Episódios em que Glee tratou de assuntos sérios

11 de março de 2017 Por:

Apesar de se encaixar conceitualmente na categoria de comédias, o público da saudosa Glee era constantemente saudado com episódios que tratavam de temáticas sérias e voltadas para o drama, eclético e disposto a discutir assuntos polêmicos e de necessária visibilidade, a série de Ryan Murphy jogou no ventilador com muita competência temas como, a gravidez na adolescência, sexualidade, drogas lícitas, morte, término de relacionamentos, enfim, assuntos que não são comumente trazidos a toda com o público jovial. No intuito e expor e vangloriar estes episódios únicos e especiais, eu e a minha parceira de blog e núcleo Karine, montamos uma sucinta lista de episódios, e performances correspondentes, de algumas das vezes em que Glee tratou de assuntos sérios.

Gravidez na adolescência (01×07 – Throwdown)

A descoberta de uma gravidez gera sentimentos distintos. Se você estava tentando engravidar é claro que o ”positivo’ vai causar uma imensa alegria, mas quando você é uma adolescente que engravidou do melhor amigo de seu namorado e ainda possui uma família que não dá apoio, certamente, a mesma palavra irá mudar completamente o seu futuro. É isso que Quinn passou já no começo da primeira temporada, quando descobriu que estava grávida de Beth, ela não era querida pelo Glee Club, porém todos viram que a mesma precisava de console e apoio, um ombro para chorar. No episódio Throwdown, quando Finn e os outros descobrem a gravidez, todos se unem para cantar Keep Holdin’ On, a música que caiu como uma luva para aquele momento.

Aparência (02×06 – Never Been Kissed)

Never Been Kissed foi cheio de surpresas! É nele que descobrimos que Karofsky era gay e foi a primeira participação de Blaine na série, no entanto nada se destacou mais do que a treinadora Beiste e toda a sua insegurança quanto à sua aparência. Para se ”controlarem” com suas namoradas, os alunos começaram a pensar em Beiste com lingerie ou tutu de bailarina como alívio, pensamentos que a magoaram profundamente. Foi neste episódio também que ela confessou ao Mr. Shue que nunca havia sido beijada. Para se desculparem, os meninos cantam o mash-up Stop! In the Name of Love.

Consumo de bebidas alcoólicas (02×14 – Blame It on the Alcohol)

Tratar do tema do álcool na vida dos adolescentes de maneira íntegra e sem tabus não é uma tarefa fácil, visto que, o lado bom, divertido e que te faz parecer legal do tema é a todo momento exposto em todos os meios midiáticos, diante deste contexto, os jovens realmente não veem porque esperar até a idade apropriada e legalizada para o consumo alcoólico, já que aparentemente todo mundo o faz e é muito bom. O episódio e performance de Blame It on the Alcohol expõe uma realidade séria de maneira divertida e até mesmo didática, os adolescentes bebem sim, e não existem motivos plausíveis para não fazê-lo, o importante é conscientizar a respeito dos perigos e consequências e prover um suporte aos mesmos caso necessário.

Sexualidade (02×15 – Sexy)

Diante de tantas informações errôneas e equivocadas, e a própria falta de uma educação sexual adequada e informativa nas escolas, falar sobre sexo com adolescentes, diariamente bombardeados por conteúdos explicitamente sexuais e estereotipados, não é uma tarefa fácil, visto que dialogar acerca do tema pode se tornar desconfortável para muita gente, mas Holly Holliday não é todo mundo, a melhor professora substituta de Glee defende em Sexy a verdadeira necessidade de se falar sobre o assunto informando e conscientizando corretamente a todos, e o faz de maneira divertida e efetiva, ao ultrapassar as barreiras do sexo mecanizado e fisiológico e tratar a respeito da sexualidade própria e aceitação pessoal exemplificados na sensual performance de Do You Wanna Touch Me?.

Aceitação pessoal (02×18 – Born This Way)

O episódio icônico da segunda temporada traz a tona a temática da aceitação pessoal como um todo, dos defeitos as qualidades, nestes tempos onde existe a facilidade de alterar quem somos por meio de plásticas e mudanças drásticas em nossos modos de ser em prol de um encaixe nos padrões determinados, não somente pela indústria da beleza, mas por toda a sociedade que impõe como devemos nos vestir, comer, se portar, opinar, enfim, determinam toda a nossa vida. Born This Way ultrapassa o status de episódio comum e se torna uma verdadeira aula sobre a quebra de tabus erroneamente pré-determinados que trazem sofrimento e martírio para várias pessoas, principalmente os adolescentes, expondo a beleza da admissão de ser quem é ao som da icônica Born This Way.

Solidariedade e empatia na mortalidade (02×21 – Funeral)

Quer temática mais séria do que a morte? Eu mesma tenho bastante dificuldade em compreender todo o conceito da mortalidade, por este motivo o episódio que trata do falecimento de Jean Sylvester, a doce irmã mais velha de Sue, e talvez uma das únicas pessoas que ela tem amado, é tão marcante e bonito. Funeral é uma lição de solidariedade e empatia exemplificados na mobilização de todo o Glee Club, liderado por Finn, para realizar uma bonita emocionante homenagem a irmã daquela que desde sempre os infernizou, pagando então o ódio recebido com muito amor na emocionante performance de Pure Imagination.

Se declarando (02×15 Sexy/03×07 – I Kissed a Girl)

Não é fácil dizer à alguém seus sentimentos. A insegurança, o medo da reação das outras pessoas e a coragem para se declarar são algumas das sensações que Santana sentiu no já citado 02×15. A latina ainda não havia saído do armário – de fato, ela só se assumiu, meio que obrigada, no episódio I Kissed a Girl na terceira temporada – e ainda na segunda temporada já ficava claro que estava cada vez mais difícil de esconder seus sentimentos por Brittany. E foi assim que, com a ajuda de Holly, ela cantou Landslide para Britt, demonstrando todo o seu amor e gratidão, sem medo do que os outros iriam pensar.

Violência doméstica (03×18 – Choke)

Olha Beiste aqui de novo!

No episódio Choke, da terceira temporada, descobrimos que a Coach estava sendo agredida por seu marido. Por pura falta de auto estima e medo de deixa-lo, ela aguentava todas as agressões físicas e verbais, sem contar à ninguém, assim como várias mulheres pelo mundo são vítimas dos mais diversos tipos de violência e que muitas vezes vivem anos a fio na omissão por puro medo e dependência. Até que as meninas, incentivadas por Sue, descobriram tudo e cantaram Shake It Out para mostrar que ela deveria, nas melhores palavras, livrar-se dele. Confesso que esperava um final dela indo às autoridades e denunciando Cooter, e não perdoando-o.

Términos e encerramentos (04×04 – The Break Up)

A vida continuamente se reproduz e nós amadurecemos e evoluímos juntamente com ela, todo relacionamento está fadado a passar por períodos de dificuldades, as vezes as pessoas se encontram em diferentes momentos da vida e simplesmente se afastam, ou se aproximam de outras pessoas, enfim, inúmeras são as motivações, muitos namoros não sobrevivem ao período da faculdade onde basicamente tudo muda e não foi diferente em The Break Up, no qual tivemos quatro queridos casais passando por dificuldades chegando ao ponto de se separarem, e encerando um ciclo tão importante na vida de todos na emocionante performance de The Scientist. Muitas vezes nós precisamos mesmo é de um tempo para nós, para descobrir quem somos e nos portamos longe do outro, isso não significa que não haja amor e consideração, sendo importante sempre em mente que quem pertence ao outro acaba retornando em algum ponto.

Morte (05×03 – The Quarterback)

Não importa quanto tempo passe, a morte do Cory sempre será uma ferida no coração dos gleeks. Perder um personagem importante de uma série favorita é doloroso, mas perder o ator que fez esse personagem é horrível, e é por isso que o episódio The Quarterback serviu para todos, tanto aos fãs quanto aos personagens/atores, que se despediram e deram adeus à um amigo, companheiro, cantor, péssimo dançarino, enfim…deram adeus ao Cory Monteith. Cada momento desde o primeiro segundo até o último foram necessários, principalmente as cenas musicais; destaco a cena inicial, em que o Glee Club canta Seasons of Love. É impossível não se emocionar!


E vocês, curtiram o nosso top? Sugerem mais episódios? Não deixem de comentar!

Jovem bahiana simpática e gente boa que curte um bom número de séries e por este motivo tem a audácia de escrever suas opiniões positivas e negativas sobre...

Ler perfil completo

Itamaraju/BA

Série Favorita: How i Met Your Mother/Friends

Não assiste de jeito nenhum: The Vampire Diaries

  • Fiquei com vontade de assistir Glee… Sou chegada em musicais

    • Gleidson Oliveira

      Pra quem gosta de musicais, Glee é quase uma obrigação. A série é linda e, pelo menos nas primeiras três temporadas, você vai aprender muita coisa.

    • Cadu Lopes

      É uma série linda. Especial.

      Apesar de todos os problemas, que são comuns em toda série, Glee me ensinou e me ajudou muito em uma época de dúvidas e dramas exageradamente intensos, que foi a minha adolescência. É uma série que eu guardo com muito carinho.

      As performances eram um espetáculo a parte. Eu tenho quase todas as músicas no meu computador e vez ou outra me pego ouvindo e revivendo momentos marcantes e emocionantes, sejam da série em si, ou até mesmo da minha vida! < 3'

    • Karine

      Assista, Louise! Glee é uma série especial mesmo, não tem como vc não criar um carinho por ela <333

    • Ana Rebeca Tamandaré

      Precisa falar mais alguma coisa Lou? Você tem a obrigação de assistir Glee, corre!

  • Douglas Carvalho

    Chorei horrores,lembro como se fosse hj eu entrando no mundo das séries por conta de Glee, eu vivia cada episódio, mto lindo <3 Inclusive, sdds de cada ep

    • Ana Rebeca Tamandaré

      Tem como não se emocionar Douglas, ainda mais com a sua experiência com a série?!
      Muitas saudades mesmo..

  • Thaynan Vital

    Só fiquei sentindo falta do episódio 3×14 On my way que fala sobre suicídio, o Blaine canta Cough Syrup.

    • Ana Rebeca Tamandaré

      Muito bem lembrado Thaynan, este episódio foi mesmo emocionante! Mas, como queríamos fechar com poucos sempre fica um ou outro faltando..

      Valeu pelo comentário!

  • Glee é uma série que muda vidas! Fica até difícil escolher apenas alguns episódios para falar de assuntos sérios. O pessoal tem mania de julgar só pq é musical, mas todas as temporadas falam sobre aceitação, inclusão, sexualidade, relacionamento com pais e por aí vai… É uma série linda, que além de musical é humana! #saudadeslosers

    • Ana Rebeca Tamandaré

      Exatamente Fabíola! Ficou difícil fechar só em 10 episódios…

  • Felipe Borges

    Que especial mais lindo!! Não poderia ter escolhido melhor as músicas!
    De longe a segunda temporada é a que mais tem teor com assuntos sérios.
    Só senti falta do 2×03, sobre a religiosidade do Kurt!
    Dá vontade de rever tudo de novo <3

    • Karine

      O 2×03 dava para falar tanto da religiosidade do Kurt quanto do Finn. Ele cantando Losing My Religion é tão lindo

      • Ana Rebeca Tamandaré

        Losing My Religion é mesmo um hino!

  • Bruna Dantas

    Gostei das escolhas, mas faltaram mais temas abordados, como o suícidio, a transexualidade, o episódio do tiro também poderia estar aí…

    • Karine

      Pena que não dava para colocar todos os momentos 🙁
      Também destaco as cenas em que tocava Don’t Stop Believin’

  • Karine

    Ficou lindo nosso post, Ana <33
    Relembrar alguns episódios de Glee é sempre emocionante, principalmente o The Quarteback.
    Glee sempre vai ser essa série que consegue tocar no coração de um jeito que nenhuma outra consegue!

    • Ana Rebeca Tamandaré

      Ficou mesmo Karine! <3
      Glee, mesmo em seus altos e baixos, vai para sempre nos emocionar.

  • Higor Fernando

    Ai você ta do nada olhando o site… e ve o tema Glee e ja bate aquela saudade…
    Você vai lendo o texto e vai vendo as performaces e pronto, tá em lágrimas, pq Glee não foi e nem nunca vai ser só uma série… Glee é uma obra feita pra todos pq ali se discutiu todos os temas possíveis… Essa série me ajudou a passar por momentos de dúvidas e de fraqueza… Por isso que sempre posso indico a todos…
    Glee a série que mudou minha visão pra varios assuntos…
    Me deu ate uma vontade de fazer aquela maratona…
    #Loser

Maratona Parenthood – 3ª Temporada

6 dias atráscomentarios

Chegamos ao final de mais uma incrível temporada de Parenthood dando continuidade a nossa maratona do choro. Em termos gerais, foi um bom ano digerido em um par de semanas, tivemos algumas continuidades e fechamentos de plots iniciados na segunda temporada, assim como, testemunhamos o desenvolvimento de alguns personagens, enquanto outros permaneceram estagnados em suas posições. Não foi uma temporada perfeita, mas considero piamente esta a minha favorita até agora e sua análise merece ser realizada pelos núcleos familiares que compõem os Braverman, então vamos aos comentários.. Adam, Kristina, Haddie, Max e Nora Temporada de mudanças para todos os membros deste núcleo. A demissão de Adam e a dificuldade de se inserir novamente no mercado de trabalho abre a vertente para o grande plot da temporada – a […]

Leia o post completo

Guia da Trilha Sonora: Parenthood – 2ª temporada

1 semana atráscomentarios

A música perfeita pode tornar um episódio ainda melhor do que o que ele já foi não é mesmo? Em uma série de drama, principalmente, elas costumam ditar o clima dos acontecimentos. E a gente precisa admitir que em Parenthood esse elemento funciona muito bem, sendo sempre um dos principais motivos da série ser tão boa de assistir e conquistar tanto a gente. Se você ainda não conhece a história da família Braverman pode ficar por dentro de tudo na nossa maratona, e se já conhece ou apenas quer conhecer músicas novas vem comigo ver a trilha sonora completa da segunda temporada. Abertura: Forever Young – Bob Dylan Abertura Internacional: When We Were Young – Lucy Scwartz 2×01 – I […]

Leia o post completo

Glitch

1 semana atráscomentarios

Sete mortos voltam à vida super bem de saúde e aparência. É essa a história de Glitch, uma série australiana que está disponível no Netflix, desde o ano passado. De cara, a história pode parecer mais uma de tantas sobre mortos-vivos, zumbis ou afins. Inclusive, Glitch chegou a ser comparada com as séries The Returned e Ressurection. Mas, apesar de usar um tema já conhecido do público, o enredo é totalmente novo e contado de uma forma diferente de tudo que você já viu sobre o assunto. Nada de apocalipse ou vírus mortal, Glitch conta a história de sete renascidos das cinzas de forma, aparentemente, espontânea e natural, e claro, misteriosa na cidade fictícia de Yoorana, na Austrália. O primeiro […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter