Os indicados ao Globo de Ouro 2018

As nomeações à 75ª edição do Globo de Ouro foram anunciadas nesta segunda-feira pela manhã por…

Primeiras Impressões: Dark

Dark é uma produção alemã de suspense e terror, criada por Baran do Odar e Jantje…

Conviction – 1×13 Past, Prologue & What’s to Come (Season Finale)

Por: em 1 de fevereiro de 2017

Conviction – 1×13 Past, Prologue & What’s to Come (Season Finale)

Por: em

O que eu mais temia finalmente aconteceu. Chegamos ao último episódio da temporada de Conviction. Como o nome já profetiza, precisaremos rever o passado para entender o presente e só então conseguir seguir para o futuro. Mas, será que existe um futuro para Hayes e a CIU? Vamos ver o que aconteceu em Past, Prologue & What’s to Come.

Eu adoro como sempre iniciamos com esses pequenos flashbacks. São pequenas memórias que nos levam ao momento exato que revisitaremos durante o episódio de uma forma tão poética e, ao mesmo tempo, crua e violenta. Ainda sob os efeitos da visita do pai, Hayes decide rever o caso que iniciou seu relacionamento com Wallace para entender como tudo começou.

O caso da semana é o de Gerard Harrison (Mark Moses, de Mad Men), acusado de assassinar a mulher em sua própria casa. Esse foi o primeiro embate entre Hayes e Wallace como procurador em Chicago – e ela perdeu. Eu gostei muito de rever momentos muito inerentes à Hayes que nos foi mostrada no piloto, mas ainda acho que seria preciso focar um pouco mais esse lado inconsequente de sua personalidade, que na época era muito mais exacerbado. Fora isso, uma coisa que não se pode negar é que ela é uma advogada brilhante, mesmo após sair correndo de uma one-night-stand. Toda a argumentação dela foi muito bem articulada, meticulosa e calma, apesar de estar nervosa antes do julgamento começar. Da parte técnica, a forma como o episódio foi editado foi muito bem feita, com todas as cenas interligadas entre os momentos do julgamento e a investigação da CIU no presente. No ponto!

A nossa versão da Última Ceia inclui exumar um corpo para salvar um inocente.

O tema polêmico que decidiram tratar foi a vida amorosa do casal, pois Gerard é homossexual mas continuava casado com sua esposa, quem dizia amar e aceitar sua homossexualidade. Hayes, bissexual, é perfeitamente capaz de compreender o acordo que o casal tinha, mas é difícil que um júri entenda com a mesma facilidade, ainda mais após ouvir o depoimento contrário da irmã da vítima que, visivelmente, não aceitava essa situação. Gerard acaba preso e não consegue mais pedir revisão de sua condenação, pois Hayes ignora suas ligações. Essa é sua chance de se redimir e provar para si mesma que mudou e que se importa com as pessoas cujas vidas são sua responsabilidade.

A situação entre Hayes e Wallace foi bem tratada. A desconfiança crescente, o cinismo de defesa de Hayes, a honestidade de Wallace, e a grande declaração sem resposta. Com esses dois, nada é fácil ou rápido. Hayes precisa de um tempo para processar as informações, mas, no final, percebe que ela também sente o mesmo e que seus sentimentos são verdadeiros. Foi uma cena muito bonita, o discurso de Gerard ao fundo, os efeitos de luz no cabelo da Hayley que estavam no ponto certo. Clima de romance no ar!

A investigação foi boa também. Mesmo com as pistas falsas e becos sem saídas, eu não conseguia desconfiar da inocência de Gerard. Eu estava mais com medo de perderem o prazo por não conseguirem provas suficientes para libertá-lo, mas Frankie salvou o dia no último segundo ao provar que não houve crime e sim um acidente após a vítima sofrer um mini ataque cardíaco. Foi uma solução simples, mas satisfatória, pois o ápice do episódio não estava na solução do crime, mas sim no relacionamento de Hayes e Wallace. Hayes teve um grande crescimento entre perder o primeiro caso e ganhar esse último. Se antes, ao sentenciar um homem à prisão perpétua ela saiu em um encontro, agora ela vai ao encontro de quem salva para homenagear quem a ajudou, sem levar as glórias para si própria. Isso é crescimento de caráter.

Frase da semana:

Eu odeio normal! Eu gosto de mexer a panela! Lutar contra o Poder! Enfiar no Homem!

Meninos! Tenham modos! Esse é um blog de família! 

Concomitantemente, temos o retorno do caso de Rodney Landon (Mike Doyle, de Law & Order: Special Victims Unit), do episódio Dropping Bombs. Ele não apenas descobriu que foi Sam quem contou ao outro preso que ele iria sair da cadeia, como pretende usar essa informação como base em sua defesa contra o Estado e solicitar soltura imediata. Sam e Hayes estão em uma situação extremamente delicada. Hayes não quer perder seu funcionário, mas Sam não quer que a CIU seja descreditada perante a opinião pública. Para piorar, Wallace descobre tudo por outra fonte e exige que Hayes lide com a situação. O que Hayes faz para garantir que Rodney não consiga acabar com a reputação de Sam e a da CIU é de uma sagacidade tão sorrateira que dá orgulho ver. Infelizmente, Wallace exige a cabeça de Sam, afinal, ele compromete a CIU. Por um lado, eu entendo o que ele quis dizer, afinal, o quê impediria Sam de repetir a mesma burrada no futuro? Por outro, Sam não é o mesmo imbecil que era no terceiro episódio, ele também se desenvolveu bastante.

Eu já estava em paz com o fim da série e bem feliz com esse finale, mas os 02 últimos minutos me deixaram no chão! As produtoras sabiam muito bem qual era a situação em que estavam, mas, ao invés de entregarem um final redondo ao público, decidiram permanecerem fieis ao que Hayes representa. Ela é o Caos, a Desordem, a Desobediência. Mesmo com esse final em aberto que nunca será resolvido, eu estou mais contente do que ver uma Hayes subserviente ao Wallace, homem que ama, mas nem mesmo trata na base do primeiro nome. Esse final foi perfeito, pois mostra que ela é capaz de tudo para mostrar que ainda está no controle e que, no time dela, apenas Hayes decide o que acontece. Ninguém deve ficar ofendido com esse beijo, achando que foi uma traição, foi apenas a forma que ela encontrou de manter Sam na equipe. E Wallace sabia muito bem que algo aconteceria, já que estava logo atrás dela. O que acontece depois, infelizmente, não saberemos.

Vixi! Alguém nos viu! Agora o Capitão América e a Vampira vão vir se vingar!

Como sempre, a trilha sonora da série é muito boa, segue abaixo caso você queira fazer uma playlist da nostalgia de Conviction:

O Season Finale teve um leve aumento de audiência em comparação ao episódio anterior, subindo de 2,24 milhões para 2,44 milhões. Nada que nos faça subir pelas paredes comemorando. Com a modificação do dia de exibição para os domingos, a ABC terminou de matar quaisquer chances que Conviction tivesse de se recuperar. Merrin Dungey já postou foto no instagram agradecendo Maxine pela “temporada”, não pela “primeira temporada”. Emily Kinney já faz parte do elenco principal de Ten Days in the Valley, nova série já aprovada pela ABC para produção sem necessidade de piloto. Manny Montana faz parte do elenco principal do piloto de uma série da NBC chamada Good Girls, que pode ser aprovada para produção ou não. Apenas o fato de Emily estar em outra série da própria ABC já deixa claro que a emissora não pretende renovar. Caso Conviction fosse renovada, Manny seria obrigado contratualmente a permanecer, mas Emily, por estar em outra série da casa, imagino que já estaria fora. Mesmo assim, não devemos ter nenhuma esperança e apenas aguardar o dia em que desligarão os aparelhos de nossa querida série que está em estado vegetativo.

Conviction foi uma jornada incrível, com alguns momentos monótonos, mas cheia de emoções e muita coragem para escancarar aquilo que a sociedade tem medo de encarar e entender como realidade. Várias pedras foram tocadas, desde o episódio maravilhoso sobre o filho com doença mental como a questão da pena de morte e o movimento Black Lives Matter. Deu 02 personagens homossexuais no grupo principal, tratando com tanta naturalidade que várias vezes esquecíamos esse detalhe. Fotografia e figurinos lindos, assim como belíssimas montagens da cidade de Nova York. Teve seus defeitos, como soluções apressadas e discussões desnecessárias, mas eu considero o saldo final positivo. Infelizmente, não foi suficiente para conquistar a todos.

Eu agradeço a todos que acompanharam as aventuras de Hayes Morrison comigo. Saibam que me diverti muito vindo aqui toda semana falar um pouco sobre essa menina sapeca com vocês. E que venham novos projetos para a nossa querida Hayley Atwell, pois ela é uma atriz incrível e merece uma serie que faça jus a todo esse talento. Até a próxima!

LISTA DE PERGUNTAS SEM RESPOSTAS:

  • Maxine conseguiu superar seu problema de dependência química?
  • Tess se reconciliou com Matty?
  • Frankie decidiu entregar o caso de Rey para Hayes analisar?
  • O que Jackson fará, agora que não trabalha mais para a campanha de Harper Morrison?
  • Qual era a ligação de Sam com Lisa Crozier, a repórter que divulgou o acordo de Hayes com Wallace?
  • Como Lisa Crozier descobriu sobre o acordo de Hayes com Wallace?
  • Após esse beijo, como ficou a relação profissional de Hayes e Sam?
  • Após esse beijo, como ficou a relação pessoal de Hayes e Wallace?

O que você achou do season finale de Conviction? Deixe suas opiniões nos comentários!


Paulo Halliwell

Professor de idiomas com mais referências de Gilmore Girls na cabeça do que responsabilidade financeira. Fissurado em comics (Marvel e Image), Pokémon, Spice Girls e qualquer mangá das Clamp. Em busca da pessoa certa para fazer uma xícara de café pela manhã.

São Paulo / SP

Série Favorita: Gilmore Girls

Não assiste de jeito nenhum: Game of Thrones

  • Felipe N

    Foi uma delicia acompanhar a série enquanto durou. Vai deixar saudades !!!!!!

    • Paulo Halliwell

      Olá Felipe. Pois é, vai deixar saudades mesmo. Não sei se me apegarei a outra série de procedurals da mesma maneira que essa…

  • Denia Karru

    Que pena Paulo, acabou… Vai deixar saudades… As vezes não entendo esses americanos, gostam de umas séries nada a ver, mas desgostam de outras que são realmente boas. Essa fall season foi uma facada no meu peito. Várias séries que eu me apeguei estão em risco de cancelamento, snif, snif…
    Obrigada pela sua companhia durante esse tempo e se por milagre a série voltar, espero nos vermos aqui de novo, ou quem sabe em outro projeto né.
    Grande abraço…

    • Paulo Halliwell

      Pois é Denia, é difícil entender a lógica deles mesmo…. EU que agradeço a companhia e vamos nos encontrando novamente em análises de outras series aqui no site! Abraços fortes!

×