Os indicados ao Globo de Ouro 2018

As nomeações à 75ª edição do Globo de Ouro foram anunciadas nesta segunda-feira pela manhã por…

Primeiras Impressões: Dark

Dark é uma produção alemã de suspense e terror, criada por Baran do Odar e Jantje…

Easter Eggs: a origem das mensagens secretas nas séries

Por: em 16 de abril de 2017

Easter Eggs: a origem das mensagens secretas nas séries

Por: em

O coelhinho já te visitou hoje? Então, enquanto você se delicia com chocolates, te convido para ler a história dos famosos Easter Eggs (ovos de Páscoa, na tradução) – que não têm nada a ver com cacau. É assim que chamamos as mensagens que roteiristas escondem nas séries, em referência a elementos da cultura pop ou da própria narrativa. O apelido Easter Eggs deve-se à tradicional caça aos ovos e à surpresa que geralmente há dentro deles. A Páscoa não costuma ser representada na TV, igual a outras datas festivas – como Natal, Réveillon, Halloween e Thanksgiving -, mas a homenagem está aí.

Por ora, esqueça tudo que você já aprendeu sobre a origem da Páscoa. No mundo geek, essa história começa com o vídeo game Atari 2600, em 1979. O criador da linha Adventure, Warren Robinett, cansado de não levar crédito por seus trabalhos, inseriu o próprio nome no meio do jogo, sem ninguém saber. O segredo foi muito bem escondido (para descobrir, era necessário carregar uma ponte para dentro do castelo e causar um tilt na imagem, a fim de revelar uma sala secreta!) e, somente meses após o lançamento, um fã esbarrou na mensagem de Robinett. O americano Adam Clayton, de 15 anos, foi o primeiro a zerar a brincadeira e acionar a Atari: ele enviou uma carta, junto com um “mapa do tesouro” para encontrar o tal Easter Egg, imaginando que ganharia algum prêmio. E merecia, vai?

Na época, Warren Robinett já havia se demitido, e a Atari pensou em consertar o problema. Mas, como o reparo custaria 10 mil dólares, a empresa preferiu não mexer nos bolsos e manteve o crédito de Robinett. É claro que os jogadores, alucinados, passaram a buscar outras mensagens secretas, o que forçou a empresa a ser mais criativa dali para frente. A caça aos Easter Eggs virou uma gincana para o público e, mais tarde, o cinema e as séries também adotaram a brincadeira.

Friends já aprontou com a plaquinha de “reservado”, diante do sofá em que o elenco se senta, no Central Perk, para justificar como eles sempre conseguiam o melhor lugar do café. How I Met Your Mother cansou de inserir Easter Eggs debaixo do nosso nariz. No episódio Bad News, da segunda temporada, há uma contagem regressiva, que vai de 50 a 01, até o momento em que Marshall descobre que seu pai morreu. Os números aparecem na TV, na porta do apartamento, na garrafa de cerveja, e é preciso estar super antenado para captar todas as pistas. Em outro episódio, no bar que os amigos frequentam, acompanhamos toda a vida de um casal, enquanto o quinteto protagonista nos distrai com piadas sobre o Canadá para zombar da Robin. O casal se conhece, casa, tem filho, o garoto se forma na faculdade, e o homem morre – tudo em segundo plano, no fundo da cena central:

Talvez você já tenha reparado que os personagens das séries, quando dão seus telefones, geralmente passam um número começado por “555”. Isso é um acordo dos roteiristas para evitar que fãs perturbem o dono da linha de verdade, querendo falar com um personagem fictício da TV. Mas sempre tem um fã para tentar a sorte, e alguns se deram bem. Em 2004, quando Gilmore Girls ainda estava no ar, quem ligasse para o telefone de Luke Danes ouviria uma gravação do ator Scott Patterson com um pedido de doação para o hospital infantil Johns Hopkins Children’s Center.

The Office, Breaking Bad e Lost anteciparam seasons finales sem a gente perceber (pelo menos, não à primeira vista). No último episódio de Michael Scott, em The Office, finalmente vemos a cena em que ele ajeita o troféu, que aparece na abertura desde a primeira temporada. A pista de Breaking Bad está nos títulos dos episódios 1, 4, 10 e 13 da segunda temporada, que formam uma espécie de código: “737 down over ABQ”. Se pararmos para pensar, eles estavam nos indicando que o Boeing 737 cairia sobre a cidade de Albuquerque (ABQ), onde acontece a série. Em Lost, o nome da funerária da terceira temporada é um anagrama para “flash-foward”, provando que os criadores já haviam planejado o desfecho da série para dali a três anos:

Agora, temos de aproveitar o feriado de Páscoa e revirar nossas séries favoritas, atrás dos Easter Eggs. Com Netflix e DVDs, é mais fácil manter a atenção, pausar e voltar o vídeo para conferir as pistas. Fica a dica: Community, Arrested Development, Seinfeld, Game of Thrones… Há muitos segredos espalhados por aí. E inclusive neste post: quem já reparou no presente que eu deixei ao longo do texto? Compartilhem seus achados, logo abaixo, na caixinha de comentários.


Alice Reis

Jornalista que não bebe café, mas vai ao Central Perk com frequência. Gostaria de viver em todas as séries filmadas em Nova York.

Rio de Janeiro / RJ

Série Favorita: Friends

Não assiste de jeito nenhum: Game of Thrones

  • leandro laroque

    Feliz Páscoa para você também Alice!
    Aquele R+L no “inicio” de Game of Thrones foi excepcional!

  • Aomame Kawana

    Que legal. Poderia ter mais matérias de Easter Eggs. É sempre divertido.
    Feliz Páscoa para você também. ^^

  • Maria Leonor

    Gravity Falls : o desenho com a maior quantidade de easter eggs q vc respeita, kkkk <3

×