Glitch

17 de março de 2017 Por:

Sete mortos voltam à vida super bem de saúde e aparência. É essa a história de Glitch, uma série australiana que está disponível no Netflix, desde o ano passado. De cara, a história pode parecer mais uma de tantas sobre mortos-vivos, zumbis ou afins. Inclusive, Glitch chegou a ser comparada com as séries The Returned e Ressurection. Mas, apesar de usar um tema já conhecido do público, o enredo é totalmente novo e contado de uma forma diferente de tudo que você já viu sobre o assunto.

Nada de apocalipse ou vírus mortal, Glitch conta a história de sete renascidos das cinzas de forma, aparentemente, espontânea e natural, e claro, misteriosa na cidade fictícia de Yoorana, na Austrália. O primeiro episódio começa com os sete, literalmente, saindo dos seus próprios túmulos, completamente, assustados. O jovem Beau testemunha a cena e, logo em seguida, chega o policial James Hayes que, inicialmente, acha que tudo não passa de algum ritual ou brincadeira de jovens. Ele só muda de ideia quando vê sua esposa, Kate, que estava morta há dois anos, ali viva e em carne e osso. A Dra. Elishia McKellar examina os “mortos-vivos” e, apesar de alguns terem tido mortes terríveis ou por doença, como é o caso de Kate que morreu vítima de um câncer de mama, eles não só renasceram como voltaram em perfeita saúde.

 

Aos poucos, a história de cada personagem vai sendo revelada à medida que eles vão recuperando suas memórias. Entre os sete, não há algo em comum em relação à morte. Cada um morreu em uma época diferente e as causas são variadas: estrangulamento, problemas de saúde, enforcamento, acidente de carro, etc. O porquê dos sete terem sido escolhidos para voltar a vida, ninguém sabe. Mas parece que eles têm algo em comum: uma situação mal resolvida deixada antes de morrerem. O que me fez lembrar muito de Ghost Whisperer, apesar de a série tratar sobre espíritos, e não de pessoas de carne e osso.

Glitch não tem nada de assustador, mas tem muitas cenas de suspense, ação e até mesmo uma boa dose de humor na hora certa. Do início ao fim, a série prende o telespectador por mostrar algo que não conseguimos imaginar como seria. E, por isso, não são poucas as cenas que você se vê tendo os mesmos pensamentos e reações dos personagens, o que te dá a sensação de estar lá, em Yoorana, vivendo aquela situação.

A história flui sem enrolações e de forma conectada. Cada episódio continua a história deixada pelo anterior, respondendo alguns mistérios e criando muitos outros. O ritmo é ótimo, com diálogos muito bem escritos. A atuação é impecável e não deixa a desejar em nada. Sou fã de séries com pouco cenários e que mesmo assim conseguem prender a atenção. Além disso, a paisagem é linda e foge daquele padrão norte-americano/europeu que estamos cansados de ver. Glitch mostra que para contar uma boa história não precisa de muita firula. Apenas de um bom roteiro e uma boa equipe.

Algumas dicas sobre como os mortos voltaram à vida são dadas ao longo da história. Dra. Elishia McKellar parece ser ligada a uma grande indústria farmacêutica da região, a Noregard, o que me fez lembrar muito do suspense em torno do assunto em Stranger Things. Além da médica suspeita, um policial super esquisito, Vic, aparece e tenta, a todo custo, devolver os mortos para onde eles saíram: o túmulo. Ele é um pé no saco e vai fazer de tudo para atrapalhar, além de esconder muitos segredos, alguns desvendados na season finale, que é cheia de reviravoltas e revelações (sem mais spoilers!).

Já não bastasse esse mistério tem outro mais intrigante ainda: nenhum dos sete consegue sair da cidade. Isso porque quando se aproximam dos limites da região começam a sangrar, e um deles chega até virar cinzas, instantaneamente. Magia ou ficção científica? Até agora não sabemos. A série foi renovada para uma segunda temporada e os episódios ainda estão sendo filmados na Austrália, sem data prevista para estreia. Tudo que sabemos é que os seis continuam vivos. E Yoorana cheia de mistérios.

Jornalista, carioca na Terra da Garoa, apaixonada pela vida e por doces diet. ❤

São Paulo/SP

Série Favorita: Prison Break

Não assiste de jeito nenhum: Friends

  • João Fernando

    Essa série é maravilhosa, é simplesmente deliciosa de se assistir. E eu ainda não superei a season Finale, MDS o que foi aquilo? Vc começa a série cheio de dúvidas, acha que entendeu tudo até o penúltimo episódio e finalmente, no último, você vê que é bem mais complexo do que imaginava kkkkkk.
    Espero ansiosamente essa segunda temporada.

    • Bia Libonati

      Oii João! Tudo bom? Obrigada pelo comentário! Sim!! essa série é maravilhosa e mal posso esperar pela segunda temporada! Pelo que vi no Instagram dos atores, novos sangramentos vão acontecer. Será que o mistério da ponte será esclarecido? Espero que sim! Eu tive a mesma sensação que você quando assisti a série, você acha que entendeu tudo, até que tudo muda tudo hahahaha Muito legal, mesmo! Sou fã de séries assim, inteligentes e cheias de camas. Beijos até a próxima!

Músicas que conhecemos através das séries

6 dias atráscomentarios

Uma das melhores coisas que as séries podem nos proporcionar são suas incríveis músicas. Algumas dessas músicas já conhecemos, mas não dávamos tanto valor até ouvir de novo; outras ouvimos pela primeira vez e nos apaixonamos logo de cara. É tão bom assistir um episódio, ir procurar no Youtube e depois baixar no computador ou no celular aquela canção que fez parte da abertura, de um beijo esperado do casal, dos minutos finais… Enfim, de muitos momentos expressivos que precisavam de um toque ou uma letra no fundo. Então, vem comigo embarcar nesse post de sentimentalismo e ouvir as músicas que eu tive a oportunidade de conhecer pelas séries. Bad Reputation Freaks and Geeks tem toda aquela inspiração de ser jovem e livre, […]

Leia o post completo

CCXP Tour – Dia #3 – 15/04 Diário de Bordo (ou Aquele do Painel da Netflix)

1 semana atráscomentarios

Quem conhece um pouco de CCXP, sabe que a primeira regra de qualquer Apaixonado por Séries é: Dia de Netflix é dia de acordar junto com o sol, pegar uber ou metrô, uma fila imensa, passas horas em pé… Tudo pra curtir aquelas horinhas já reservadas ao painel daquele que já é o “canal” favorito de provavelmente 8 entre 10 fãs de seriados. E, é claro, eu não ia deixar o ritual falhar. Mesmo tendo ido dormir tarde (pós meia-noite), 5h da madrugada estava de pé e cheguei ao Centro de Convenções de Pernambuco entre 6h30 e 7h. Problemas de falha de comunicação aqui e ali (algo que acontece muito em dias como esse), consegui entrar no auditório Twitch mais […]

Leia o post completo

Easter Eggs: a origem das mensagens secretas nas séries

1 semana atráscomentarios

O coelhinho já te visitou hoje? Então, enquanto você se delicia com chocolates, te convido para ler a história dos famosos Easter Eggs (ovos de Páscoa, na tradução) – que não têm nada a ver com cacau. É assim que chamamos as mensagens que roteiristas escondem nas séries, em referência a elementos da cultura pop ou da própria narrativa. O apelido Easter Eggs deve-se à tradicional caça aos ovos e à surpresa que geralmente há dentro deles. A Páscoa não costuma ser representada na TV, igual a outras datas festivas – como Natal, Réveillon, Halloween e Thanksgiving -, mas a homenagem está aí. Por ora, esqueça tudo que você já aprendeu sobre a origem da Páscoa. No mundo geek, essa história começa com o vídeo game Atari 2600, em 1979. O criador da linha Adventure, Warren Robinett, cansado de […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter