[Personagem/Ator] Patrick Jane/Simon Baker

27 de julho de 2016 Por:

Contando no currículo com um dos melhores personagens que uma série criminal foi capaz de criar, Simon Baker trouxe uma nova cara aos videntes, que na verdade não são videntes. Seu talento, carisma e claro, seu sorriso, fizeram com que o ator fosse colocado na lista dos 10 atores mais bem pagos da televisão de 2015! Isso não é para qualquer um, hein!

Simon Baker

Simon Baker-Denny nasceu no dia 30 de Julho de 1969, em Launceston, na Austrália. Filho de Barry Baker e Elizabeth Labberton, um jardineiro e uma professora de inglês, e irmão de Terri Baker, Simon teve sua vida mudada quando seus pais se divorciaram enquanto ele ainda era criança e sua mãe casou-se novamente com Tom Denny.

Em 1972, a família se mudou para Ballina, Nova Gales do Sul, e Simon começou a estudar na St. Francis Xavier Catholic Primary School, terminando em 1986. Na sua adolescência, foi um grande jogador de pólo aquático e surfista. Mudou-se mais tarde para Sydney, afim de cursar a faculdade de Enfermagem, mas por um intermédio do destino, acabou fazendo testes para papéis na televisão.

Já em 1989, usando o sobrenome de seu padrasto, Simon Baker-Denny iniciou sua carreira de ator em pequenas participações de séries da televisão australiana. Três anos depois, conheceu sua mulher, a também atriz Rebecca Rigg. Com ela, o ator têm três filhos: Stella Breeze, Claude e Harry. Atualmente, a família mora em Los Angeles.

Simon Baker

Nesse meio tempo, participou de dois videoclipes, o de Read my Lips (Melissa Tkautz) e Love You Right (Euphoria).

Fez uma ponta no aclamado filme L.A. Confidential. Sua pequena participação fez com que participasse de outros filmes, em papéis secundários. Os mais conhecidos, com certeza, foram Cavalgada com o Diabo (1999), O Chamado 2 (2005) e O Diabo Veste Prada (2006).

Seu papel com mais destaque veio em 2001, com a série The Guardian, na qual interpretou o advogado Nicholas “Nick” Fallin. The Guardian ficou muito conhecida pelos atores convidados, como Viola Davis (How to get Away with Murder), Anna Gunn (Breaking Bad) e Danielle Panabaker (The Flash). Na segunda temporada do show, o australiano estreou como diretor dirigindo um dos episódios. Com esse papel, o ator foi indicado ao Golden Globe Awards 2002.

The Mentalist

Em 2006, fez parte do elenco da série Smith, que foi cancelada após a exibição de três episódios. Porém, depois de participar de O Diabo Veste Prada, Simon foi convidado, em 2008, para fazer testes para uma nova série da CBS, criada por Bruno Heller (Gotham). O seriado, intitulado The Mentalist (O Mentalista) iria retratar a vida de um falso vidente que, após um serial killer matar sua esposa e filha, começa a trabalhar como consultor na CBI (California Bureau the Investigation). O ator iria interpretar Patrick Jane, o protagonista da série de maior sucesso de sua vida. Ele também aprimorou seu talento como diretor dirigindo vários episódios de The Mentalist. Em 2015, a série foi finalizada, tendo ao todo 7 temporadas.

Com Patrick Jane, Baker foi indicado ao Emmy 2009, Golden Globe Awards 2009 e Screen Actors Guild Awards 2010.

Enquanto filmava The Mentalist, Simon continuou atuando em filmes de comédia romântica (sem sal). Em 2012, teve o grande privilégio de integrarAcademy of Motion Picture Arts and Sciences (o grupinho da Luluzinha que vota no Oscar) e no ano seguinte ganhou uma estrela na Calçada da Fama, que sonho, não é?

Personagem: Patrick Jane

Simon Baker

Men-ta-list Substantivo: Aquele que usa acuidade mental, hipnose e/ou sugestão. Um mestre na manipulação de pensamentos e comportamentos”

Patrick Jane nasceu no dia 16 de Setembro de 1974. Alex Jane, seu pai, o criou para trabalhar em um circo ajudando-o a enganar pessoas, utilizando seu grande talento de percepção, assim ele nunca frequentou a escola. A relação com seu pai não era uma das melhores. Alex cuidava do filho pensando no dinheiro que o mesmo iria dar e mesmo sendo o único adulto com quem tinha um relacionamento próximo, Patrick sabia que seu pai abusava da fé das pessoas que o procuravam.

Durante os anos em que trabalhou no circo, conheceu Angela Ruskin, cuja família também trabalhava no mesmo local. Os dois se apaixonaram e resolveram fugir, abandonando de vez aquela vida. Juntos, tiveram uma filha chamada Charlotte Anne.

Anos mais tarde, Jane virou um vidente e atendia pessoas que queriam falar com parentes mortos. Apesar de trabalhar com isso, ele nunca acreditou de fato nessas coisas de clarividência, para ele tudo não passava de uma enganação e isso também se aplicava à religião. Ele foi convidado, então, para participar de um programa ao vivo na televisão. É a partir deste momento que a vida dele mudou drasticamente. Jane caçoou de Red John, um serial killer temido que estava em ação naquela época. O vidente disse que Red John não passa de uma fraude. Para se vingar, o assassino matou Angela e Charlotte sem dó nenhuma e como lembrança deixou sua assinatura: a carinha feliz feita de sangue na parede do quarto onde matou as vítimas.

Red John

Patrick passou por um grande colapso mental, já que sua declaração sobre Red foi o gatilho para toda a tragédia, e uma sede de vingança se formou, ele faria de tudo para capturar e matar aquele monstro.

Um ano depois, afim de conseguir mais pistas sobre o serial killer, Jane começou a trabalhar para a CBI como consultor, usando suas habilidades para o bem pela primeira vez. Na CBI, ele conheceu os agentes Kimball Cho (Tim Kang, The Vampire Diaries), Grace Van Pelt (Amanda Righetti, Colony) e Wayne Rigsby (Owain Yeoman, Supergirl), e sua chefe que viria a ser uma grande amiga, Teresa Lisbon (Robin Tunney, Prison Break). Lisbon e Jane eram muito diferentes. O detetive era infantil e, geralmente, arrogante, o que causava uma certa irritação em sua chefe, que era mais pé no chão e certinha. Além disso, ele era muito fechado e seu charme com outras pessoas lhe ajudava muito nas investigações, indo de contramão às leis.

No final da terceira temporada, depois de seguir várias pistas, o consultor se encontrou cara a cara com quem ele achava que era o Red John, em um shopping. Porém, ele pediu ao assassino para dar detalhes da morte de Angela e Charlotte e o suposto Red John tentou fugir da conversa e acabou levando um tiro de Patrick. Entretanto, foi revelado que aquele não era o verdadeiro assassino em série.

Conforme a história vai se desenvolvendo, é perceptível que John tem as mesmas habilidades de observação de Jane e sua obsessão com o mesmo era recíproca. Ele até tenta se tornar “amigo” do consultor, dizendo para esquecer o passado e deixar sua vingança de lado.

Jane e Lisbon

Já no final da quinta temporada, Lorelei Martins (Emmanuelle Chriqui, The O.C. – gente, ela é igualzinha a Nina Dobrev!), confidente de Red John, foi assassinada e através dela, um vídeo revelando os sete suspeitos de serem o assassino foi entregue à Jane, batendo com sua lista de suspeitos. Com isso, na sexta temporada, o detetive descobriu, finalmente, quem era o tão temido Red John e, com suas próprias mãos, estrangulou-o até a morte. Ele percebeu que aquele homem que matava friamente as pessoas, nada mais era do que um cara querendo chamar atenção e não era tão perspicaz como todo mundo achava.

Dois anos após esses acontecimentos, Patrick estava morando em uma ilha longe de tudo, mas resolve voltar aos Estados Unidos para trabalhar como consultor para o FBI. É nessa volta que percebeu seus reais sentimentos por Lisbon, que até chegou a noivar com o detetive Marcus Pike (Pedro Pascal, Game of Thrones), mas em um dos melhores episódios da série, ele revelou tudo o que sentia por ela e os dois começaram a namorar em segredo, até que no fim, se casaram e Teresa lhe fala que estava grávida, criando uma nova família e uma segunda chance para Jane.


É com esse especial que me despeço de um incrível personagem que conseguiu ter muitas camadas de desenvolvimento. Infelizmente, The Mentalist não acabou tão bem quanto começou e o episódio mais esperado, que era a captura de Red John, não agradou a crítica e nem aos fãs, mas Patrick Jane, talvez, seja um dos poucos personagens de séries procedurais que receberam uma grande história!

Coisas desnecessárias: Assim como Lorelai Gilmore está para café, Patrick Jane está para uma boa xícara de chá.

Coisas desnecessárias 2: Nicole Kidman e Naomi Watts são madrinhas de Stella e Claude, os dois primeiros filhos de Simon. Que glamour!!

Coisas desnecessárias 3: A atriz brasileira Morena Baccarin (Gotham) interpretou Erica Flynn, uma sociopata que bate de frente na questão de inteligência com Patrick, em The Mentalist

Coisas desnecessárias 4: Alguém já notou que o ator Owain Yeoman, que interpretava o agente Wayne Rigsby, é idêntico ao Buzz Lightyear???

“Tigre, tigre que flameja nas florestas da noite, que mão, que olho imortal, se atreveu a plasmar tua tão terrível simetria?”

Futura jornalista. Mora em uma cidade desconhecida. Apaixonada por séries. Cinéfila e bookaholic. Sonha em um dia morar em Nova Iorque. O que ama mais do que tudo...

Ler perfil completo

Votorantim / SP

Série Favorita: Friends

Não assiste de jeito nenhum: The Big Bang Theory

  • Nickolas Girotto

    Eu gostava muito da série e esse personagem era incrível!!

    • Karine

      The Mentalist merecia muito mais reconhecimento e Jane é o melhor!!

  • Alex Conserva

    personagem incrivel.

  • Jailson Jonio

    Incrível e pouco, The Mentalist foi soberbamente bem conduzida em todos os seus episódios ate seu desfecho. Sempre surpreendendo o Heller não conduzia os plots por lugares comuns e com viradas a la Agatha Chistie nos entregava tramas diferentes de qualquer outro procedural existente. Os personagens com desenvolvimento ao longo das temporadas eram um show a parte. E o Jane, bem nem preciso cometar. agente Wayne Rigsby, é idêntico ao Buzz Lightyear, sempre axei isso 🙂

    • Karine

      hahahaha que bom encontrar alguém que ache o Wayne igual ao Buzz!!! The Mentalist é a diferentona das séries criminais e por isso é uma das minhas favoritas 🙂

Guia da Trilha Sonora: Parenthood – 4ª temporada

2 semanas atráscomentarios

Parenthood é o tipo de série que sempre nos emociona de alguma forma: seja com o clima familiar, com os dramas dos personagens ou com a alegria de suas conquistas. E na 4ª temporada a gente sofreu bastante com alguns personagens, e claro que a trilha sonora contribuiu bastante pra que tivéssemos o maior impacto possível de tudo que a temporada queria nos passar. Abertura: Forever Young – Bob Dylan Abertura Internacional: When We Were Young – Lucy Scwartz 4×01 – Family Portrait Just As Loud – PAUL MCDONALD Corner – ALLIE MOSS Call Me the Breeze – BETH ORTON Amen – ROCCO DELUCA A Little One – PEASANT Counting Stars – PAUL MCDONALD T-Bone Shuffle – T-BONE WALKER 4×02 […]

Leia o post completo

Maratona Parenthood – 6ª temporada

2 semanas atráscomentarios

Pegar a última temporada de Parenthood para fazer o post de maratona foi um imenso desafio. A expectativa era grande, junto com o medo de não conseguir terminar o texto. Mas é isso que uma série faz conosco, não é? Nos encher de emoções e deixar aquele gelinho na barriga no final. Família é uma coisa difícil. Você não vive sem ela e não consegue, muitas vezes, ficar perto dela. Talvez porque família não tenha o dever de ser um amigo e dizer que certas atitudes estão corretas. Ela tem o dever de apoiar, apesar dessas atitudes e estar ao lado nas horas mais importantes, sejam elas felizes ou tristes. E isso define bem o que os Braverman são. O sexto ano da […]

Leia o post completo

The Good Fight

2 semanas atráscomentarios

The Good Wife é uma das séries jurídicas mais queridas dos fãs do gênero. Mesclando casos jurídicas repletos de reviravoltas com escândalos políticos num roteiro afiado com protagonistas cativantes e coadjuvantes de luxo, os contornos da vida pessoal e profissional de Alicia Florrick e cia conquistaram nossa atenção. Mas como tudo que é bom tem um fim, a série acabou caindo na qualidade e foi cancelada após sete temporadas. Era o fim da criatividade? Graças a Deus (e aos King), não. Menos de um ano após o final de The Good Wife foi lançada The Good Fight, um spin off dos mesmos produtores e que não deixou a desejar comparando com a série mãe. TGF deu sinais de que seria interessante logo […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter