Masters Of Sex

3 de setembro de 2016 Por:

Ambientada no início dos anos 50, com todas as pompas características à época, Masters Of Sex  é uma obra que surpreende pela qualidade e minuciosidade, numa peculiar e singular situação em que todo o conjunto funciona perfeitamente, tudo isso ainda sem colocar na equação a temática central do show: um estudo sobre a cientificidade da sexualidade humana.   

Desenvolvida por Michelle Ashford e baseada na biografia ”Masters Of Sex: The Life and Times of William Masters and Virgínia Johnson, the Couple Who Taught America How To Love” de Thomas Maier; a série caminha para a estréia da sua 4º temporada pelo canal Showtime com aprovação e elogios da crítica especializada, assim como do seu pequeno, mas fiel, público.

Trazendo um frescor necessário a um ambiente saturado de temas repetitivos e pouco criativos, Masters Of Sex inova ao ousar. Contando a história real de Dr. William Masters (Michael Sheen), renomado ginecologista que inicia os seus estudos às escondidas acompanhado da sua secretária Virgínia Johnson (Lizzy Caplan), mãe divorciada a frente do seu tempo, são duas pessoas de personalidades e realidades completamente discrepantes que se juntam em prol da ciência sexual, destrinchando a mecanização e reações do ato no corpo humano, isto através da observação das relações em cobaias e neles mesmos, que em nome da ciência se envolvem sexualmente.

masters-of-sex-cast-

William, no casamento e para a alta sociedade, é o típico homem dos anos 50, conservador ao extremo, machista e opressor, mantendo um matrimônio, de camas separadas e eventual relação sexual automática, massante e sem espaço para diálogos e questionamentos com a introvertida e culpada Libby (Caitlin FitzGerald), esposa modelo adequada a época. Masters é em seu cerne arrogante, ditador e extremamente desagradável, mas que merece um desconto por causa da sua infância traumática e, afinal de contas, por somente reproduzir uma educação que evoca uma superioridade masculina.

Já Virgínia é uma jovem mãe solteira que desperdiçou muitos anos de sua vida em um casamento e carreira de cantora frustados, contudo, a moça é puro carisma, esforço, inteligência e audácia, sendo sozinha um atrativo para acompanhar o show. Johnson é uma mulher a frente do seu tempo em diversos aspectos, possui uma liberdade sexual sobre o seu corpo, é profissionalmente ambiciosa e entra de cabeça numa pesquisa científica sem ao menos um diploma na área, sábia ao ponto de contribuir efetivamente com o estudo.

Masters-of-Sex-Virginia-and-william

Ao decorrer do estudo/série fica claro que William é a cabeça e Virgínia a face do projeto, considerando que o primeiro não possui as habilidades sociais necessárias nem para recrutar as cobaias, quesito que a segunda tira de letra. Masters e Johnson formam uma improvável dupla que de fato revolucionaram os conceitos da sexualidade humana, definindo conceitos hoje disseminados como informações simplistas, são os resultados de uma pesquisa que foi alvo de ferrenhas críticas, oposição e exposição negativa dos seus autores.

Contudo, não só de sexo vive Masters Of Sex e é neste quesito que reside o encanto da série, as tramas dramaticamente construídas dão um ar concreto ao show, as relações entre os personagens são muito bem amarradas, como a bonita amizade que Libby e Virgínia constroem, apesar das circunstâncias, e a notável ascensão de caráter de William a partir do momento em que ele começa a se envolver sentimentalmente com a parceira de pesquisa.

masters-of-sex-season-2

Masters Of Sex é perfeita para quem se dispõe a sair da sua zona de conforto, estes acabam se surpreendendo com uma série de alta qualidade com um elenco esplêndido, roteiro e direção consistentes que prendem o telespectador em um show inteligente e bastante gratificante.

Elementos finais de persuasão:

Promo da 1º temporada:

A sugestiva/genial abertura:

Jovem bahiana simpática e gente boa que curte um bom número de séries e por este motivo tem a audácia de escrever suas opiniões positivas e negativas sobre...

Ler perfil completo

Itamaraju/BA

Série Favorita: How i Met Your Mother/Friends

Não assiste de jeito nenhum: The Vampire Diaries

  • Anderson Luis

    Olha, estava interessado a assistir essa série faz um tempo, quando estreou eu cheguei a ver uns 3 episódios mas acabei desistindo mas gostei do seu texto e vou dar uma nova chance! Uma coisa que me interessou foi o elenco, gosto de alguns nomes ali e tem um bom guest cast. Parabéns pelo texto!

    • Ana Rebeca Tamandaré

      Anderson, o elenco é mesmo um ponto muito forte da série, mas como eu mesma comentei tudo na série dá muito certo, roteiro, elenco, direção, fotografia, enfim, vale mesmo cada minuto! Recomendo que você volte o mais rápido possível.

      Muito obrigada pelo comentário!

  • Karmem Corrêa

    Vale muito cada minuto. É umas das minhas queridinhas! A história é fascinante, num mundo tão conservador!

    • Ana Rebeca Tamandaré

      Com toda a certeza Karmem!

      Valeu pelo comentário.

Emmy 2017 | Em noite histórica, The Handmaid’s Tale derruba favoritas e quebra recorde de 36 anos

5 dias atráscomentarios

Fazia exatos 36 anos que uma série havia vencido ao menos 4 das 5 categorias principais do Emmy (Série, Roteiro, Direção, Ator e Atriz de Drama). O recorde pertencia à primeira temporada de Hill Street Blues, em 1981. Ontem, uma nova marca foi estabelecida. Deixando as favoritas Stranger Things e Westworld comendo poeira, The Handmaid’s Tale venceu os prêmios de série, direção, roteiro e atriz principal de série dramática e fez o que nem grandes séries como Breaking Bad, The Sopranos e The West Wing fizeram no seu auge. À esses 5 prêmios, a série acumula mais 3 vencidos no Creative Emmy semana passada: Atriz Convidada (Alexis Bledel), Fotografia e Direção de Arte, totalizando 8 vitórias na edição. Às outrora favoritas, restaram apenas 5 prêmios cada, todos entregues no Creative. Na noite de ontem, não teve […]

Leia o post completo

Primeiras Impressões: The Orville

1 semana atráscomentarios

O que dizer de The Orville? Assisti ao primeiro episódio dessa nova série da Fox, criada, produzida e estrelada por Seth MacFarlane (Family Guy), e até agora não consegui entender por que o seriado está classificado como uma comédia ou, mais distante ainda, uma sátira de Star Trek. The Orville não é uma série ruim, vejam vocês, mas não é uma comédia como tentaram vender os trailers e todo o material promocional. Há piadas sim, algumas até engraçadas, mas elas fazem parte do contexto e não são o objetivo final do roteiro. A ideia de um mundo futuro, com naves espaciais e seres de diversos planetas convivendo também não é uma sátira de Star Trek, como fizeram parecer. Ao contrário, […]

Leia o post completo

1 Contra Todos

1 semana atráscomentarios

Com a lei de incentivo à produção nacional, várias produções poderiam sair do papel. Muitas delas não têm a menor pretensão de introduzirem uma ideia nova ou em mesmo de fazer sucesso. É por isso que uma série estoura na medida em que 1 Contra Todos fez, a gente tem que prestar atenção e dar os louros. Cadu (Júlio Andrade) é um advogado de Taubaté que será pai pela segunda vez, mas perde o emprego devido seus princípios éticos. Para piorar sua situação, é injustamente preso ao ser confundido com o Doutor do Crime, maior traficante do país. Para tentar sobreviver, e com o apoio de sua esposa Malu (Julia Ianina), ele decide se passar pelo criminoso como única forma […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter