Cosmos: A Personal Voyage

27 de novembro de 2014 Por:

“Se você deseja fazer uma torta de maça do zero, você deve primeiro inventar o universo” – Dr. Carl Sagan.

Novembro é o mês em que Carl Sagan (cientista, astrobiólogo, astrônomo, astrofísico, cosmólogo, escritor e, pela frase acima, apreciador de uma boa apple pie) completaria 80 anos. Sagan faleceu em 1996, aos 62 anos, mas, mesmo com seu falecimento prematuro, ele nos deixou um incrível trabalho cientifico, fruto de muita dedicação e amor pelo conhecimento.

Cosmos

Não sou da área de exatas, odeio cálculos e me incomodo com pessoas que não enxergam a beleza do surreal… mas sou fascinado por todo e qualquer tipo de ciência!  ( ͡° ͜ʖ ͡°)

A busca incessante por respostas, das mais simples as mais complexas, nos capacita a admirar os pequenos detalhes e apreciar a TUDO em nossa volta. Partindo desse princípio, para um Apaixonado por Séries, Carl Sagan também deixou um trabalho para abraçarmos e assistirmos em nossa telinha favorita: Cosmos – A Personal Voyage.

Escrita e apresentada por Sagan, Cosmos – A Personal Voyage, foi uma série de 13 episódios exibida em 1980. Mesmo com baixo orçamento e um tema que não agrada a todos, a série foi exportada para 60 países e vista por mais de 500 milhões de pessoas.

Cosmos é genial! Somos apresentados as maravilhas do universo – desde o átomo, até ao incomensurável todo – Carl Sagan é cativante e seu texto é simples e compreensível, agradando tanto o experiente estudante de física quântica, quanto o pai de família sentado na poltrona, com uma cervejinha na mão e algumas curiosidades na cabeça. Uma das melhores metáforas de Cosmos é a comparação da exploração espacial a expansão marítima do século XV – perigosa, cara e revolucionária.

Cosmos

“Somos todos poeira de estrelas”

Abordando temas como a origem da vida, viagens interestelares, velocidade da luz e vários outros, Cosmos entrou para a história e inspirou diversos outros programas (como o Poeira das Estrelas, exibido no Fantástico em 2006, com apresentação de Marcelo Gleiser).

Mais de três décadas depois, Cosmos ganha sua sequência: A Spacetime Odyssey. Apresentada por Neil DeGrasse Tyson (o pop astrofísico) e produzido por Seth MacFarlane (The Family Guy). Com o intuito de recolocar a ciência no mapa cultural (onde estão os programas de ficção científica gente?), com o mesmo espírito do original, Neil DeGrasse continua a viagem que Sagan havia iniciado em 1980, porém, com – literalmente – tudo que sabemos hoje sobre o universo.

Cosmos

Diferentemente de Personal Voyage, Spacetime Odyssey tem um orçamento exorbitante e nos traz incríveis cenas, animações e efeitos visuais que aumentam ainda mais a excitante viagem no desconhecido (a tecnologia de edição contemporânea com certeza foi um belo upgrade a sequência). Neil DeGrasse pode não ser tão carismático quanto Sagan, mas ele cumpre seu papel e conversa muito bem com essa nova geração que Cosmos quer se comunicar.

Espero que o texto deste leigo (porém entusiasta) desperte uma chama em vocês de ir além do óbvio e desvendar os mistérios do universo, pois – e citarei Jostein Gaarder em O Mundo de Sofia – “tudo depende do tipo de lente que você utiliza para ver as coisas”, e Carl Sagan e Neil DeGrasse sabem exatamente como medir o grau de óculos certo para você.

Vale cada minuto, mesmo o tempo sendo relativo.

Concorda plenamente que a única coisa melhor que uma vaca é um humano. A menos que você precise de leite. Aí você realmente precisa de uma vaca. <3

Praia Grande

Série Favorita: Lost

Não assiste de jeito nenhum: Super Fun Night

  • Érica

    Pra quem curte série/documentário com esse tipo de temática recomendo Throught the Wormwhole apresentada pelo Morgan Freeman. Cada episódio tem um questionamento e a visão de diversas pessoas (normalmente cientistas, mas não é restrito somente a eles). Acho muito interessante.

Ash vs Evil Dead

1 semana atráscomentarios

Que atire a primeira pedra quem nunca assistiu ao clássico de terror trash, The Evil Dead, ou se vocês preferem o enorme título traduzido, Uma Noite Alucinante – A Morte do Demônio! O filme lançado em 1981 e dirigido por Sam Raimi (o mesmo cara que dirigiu Spider-Man), foi o primeiro de uma grande franquia e é até hoje considerado o melhor filme trash já feito. Alavancada pela avalanche de remakes e spin-offs televisivos de filmes que fizeram ou não sucesso – citando só alguns, Scream, Shadowhunters e Limitless -, Ash vs Evil Dead nada mais é do que uma continuação dos filmes da franquia Evil Dead, lançados há 30 anos. A série, transmitida pelo canal Starz, estreou em 2015 e ainda conta com Raimi na produção. Ashley […]

Leia o post completo

Maratona The O.C. – 3ª temporada

1 semana atráscomentarios

A terceira temporada é oficialmente minha favorita. Talvez eu esteja me precipitando, sem ter assistido à quarta, mas eu realmente não esperava gostar tanto da terceira. Já assisti à série inteira, mas nunca havia reprisado esta temporada, digamos que por limitações emocionais. Meu coração ficou muito traumatizado da primeira vez. É engraçado como eu não me lembrava de muita coisa (nem sei como pude apagar o casal Julie e Neil da memória), mas, ao longo das cenas, tudo fazia sentido para mim. O elenco principal estava afinadíssimo com seus personagens e entre si. Ryan (Ben McKenzie) deixou o riso frouxo em vários episódios, o que nos ajuda a crer na evolução do personagem, cada vez mais à vontade com a vida em Newport. Também conhecemos novos personagens para chacoalhar a dinâmica da […]

Leia o post completo

As séries com viagens no tempo

1 semana atráscomentarios

Como meu amigo Wander comentou quando compartilhou com a gente suas primeiras impressões de Timeless, viagens no tempo is the new black. Doctor Who é a série de ficção científica mais longa do mundo. 12 Monkeys já vai para a terceira temporada, Legends of Tomorrow já exibiu na metade da segunda. A canadense Travelers já exibiu uma temporada. Continuum durou quatro temporadas, assim como a querida Being Erica. As novatas Timeless e Frequency exibem a temporada de estreia e, com a baixa audiência, lutam pela renovação. Time After Time e Making History são outras produções do gênero com estreia marcada e garantida. Ao perceber a maioria dessas séries na minha watchlist e muitas fazendo sucesso com os telespectadores, comecei a me perguntar: Por que amamos séries com viagens no tempo? Não sei […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter