Primeiras Impressões: Famous in Love

21 de abril de 2017 Por:

Começo este texto avisando que tenho gostos peculiares (você não entenderia). Sou a rainha dos guilty pleasures e meu coração bate forte por séries adolescentes repletas de clichês, pieguice e que ultrapassam os níveis aceitáveis de atuações sofríveis e vergonha alheia. Quanto mais farofa melhor! Se você, assim como eu, não resiste a um drama teen cheio de defeitos, que de tão ruim se torna épico, Famous in Love fará sua vida mais feliz, te rendendo severas gargalhadas. Se esse não é o seu caso, recomendo que feche agora este texto e desista, essa série não foi feita para você.

Vamos aos fatos, Famous in Love é ruim. Muito ruim, na verdade. Inspirada na série literária, de mesmo nome, escrita por Rebecca Serle , a trama acompanha Paige Towsen (Bela Thorne), uma estudante de economia, que sempre sonhou em ser atriz, e está apaixonada por seu melhor amigo, Jake (Charlie DePew), mas tem medo de investir no relacionamento e arruinar a amizade. Seguindo os conselhos de Cassandra (Georgie Flores), sua misteriosa roommate, acaba fazendo um teste para a adaptação cinematográfica do best- seller Locked, um filme que promete ser um sucesso estrondoso, ajudando a alavancar a carreira de todos os envolvidos. Ainda durante os testes, Paige conhece Rainer Devon (Carter Jenkins), um jovem ator com passado conturbado, que se encanta por ela, dando inicio ao típico triângulo amoroso que não pode faltar nesse tipo de produção.

Rainer é o exemplo do jovem famoso que está constantemente estampando tabloides e envolvido em algum escândalo. A confusão mais recente envolve uma briga com seu melhor amigo, o também ator – e perfeito bad boy – Jordan Wilder (Keith Powers). O mundo das celebridades loucas e poderosas, a que vamos sendo introduzidos aos pouco, é também composto por Nina (Perrey Reeves), a mãe controladora e manipuladora de Rainer e Alexis (Niki Koss) e Georgina (Katelyn Tarver), duas atrizes procurando desesperadamente por um papel importante, para manter suas carreiras. Fechando o time, temos Barrett Hopper (Nathan Stewart-Jared), o típico apresentador de programa de fofocas, sempre em busca do próximo escândalo. O que, por esse primeiro episódio, claramente não faltará nessa série.

Como já mencionado, a história está bem longe da originalidade e algumas situações chegam a ser extremamente previsíveis. O clichê, se bem feito, sequer incomodaria, o grande problema de Famous in Love está nas atuações. A Freeform parece ter selecionada a dedo um elenco de pessoas lindas, porém com pouca – ou nenhuma – capacidade de interpretação . A falta de expressão é generalizada e há cenas que beiram o ridículo, rendendo muita vergonha alheia. Tudo isso ajuda a evidenciar os personagens rasos e sem qualquer profundida. Algo que incomoda mais quando se trata de Paige, a tentativa de transformar a protagonista em uma garota fofa só rende constrangimento e não há muito mais a ser dito sobre ela, além do fato que sonha em ser atriz e tenta repercutir um esteriótipo de boa moça.

Outro ponto que merece destaque é o da montagem da série, muitas cenas soam desconexas dentro do episódio, e isso também repercute na trilha sonora, que em alguns momentos parece não se encaixar no que estamos vendo em tela. Nesse aspecto, é necessário ressaltar que a cena inicial parece retirada de um comercial de perfumes Jequiti. O que é maravilhosamente ruim.

Em resumo, Famous in Love é a essência do que há de mais mal feito na televisão. Ainda assim, apesar de todos os problemas, consegue divertir e gerar algum interesse. É fácil imaginar o que vem por aí, mas é inegável que há algum apelo nesse adoráveis clichês sobre celebridades adolescentes, naquele mundinho Hollywoodiano e em todos os babados protagonizados pelos personagens. O tom leve e descomprometido, a ótima trilha sonora e os figurinos também ajudam a despertar a vontade de assistir a um próximo episódio, além de promoverem identificação com o público alvo. Famous in Love não é o tipo de série que irá mudar sua vida, na verdade é do tipo que é facilmente esquecida, mas pode render algum entretenimento e várias risadas. Para quem gosta de uma boa galhofa, e está sem nada para fazer, pode ser uma boa pedida.

Uma estudante de jornalismo melodramática e indecisa. Apaixonada por séries, livros e fanfics. Se pudesse viveria de açaí e pão de queijo.

Mariana/ MG

Série Favorita: My Mad Fat Diary

Não assiste de jeito nenhum: Revenge

  • Andreza Soares

    Esse primeiro episódio de Famous In Love, foi bem constrangedor mesmo. Desse elenco, só conheço mesmo a Bella Thorne e o Keith Powers de Faking It (ainda não superei o cancelamento), mas de resto, nenhum deles. A Freeform como você mesma ressaltou adora escolher um elenco lindo em quesito de aparências, mas de atuações, só Ganesha pra salvar.

    Acho que a Bella não se enquadrou no papel, sei lá, não soube corresponder com a personagem. Não soube transmitir a ingenuidade que o roteiro propôs. Acho que se tivessem colocado ela pra interpretar uma personagem rebelde, ela se daria melhor, talvez, não sei, quem sabe.

    Eu sei que a série teve um começo ruim, mas vamos torcer pra que não piore.

    E com toda certeza, essa série entrou na minha lista de Guilty Pleasures… :v

    Ótima review, Thais.

    • Bella Thorne é aquele tipo de atriz que nasceu pra fazer sempre o mesmo tipo de papel, e no caso dela, ela não consegue convencer como boazinha, mas faz papel de bitch como ninguém. Mas sim, preciso de um novo guilty pleasure, agora que finalmente PLL tá acabando.

  • Ana Ligia Do Vale

    Eu já assisti os 10 episodios, a serie em geral é boa, porem tem muito cliches, com o negocio de a garota que gosta do melhor amigo, aí conhece um bonitão e vai o triangulo amoroso, no começo gostava do Jake e da Cassie, mas com o passar dos episodios, ficou chato, eles com ”ciumes” do sucesso da Paige, a personagem que mais gostei foi a Alexis, pq alem de ser uma bitch poderosa, mostra que ela não e tão poderosa, quanto aparenta ser.

  • Bia Effe

    Eu achei que em Famous as coisas acontecem muito rapido,pq em PLL ja sabe como é né. Eu nao tenho nada contra a Bella,mas nem no livro dela ela é fofa então. Hey menina que nao superou o cancelamento de faking it bate aqui õ/

  • Não concordo contigo. Famous in love tem sérios problemas? TEM SIM. Mas não acredito que a mesma seja tão ruim, beire ao ridículo ou outras coisas que você citou. A série tem problemas de produção, atuações e alguns elementos não aproveitados mas já vi séries bem piores de verdade. Não achei a personagem da Bella Thorne fofinha, e não senti essa pressão pra que ela fosse fofinha ela é simplesmente perdida nesse mundo de famosos o que soa inocente e meio bobo.Foi mal feita sim em alguns aspectos mas na tua resenha senti que era algo horrível e não se trata disso. É uma série que pode evoluir muito se for dada um pouco mais de atenção e ser melhor produzida.

  • Line Paz

    Eu achei a série legalzinha , achei o cara que faz o personagem do jake mais bonitinho do que aquele que faz o Raiger . Eu senti mais química mais dela com o “amigo´´ do que com o próprio galã que supostamente ficará com ela rs . Sempre assim , o metido a rico e galãnzinho namorador sempre fica com a garota . E o pobre amigão do peito é quem se lasca . Apesar que esse amigo fez treta tb ,não é perfeito . Enfim eu particularmente achei os cap viciantes ,e rola muita treta por trás de Hollywood ,se nota a podridão por trás desses tapetes vermelhos e sets de gravação . Dou nota 8 e espero que tenha uma 2° temporada pq esse finalzinho acabou com cheiro de quero mais .!!

Desafio: você se lembra de quem foi essa declaração de amor?

2 semanas atráscomentarios

Ah, o dia dos namorados. Aquele momento do ano para espalhar aos quatro cantos nosso sentimento por aquela pessoa especial, que faz o coração acelerar e as palmas da mão suarem. Aquela pessoa por quem você faria qualquer coisa, até mesmo deixar a vergonha – ou o medo – de lado para professar seu amor. Nas séries, existem muitos personagens  que não esperam data especial nenhuma para declarar seu amor, seja num momento de desespero, num pedido de casamento ou só para reforçar aquilo que o parceiro já sabe e Tom Jobim cantava aos quatro ventos: é impossível ser feliz sozinho. Você também acredita nisso e se derrete toda vez que sabe que chegou a hora de surtar, porque vai ter […]

Leia o post completo

Guia da Trilha Sonora: Scream – Season 1

2 semanas atráscomentarios

Entre os poucos pontos positivos que posso destacar em Scream, a trilha sonora fica em primeiríssimo lugar (talvez porque seja da MTV). Misturando canções atuais, dançantes e tristes, que fazem parte da vida dos jovens de Lakewood, a série soube utilizá-las para compor a história e os personagens. Assim, nada melhor do que ouvir as músicas da primeira temporada, agora disponível em uma playlist na nossa conta do Spotify!

Leia o post completo

House of Cards e a Política Brasileira

3 semanas atráscomentarios

Primeiramente, #foratemer. E se você ainda não conferiu a última temporada de House of Cards, não se preocupe, esse texto não contém spoilers, – apenas reflexões. Pra gostar de House of Cards você precisa torcer pelos Underwood. Claro, a gente sabe o quanto eles são escrotos, mas é ficção, certo? Não tem problema torcer pelos vilões. Ou pelo menos era o que pensávamos em 2013, quando a série estreou. Mas de lá pra cá a política mundial virou de ponta à cabeça. Os Estados Unidos elegeram Trump e nós tivemos Temer enfiado goela abaixo. Isso sem contar os acontecimentos dignos da ficção, como a morte de Teori Zavascki, a delação do Joesley e os testes nucleares da Coréia do Norte. […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter