Conviction – 1×09 A Different Kind of Death (Fall Finale)

11 de dezembro de 2016 Por:

Na história de episódios tristes, o Fall Finale de Conviction entra na lista com louvor. Tocando no delicado tema da pena de morte, faz tempo que não via algo tão pesado mas mostrado de uma forma tão respeitosa e delicada. Eu não vou conseguir fazer piadinhas hoje, espero que entendam.

Mais uma vez começamos com Wallace invadindo a CIU e escolhendo o caso da semana, mas é por um bom motivo. Seu melhor amigo do período da faculdade, Tom Simon, foi morto e o suposto assassino, Earl Slavitt (Richard Thomas, de The Americans), será executado em 5 dias. Digo suposto pois ele ainda diz não ter cometido o crime. Earl foi preso por desfalque em sua empresa, e Tom foi o promotor de acusação. Como nem a vítima nem sua esposa acreditam na pena de morte, eles decidem revisar o caso uma última vez, para ter certeza que nenhum erro foi cometido.

conviction-1x09-hayes-wallace

Como Nova York não tem pena de morte (mas pelo tipo de crime, sua condenação se encaixa na lei nacional), Earl está em uma prisão em Indiana, dando a oportunidade perfeita para separar Hayes e Wallace do resto do grupo de investigação. A maior parte do episódio não é focada em descobertas de novas pistas, mas em discussões ideológicas e no drama pessoal da CIU, o que foi muito bem feito. Em casos como esse, várias revisões já foram feitas, seria ilógico descobrirem várias pistas com facilidade. A respeito da frase “divertida” da semana, vou apenas deixar essa fala da Hayes aqui, como quem não quer nada:

“Pena de morte é imoral, inconstitucional. É uma punição incomum e cruel. É injustamente aplicada. Não previne que outras pessoas cometam o mesmo crime. E nem tente argumentar que é uma questão monetária, porque é muito mais caro executar alguém do que deixá-lo apodrecer na cadeia até a morte.”

Frankie e Tess descobrem uma carta não aberta entre as centenas enviadas após o assassinato com uma confissão e, por exames de dna, descobrem que vem de um atirador que cumpria pena e foi liberado ao mesmo tempo que Earl. Mesmo com essa informação, não conseguem anular a execução pois Earl ainda poderia ser o mandante do crime. Infelizmente, o atirador morreu de câncer 2 anos antes. A única forma de provar que eles não tem ligação seria através dos registros financeiros deles. A família de Earl prefere não participar, ainda sentindo muita dor pelo que Earl fez, dificultando ainda mais a investigação.

Enquanto Frankie e Tess tentam rastrear os dados do atirador, Sam se encontra com uma antiga amante de Earl que diz ter entregue uma prova para Tom que deixa claro que quem fazia os desfalques não era Earl, mas seu chefe direto. Como esse documento nunca chegou para o advogado de defesa, todos entendem que Tom foi comprado para culpar um inocente e seu assassinato poderia ser queima de arquivo.

Não há dados que provam que Tom estava envolvido, mas os juízes entendem que há muitas contradições e a CIU consegue estender o prazo da execução de modo a investigarem melhor. Mas é uma vitória de curto prazo, pois já na manhã seguinte a liminar é revogada pelo procurador original do caso do assassinato, Bill Newton (Matthew Bennett, de Orphan Black), que apela à suprema corte apenas para manter seu recorde de casos vencidos. Sua arrogância e falta de humanidade é contrastada pelas atitudes do diretor da prisão Jack Braemer (Kevin Hanchard, de Orphan Black). Ele é um homem íntegro, mas que não tem outra escolha a não ser executar seu trabalho, mesmo não estando de acordo. Sua fala cansada demonstra que ele é um homem quebrado por dentro, sem opção a não ser executar o que o estado manda. Permanecer ali é a única forma de garantir que essas pessoas, sejam elas culpadas ou não, tenham seus últimos momentos tratados com dignidade.

conviction-1x09-hayes-earl

A despedida de Hayes e Earl é de quebrar o coração. Ela tenta de tudo, até apela para o pai ex presidente, mas não consegue enxergar uma saída. Earl não quer que ela o veja sendo executado, portanto apenas Wallace fica na prisão. Nos momentos finais, quando finalmente encontram um fio conector, já sabemos qual será o resultado. As coordenadas de pagamentos feitos para o atirador mostram que foram feitas perto na região do escritório dos procuradores. Em uma conversa por vídeo, Hayes mostra uma foto para a amante de Earl que confirma ter entregue a prova para Tom, porém a foto mostrada é a de Bill. Bill condenou Earl a mando de seu chefe, depois mandou executar Tom como queima de arquivo e incriminou Earl como bode expiatório. Sua insistência em manter Earl preso era puramente para fins próprios. Mas a descoberta foi feita tarde demais.

A relação entre Hayes e Wallace ainda está muito abalada após a conclusão da investigação contra ele. Muito bom acompanhar toda a evolução no episódio, pois ambos começam em lados opostos, mas trabalhando juntos de modo a descobrir a verdade, não importa qual seja. É muito triste ver que no final, nem sempre a verdade é libertadora. Quando temos um sistema falho, vidas são perdidas. Hayes está totalmente desestabilizada e Wallace é uma das únicas pessoas que a conhece de verdade. O beijo no final marca o início de algo que pode ser bom para ambos.

conviction-1x09-wallace-hayes

Também tivemos um bom arco entre Sam e Maxine, com ela cada vez mais entregue ao vício, mas Sam finalmente deixa de olhar para o próprio umbigo e percebe que a amiga precisa de ajuda. Muito bom o momento de intervenção no final. Eu quero muito acompanhar um arco de redenção de Maxine e espero que isso também traga mais importância para Sam na série. Harper Morrison parece ter vencido as eleições para senado, será que ela voltará nos episódios finais? Tess e Frankie são perfeitos juntos, sem mais.

Esse foi um episódio muito emotivo, mas perfeitamente executado. A direção ficou a cargo de Andrew McCarthy, mais conhecido por ter dirigido O Primeiro Ano do Resto de Nossas Vidas (Hayley Atwell e Merrin Dungey estavam praticamente surtando no Instagram por causa dele). Fui tudo feito com muita classe e sutileza. Infelizmente, isso não refletiu em número, com a audiência repetindo a desastrosa semana anterior. Mais uma vez Conviction foi preempted em muitos estados, o que ajuda a diminuir o número de expectadores, mas não sei se os executivos levam isso em consideração.

Para a trilha sonora da semana, podemos chorar com:

Conviction volta apenas dia 1 de janeiro (quem foi que decidiu essa data horrível?) para a exibição de seus 4 episódios finais. Além disso, a série estreia no Brasil dia 19 de janeiro pelo canal FOX Life, às 22h.


O que achou do Fall Finale de Conviction? Digam o que acharam nos comentários.

Professor de idiomas com mais referências de Gilmore Girls na cabeça do que responsabilidade financeira. Fissurado em comics (Marvel e Image), Pokémon, Spice Girls e qualquer mangá das...

Ler perfil completo

São Paulo / SP

Série Favorita: Gilmore Girls

Não assiste de jeito nenhum: Game of Thrones

  • Denia Karru

    Uau Paulo, fiquei muito abalada com esse episódio. Eu jurava que conseguiriam salvar o cara no último minuto, igual em muitas séries e filmes que já vi por aí, mas o mais interessante foi descobrir que Hayes tem coração. Gostei de terem focado nesse lado mais humano dela, que a sente que existe, mas que não consegue ver com frequência.
    Agora é esperar até ano que vem e torcer para que a série seja renovada.
    Abraço e feliz natal e ano novo…

    • Paulo Halliwell

      Pois é Denia, eu também não fiquei bem não. Eu já percebi que ela tem coração, mas como o lado mais irreverente dela se sobressai, é mais difícil de perceber. Eu gosto muito da personagem, queria ver muito mais situações com ela, ainda estou na torcida por uma renovação.
      Abraços e bom ano novo para ti também!

Primeiras Impressões: Atypical

4 dias atráscomentarios

Estreou ontem na Netflix a comédia Atypical, que conta a vida de Sam (Keir Gilchrist), um garoto autista que chega a idade adulta e passa a ter uma série de necessidades/curiosidades para descobrir quem realmente é. E nesse caminho de descobertas vamos entendendo mais sobre a sua personalidade, suas limitações e como tudo isso afeta a sua família e a todos que o cercam. Trazer o universo adolescente parece ter sido uma maneira do canal de streaming se aproximar do seu público, trabalhando pautas mais complicadas através de uma abordagem diferente. Foi assim com o suicídio em 13 Reasons Why e agora com o autismo em Atypical. Mas o que chama atenção mesmo é que, apesar de todas as limitações do […]

Leia o post completo

Primeiras Impressões: Mr. Mercedes

5 dias atráscomentarios

A Audience Network estreou, no último dia 9, Mr. Mercedes, um suspense baseado na obra de Stephen King. A série é estrelada por Brendan Gleeson e Harry Treadaway, dirigida por Jack Bender e tem como roteiristas David E. Kelley e o próprio Stephen King. A primeira temporada terá dez episódios. A história começa em uma madrugada de frio, com dezenas de desempregados fazendo fila em frente ao local que, no dia seguinte, vai sediar uma feira de empregos. Conhecemos uma mãe que levou sua bebê porque não tinha dinheiro para pagar uma babá, um rapaz gentil que empresta seu saco de dormir para que ela troque as fraldas e amamente a criança, e um homem meio ranzinza que faz algumas […]

Leia o post completo

Class

6 dias atráscomentarios

Class é um spin-off de Doctor Who, mas é preciso dizer, antes de mais nada, que não é preciso ter assistido ao seriado para entender a trama. Na verdade, a série tem mais semelhanças com Torchwood, outra derivada do seriado do Doutor, do que com a original, já que mostra as consequências dos eventos extraterrestres no planeta. A produção da BBC, em parceria com a BBC America, foi criada por Patrick Ness, também produtor da série-mãe, e estreou em 2016. Com apenas oito episódios, a série se passa no Coal High School, escola icônica no universo de Doctor Who, já que apareceu no primeiro episódio da série em 1963. Mais recentemente, esse era o colégio onde trabalhavam Clara Oswald e […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter