Pretty Little Liars – 7×20 Til DeAth Do Us pArt (Series Finale)

28 de junho de 2017 Por:

“- Por que estamos todas chorando?”
“- Eu não sei. Por algum motivo parece o fim de algo!”

Reprodução/Freeform

É um game over e Pretty Little Liars finalmente deu o seu adeus. Com um especial de uma hora e meia, nós vimos pela última vez os casais da série, a resolução das vidas de cada mentirosa e a revelação de quem vinha as atormentando desde que Charlotte morreu. Com um salto de um ano desde que A.D. as deixou em paz, nós tivemos Spencer reaproximando-se de Melissa e pronta para focar em sua carreira como advogada, Emily e Alison cuidando de suas gêmeas e prontas para se unirem definitivamente, Hanna e Caleb passando por problemas graças a decisão dela em ser tutora da recuperação de Mona e Aria e Ezra superando as últimas dificuldades que a vida acaba impondo antes de subirem ao altar.

A primeira hora do episódio foi inteiramente dedicada para nos mostrar que as meninas continuaram em Rosewood e despedir-se dos casais com diversas cenas de romance e darmos uma olhada pela última vez em Ashley, Veronica, Ella, Byron, Melissa, Jenna e Rosewood High, algo que prejudicou um pouco o ritmo do capítulo até quando finalmente a identidade do stalker foi revelada. Dessa vez conseguir desviar de todos os tiros de spoilers e pude sentir cada minuto de que A.D. não significa Archer Dunhill ou qualquer derivado de -A e, sim Alex Drake, irmã gêmea de Spencer!

Reprodução/Freeform

Com os seis anos assistindo (desistindo e retornando) a série, a maior lição que aprendi foi baixar as expectativas para qualquer season finale e admitir a capacidade de I. Marlene King em ser óbvia. A teoria de que Spencer tinha uma gêmea ou dupla personalidade vinha correndo solta nas últimas semanas, justamente pelo protagonismo que a personagem assumiu nessa última temporada. Ter um gêmeo do mal não é inédito, nem como recurso dramatúrgico de telenovelas nem dentro da própria série e saga de livros. Quem conhece ou leu, sabe que na saga literária houveram quatro personagens que dominaram a assinatura de -A e que a principal delas era a história de Alison e sua irmã gêmea Courtney. Desde o fim da terceira temporada, na época que ainda especulava-se Alison realmente estar viva, a internet era bombardeada com teorias da história das irmãs DiLaurentis. O que de certa forma foi adaptado na construção de Jessica e Mary Drake, tornando a revelação da existência de Alex muito batida.

“De todas as teorias bizarras que nós criamos, Spencer ter uma gêmea má é a mais insana!”

Se meu palpite era que Wren fosse o vilão por Marlene querer dar um presente aos fãs por anos de teorias (e ser feito de trouxa), acredito que a criação de Alex tenha vindo do mesmo motivo. Por esperar pouca coisa do que um final clichê para a série, digo sem medo que comprei essa revelação (da qual nem curtia considerar) mesmo com todas as reclamações do público sobre o final, por justamente deixar minhas expectativas em nível baixo, até porque os efeitos que A.D. causou não foram tão grandes para que uma motivação fosse tão elaborada.

Reprodução/Freeform

Mas eu não gostaria tanto dessa história se não fosse a atuação maravilhosa de Troian Bellisario, que sempre despontou como a mais talentosa das cinco protagonistas e finalmente recebeu a oportunidade de brilhar outra vez desde a época que a série ainda sabia empolgar e ela tinha ido parar no Radley. Sem tantos recursos para definir quem era quem, bastou um sotaque inglês e emoção pra ela dar seu nome e roubar o series finale para si. Eu digo Troian Bellisario e vocês dizem amém. Ok?

Sem aquela besteira das meninas descobriram quem era -Big A por facetime, houve dinâmica suficiente para encaixar os cúmplices de A.D. na revelação, desde o seu envolvimento com Wren e como ele a encontrou e ajudou, a cumplicidade que ela desenvolveu com Charlotte graças a isso, onde Archer e Mary entravam na história, sua sede de vingança pela perda da irmã mais velha e inveja por Spencer ter uma vida que ela acredita ter sido privada, de bônus, todas as cenas em que ela se passou pela irmã e que para nós sempre tiveram a impressão de má encaixadas. Podiam ter poupado a obsessão da vilã por Toby e o fato de que as poucas cenas de SpOby nessa temporada eram fakes, mas a compensação veio quando o ex-policial reconheceu o verdadeiro amor da sua vida e a indicação de que eles ficaram juntos para sempre. Sim, bem brega e clichê, mas para quem é shipper do casal é o nosso momento.

Reprodução/Freeform

Para coroar, nossa Mona Vanderwaal recuperou-se de seu surto e voltou lindamente para trabalhar com A.D. e finalmente descobrir quem estava por trás de tudo. Deixando a menina considerada perdedora e frágil para trás de uma vez por todas, nem tão sã mas salva, Monão se consagra como a vencedora desse jogo doentio: a primeira e melhor -A que nós tivemos. Vivendo na França e muito bem acompanhada, a ex-vilã finalmente tem uma casa de bonecas para brincar e de quebra, duas bem reais enclausuradas para sempre. Novamente, eu digo Janel Parrish e vocês dizem amém!

“- Ela não pode nos manter aqui para sempre.”
“- Claro que pode. É a Mona!”

Refém de seu próprio mistério, infelizmente As Maldosas saem de cena deixando a impressão de que seu enredo poderia ter feito uma trajetória melhor se houvesse boa execução e não estendida além da conta. É inegável o seu poder de despertar curiosidade em até mesmo quem nunca chegou a ver a série de fato e, foi esse fator que fizeram muitos fãs chegar até aqui, seja pelo mistério ou apego pelos personagens. As cinco mentirosas de uma cidade pequena também deixam sua marca e referência na cultura pop para uma geração, seja como guilty pleasure ou a própria definição de amor e ódio, pois quem não lembrará delas quando um novo grupo de adolescentes surgir tentando resolver o mistério de alguém que foi assassinado e por isso estão sendo ameaçados? Fica aqui minha torcida para que Lucy, Shay, Ashley, Sasha, Troian, Janel e todo o elenco tenham um caminho de muito sucesso daqui pra frente!

Últimas observações:

  • A última cena poderia ter sido a das meninas reunidas ou de Mona curtindo Mary e Alex presas, aquela cena clichê de ciclo vicioso com novas mentirosas foi muito ruim.
  • Foi bem triste saber que Aria é estéril, mas muito válido saber que ela e Ezra irão adotar!
  • Que as meninas não conseguem descobrir nada a gente está cansado de saber, mas o que foi a Jenna (e o cavalo) descobrindo que tinha algo de errado com a Spencer e não as amigas?
  • Então Wren é o pai das gêmeas. Senti falta de um flashback sobre sua morte!
  • As cenas da Melissa foram poucas, mas foi bem importante a Torrey DeVitto ter dado uma pausa em Chicago Med pra participar do final!
  • O que foi as Mama’s Liars rindo de si mesmas sobre o mistério de como elas saíram do porão? O papel de trouxa da gente nunca para!
  • Se Spencer fez a Melissa sofrer roubando seus namorados. Alex veio para ela em forma de karma.
  • Foi muito fofa a participação da Marlene King no casamento EzRia com seu celular apitando. Aliás, será que ela assistiu muito a Usurpadora?
  • Agora sim, podem encomendar a árvore geneológica da família Hastings-DiLaurentis!

Não deixem de comentar o que acharam do final! Choraram, amaram, se revoltaram, tiveram teorias concretizadas… Podem comentar! Quero agradecer cada um que me acompanhou nessa jornada da última temporada e tenha dividido comigo suas impressões sobre cada episódio dessa história que eu acompanho desde os catorze anos e que agora termina quando entro na casa dos vinte, ou seja, o aperto no coração e emocional abalado vem quando você da adeus pra algo que te acompanha por tanto tempo. Como forma de despedida, vou deixar uma mensagem bem inspirada no vilão da série:

Estão preparados pro revival? See you soon, bitches!

-P.F.

Paulistano e nerd. Viciado em livros e séries que possuem bons dramas, seja de fantasia ou ficção científica. Apaixonado por séries desde a época das tardes de ouro...

Ler perfil completo

São Paulo - SP

Série Favorita: The Fosters & Game Of Thrones

Não assiste de jeito nenhum: CSI: Criminal Scene Investigation

  • Luciene de Lucena

    Senti que a revelação de A.D. deveria ter sido participando junto desde o inicio o que seria possivel e poderia responder muita coisa que ficou sem resposta. Eu torci até o final pro Erza ser o vilão mas no fundo eu sabia que ia ser bom demais pra se realizar, achei bem fan service esse final.

    • Pedro Fernando

      Eu acho que a sua maneira, a Marlene tentou introduzir AD em certos aspectos da historia. O final foi tudo o que esperávamos mesmo, então era beeem difícil que um dos pares românticos das meninas fossem o vilão.

  • porlapazyporlavida lc

    Eu amei o finale. Amei mesmo. A história se encaixou no jeito PLL de ser. A cena de Aria e Ezra sentados no sofá abraçadinhos depois que ela conta que não pode ter filhos deixou meu coração aos pedacinhos. Sempre foram meu casal preferido e foi assim até o fim. Amei muito o desenvolvimento de Emison nessa última temporada. Foi lindo vê-las contruir uma família juntas. E o pedido de casamento de Alison foi maravilhoso. Amei também as sutilidades de Spoby. Todas as cenas que remeteram ao início do relacionamento dos dois me deixaram muito sorridentes. Haleb foi Haleb até o fim. Hanna sempre muito engraçada. Amei. Coitado do Caleb. Eu ri. Vou sentir saudades. Como você, mais ou menos, comecei a assistir na casa dos 16, lá na adolescência e agora com 23 me despeço da série que foi a primeira que acompanhei desde o início. Me sentindo emocional sim.

    • Pedro Fernando

      É marcante né, pensar que deixar de ver esses personagens depois de tanto tempo aperta o coração demaaais! Agradeço por sempre comentar por aqui!

  • Dominique

    Não amei nem odiei o final, acho que da maneira que a série estava vindo o finale foi bem coerente. Fiquei feliz com o elenco que apareceu para se despedir, e com os casais juntos. Alex ser a gêmea e a -A.D. me decepcionou, eles usaram essa história de gêmeos demais. Faltou aquele impacto final, entre altos e baixos fico feliz que a série terminou. Bons tempos em que Mona era -A. Mal terminou e já deu aquele aperto no coração.

    • Pedro Fernando

      Oi Dominique! Também acho que por usarem a historia de gêmeas anteriormente, o impacto dessa revelação tenha sido baixo, já que é bem clichê. O aperto no coração sempre vem ao se despedir de algo por tanto tempo. Até!

  • Ana Luiza

    Olha, na cena do aeroporto eu me vi falando em voz alta: pera aí! E na boa, dava pra fazer um puta desenrolar da história com o enredo. Eu jogaria A.D como Bethany, que pra mim, pelo destaque que teve a personagem lá atrás, permaneceu meio que em aberto. Que tacassem ela como a gêmea louca que cresceu no Radley. Acho que ia ser menos óbvio. Ainda sinto algumas pontas soltas e não queria acreditar que a Marlene ia deixar tão na cara assim o grande desfecho. Insatisfações pessoais a parte, o que foi a atuação da Troian geeente?? Sério! Tô torcendo muito que ela faça uma série foda pra colocar em prática todo esse potencial. Na hora que vi ela atuando, nem reclamei de ter sido um final previsível. Estou apaixonada pelas cenas da irmã má. Também senti falta da cena da morte do Wren. E sou dessas que shippam o casal errado (gostava demais dele com a Spencer e tinha uma leve esperança de ele estar no lado branco da força kkk). Mas enfim, foi um episódio legal, cena final desnecessária. Encerraria sim com a cena da casa de bonecas porque a Mana é rainha AMÉM!

    • Pedro Fernando

      Oi Ana! Eu também acho a personagem da Bethany muito injustiçado, ela foi totalmente esquecida e má explorada, tenho certeza que a Marlene a criou pra tapar buraco (ou criar mais). Confesso que gostava de Wrencer tmb, mas Spoby sempre foi meu time. Se tivessem revelado antes essa gêmea, poderia ter sido melhor trabalhada o quão complexa essa gêmea má era. Obrigado por comentar, até a próxima!

  • Fernanda de Souza

    Eu não gostei do final, odiei mesmo. A história das gêmeas super batido, sem emoção e sem graça. Infelizmente eu esperava mais. Foi um final simples, com motivos fúteis, e achei nada haver. Marlene viajou Muito, enrolou tudo e criou tantas histórias dentro da série que cansou a gente, e enfim dececionou muito. Singelamente ela usou gêmeas pra resolver tudo. Toda vez que achava um furo inventava outra história sem noção pra cobrir. A série terminou mau. Mais pretendo lembrar dos momentos bons , até a 2 temporada.. e começo da terceira eu amei mesmo…depois as enrolação do red coat, big A, uber A, betanny, sara Harvey estragaram tudo. Acho q se fossem menos temporadas e uma história mais concisa a série teria terminado bem melhor. E minha opinião, respeito totalmente quem pensa o contrário. Acredito que houve vários tipos de sentimentos com essa final.

    • Pedro Fernando

      Ei, Fernanda! Que pena que vc não curtiu o final, mas é muito compressível e cada um tem as suas impressões e opinião sobre o episodio! Realmente as enrolações, misterios paralelos, foi criando uma grande bola de neve que faz mesmo a gente desanimar e tentar entender. Obrigado por comentar, até!

    • Leonardo Ferreira

      Gêmea do mal?! Essa foi de lascar!!!!!!!! Usaram algo digno de um dramalhão mexicano. Que ridículo|!!!!!!!

  • Michelly ferreira

    Eu acho que se essa história das gêmeas tivesse sido construída desde o início teria sido melhor, pois a Spencer ao mesmo tempo era inteligente e instável. A Alison deveria ter morrido na 1 temporada aí não precisava tanta enrolação em torno dela pra depois ela ficar uma personagem bem diferente do que nós conhecíamos. Ela poderia ter matado a Alison e torturadado as meninas por inveja da Spencer.

    • Pedro Fernando

      Olá, Michelly! Ficou faltando mesmo essa construção da identidade da personagem mesmo. A Marlene já tinha revelado que o plano era ter matado a Alison ao invés da Charlotte, mas ela não quis se desfazer da personagem.

      • Michelly ferreira

        Se tivessem matado a Alison e colocado as suspeitas na Spencer como estava sendo desde o início tudo faria mais sentido. Mas a Alison continuou só pra ficar com a Emily.

  • Igor Lisboa

    Acho que o maior problema de PLL num geral, foi o planejamento ruim a longo prazo.
    Depois da revelação da Mona, os escritores e a Marlene poderiam ter trabalhado nessa história da gêmea melhor e ter descartado todo o plot da Cece/Charlotte ser A e a Jessica ter uma irmã gêmea e vários outros plots que ocorreram no decorrer dos anos e que não acrescentaram em nada, como por exemplo, o Ezra ter escrito um livro sobre a Ali lá na quarta temporada, quando suspeitavam que ele era A.
    Jogassem toda os crimes nas costas da Alex, isso economizaria bastante tempo (a séria deveria ter acabado na 5 temporada) e seria uma coisa muito mais coesa e trabalhada.
    Ainda assim, acho que essa temporada tem uma saldo positivo, o plot do assassinato do Archer foi legal e os últimos episódios evolvendo o tabuleiro e a “Dark Aria” foram bem legais.
    A finale em si, pra mim foi um grande fim de novela, o mistério sendo resolvido de uma forma “ok”, que não decepciona, mas com certeza também não empolga. Todo mundo casando, tendo filhos e felizes pra sempre.

    A cena final com aquelas garotinhas foi muito forçada, as atrizes eram muito ruimzinhas.

    • Pedro Fernando

      Concordo com vc Igor, faltou boa execução e estenderam alem da conta. Chegou um momento que ninguém se importava mais. Houve tanta gente envolvida nessa historia por simplesmente estar la que tornou tudo confuso.

      Ps: Aquelas garotas eram horríveis.

      Obrigado por comentar!

  • Eu gostei muito do final, apesar de ser rápido, onde a revelação poderia ter começado no início do episódio, eu achei uma história encaixada. Não senti aquela coisa de pontas soltas que muitas séries deixam quando terminam. Eu suspeitava da gêmea da Spencer, e acreditada que ela estava sim junto com o Wren, e que ele fosse irmão do Dunhill. Mas eu esperava mais dele como vilão, de botar medo mesmo, de ser o cabeça por trás disso tudo, afinal ele havia trabalhado em Radley quando Monão estava lá, e isso poderia ter ajudado de fato a entender esse enredo todo. Fiquei chateada de saber que meu Boy era no fundo apenas um apaixonado pela Spencer que conseguiu consolo com a irmã gêmea, porque pra mim não passou disso. E eu fui surpreendida pela amizade da Alex com Charlotte. Ah! Também pensei que a Mary não saberia que tivesse tido gêmeas, até porque ela poderia ter estado sedada e nem ter notado, na Radley, com Jéssica louca ali dominando tudo, isso poderia sim ser possível.
    Troian, Troian, Troian, que mulher! Que atriz! Ela dominou como Alex Drake, porque Alex era surtadíssima, eu AMEI, era tudo o que AD pedia, uma pessoa completamente louca, surtada, sem noção e inteligentíssima, e nada melhor que ser gêmea da mais inteligente das Liars. Foi sensacional.
    Monão! Desejei sua morte quando vi que estava ajudando AD novamente, e ainda bem que não morreu! Saiu por cima, e com um boy maravilhos! Te amo Janel <3

    Por fim, sobre as Liars, a história de amor que durou 7 temporadas, e foi do início ao fim, teve seu desfecho bem fofo, e achei ótimo Aria não se casar no casamento propriamente marcado, porque aquele vestido foi cafona demais, o vestido do casamento real foi lindo <3
    Emison enfim vivendo um grande amor, porque foi o único episódio que senti que a Alison amava Emily de verdade. E as gêmeas, filhas do meu boy Lindas <3
    Haleb, não sei porque veneram tanto o casal, Hanna duas temporadas para cá se tornou extremamente chata, e terminou a série assim, o casal era tudo demais, e acabou ficando chato demais, perdendo aquela magia que fazia os dois serem especiais e diferentes.
    Spoby, senti falta do pedido de casamento que vi em uma foto vazada umas semanas para trás, que havia um pedido de casamento naquele joguinho que eles estavam jogando, por minutos pensei que era isso que a Spencer estava escrevendo quando o Toby havia dormido, mas pelo que eu entendi, a noite antes do casamento foi a Spencer mesmo né? Ou estou louca? Passou uns flashs de quando a Alex foi Spencer e não lembro dessa parte ela ser… espero que não!

    Senti falta do Jason que não deu as caras nessa 7B, quando terminou a 7A eu tava torcendo para Aria terminar com ele, mas o Ezra voltou a ser o mozão que amo.

    Enfim, eu acabei não chorando, mas eu achei tudo lindo, gostei mesmo. Obrigada pelas reviews Pedro!

    • Pedro Fernando

      Ei, Amanda! Que bom vc ter gostado do final. Eu curti também! Sim, faltou um tempo maior do Wren e esperava ele bem obscuro, mas acho que acabou condizendo muito com a personalidade fofa dele e andei vendo entrevista que o ator não pôde fazer tantas cenas pro final, assim como o Jason também, então ficou faltando mesmo. Obrigado por sempre estar por aqui, até a próxima!

  • Mr. Brightside

    Eu gostei muito até pq não assisto desde a 3ra temporada! Amo Ezria, Troian Bellisario samba de salto alto e clueless Hanna melhor pessoa.

  • Jorge

    Eu não entendi aquela cena que a Alex deito do lado da Aria e disse que elas eram mais ligadas. Pq ela gostava mais da aria a ponto de deixar ela entrar no jogo?

    • Pedro Fernando

      Sim, Jorge. Como a Alex queria tudo da Spencer, estava incluído a parceria que a Spencer e a Aria sempre tiveram, o Team SPARIA. Por isso a vez de Aria jogar foi a mais difícil!

  • The death

    Eu gostei, pensei que seria muito pior. A história da gêmea no incomodou em nada.

Queens que merecem redenção em RuPaul’s Drag Race: All Stars – Parte 2

1 semana atráscomentarios

Comemorando que RuPaul’s Drag Race acaba de conquistar o Emmy de Melhor Apresentador de Reality, Melhor Edição de Fotografia e Melhor Figurino (pelo episódio: Oh! My! Gaga!), além da VH1 não perder tempo em agendar a próxima edição All Stars para Janeiro de 2018 (está quase chegando!), em breve teremos a lista oficial das queens que estarão retornando para brigar por um lugar no Hall Of Fame do programa e ter a oportunidade de reescrever parte da sua história na competição. Assim como na primeira parte desse especial, eis aqui uma outra lista de participantes que não conseguiram atingir seu potencial e chegar longe na competição. Então, shall we begin? Trixie Mattel – Temporada 7 (Top 6) Oh honey! Quem não […]

Leia o post completo

Stephen King na televisão

1 semana atráscomentarios

Stephen Edwin King sem dúvida alguma é um (se não for “o”) maior escritor de terror e suspense de todos os tempos. Nascido em Portland, no estado de Maine, cenário da maioria das suas histórias, em 21 de setembro de 1947, teve uma infância complicada, tendo seu pai abandonado a família quando ainda tinha dois anos, e testemunhou um acidente com a morte de um amigo. Já escrevia desde criança, e vendia suas histórias aos amigos. Estudou inglês na Universidade do Maine, casou-se com Tabitha Spruce, em 1971, e lecionou sua formação em Hampden, enquanto isso escrevia para revistas masculinas. Teve problemas com álcool, e em 1999 sofreu um acidente sério, em que foi atropelado enquanto caminhava aos arredores de […]

Leia o post completo

Os piores plots das melhores séries

2 semanas atráscomentarios

Nós podemos até ser Apaixonados por Séries, mas vamos encarar a realidade: se tem uma coisa que não falta neste mundo são séries ruins. Tem aquelas que a gente sabe que são ruins, mas ama mesmo assim, tem aquelas que ficaram ruins por esquecerem da hora de acabar, e tem aquelas que são ruins porque são ruins mesmo. Mas já reparou como mesmo as séries muito boas – recheadas de prêmios e consagradas pelo público e pela crítica – têm aqueles momentos horrorosos, que a gente precisa aturar só porque o resto da trama vale a pena? Neste post, você vai reviver momentos de dor e sofrimento que já passou assistindo àquelas séries que só costumam trazer alegria. Aqueles plots […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter