Os indicados ao Globo de Ouro 2018

As nomeações à 75ª edição do Globo de Ouro foram anunciadas nesta segunda-feira pela manhã por…

Primeiras Impressões: Dark

Dark é uma produção alemã de suspense e terror, criada por Baran do Odar e Jantje…

Primeiras Impressões: A Vida Secreta Dos Casais

Por: em 2 de outubro de 2017

Primeiras Impressões: A Vida Secreta Dos Casais

Por: em

Spoiler Alert!

Este texto contém spoilers leves,

nada que estrague a série ou a sua experiência.

Sabe quando você está super empolgado com um lançamento e quando finalmente chega o dia de assistir, é só decepção? Foi assim que me senti ao assistir A Vida Secreta Dos Casais. São tantas as oportunidades desperdiçadas que dá até pena da nova produção nacional da HBO criada por Bruna Lombardi e Kim Riccelli e dirigida por Carlos Alberto Riccelli.

Reprodução/HBO (Sophia – interpretada por Bruna Lombardi)

Sophia (Bruna Lombardi) é uma sexóloga especializada em terapia de casais. Junto a sua sócia Miranda (Virginia Cavendish), ela comanda o Instituto Tantra, centro de terapia sexual onde seus clientes aprendem a redescobrir seus corpos, se reconectar à sua sexualidade e recobrar a intimidade do casal. Mas a vida de Sophia não é apenas ocupada pelo transcendentalismo. Sua empresa vem passando por sérias dificuldades financeiras, exacerbadas pelo seu ex-marido Jonas (Fernando Alves Pinto), que está chantageando-a pela guarda do filho deles.

Paralelamente, acompanhamos Vicente (Alejandro Claveaux), repórter investigativo, que está escrevendo sobre um escândalo envolvendo um grande banco e políticos corruptos. Ele precisa aprender como trabalhar com a nova fotógrafa que lhe foi designada, Renata (Letícia Colin), que, a primeira vista, parece não entender nada de política, mas tem motivos fortes para desempenhar sua função. Também investigando está o Detetive Luís (Carlos Alberto Riccelli).

A série tem várias premissas interessantes, mas pelo menos nesse episódio, muita coisa ficou sem sentido ou mau executada. Quiseram enfatizar o mistério, mas só conseguiram ficar na exposição desnecessária. Muitos personagens foram introduzidos gratuitamente por uma narração cheia de julgamento e impressão pessoal do personagem. Enquanto isso, personagens muito mais importantes (como o Detetive Luís) ficaram totalmente de lado e ainda não sabemos nada sobre eles.

Reprodução/HBO (Renata e Luís – interpretados por Letícia Colin e Carlos Alberto Riccelli)

Faltou uma melhor costura entre os núcleos. Até as últimas cenas, não há poucas indicações de que as três frentes possuem alguma conexão. Qual é a função do “Detetive” Luis (que só sabemos ser detetive pelas descrições da HBO), que só falou ao telefone e não fez mais nada? A fotógrafa Renata está totalmente perdida e parece ter motivações pessoais sem ligação ao enredo principal, então porque precisamos acompanha-la tirando foto de uma janela sem vidro em um prédio antigo? Quantas vezes teremos que ver Sophia falando frases de efeito sobre relacionamento e intimidade sem absolutamente sem nenhuma relação com os eventos atuais?

O que mais me deixou confuso sobre a premissa geral da série é com respeito à “condição” de Sophia. Jonas diz que ela é esquizofrênica, e esse seria o motivo para que ela temesse perder a guarda do filho. Mas em várias cenas vemos Sophia tendo uma espécie de “visão” ao tocar nas pessoas. Estamos vendo uma série sobrenatural? Seria Sophia algum tipo de xamã do sexo e que consegue prever o futuro? Isso não faz sentido e não se encaixa ao tom sério que tentam passar.

Mas o ponto mais fraco está no fluxo da narrativa. É tudo muito lento. Talvez estivesse fazendo alusão ao sexo tântrico, mas o resultado final foi uma obra extremamente chata de acompanhar. O que é uma pena, pois se a edição tivesse ajudado, o episódio ficaria muito mais interessante de acompanhar, como a cena da festa, que estava muito mais interessante do que a cena de sexo logo após.

Outro problema está nos diálogos. Muitas conversas foram tão triviais e rasas que eu fiquei me perguntando qual era a necessidade de acompanharmos aquilo – e não houve nenhuma. Eu adorei a cena do Vicente com a namorada (Natallia Rodrigues), que foi muito bem feita, mas com diálogos melosos e cheios de clichês baratos sobre romance e sedução. É fácil entender a comparação com o outro casal que não tem comunicação e zero intimidade, enquanto eles colocam fogo no lençol, mas fica a impressão de cena de romance Harlequin.

Reprodução/HBO (Vicente e Michelle – interpretados por Alejandro Claveaux e Natallia Rodrigues)

As cenas do Instituto Tantra, cheio de pessoas nuas e se tocando, foram lindamente filmadas, transmitindo a mensagem de poesia e lirismo da junção carnal entre duas pessoas. Há muito nu em cena, e não houve predileção pelo corpo feminino (finalmente), mas não consegui achar ninguém que estivesse levemente acima do peso ou que não fosse considerado belo pelos padrões de beleza da sociedade (além disso, onde estão os negros?).

Mas a série não é apenas cheia de aspectos negativos. Como disse, as premissas são muito interessantes (mesmo que não sejam bem executadas). O mistério sobre a instituição bancaria e a relação com Sophia e seu instituto é bem instigante e curioso. Nós ficamos investidos em entender o que está acontecendo e descobrir quem é o verdadeiro vilão da temporada (temos pelo menos uns três suspeitos).

Eu espero que o problema de velocidade seja minimamente corrigido nos próximos episódios e que consigam entrelaçar melhor os núcleos para tornar a narrativa mais coesa. A história de Sophia é interessante e não merece ser desperdiçada por um problema editorial tão grande.


Vocês já assistiram à estreia de A Vida Secreta Dos Casais? O que acharam? Fui muito severo na minha crítica? Deixem suas opiniões nos comentários.


Paulo Halliwell

Professor de idiomas com mais referências de Gilmore Girls na cabeça do que responsabilidade financeira. Fissurado em comics (Marvel e Image), Pokémon, Spice Girls e qualquer mangá das Clamp. Em busca da pessoa certa para fazer uma xícara de café pela manhã.

São Paulo / SP

Série Favorita: Gilmore Girls

Não assiste de jeito nenhum: Game of Thrones

  • Renata Vivan

    Amo a Letícia Colin e estava bem empolgada para assistir, mas depois do seu PI, talvez dê preferência a outras séries que quero conhecer.

    • Paulo Halliwell

      Olá, Rê. Eu também adoro a Letícia, mas ela parece tão travada nesse papel que nem parece a mesma atriz. Talvez que a serie fosse lançada em outro momento, com menos concorrência, seria melhor, mas como está, fica bem difícil priorizá-la ao invés de qq outra disponível.

    • Charles Pereira

      PI?

      • Paulo Halliwell

        Primeiras Impressões

        • Charles Pereira

          Valeu

  • Claudio Moura Sindico

    Até tentei acompanhar a série, mas tem outras melhores pra assistir.

×