Misfits e o uso de poderes em benefício estritamente próprio

17 de junho de 2017 Por:

O tema dos super-heróis tem sido bastante explorado nos moldes atuais, existem por ai séries de bastante qualidade e que fazem a cabeça de um grande público onde o enfoque são os indivíduos/as que ganham poderes e os usam para salvar o mundo, só que muito antes disso tudo uma série britânica teve a audácia de retratar um cenário onde jovens deturbados e a margem da lei ganham poderes bizarros e os usam para os mais egoístas e cômicos interesses,  criando situações inimagináveis.

Esta é Misfits, uma série britânia que foi ao ar entre os anos de 2009 e 2013, totalizando 5 temporadas de grande sucesso ao mesclar com eficiência, humor, comédia e ficção científica. A série narra as peripécias de cinco jovens que não se conhecem, com personalidades divergentes, que são condenados a prestar serviços comunitários por crimes de menores e maiores proporções, até que são atingidos por uma tempestade elétrica e ganham poderes dos mais variados.

Divulgação/Channel 4

 

Neste sentido, o elenco central é composto por Simon (Iwan Rheon), introvertido e anti-social que ganha o poder da invisibilidade; Nathan (Robert Sheehan), vida louca e inconsequente que passa a primeira temporada inteira tentando descobrir o seu poder até o último episódio onde descobre que é imortal; Kelly (Lauren Socha) auto-suficiente e desbocada que ganha o poder de ler mentes; Curtis (Nathan Stewart-Jarret) jovem com futuro promissor nos esportes que ganha o poder de viajar no tempo; e Alisha (Antonia Thomas), com o poder mais escroto já visto, proporcionar a quem a toca um estado incontrolável de excitação sexual.

Juntos, os cinco jovens se metem em ciladas improváveis que vão desde assassinatos, viagens no tempo, futuros distópicos, situações inusitadas, enfim, o padrão em todos os contextos é que os poderes são utilizados a todo momento em benefício próprio, eles até cogitam a possibilidade de se tornarem heróis, salvar o dia, ter a alteridade de fazer algo pelo outro, mas não dá lá muito certo, pois, os mesmos estão sempre metidos em confusões de vida ou morte, ou se encontram no extremo da comicidade com seus poderes que nem sempre são convenientes, os jovens são verdadeiros exemplos de egoísmo e da arrogância de uma forma que arranca do público risadas fáceis do politicamente incorreto.

Divulgação/Channel 4

A partir da terceira temporada a série vai aos poucos renovando o seu elenco até a estréia da quarta, onde somente um personagem da temporada anterior retorna, mas não pensem que a série fica ruim por causa disso, pelo contrário, o quesito drama vai ganhando mais densidade, mas sem deixar de ser engraçado. Misfits definitivamente vale cada minuto e ainda está disponível inteirinha na Netflix, e ai, nesse feriadão vindouro, vamo maratonar?!

Segue a promo:

 

Jovem bahiana simpática e gente boa que curte um bom número de séries e por este motivo tem a audácia de escrever suas opiniões positivas e negativas sobre...

Ler perfil completo

Itamaraju/BA

Série Favorita: How i Met Your Mother/Friends

Não assiste de jeito nenhum: The Vampire Diaries

  • João Vitor Maia

    Muito legal, série sem noção <3

    • Ana Rebeca Tamandaré

      Sem noção demais né João, principalmente o Nathan.. hahahahaha

      Obrigada pelo comentário!

  • David Gonçalves

    Assisti sem pretensões e viciei.

    • Ana Rebeca Tamandaré

      E tem como não se viciar David?! Amor demais por essa série.

      Valeu pelo comentário!

  • Adriano Vitorassi

    Parece que haverá uma versão americana desta série.

  • Jackeline Ferreira da Costa

    Comecei a assistir por causa desse post e tô amando!!
    Só que não consigo simpatizar com o Rudy e já dói de pensar que o elenco original vai sair da série…
    Tô tomando coragem pra voltar e terminar a série hahaha

    • Ana Rebeca Tamandaré

      Aaaahhhh que ótimo saber disso Jackeline, e pode continuar a ver, o Rudy chega assim meio estranho e avulso, mas depois é muito bem desenvolvido. As temporadas finais tem uma pegada diferente, mas mesmo assim continuam muito boas.

      Obrigada pelo comentário!

  • Virgínia Martins

    Assisti quando chegou ao catálogo da Netflix e pirei. Muito divertida a série, você descreveu perfeitamente o clima da história 😉

Girlboss: guia do que NÃO fazer na vida adulta

1 semana atráscomentarios

Teve gente que gostou de Girlboss, teve gente que achou a série fraca. Mas em uma coisa todo mundo certamente concorda: Sophia é um dos piores seres humanos que já vimos como protagonista de uma série. E com ela a gente pode aprender muito sobre o que não fazer para ser uma pessoa melhor. 5. Não roubar Em GirlBoss, uma das primeiras coisas que descobrimos sobre Sophia é que ela acha normal roubar. Não, ela não rouba porque precisa, porque quer ajudar alguém, ou se quer por uma questão de princípios contra uma sociedade capitalista. Sophia rouba porque se sente superior e simplesmente não respeita os outros, – muito menos suas propriedades. 4. Não ser egoísta com a melhor amiga […]

Leia o post completo

Desafio: você se lembra de quem foi essa declaração de amor?

2 semanas atráscomentarios

Ah, o dia dos namorados. Aquele momento do ano para espalhar aos quatro cantos nosso sentimento por aquela pessoa especial, que faz o coração acelerar e as palmas da mão suarem. Aquela pessoa por quem você faria qualquer coisa, até mesmo deixar a vergonha – ou o medo – de lado para professar seu amor. Nas séries, existem muitos personagens  que não esperam data especial nenhuma para declarar seu amor, seja num momento de desespero, num pedido de casamento ou só para reforçar aquilo que o parceiro já sabe e Tom Jobim cantava aos quatro ventos: é impossível ser feliz sozinho. Você também acredita nisso e se derrete toda vez que sabe que chegou a hora de surtar, porque vai ter […]

Leia o post completo

Guia da Trilha Sonora: Scream – Season 1

3 semanas atráscomentarios

Entre os poucos pontos positivos que posso destacar em Scream, a trilha sonora fica em primeiríssimo lugar (talvez porque seja da MTV). Misturando canções atuais, dançantes e tristes, que fazem parte da vida dos jovens de Lakewood, a série soube utilizá-las para compor a história e os personagens. Assim, nada melhor do que ouvir as músicas da primeira temporada, agora disponível em uma playlist na nossa conta do Spotify!

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter