[Personagem/Ator] Dexter Morgan/Michael C. Hall

28 de julho de 2010 Por:

Michael C. Hall em cena com Mathew St. Patrick (Keith) em Six Feet Under

A primeira vez que vi Michael C. Hall foi num episódio aleatório de Six Feet Under (“In The Game”, 2×01). Na trama de Alan Ball, ele interpretava David, filho do meio da família Fisher. Apesar de a família ser um pouco conservadora, David namorava Ketih, um policial. E a primeira cena que vi foi uma conversa que ele estava tendo com sua mãe, Ruth Fisher (Frances Conroy; recentemente a Peggy, de Happy Town).

“Você trará seu amigo especial para o jantar?”
“Por que todo amigo meu é sempre especial?”
“Certo. Vamos dizer assim então. Se você estiver transando com alguém, este alguém virá jantar conosco?”

Achei o tom da conversa interessante e, claro, fui atrás da série. E me apaixonei pelo trabalho de praticamente todos os atores. Michael C. Hall, interpretando um homem por volta de seus 30 anos, gay e totalmente irônico, na pele de David, tinha conversas ácidas e sempre, além de subjetivas, interessantíssimas com  Claire (Lauren Ambrose; recentemente a voz de KW, em Where The Wild Things Are).

Michael com Jennifer Carpenter, sua atual esposa. No centro, Amy Spanger, ex-esposa. À direita, com seu gorrinho preto, na cerimônia de entrega do Globo de Ouro deste ano.

E C. Hall convencia muito no papel. Até demais, vez em quando. Tanto que fiquei realmente surpreso quando soube que ele era casado. Na época, Michael era casado com uma atriz da Broadway, Amy Spanger (Royal Pains); hoje, com Jennifer Carpenter, sua colega de elenco, a Debra, de Dexter.

E, claro, é com este último nome de seis letras citado no último parágrafo que Michael C. Hall tornou-se (mundialmente) (re)conhecido: vivendo o serial-killer mais amado da televisão norte-americana, Dexter Morgan. Michael, na pele e como produtor-executivo de Dexter, tem feito um excelente (pra não dizer perfeito!) trabalho junto ao canal Showtime. Dexter é um drama incrível, bem produzido e audacioso. A série é, também, uma das pouquíssimas produções onde a obra derivada é dezenas de vezes superior à obra original (no caso, o primeiro de quatro livros de Jeff Lindsay, Darkly Dreaming Dexter, no Brasil, Querido e devotado Dexter).

Fotos promocionais de Dexter

Muitos críticos, durante a última temporada exibida, ficaram insatisfeitos com a série e não tiro a razão deles. O problema, com certeza, não foi seu ator principal e sim algumas partes de seu roteiro. Entretanto, de forma brilhante, a quarta temporada chegou ao fim e, de acordo com o trailer da quinta temporada, uma reviravolta gigante na trama aguarda os fãs no dia 26/9, quando a série retorna.

Michael, com Dexter, emociona. Michael, com David, emociona. Michael C. Hall, com Michael C. Hall, emociona. O pai do ator morreu de câncer quando ele tinha 11 anos de idade e no início deste ano foi a vez dele enfrentar com garra a doença. C. Hall teve um Linfoma de Hodgkin nos primeiros meses deste ano, um tipo de câncer que ataca os nódulos linfáticos, mas já está “completamente recuperado”, como informou Carpenter recentemente ao Telegraph. Como comentado no Painel de Dexter na Comic-Con deste ano, C. Hall (e o restante do elenco) já está gravando os novos episódios da série.

O ator, que nasceu no dia 1° de fevereiro de 1971, em Raleigh, Carolina do Norte, Estados Unidos, é formado em Master of Fine Arts Program in Acting pela NYU, fato que o fez participar de vários musicais da Broadway (o último foi Cabaret) e onde também conhecera Amy, sua ex-esposa. Michael iniciara sua carreira em 2003, com o filme “Paycheck”, dirigido por John Woo e estrelado por Ben Affleck, Aaron Eckhart e Uma Thurman. Entretanto, sua carreira deslanchou interpretando David Fisher em Six Feet Under.

O premiado ator Michael C. Hall

Com Fisher, foi indicado em 2002 ao Emmy na categoria Melhor Ator em Drama e em 2005 e 2006 ao Screen Actors Guild Awards na categoria Melhor Elenco. Levou pra casa, nos anos de 2003 e 2004, os troféus da categoria Melhor Elenco do SAGA.

Com Dexter, recebeu indicações ao Emmy em 2008, 2009 e 2010, na categoria Melhor Ator em Drama. Recebeu também, na mesma categoria, indicações ao Globo de Ouro nos anos de 2007, 2008, 2009 e 2010. A indicação deste último ano rendeu a Michael C. Hall, com seu gorrinho preto (devido ao tratamento quimioterápico), a estatueta de Melhor Ator em Drama. Ainda com Dexter, o ator foi indicado três vezes na categoria de Melhor Ator do Ano do Sattelite Awards nos anos de 2006, 2007 e 2008. A indicação de 2007 ele levou pra casa.

Michael C. Hall tem hoje 39 anos e já provou a que veio. Atualmente, está deixando todo o mundo louco de ansiedade pela estreia da nova temporada de Dexter. A Equipe Apaixonados por Séries é apaixonada pelo Dexter Morgan e muito fã do trabalho de C. Hall. Desejamos ao ator muita saúde e sucesso!

Até a próxima coluna!

Série Favorita:

Não assiste de jeito nenhum:

  • Que delícia ler este post!!!
    Adoro este ator e sua trajetória ficou muito bem retratada aqui! Parabéns!!
    😉

    PS: contando os dias para a nova temporada de Dexter!!

    • Oi Grazyy!

      Muito obrigado!

      Também estou contando os dias para a chegada da nova temporada. Mal posso esperar!!!

      =)

  • Adorei o texto, Lucas.

    Só de olhar o logo de Six Feet Under ali já deu uma mega vontade de rever tudo em maratona mais uma vez. Trabalho fantástico do Alan Ball, com atuações realmente inspiradas do Michael C. Hall. Uma das poucas séries que, quamdo indico a alguem, sempre falo para ir sem medo. Não tem como não gostar.

    Mais uma na contagem regressiva pela volta de Dexter. o/

    • Obrigado, Iraia.

      É verdade… Eu queria fazer uma maratona pra assistir tudo de novo, porque vale tão a pena. Eu amo mesmo essa série, é a minha preferida!

      E é verdade, sempre indico sem medo! Tô preparando um Era uma vez sobre ela… =D

      Oba, vamos lá, contagem regressiva!

      \o

      :)

  • Sandra

    Eu sou apaixonada pelo trabalho do C. Hall, conheci em Six Feet Under, quando soube da história de Dexter não me interessei muito mas quando eu vi quem era o ator principal, comecei a assistir na mesma hora! E me apaixonei, é claro! Quase chorei quando ele ganhou o Globo de Ouro! Parabéns pelo post, valeu demais. Chega logo setembro!!!!!!

    • O trabalho que ele desenvolve nas duas séries é quase que o oposto do outro. E isso mostra o quanto ele é bom!

      Ele mereceu o Globo de Ouro. Até pra compensar o que ele merecia ter ganho com o David na terceira temporada!

      Chega logo, setembro!

      =)

  • roberta rufino

    conheci Dexter este ano e já sou fã de cartirinha. assisti as 4 temporadas de uma só vez querendo mais…..pena q só são 12 episódios!
    Adorei o relato sobre ele, não sabia de algumas coisas…
    parabéns!

    • Oi roberta!

      Fico muito feliz que vc já tenha assistido todos os episódios! É mais uma na ansiedade pela quinta temporada!

      Obrigado!

      😀

  • Sou Michael C Hall desde criacinha, hehe!

    ADORO o trabalho dele em Dexter e pelo pouco que vi em Six Feet Under, ele também tá ótimo. Preciso terminar a série, aliás.

    Ótimo texto. \o/

    • Ele é foda, né? hehehe

      Ele é foda em SFU. Não é o meu personagem preferido da série, mas com certeza um dos atores mais competentes dela!

      Termine sim de assisti-la!

      Valeu, Alexandre!

      =)

  • Jr Habnov

    Quando assisti SFU pela primeira vez pelo SBT fiquei obsecado pela série tanto que ela foi a segunda série completa que baixei (a primeira foi The O.C.), mas confesso que o David não era meu favorito e sim a maravilhosa Ruth Fischer, interpretada pela Diva Frances Conroy, sou apaixonado por essa atriz, é uma pena a Ruth ser o seu único grande personagem.
    Só fui conhecer Dexter depois da segunda temporada, após ler várias críticas positivas da série e confesso que Dexter não é lá grande coisa (peraí tô brincando!). Dexter é simplesmente sensacional, espetacular, indispensável. Mesmo a terceira temporada não tendo sido tão boa, a quarta reverteu o jogo e essa quinta promete ser a melhor, mesmo sem a querida Rita (sim, eu gostava da Rita).
    Sou mais um desesperado por setembro.

    • Oi Jr Habnov.

      Realmente, como eu disse num dos comentários acima, o David não era meu personagem favorito em SFU, mas o Michael era competente, convencia e muito!

      Tenho alguns personagens favoritos na série. A Claire é uma, a Ruth, coom ctza, outra. E a Brenda? O Nate também tem um lugar especial!

      Eu gostava da Rita tbm. Adorei a participação da Julie Benz em Desperate Housewives e to ansiso pra assistir No Ordinary Family, nova série que ela será uma das protagonistas!

    • Opa, mais um na contagem regressiva pela volta de Dexter!

      =)

  • Sofia

    Lindo post, bela e respeitosa homenagem. Ah, se todos os atores nos brindassem com interpretações geniais e inspiradas como as de Michael C. Hall…

    • Obrigado, Sofia.

      E vc tem razão. Se todos os atores tivessem a competência do C. Hall, seria tudo bem diferente. Mas, a coisa é aproveitar quando nomes como o dele surgem e nos brindam com seus trabalhos!

  • aline maia

    Adorei estar aqui com vocês! Quem gosta de Dexter e de Michael Hall é inteligente, gosta de coisas boas. Estou farta de gente que só fala nessas novelas medíocres, com trama absurda, cheia de idiotices….eu quase não vejo tv aberta. Alugo filmes e, como vocês, estou louca que venha logo para cá a quinta temporada de Dexter.

  • Caraca, amo Michael atuando como Dexter!
    Se terminar a série, vai ser difícil encontrar outra série para substituí-lo.
    Please, no off!

[Personagem/Ator] Annalise Keating/Viola Davis

6 dias atráscomentarios

“A única coisa que separa mulheres de cor de qualquer outra pessoa é oportunidade. Você não pode ganhar um Emmy por papeis que simplesmente não existem”. Essa triste – e verdadeira – constatação foi feita por Viola Davis, em seu discurso ao receber o Emmy de melhor atriz de série dramática. Viola foi a primeira mulher negra a ganhar esse prêmio. Dá para imaginar tamanha emoção? Depois de uma vida tão difícil, de tantos obstáculos, trabalhar com o que ama e ser reconhecida por isso – sendo mulher e negra. Esses obstáculos começaram a aparecer bem cedo em sua vida. Nascida na Carolina do Sul, Viola foi criada na pequena cidade de Central Falls, Rhode Island. Sua família era muito […]

Leia o post completo

Guia da Trilha Sonora: Chuck- season 3

1 semana atráscomentarios

Chuck, uma das dramedias mais queridas dos últimos anos, sobreviveu com muita dificuldade às ameaças de cancelamento, mas continuou firme e forte trazendo um roteiro bacana com músicas dignas de um post. Vamos conferir? – Episódio 1 (Chuck Versus The Pink Slip) Black and Gold por Sam Sparro Wait It Out por Imogen Heap Just Dropped In (To See What Condition My Condition Was In) do Kenny Rogers and The First Edition Hold On por Wilson Phillips Backwards Walk por Frightened Rabbit Young Adult Friction dos The Pains Of Being Pure At Heart Eye Of The Tiger do Survivor   – Episódio 2 (Chuck Versus The Three Words) Sexy Bitch por David Guetta (feat. Akon) Oh My! por The Gray […]

Leia o post completo

Nurse Jackie

1 semana atráscomentarios

Depois de brilhar como a contraditória Carmela (Sopranos), Edie Falco nos presenteou com uma das personagens femininas mais complexas e carismáticas dessa última década: Jackie Peyton (personagem que rendeu à atriz um Emmy e muitas indicações). Como indica o nome, Nurse Jackie é uma série centrada em sua personagem: seu trabalho, sua família e seu vício. Conhecemos Jackie como uma enfermeira durona – que sabe mais do que muitos dos médicos do hospital -, uma mãe e esposa dedicada e uma mulher que acha que tem o vício em drogas sob controle. Jackie não é boazinha nem lá muito correta: é uma anti-heroína. E, como já falei aqui, costumamos nos apegar a esse tipo de personagem, não é mesmo? Não […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado: