Merlí

Merlí é uma produção catalã de 2015, exibida pela TV3 e estrelada por Francesc Orella que…

Primeiras Impressões: Mindhunter

Mindhunter estreou na Netflix nesta sexta-feira (13) sob toda a expectativa que uma série de David…

Game of Thrones – 7×03 The Queen’s Justice

Por: em 31 de julho de 2017

Game of Thrones – 7×03 The Queen’s Justice

Por: em

The Queen’s Justice até podia indicar no seu título que Cersei faria algum grande movimento no perigoso jogo de xadrez que se estabeleceu nessa temporada, mas o que todo mundo estava mesmo esperando pra ver com ansiedade era outra coisa: O tão aguardado encontro entre Jon Snow e Daenerys Targaryen. A união (ao menos geograficamente falando) do fogo com o gelo.

Reprodução/HBO

Se alguém esperava abraços ou alianças forjadas, deve ter se decepcionado. Isso aqui é Game of Thrones e as primeiras palavras trocadas entre os dois pólos da série não podiam ser diferentes: Ironias, acusações, pedidos de perdão, algum entendimento aqui e ali, mas muito, muito desencontro de ideias. Tão óbvio quanto o fato de que Dany iria querer que Jon se ajoelhasse perante ela, era a recusa do Rei do Norte. Como Jon tão bem colocou em palavras, ele foi julgado, “condenado”, lutou bravamente e deu a sua vida em troca daquilo que acreditava. E, pior de tudo: Viu com seus próprios olhos o que o Rei da Noite é capaz de fazer, então sabe muito bem que essa guerra pelo Trono de Ferro, no fim das contas, de nada vai adiantar se, no fim, quem restar tiver que reinar em um cemitério.

A intervenção de Davos no momento dos dois foi oportuna pra reforçar que, ali, não existem lados certos ou errados. Cada um teve sua cota de sofrimento na vida, cada um passou por coisas diferentes. Para Dany, que enfrentou tanto e nunca esteve tão perto do seu objetivo, toda a história de caminhantes brancos e um Rei morto-vivo poderoso certamente soa como uma tentativa de Jon de desviar seu foco e se recusar a prestar lealdade. Para ele, que enfrentou os olhares de desprezo e medo/julgamento de seu próprio povo para ir até esse encontro, essa é uma de suas últimas cartadas contra o inverno que chega. Foi bom ver que no fim, Tyrion (já falaremos disso) conseguiu ser o contraponto de ambos os lados e fez com que a balança se equilibrasse e, se uma aliança ainda não surgiu efetivamente, pelo menos a animosidade inicial parece dissipada e ainda tem muita coisa interessante pra vir aí.

A pequena cena de Melisandre nesse episódio pende pro lado mitológico e nos dá muito o que pensar. Semana passada, ela disse que Dany teria um grande papel em toda a história, mas que não o desempenharia sozinha. Sua externação de que “cumpriu sua missão” ao unir gelo e fogo é a prova por A + B que o encontro dos dois era algo destinado a acontecer e que provavelmente a sobrevivência de Westeros na guerra contra os White Walkers depende disso – e isso é algo fácil de se comprar, quer a gente acredite no deus vermelho que a sacerdotisa segue ou não. Com Jon ficando em Pedra do Dragão por um tempo agora que irá forjar as armas de vidro de dragão, um encontro entre os dois não deve demorar a acontecer – e seus assuntos não-resolvidos com certeza serão problema.

Reprodução/HBO

E que bom ver que, mesmo depois de todo esse tempo, Tyrion e Jon não perderam o respeito que nutrem um pelo outro. Foram pouquíssimas as cenas em que dois contracenaram diretamente, mas aqui e ali um acabava ouvindo notícias ou comentando sobre o outro e sempre o tom usado era respeitoso e digno, mesmo com toda a rivalidade existente entre as casas, o que dá pra entender um pouco isso quando a gente percebe que os dois sempre foram forasteiros dentro de suas próprias famílias. Ver o Lannister preocupado com o Rei do Norte (“Se eu fosse sua Mão, lhe diria para não vir”) e agindo como uma balança foi bacana não só por resgatar essa relação banaca deles, mas também por conferir novamente ao próprio Tyrion um papel novamente significativo na série. 

Como Dany disse sabiamente na season finale passada, Tyrion não precisa de espada, porque são dos conselhos dele que ela precisa. O anão possui uma visão política e estratégica de Westeros melhor que quase todos na série (talvez só Mindinho e Varys o superem) e foi uma delícia observar ele convencendo Dany a ceder a Jon seu vidro de dragão, mostrando que ela não tinha nada a perder e tudo a ganhar se a história dos White Walkers for mesmo verdadeira. Nós já ouvimos ele falando algumas vezes sobre crenças e pra mim, ficou claro que ele acredita em Jon, mas alguma coisa em sua mente diz para agir com cautela, que foi o que ele fez brilhantemente, começando a construir a ponte entre a Mãe dos Dragões e o Rei do Norte. E muita coisa boa pode sair daí.

Reprodução/HBO

Do lado de lá, Cersei segue descontrolada. A aliança com Euron se mostra algo cada vez mais próxima de estar 100% concretizada e ela sabe que precisa disso se quiser vencer Daenerys e os demais inimigo que estão vindo atrás dela. A começar por suas dívidas. A conversa com o administrador do Banco de Ferro sobre apostas e vitórias foi excelente para mostrar o quanto a Rainha tem absoluta certeza de que vai vencer essa guerra. Por mais que esteja completamente minada em apoio político, enquanto Dany vem com força, não existe na cabeça dela um cenário onde ela perca e eu apostaria que é exatamente aí que estará sua ruína.

Por enquanto, ela segue vencendo. A cena com Ellaria é uma das melhores da temporada até aqui. Com um texto carregado e até mesmo bonito se a gente olhar pelo lado de que, lá no fundo, Cersei demonstrou admirar um pouco da força que Ellaria tem, a Rainha fez justiça com os próprios lábios. Envenenar a filha da Serpente de Areia para que ela a veja definhar em sua frente, sem poder fazer nada, é mesmo um destino muito pior do que o que Oberyn teve e somente alguém com a crueldade e o sangue frio que a Lannister vem apresentando seria capaz de pensar em algo tão sórdido. Logisticamente falando, a perda das Serpentes e de Dorne é mais um ponto que Cersei marca na batalha contra Dany e já enfraquece a Mãe dos Dragões, assim como a perda de Olenna.

Quando Rains of Castemere começou a tocar, o coração já ficou menor, porque era óbvio que alguém iria pro saco. O último diálogo da Rainha dos Espinhos com Jaime foi excelente e se algo conforta nisso tudo, é que a última remanescente da Casa Tyrell saiu por cima. Nem na hora do morte, perdeu seu orgulho e nada menos era esperado dela.

E ter conseguido tomar Rochedo Casterly, à essa altura do campeonato, não significa muita coisa. Nas atuais circunstâncias, supondo que por um milagre Verme Cinzento e os Imaculados consigam mantê-lo, ele vai servir apenas como uma base para Dany. O que tem de efetivamente positivo é que os Lannister perderam uma parte dos seus homens, mas é bem óbvio que a maior parte está em Porto Real e, se Cersei e Jaime realmente quiserem reaver o Rochedo, provavelmente será por capricho do que por estratégia política. De qualquer forma, foi bem interessante ver o ataque sendo promovido enquanto Tyrion explicava a melhor forma de entrar na cidade e tomá-la. Uma bela de uma ironia que um Lannister usado antes para reforçar as defesas tenha sido agora o responsável por derrubar uma fortaleza construída por Tywin, no seu auge.

Reprodução/HBO

Em Winterfell, tivemos um ótimo vislumbre de como Sansa está sendo uma boa governante, preocupada com o inverno que chega e as provisões para todos. Mas o mais interessante mesmo é ver o ar de independência que a personagem ganhou, tanto nos diálogos com Mindinho (que não a intimida mais), quanto no emocionante reencontro com Bran. Com a série caminhando para seu final, era óbvio que essas reuniões seriam cada vez mais recorrentes, mas elas seguem emocionantes. Na última vez que Sansa e Bran se viram, eram apenas duas crianças assustadas, cada uma tentando sobreviver à sua forma. Hoje, ela é Rainha do Norte e ele é o Corvo de Três Olhos. A conversa sincera dos dois a beira do lago emula um sentimento de nostalgia e uma saudade daqueles tempos do começo, onde tudo era tão mais simples… E por mais que eles não tenham se entendido nesse primeiro momento, é certo que logo tudo isso vai passar e quando Arya chegar, os 3 estarão mais unidos do que nunca, para mostrar a quem ainda duvidava de que o Norte realmente se lembra.

Outras observações:

— D&D, vocês devem tá me zoando que a cura para a escamagris era realmente só isso… Mas enfim, Sor Jorah agora deve ir novamente atrás de Daenerys.

— A pior coisa pra mim do diálogo de Jaime e Olenna foi ver como no fundo, ele ainda acredita nela depois de tudo.

— Euron provocando Jaime: Moço, se cuide…

— Quantos memes já devem ter surgido com o “Melhor trabalhar, Jon Snow”?

— Quanta coisa aconteceu nesse episódio, ein? Essa redução do número de episódios na temporada deu ritmo. O texto ficou enorme.

— Ver Dany querendo uma aliança com o Jon já deixa de cara o quanto ela o respeita. Vai vir coisa boa daí.

— Falar de Oberyn foi pesado. A ferida ainda está aberta, sem necessidade de jogar sal.

— Maravilhosa a cena de Jon e Dany finalmente se entendendo e ela contando do nome dos dragões.

De modo geral, foi um ótimo episódio. Cheio de acontecimentos, mas que mostrou que a trama segue a passos largos e não há mais tempo pra descansar. Essa semana, a Laís não pode escrever a resenha, então corri pra dar uma mãozinha, mas não se preocupem que semana que vem ela tá de volta! E você, o que achou do episódio? Comenta aí! 


Alexandre Cavalcante

Jornalista, nerd, viciado em um bom drama teen, de fantasia, ficção científica ou de super-herói. Assiste séries desde que começou a falar e morria de medo da música de Arquivo X nos tempos da Record. Não dispensa também um bom livro, um bom filme ou uma boa HQ.

Petrolina / PE

Série Favorita: One Tree Hill

Não assiste de jeito nenhum: The Big Bang Theory

  • Lia Marques

    “A conversa sincera dos dois a beira do lago emula um sentimento de
    nostalgia e uma saudade daqueles tempos do começo, onde tudo era tão
    mais simples… E por mais que eles não tenham se entendido nesse primeiro
    momento, é certo que logo tudo isso vai passar e quando Arya chegar, os
    3 estarão mais unidos do que nunca, para mostrar a quem ainda duvidava
    de que o Norte realmente se lembra.”

    Desculpa, cara, mas não se entender em um primeiro momento é uma coisa, virar para sua irmã e forçar uma lembrança do estupro dela dizendo que ela estava linda é uma escrotice do caralho.

    Eu sempre gostei muito das críticas do site, mas acho que falta um senso crítico e questionar as personagens e o roteiro, porque GoT pode ser ótima, mas há problemas. Exemplo: “O anão possui uma visão política e estratégica de Westeros melhor que quase todos na série (…)”. Ele perdeu tudo…
    Tyrion é uma das minhas personagens favoritas, mas convenhamos que seus dois planos deram errado nos últimos dois episódios.

    • Alexandre Cavalcante

      Lia, obrigado pela observação. Em nenhum momento eu quis diminuir o que o Bran fez falando de não se entender. Concordo plenamente com você que ele foi escroto, mas como o texto já estava muito grande, acabei deixando passar isso e não comentei, mas não acho que tenha sido algo irrelevante, não. Quanto a crítica em si, como eu disse no final, eu escrevi essa semana só pra tampar um buraco, já que a Laís não iria poder resenhar, então talvez o meu olhar sobre a série não seja tão crítico assim quanto o dela porque não está treinado pra isso (diferente das séries que faço resenha frequentemente); é mais um olhar de fã que eu, no texto, tentei passar, por isso posso ter me passado.
      Mas obrigado pela crítica e se eu voltar a escrever sobre a série aqui um dia, tentarei olhar mais por esse lado. Espero que tenha gostado do texto ainda assim e semana que vem a Laís volta com a “programação normal”. rs

    • AlexCavalcante

      Lia, obrigado pela observação. Em nenhum momento eu quis diminuir o que o Bran fez falando de não se entender. Concordo plenamente com você que ele foi escroto, mas como o texto já estava muito grande, acabei deixando passar isso e não comentei, mas não acho que tenha sido algo irrelevante, não. Quanto a crítica em si, como eu disse no final, eu escrevi essa semana só pra tampar um buraco, já que a Laís não iria poder resenhar, então talvez o meu olhar sobre a série não seja tão crítico assim quanto o dela porque não está treinado pra isso (diferente das séries que faço resenha frequentemente); é mais um olhar de fã que eu, no texto, tentei passar, por isso posso ter me passado.
      Mas obrigado pela crítica e se eu voltar a escrever sobre a série aqui um dia, tentarei olhar mais por esse lado. Espero que tenha gostado do texto ainda assim e semana que vem a Laís volta com a “programação normal”. rs

      • Lia Marques

        Oi Alex, queria te pedir desculpas por ter “soltado os cachorros” em cima de você. Eu costumo ler as resenhas da Laís Rangel e reconheço ter sido injusta com você compartilhando uma frustração minha. Nas últimas temporadas, GoT cresceu demais e aumentou muito a popularidade, a Laís mesmo mencionou isso na resenha do primeiro episódio da sétima ao dizer que alcançou status de Copa do Mundo… Eu também adoro, mas me incomoda muito que as pessoas não reconheçam os inúmeros problemas que a série tem, como racismo (a série Dear White People enfatizou isso), apologia à violência, misoginia etc. Eu senti falta em especial sobre o comentário do Bran por toda a bagagem de estupro que a série carrega e o quão problemática foi a cena da Sansa na quinta temporada. Outro ponto importante foi a Dany ter dito nesse último episódio que ela também foi estuprada. A série não só “mascarou” o estupro da Dany como depois, quando ela passa a ter uma relação um pouco mais saudável com Khal Drogo, a série romantizou os dois. Achei importante que os roteiristas reconheceram isso no episódio e não entendi porque colocar o Bran relembrando o abuso de forma tão horrível (dizendo que estava nevando, que ela estava linda, não deixa de romantizar) para a Sansa. Parece que acertam de um lado e erram de outro…
        Não comentei na review passada e talvez devesse ter comentado, mas a cena do Grey Worm e da Missandei foi bastante importante para a série. Foi desnecessária para o episódio? Foi. Foi longa demais? Foi. Foi brega? Foi. Mas pela primeira vez, depois de tantas cenas ruins de sexo, vários estupros, nudez gratuita, tivemos uma cena de sexo consensual, íntima e calma, bem diferente das outras (Jon e Ygritte, por exemplo). Acho importante os roteiristas e o diretor terem se atentado para isso. Eles poderiam assistir Outlander e aprender um pouco com o pessoal de lá rs
        Desculpa mais uma vez e obrigada pela sua resposta.

  • Laís Rangel

    Que coisa maravilhosa esse episódio! Eu vim quase infartando no avião enquanto as coisas se desdobravam num ritmo muito mais frenético que eu imaginava que seria.
    O encontro da Dany com o Jon foi o que já se esperava que acontecesse mesmo, considerando a personalidade dos dois. Sem grandes surpresas. Acho que o Tyrion foi muito mais interessante que os dois no desenrolar das coisas. Ele finalmente mostrou suas habilidades como cabeça mais pensante do grupo e conseguiu encaminhar a situação para que os dois lados saíssem ganhando.
    Sem dúvidas ele é um excelente estrategista, mas além de Mindinho e Varys, vejo duas figuras no jogo com uma visão mais clara e certeira que ele: Sansa e Cersei. Cersei tem sido perfeita em todos os seus movimentos, como uma jogadora de xadrez. Ver Tyrion narrando com precisão o ataque ao Rochedo foi impressionante, mas Cersei conseguiu, além de prever tudo, dar um passo a mais que o irmão e derrubar Lady Olenna – o que resolve seus problemas de caixa também.
    Ou seja, Cersei demonstrou, em um episódio só, habilidade para negociar com o banco, para organizar seus exércitos e para se vingar de Ellaria. Concordo que a certeza da vitória é que deve acabar derrubando ela, mas até então, ela tem se saído bem melhor que Tyrion nessa guerra.
    Agora, vou te falar. Que belo babaca o Bran está se saindo, heim? Pra enfiar a mão na árvore quando não deve e matar todo mundo ele consegue mexer os braços, mas pra dar um abraço na Sansa, não? E aquele ar blasé de “Aah eu sou muito importante agora, mas sua pequena mente limitada não entenderia”? Pra piorar, ainda fez o comentário desnecessauro sobre o estupro. Entendo que ele queria provar que viu o que aconteceu, mas era melhor contar a história completa que mexer em um assunto daqueles. A única coisa que justificaria o comportamento dele seria uma visão do futuro em que ele visse a Sansa fazendo uma coisa muito ruim, mas se não foi isso… tô bem decepcionada.
    Imagino que mesmo sabendo que Olenna foi a responsável pelo assassinato do Joffrey, a Cersei vai continuar culpando o Tyrion.
    Muito obrigada pela ajuda essa semana, eu sou uma grande fã das suas observações sobre a série e foi uma delícia voltar a ler uma review sua, ainda mais de um episódio tão bacana! Arrasou, como sempre =D

    • AlexCavalcante

      Cersei e Sansa tem realmente ótimas visões de jogo. O que ela fez nesse episódio foi incrível. Eu to curtindo bastante que a série deu essa virada positiva pra ela exatamente quando a gente achava que Dany ia chegar minando tudo, agora quem vai ter que se desdobrar pra ganhar terreno de novo é menina Danyela hahaha E tá bom demais ver essas viradas, como tu disse, o grande jogo de xadrez que a série se transformou.
      Bran foi babaquissimo mesmo e o pior que eu nem acho que tenha sido por uma visão do futuro não… Acho que foi só derrapada do roteiro mesmo. =/
      E eu que agradeço seus elogios e a oportunidade, sua linda. Tento ficar a sua altura, pq ngm faz reviews de GoT melhores. <3

  • Jeane

    O Tyrion não me decepciona e sabe o que faz ao tentar costurar a aliança entre a Daenerys (insistente nessa história de ajoelhar) e o Jon cautelosamente. Tal qual o pai dele, tem uma visão muito boa no Jogo. Uma pena que ele e Cersei estejam em lados diferentes.
    Quanto à vingança sobre a Ellaria, respirei aliviada porque imaginei coisas piores para a filha dela, ainda mais que o Montanha estava lá e com o histórico dele com a Elia Martell.
    Como a Laís comentou aqui, foi uma ótima sacada da Cersei a tomada do rico Jardim de Cima da Olenna, matando dois coelhos numa cajadada só, e pela conversa do Jaime com a Rainha dos Espinhos, ele está sendo para a Cersei o mesmo que o Tyrion para a Daenerys, tentando pensar estrategicamente e evitar tacar fogo em tudo como solução. A conversa entre os dois considero como uma das melhores coisas do episódio. O ruim de tantas vitórias seguidas é que a queda da Cersei, porque vai chegar, vai ser bem dolorosa.
    Até a próxima!
    P.S.: Não é possível que a cura pra escamagris tenha sido isso, pra quê então aquele drama todo de antes?
    E Sansa, larga o Bran de mão, ele não merece a sua preocupação.

    • AlexCavalcante

      Cersei tá jogando muito bem mesmo, preferiu pegar uma região abastada, que pra eles faz muito mais sentido do que Rochedo. Me pergunto como o tyrion, com a visão que ele tem, não acabou pensando que ela poderia seguir por esse caminho.. Mas são “liberdades” narrativas que acabamos tendo que comprar.

  • Matheus

    Gostei de ver o respeito que o Tyrion tem pelo Jon e vice-versa. Era óbvio que o rei do Norte não se ajoelharia, gostei que tanto Davos quanto Tyrion não ficaram apenas de enfeite, ambos falaram bem, isso é algo que eles têm em comum. Ainda acho que a Daenerys precisa de um pouco de humildade, mas no final do episódio ela aceitou ajudar sem pedir algo em troca (por enquanto), então, tudo bem. Sansa está mostrando que sabe comandar o Norte, o que é ótimo, mas desculpe Alexandre, não achei o encontro com o Bran tão emocionante, ele ficou com a mesma cara de quem está de boas com a vida, nem abraçou a irmã. Meu palpite é que ele tem tanta informação que já não liga mais para as coisas, como se ele tivesse lido o roteiro da série e agora perdeu a motivação hahahaha. Quando a temporada passada acabou, eu fiquei rindo vários minutos pensando no quão ferrada a Cersei estava e acabei não pensando no óbvio, Daenerys não poderia chegar colocando fogo em tudo e todos, ela não quer governar nas cinzas e essa é a vantagem da Cersei, ela está juntando um exército, ouro e se fortalecendo enquanto destrói o que pode da inimiga, parece que o jogo está virando, não é mesmo? A cena final com Jaime foi boa, mas queria que tivesse sido o mesmo veneno do Joffrey, tudo bem que poucos sabiam, mas mesmo assim…Usar o Lamento da Viúva também seria uma boa opção, Jaime é bonzinho demais às vezes, apesar de que usar da estratégia do Rob foi sensacional, pensei até que ele ia atrás da mãe dos dragões. A confissão da Olenna tirou uma morte das costas do Tyrion, mas acho que no fim das contas, para a Cersei dá na mesma e a vingança contra as serpentes foi outro ponto alto, já que Ellaria matou alguém que até o momento era inocente.

    • AlexCavalcante

      Matheus, acho que me emocionei porque na atual situação, com a série caminhando pro fim, qualquer mínimo reencontro já ativa o trigger da emolão aqui hahha
      Eu to adorando essa virada de maré positiva pra Cersei. A gente achou que realmente ela estava acabada e pouco a pouco ela vai recuperando terreno e mostrando que não vai cair sem lutar, uma coisa ótima. Mas acredito que logo logo a maré muda de novo pra Dany…

  • Maria Leonor

    Eu ainda não assisti o ep de ontem(vou tentar ver hj de noite, se a net e o stream colaborarem ç.ç), mas falar de como o meu falecido marido Ob morreu foi pesado, até hj nunca consegui ver aquela cena de novo ç.ç

    • AlexCavalcante

      Eu tb nunca consegui rever 🙁

  • Nickolas Girotto

    Gostei de mais do episodio, eu imaginei que o encontro deles seria assim, eles não iriam se entender de inicio e depois as coisas começariam a dar certo, mesmo já sabendo como aconteceria eu gostei do que eu vi, todos os dialogos de Jon, Daenerys e Tyrion foram fantásticos, tudo que aconteceu era o que eu queria ver, fica aquela sensação de que os produtores atenderam os meus pedidos hahaha.
    Acho engraçado a Daenerys não se queimar com fogo, ter 3 dragões e mesmo assim não acreditar nos White Walkers, pelo menos um pouquinho.
    Quando disseram pra Sansa ir para os portões eu pensei que era a Arya, me surpreendi muito quando vi o Bran, tinha esquecido dele heheh o reencontro foi emocionante também, também da pra ver que ele já aprendeu bastante sobre seus poderes, afinal ele viu até o que aconteceu com a Sansa no casamento, ja deve ter visto muita coisa, será que ele queria ver o Jon pra contar sobre a famosa teoria, ou pelo menos conseguir mais visões, talvez ele ja tenha uma ideia de quem o Jon seja filho, só falta confirmar.
    E aquela morte da Rainha da casa Tyrell, como voce disse, ela morreu mas ainda saiu por cima.
    A promo mostrou que talvez a aliança entre Jon e a Daenerys se concretize de fato, como sempre já estou muito ansioso pra semana que vem!! Até lá!

    • AlexCavalcante

      Eu acho que a questão que pegou pra Dany é que ela tá muito focada no objetivo dela, Nickolas. Ela esperou tanto pra chegar até aqui, ela passou por tudo e por todos e não vai se desviar dele por um punhado de histórias que, por mais que ela tem um histórico com o “sobrenatural”, soe um pouco fantasiosa demais.
      Acho que logo menos ele conta pro Jon que ele é Targaryen e aí o bicho pega…

  • Leandro

    Ia falar, – Oi, Laís! -, mas aí me dei conta que és tu, Alexandre! kkkk
    Não quiseste comentar o último episódio da 3ª temporada de The Flash? kkk Essa
    temporada foi “punk”! A maldição da 3ª temporada!

    Mas nessa série que amamos, em geral, só há episódios “não tão bons”! kkkk
    Definitivamente, isso não pode ser dito do terceiro, um ótimo episódio que
    fecha várias pontas soltas e sabe explorar o que os personagens que amamos tem
    de melhor, seja a crueldade da Cersei, a fanfarronice escrota do Euron, a
    nobreza do Jon, a astúcia de enxadrista do Tyrion e por aí vai. Bom… na
    verdade, o Tyrion não foi capaz de prever dois golpes destruidores da Cersei
    que já eliminaram 3 aliados importantíssimos dela, Yara, Theon “ArreGreyjoy não
    conta! – Ellaria e, pra minha grande tristeza, Oleanna, fora os Imaculados
    estarem pra serem mais que Maculados sem provisões em Rochedo Casterly, como
    sua frota destruída pelo Tio Euron, tendo que voltar a pé para Dragonstone com
    o pau comendo solto por todos os lados, mas não vamos nos ater a esses “reles”
    detalhes! kkk

    O tão esperado encontro dos irmãos do gelo e do fogo. Mas sério! Eu quase dormi
    com a Missandei falando todos os títulos da Dany! Ninguém pensou nessa “estratégia
    sórdida de batalha”? Ponham alguém a falar os títulos da Dany em frente a Porto
    Real: “Filha da Tormenta, a Não Queimada, Mãe de Dragões, Rainha de Mereen,
    Rainha dos Ândalos e dos Primeiros Homens, Quebradora de Correntes,…” podem
    ocorrer 3 coisas… todos na fortaleza pegarem no sono, ou se suicidarem, ou
    saírem para fora gritando – Nos rendemos, chega, para de falar PELAMORDEDEUS!!!
    kkk
    Agora, em vista das últimas derrotas, a Dany vai ter de baixar a bola da sua
    arrogância. Ou não! Vai ser Dragão na vida, como disse a já saudosa Vovó mais
    Bad Ass do seriado, a Oleanna! Mas como bem disse a Missandei, uma flecha basta
    para matar a mãe dos dragões e, provavelmente, a Cersei adoraria que ela fosse
    tão precipitada, como foi o Jon Snow na Batalha de Bastardos, fazendo
    exatamente o que o Ramsay esperava que ele fizesse, quando matou o irmão/primo
    otário!

    Falando na Cersei… ela se superou no quesito crueldade! Mas nem de longe me passou
    pela cabeça – Sem imaginação, como disse a Oleanna sobre ela mesma! Sabe de
    nada inocente! kkk – que ela usaria o mesmo veneno, dando o mesmo beijo mortal
    na filha da Ellaria, por sinal, – aplausos pra Indira que interpreta a Ellaria!
    O olhar de desespero e ódio foi sublime! – o mesmo não pode se dizer da filha
    preferida – Moommm! Como zoavam as irmãs dela por ser mimadinha! kkk Mas sério!
    E ainda deixou uma de frente para outra, amordaçadas, próximas, mas não o suficiente
    para se darem um último abraço e dando à Ellaria um destino pior que a morte
    mais agonizante, que é ver a filha predileta morta e apodrecendo em frente a
    ela. Lembrando que a Ellaria matou a Myrcella, uma menina inocente, que não
    tinha culpa de ser filha de quem era, fora o meio-irmão dela, rei de Dorne, por
    ele ser bem intencionado e não querer uma guerra – Sabe de nada inocente parte
    2! Em Westeros, boas intenções são pagas com uma facada nas costas, vide Jon
    Snow, e o sobrinho dela, igualmente inocente, porque fracos não poderão
    governar Dorne, coisa que o Oberyn certamente seria contra, afinal, como ele
    disse, nós não matamos crianças inocentes em Dorne! Não matávamos! Nota: Não me
    conformo até hoje também com a morte do Oberyn! O orgulho de serem “Unbowed,
    unbent, unbroken” acabou com mais uma casa real sendo praticamente exterminada
    (Bartheons, Tyrells e os execráveis Boltons e Freys – mereceram muito!).

    Voltando à Cersei… depois de tudo isso e após o Jaime arrasado detonado pelo escroto
    do Euron – ele não lembra o Negan do Walking Dead, mas com um machado no lugar
    do taco de beisebol com arames farpados? – ela, mostrando que poder e vingança
    excitam e são o melhor afrodisíaco (melhor que o chá de catuaba que o Peter
    Quinn tomou em Homeland ao tentar agarrar a Carrie após ter o pesadelo de
    morrer com gás sarin, te lembras, Laís! kkk), agarra o Jaime, passa a noite com
    ele e ainda sapateia nas convenções pela manhã, nem se preocupando que vejam ela
    deitada com o irmão, reinando com um: eu posso tudo! Sou a rainha de Westeros! kkkk
    (me lembrou aquele meme da Carolina Ferraz… Sou ricaaaa! kkk https://www.youtube.com/watch?v=gZCJXs5snPc)
    Sou que nem o Jaime! A Cersei pode ser um monstro, mas EU A AMO!
    <3<3<3 E a odeio também!

    Falando do Jaime, ele com um olhar de ternura a vendo dormir e depois implorando para
    que ela não vá, detona completamente com aquela cena abominável de estrupo
    (aliás dois episódios, duas cenas de amor consensual, um marco em GOT!). Como
    já foi dito várias vezes aqui, ele é um cavalheiro, que trata a mulher que ama
    com delicadeza e odiava o Robert por humilhá-la diariamente transando com
    prostitutas. Quero ver se a Cersei for obrigada a casar com Euron, um ogro que
    nem o Robert, mas mau caráter, apesar de todo mundo saber, até ele mesmo, que
    ela o está enrolando! “Todos os teus desejos serão satisfeitos! Depois que a
    guerra for vencida!) kkk

    Falar no Euron… Escroto é pouco para aquele cara! Mesmo assim até foi engraçado
    vê-lo provocando e desestabilizando o Jaime. Mas a parte do “finger in her ass”
    foi o suprassumo do Manual do Ogro Moderno – ops! – Medieval! Pensando bem e,
    lamentavelmente, se aplica até hoje. E vemos que as duas penduradas no barco no
    final do 2º episódio eram as 2 Serpentes de Areia – ufa! No episódio passado,
    eu tinha achado ilógico que ele poupasse a Yara, mas agora, vendo ela de
    coleira com a cachorrinha de estimação dele, se vê que claramente tem tudo a
    ver com o tio Euron e sua escrotice incomparável. Ele não iria perder a
    oportunidade de tê-la como um troféu, mesmo porque ela não ofereceria perigo de
    clamar o trono, porque o povo da Ilha de Ferro, um bando de ogros machistas que
    nem ele, jamais a aceitaria.

    Tem mais…

  • Leandro

    E a Cersei tem se revelado a melhor estrategista, não só no campo político, como no de
    batalha. Não sei o quanto se deve aos conselhos do Jaime e do Meistre dela, o
    ótimo Qyburn. Como disse o emissário de Bravos… filha de seu pai! Mas ela não
    só deu a volta por cima, como eliminou a Ellaria, as Serpentes de Areia, armada
    de Dorne, Yara, Theon “ArreGreyjoy”, a Vó “Bondade” Oleanna e os Tyrell (isso
    que já havia eliminado na temporada passada os dois netos e filho da Oleanna,
    seu tio Kevan Lannister e todos os fanáticos entediantes do mais entediante
    Alto Pardal), conseguindo as riquezas deles (o pai e o irmão do Sam, enfim,
    aceitaram trair a Oleanna e a casa Tyrell) para pagar a dívida com os
    banqueiros de Bravos e ainda deixou um pepino para os Imaculados, que, na invasão
    que seria um símbolo da derrocada dos Lannisters, acabou por se tornar um
    tremendo de um abacaxi para eles e para Dany. O Tyrion perdeu, e perdeu feio,
    mesmo sendo um ótimo estrategista. No entanto, naquele conselho, ao menos a
    Yara, sendo uma pirata experiente como o tio, poderia ter alertado o Tyrion
    sobre a possibilidade do Euron atacá-los a qualquer momento. Ficou mais
    preocupada em dar uns pegas na Ellaria e se deu(deram) mal! kkk O mesmo não
    poderia se dizer da Oleanna, mais afeita a intrigas políticas do que a
    estratégias de batalha.

    E falando nela… Minha nota de pesar pela Vó Oleanna! Já tínhamos perdido a
    Margaery, uma das minhas personagens favoritas, entre tantos personagens
    marcantes de GOT, na temporada passada, agora ela também. Mas não fosse assim,
    não seria GOT, não! Mas pelo menos ela teve uma morte à altura dela em um dos
    melhores diálogos de GOT com o Jaime, permeado de ironias e no qual ela foi a Rainha
    dos Espinhos até o último suspiro, sem perder a altivez, ao revelar que fora a
    responsável pela morte do insuportável Joffrey! E eu já suspiro de saudades
    pela vovó!

    E por falar em filhos… aonde andará o filho bastardo do Robert? Estará remando
    até hoje? Vai encontrar a frota do Tio Euron, libertar a Yara e ter uma tórrida
    noite de amor com ela (pelo que entendi ela é que nem o Oberyn… passa o rodo
    geral, não importa o sexo! kkkk)? Virou White Walker e vai remar para o
    Exército dos Mortos cruzarem a Muralha? Podíamos fazer um jogo no estilo “Aonde
    está Wally”! Aonde está Gendry? Aceito sugestões! Será que ele não poderia
    clamar o trono vazio dos Baratheons, tendo mais um rei bastardo em Westeros.

    Só para finalizar… encontrei um link com um detalhe interessante sobre a adaga
    que aparece no livro que o Sam descobre sobre a mina de vidro de dragão em
    Dragonstone! Mas nem de longe me dei conta! kkkk

    https://www.buzzfeed.com/jennaguillaume/um-detalhe-importante-que-voco-provavelmente-nao-p?bfsource=bbf_ptbr&utm_term=.oygkaOLXBm#.dh7zpwGbr3

    Um último comentário… o que foi aquele tratamento relâmpago da escamagris do
    Jorah? Além do Sam ter feito tudo na madruga, só “seguindo as intruções” do
    livro, sem jamais ter feito o procedimento, que Meistres experientes
    fracassaram, o Jorah já está intacto em uma noite apenas!?! Sim! Uma noite,
    porque foi isso que o Arquimeistre disse pro Jorah. Você tem apenas mais uma
    noite aqui! Como diria a Glória Perez, quando criticam as situações absurdas
    das novelas dela: Vamos voar! Não sei quanto a vocês, mas sou do time para quem
    o melhor das novelas da Glória Perez são os memes que rendem pelas situações
    inverossímeis! Bom… atualmente, o melhor é a Paolla Oliveira! kkkk Então
    vamos voar, porque o Sor Jorah tem de ajudar a sua amada Khaleesi, ainda mais
    agora que ela se encontra em uma época de “dragões magros”! Mas isso pode
    render um encontro interessante dele com sua prima Lyanna Mormont! <3<3<3
    E será que ele finalmente conseguirá uma noite de amor com a Dany?

    Abraços a todos e que venha o 4º episódio logo!

    Leandro

  • Andries Viljoen

    Gostaria também de acrescentar … ninguém traz a cena de fazer amor entre Jamie e Cersi no meio do episódio. Eu creio que isso é importante porque Cersi pode estar tentando engravidar novamente para manter sua linhagem em andamento. Eu não ficaria surpreso se Cersi engravidar novamente … então usa isso como ardil para usar e depois matar Euron depois que ela recebe o que ela quer dele.

  • Stael Fernandes

    Só passando pra elogiar a resenha e dizer que já revi a cena do encontro umas quatro vezes de tão foda que achei, superou as expectativas e me deixou tão feliz por filmarem uma cena coerente, bem atuada e dirigida, alias, ambas as cenas dos dois assim o foram. De resto gostei do episódio, mesmo com alguns reveses e fiquei feliz pela cura do Jorah, embora concorde com a facilidade com que ocorreu. O Tyrion tá levando um baile hein rsrs…

  • Bruno D Rangel

    Fiquei esperando o momento em que Jon jogaria na cara de Daenerys que Rhaegar “sequestrou” Lyanna.

    Fiquei muito empolgado com o reencontro de Bran e Sansa, mas a frieza dele e logo após relembrar do pior momento da vida da irmã foi um balde de água fria. Será que virar o Corvo de Três Olhos acabou com os sentimentos dele?

    Tyrion narrando a invasão de Rochedo Casterly foi um dos pontos altos do episódio. Ponto negativo eu citaria a fácil caída de Jardim de Cima. Um dos maiores e mais ricos exércitos de Westeros cair em minutos. Nem cerco teve, nem nada. Mas entendo que não há tempo para enrolações mais.

    • Sloany

      Cara, vc tirou as palavras da minha boca, que banho de água fria aquela conversa do Bran, menino sem noção… espero q tenha sido uma cagada só da série e dos roteiristas, que pelo menos no livro essa reunião aconteça do jeito certo, aff! Torcendo por algo mais memorável do reencontro da Arya com Sansa.

  • Aline Michele Dos Santos

    Eu gostei de cada minuto desse episódio, o bom desse ano com menos capítulos é que a história anda mais rápido.
    Amei o encontro do Jon com a Danny! Foi tudo o que eu esperava. Era óbvio que os dois não iam se bicar. Um amigo meu acha que a Danny sentiu ciumes do Jon afinal ele bastardo é rei do norte e ela tem que todo do episódio afirmar que é rainha. Isso que me irrita nela. Mas achei hilária a cara do Dor Davos com tantos títulos rsrsrs também iria lembrar apenas que o Jon é rei do norte.
    Achei justo o que a Cersei fez. Afinal por mais torto que seja o amor dela pelos filhos era amor mesmo, então achei muito bem feito o que a aconteceu e nos livramos daquele povo insuportável de Dorne.
    Triste pela morte da Ollena…que personagem incrível e sua saída foi maravilhosa falando que foi ela quem havia matado aquele insuportável.
    Me perdoe quem escreveu a resenha mas detestei o encontro da Sansa com aquela múmia…o reencontro dela com o Jon foi tão lindo e com o Bran ele nem ligou. Tudo bem que ele tem muita coisa na cabeça mas de um sorriso e retribua o Abraço please!

  • Jordison Francisco

    Olenna se pergunta por que Tywin Lannister, um homem que fala sobre a importância do ouro, não havia levado o Highgarden há muito tempo na cena com Jaime em highgarden. Alguma ideia de Tywin não ter feito?

×