro por um policial dá a Hayes a ideia de rever um caso que tenha ligações com motivos raciais, de modo a passar uma mensagem a população, de que mesmo que a justiça possa não ser cega perante cores, a CIU luta pela justiça e pela verdade. A melhor parte da discussão para a escolha do caso é que não tentaram deixar nenhum dos lados tendenciados, com todas as vertentes sendo representadas dentro do próprio grupo. É exatamente assim que um grupo que busca a verdade deve agir, considerando todos os pontos de vista.

Frase da semana: 

Meu irmão me deixou sair da casinha do cachorro e voltar para o apartamento dele. A cama é mais confortável que o meu sofá, mas eu vou sentir falta de andar pelo escritório nua.

O caso revisto é o de Porscha Williams (Susan Heyward, de Vinyl e Powers), militante pelos direitos dos negros acusada de matar uma policial branca durante uma manifestação organizada por ela. É bom entender a troca de papeis nesse caso, pois muitos americanos entendem que a luta do movimento BLM se trata de racismo inverso e essa é uma forma de mostrar como esse pensamento não tem razão de ser, mas com fatos. Aqui podemos acompanhar os argumentos que levam Porscha à lutar. No lado investigativo, Frankie decide utilizar da internet para cruzar os dados de fotos que possam ter sido tiradas durante a manifestação para conseguir uma imagem em 360° do momento do disparo. Maxine explica que, na época do julgamento, a polícia de Nova York ainda não tinha tecnologia para utilizar esse tipo de recurso investigativo. Enquanto isso, Sam conversa com a procuradoria original do caso, que é muito rude com ele. Mas é difícil entender algumas das decisões tomadas na época, como por exemplo o fato de Porscha ter sido julgada por um júri composto apenas de homens brancos, além ter manipulado o sentimentos dos jurados.

Conviction 1x06 Hayes e Maxine conversam com Porscha

Amiga, você acha que tem uma vaga em Orange Is The New Black para nós?

A primeira descoberta é feita por Frankie, ao notar, pelas fotos, que uma das principais testemunhas de acusação não estava nem perto do local do disparo, sendo impossível ter visto o tiro. As mentiras começam a cair. Na confrontação, Maxine e Sam destroem o branco mentiroso, sendo o primeiro ponto positivo para Porscha. As outras testemunhas também são inconclusivas, cada uma tendo uma lembrança diferente dos acontecimentos.

É apenas agora que Hayes se lembra de avisar Wallace sobre o caso, mas ao chegar em seu escritório, tem uma desagradável surpresa. Naomi Golden (Ilfenesh Hadera, de Billions) chegou de Chicago para iniciar a defesa de Wallace. Uma delícia acompanhar o dialogo entre os 3, assim como as tiradas ácidas. Hayes é a mulher com autoconfiança que a gente quer ser quando crescer! Se algum dia eu conseguir dar a mesma resposta que ela deu com a mesma naturalidade, posso me considerar campeão na vida.

A conversa de Maxine com o viúvo é muito tensa. Eu consigo enxergar a tristeza que ele sente por ter perdido a esposa, mas ao mesmo tempo, ele deixa muito claro seu rancor com uma raça inteira, o que me levou a questionar se ele estava sendo sincero com Maxine. Ao conseguirem mais fotos, descobrem uma mulher muito parecida com Porscha, a tal ponto que as testemunhas poderiam ter se confundido. Toda essa parte termina em falso negativo, mas serve para introduzir o arco de Tess, já que ela foi uma das que achou as mulheres muito parecidas, comparação refutada por Frankie e Maxine.

Conviction 1x06 Tess revela seu passado para Frankie

Menina, eu já falei que o máximo que você vai conseguir de mim é umas dicas de moda, não insiste.

Tess e Frankie funcionam muito bem juntos. Foi muito bom que ela tenha se aberto com ele. Quando ela tinha 12 anos, presenciou sua tia ser morta e viu o assassino. Mas seu testemunho levou à prisão de um inocente, mas ele foi liberado 5 anos depois após novas provas de DNA. Ela se sente muito culpada e moldou toda sua vida em torno disso, além de visitar o quiosque onde ele vende café todos os dias. Só eu senti uma vibe muito forte vindo deles? É provável que um envolvimento aconteça, fica a dúvida se Tess contará sobre seu passado para ele ou não.

A tensão entre Hayes e Naomi não fica apenas no âmbito profissional, mas também o sexual. Elas quase vão para a casa de Hayes, mas Wallace liga pedindo que Naomi vá encontrá-lo. Eu acho maravilhoso vermos uma protagonista feminina tomando as rédeas do jogo da sedução como vemos aqui, mas o público conservador não deve estar curtindo muito.

Maxine foi a grande estrela, tendo várias oportunidades de brilhar. Primeiro no confronto com o policial viúvo bêbado, acusando-a de protecionismo por ser negra, depois ouvindo a mesma acusação de Porscha, mas por ser uma ex-policial. A conversa com o pai foi franca e cheia de sentimentos. Tudo o que ela quer é fazer justiça e garantir um futuro melhor para seu filho em um país extremamente racista, mas é impossível garantir que vamos conseguir tudo pelo que lutamos, nós só não podemos desistir.

Conviction 1x06 Maxine conversa com o pai

Pai, eu não quero ter que voltar a fazer a Úrsula. A roupa dela é péssima.

Revendo os acontecimentos, descobrem que uma falha no carro médico pode ter causado alterações na autópsia, e o médico forense teoriza que a bala pode ter vindo da direção oposta de onde Porscha estava. Frankie e Tess conseguem localizar a bala, que estava coberta na parede, eximindo não apenas Porscha, mas todos os policiais fotografados naquela direção. A única pessoa que aparece na foto sem explicação é uma das testemunhas que acusava Porscha.

Essa é a cena mais dramática do episódio. Sam e Maxine tentam conversar com ele, que sai correndo e, ao se ver em um beco sem saída, aponta a arma para Maxine. Ela ainda tenta convencê-lo a não fazer algo que possa se arrepender, mas ele não vê alternativas. Ele acha que será morto pelos policiais, por ter matado uma deles, ou pelos negros dentro da prisão por ter deixado Porscha ser presa em seu lugar. Caindo em desespero, acaba se suicidando. Foi um momento bem trágico e que deixou Maxine abalada, mas não a ponto de baixar a guarda, nem quando Hayes lhe oferece (sem saber sobre seu histórico) uma bebida. Elas estão cada vez mais unidas e eu gosto disso.

Hoje a justiça foi feita. Final feliz para a família de Porscha, mas não para Hayes. Após várias doses de Whisky, liga para Naomi, que não atende. A próxima parada só poderia ser o escritório de Wallace, mas antes de entrar, vê ele e Naomi se beijando. Não é possível saber qual seria o interesse de Naomi em iniciar algo com Wallace, a menos que o interesse dela seja causar ciúmes em Hayes. Pobre Hayes não consegue um momento de sossego para ser feliz. Menina, larga esses 2 e fica com o Sam!

A música da semana, mais uma vez, é maravilhosa. O bom de séries investigativas é a tendência em utilizarem trilha sonora atual e eu estou aqui para isso.

A audiência respondeu bem, subindo meio milhão de espectadores e quase chegando à audiência do segundo episódio. Cada vez que deixam de tocar no contexto político, os números aumentam, eles precisam levar isso em consideração. Eu estou torcendo para que consigam fazer os número continuarem a subir, para quem sabe a ABC rever os planos e autorizarem uma segunda temporada.


E você, o que achou desse episódio de Conviction? Deixe suas opiniões nos comentários.

Professor de idiomas com mais referências de Gilmore Girls na cabeça do que responsabilidade financeira. Fissurado em comics (Marvel e Image), Pokémon, Spice Girls e qualquer mangá das...

Ler perfil completo

São Paulo / SP

Série Favorita: Gilmore Girls

Não assiste de jeito nenhum: Game of Thrones

  • Denia Karru

    Dessa vez eu errei o assassino, kkkk. Eu podia jurar que era o marido da vítima.

    • Paulo Halliwell

      Também fiquei achando que era o marido, rsrsrs

O que você precisa saber de Demolidor antes de Defensores

5 dias atráscomentarios

Com o sucesso do universo cinematográfico desenvolvido pela Marvel nos cinemas, um dos personagens mais interessantes e queridos dos fãs de quadrinhos foi ansiosamente aguardado para voltar a fazer parte do mesmo mundo. Homem-Aranha? Não, na verdade Demolidor. Após a Fox deixar os direitos de uso do personagem retornar para a casa das ideias, Marvel e Netflix fecharam uma parceria para desenvolver diversas séries de heróis. Demolidor abre essa parceria com maestria, trazendo uma série obscura, e violenta, diferente do que o personagem já viveu nas telas até então (abraço Ben Affleck!) Charlie Cox (Broadwalk Empire), dá vida a Matt Murdock, sofrido e realista. A série apresenta ele como advogado com o escritório associado em Hell’s Kitchen, e em seguida suas […]

Leia o post completo

Com pais como estes, hoje é um dia para esquecer

6 dias atráscomentarios

Existe um ditado que diz que a vida imita a arte (ou vice-versa) e isso sempre se mostra realidade quando comparamos as séries que assistimos à vida real. Claro que ainda não descobrimos um universo paralelo, uma cabine telefônica que nos transporte por aí ou que alienígenas têm planos de conquistar a Terra, mas muitas vezes a realidade é espelhada nos roteiros das histórias que mais amamos. House of Cards está aí para comprovar essa teoria, se compararmos os acontecimentos aos fatos que vemos nos noticiários todos os dias. Com os pais não poderia ser diferente. Existem pais que assumem o papel integral da criação da criança, pais que são os melhores amigos dos filhos, filhos que têm dois pais, pais de […]

Leia o post completo

5 momentos incríveis da 2ª temporada de Master of None

7 dias atráscomentarios

Somos apaixonados por Master of None por aqui. Depois de uma primeira temporada sucinta, porém arrebatadora, esperamos quase dois anos (ou foi mais que isso?) para reencontrarmos Dev em um novo momento da sua vida. E, ao longo de dez episódios, tivemos a oportunidade de passear por muitos momentos incríveis na companhia do personagem, com um roteiro extremamente crítico e que faz com que a gente pare, reflita e mude algumas atitudes tão intrínsecas do nosso ser. Por isso, separamos (só) cinco dos grandes momentos dessa nova temporada, para revisitarmos e te convencermos de que, se você ainda não viu, essa é a hora para parar tudo que está fazendo e devorar o segundo ano de Master of None.   […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter