Os indicados ao Globo de Ouro 2018

As nomeações à 75ª edição do Globo de Ouro foram anunciadas nesta segunda-feira pela manhã por…

Primeiras Impressões: Dark

Dark é uma produção alemã de suspense e terror, criada por Baran do Odar e Jantje…

Awake

Por: em 18 de fevereiro de 2012

Awake

Por: em

 

 

SEN-SA-CI-O-NAL! Não há melhor palavra para descrever o piloto de Awake, e não estou sendo extremamente otimista e/ou supervalorizando o show. Inteligente, instigante e, pelo menos em seu primeiro episódio, sem deixar pontas soltas ao interligar fatos, parece que a NBC acertou em cheio e possui um produto com muito potencial e qualidade em mãos.

A série, anteriormente intitulada REM, foi concebida pelo mesmo criador de Lone Star, Kyle Killen, e possui como showrunner o mesmo escritor de 24 e HomelandHoward Gordon. Ainda, é estrelada por Jason Isaacs (Harry Potter), Laura Allen (Terriers) e Dylan Minnette (Prison Break). Awake terá sua estréia oficial em primeiro de março, mas a emissora disponibilizou-a no Itunes e em seu site oficial.

A série conta a trágica história da família do detetive Mark Britten (Isaacs) que, após sofrer um acidente de carro, começa a viver em duas realidades paralelas: em uma delas o incidente ocasionou a morte de seu filho Rex (Minnette) e na outra de sua mulher Hannah (Allen). Cada realidade possui suas peculiaridades, afinal a perda de uma pessoa importante acarreta em inúmeras alterações na sua vida/rotina pessoal e profissional. Para diferenciar as duas realidades, Britten usa uma pulseira com cores diferentes: a vermelha é utilizada no universo em que sua mulher está viva e a verde naquele em que seu filho sobreviveu. Assim, em cada realidade há plots e elenco distintos:

Divulgada como uma espécie de versão televisiva do fantástico filme A Origem, Awake possui um roteiro genial em que se criam duas realidades completamente distintas, que são conseqüências reais da perda de uma ou outra pessoa, ou seja, em um universo em que se perde a esposa, abre-se um leque de oportunidades para haver uma ligação amorosa, reaproximação com o filho, entre outros. O mais interessante, é que, assim como nosso subconsciente, as realidades se interconectam. Nesse episódio, por exemplo, as pequenas semelhanças dos dois casos foram fundamentais para uma melhor visão do detetive.

Além da brilhante atuação do protagonista Isaacs, faz-se importante ressaltar o empenho e realismo em cena dos terapeutas John Lee e (Wong) e Judith Evans (Cherry Jones). Os doutores parecem ser o alter ego de Britten e dos telespectadores, questionando pontos relevantes, bem como levantando mais e mais questionamentos sobre a mente problemática do detetive. Além disso, eles tentam desconstruir a “outra” realidade de uma forma muito eficaz, que confunde, ainda mais, o protagonista e, é claro, nós.

Circulam boatos na mídia americana de que a série não terá futuro, devido a sua complexidade, principalmente por ser veiculada em canal aberto que, tradicionalmente, cativa um público que acompanha tramas mais “simples”, na forma procedural. Ainda, o grande protagonista do show, Jason Isaacs, estrela outra série (Case Histories) já renovada para uma segunda temporada. Assim, diz-se que Awake estaria com os dias contados antes mesmo de estrear. Honestamente, espero que as especulações não se confirmem, pois seria um desfalque ainda maior para uma temporada extremamente frágil da televisão norte-americana.

É praticamente impossível assistir ao piloto sem se questionar do que é realidade ou não, e o show traz inúmeras possibilidades que irão cativar um público extremamente fiel. E se você ainda está na dúvida de assistir ou não Awake, assista a promo legendada do show:

A primeira temporada contará com treze episódios e você poderá acompanhar as reviews do show, a partir do dia 8 de março, aqui no Apaixonados por Séries!

 

 


Gabriela Carvalho

Porto Alegre - RS

Série Favorita: Big Love

Não assiste de jeito nenhum: Supernatural

  • Washington

    só pela review já fiquei mega curioso!

    • Gabriela Carvalho

      Washington, assiste que você não irá se arrepender. É genial!

  • Micael

    Acho que vou procurar e assistir, gostei da ideia.
    Espero conseguir separar o Isaacs do Malfoy, um dos personagens que menos gosto.
    Só uma coisa que está me perturbando um pouco: será que, se a série for renovada para outras temporadas, ela tem fôlego suficiente?
    Apesar do plot ser bom, acredito que ele não poderá ficar várias temporadas fazendo a mesma coisa…

    Ótima review!

    • Gabriela Carvalho

      Oi Micael!

      Obrigada pelo comentário. Acredito que após você assistir o piloto, você verá as infinitas possibilidades que a série apresenta.

      Apareça sempre!

  • Gilson Junior

    Sem dúvida um dos melhores pilotos q eu já vi na minha vida!!!!!!!!!!!!
    Sensacional é a palavra perfeita. As atuações foram ótimas, a trama mt bem construida e as possibilidades são inúmeras. Acho q eles vão focar mais na possibilidade de uma ser real e a outra ser um sonho msm, mas se adotarem o caminho de ele viver duas realidades alternativas vai ser tão bom qt.
    Fico meio tenso com essas notícias q já assombram a série antes msm dela começar, pois ela poderia ser facilmente a melhor série de 2012! Espero q seja apenas especulação e q dure por mt tempo!
    A review ficou ótima! Concordo com absolutamente td.

    • Gabriela Carvalho

      Oi Gilson!

      Também fiquei extremamente animada com o piloto. Achei tão bem construído e profundo que nem parecia que era o primeiro episódio, onde somos só apresentados aos personagens e plots.

      Aguardo você nas reviews!

  • Andrezza

    Gabi, lindona, fui assistir depois de ler o primeiro parágrafo da sua review.
    Gostei muito, a trama é bem elaborada e o elenco afiado. Não é meu tipo preferido preferido de série, fiquei meio confusa em várias partes do episódio, mas acho que é justamente essa a intenção.
    Vou acompanhar.
    Excelente review!
    Beijos

    • Gabriela Carvalho

      Andrezza,

      acho que Awake, se for dada a possibilidade, vai ser uma daquelas séries tem-que-assistir. O roteiro é tão bem amarrado que será uma surpresa atrás da outra.

      Beijos!

  • Sonia

    Parabéns pela review, também concordo com as suas colocações. Aguardava esta série com ansiedade.É uma história complexa e, por isso, temo pelo seu futuro, mas vou esperar pelo melhor. Percebi que procuraram deixar as duas realidades bem diferenciadas através da cor das imagens : aquela em que a esposa sobreviveu é mais clara e de cores mais vivas, enquanto a outra é mais cinzenta e sombria.

    No meio de tantas estreias regulares, com certeza, Awake se destaca. Alcatraz é interessante, mas não atendeu às minhas expectativas.

    • Gabriela Carvalho

      Oi Sonia!

      São esses detalhes, como os cuidados com a fotografia da série, que mostram o quão bem planejada a série foi. Roteiro primoroso, atuações excelente, enfim, inúmeras qualidades que fazem a série impressionar.

      Acredito que Awake foi pensada como uma trama intrigante e inteligente, diferentemente de Alcatraz que utiliza elementos “manjados” que a audiência da TV aberta americana gosta.

      Agora vamos torcer para que no dia 1o de março a audiência seja satisfatória.

      Apareça sempre!

  • Micael

    Acabei de assistir. Também adorei.
    A atuação do Isaacs é ótima, sinto cheio de prêmios…
    Os minutos finais do episódio são fantásticos.

    • Gabriela Carvalho

      Micael,

      que bom que você gostou! Espero que você acompanhe as nossas reviews de Awake.

  • Gostei da premissa da série, acho bastante interessante esse tipo de trama, está muito bem atuada e com um ótimo roteiro.
    Mas na minha opinião, essa não é uma estória que deve ser esticada por 4 ou 6 temporadas, estaria muito satisfeita se fosse uma mini-série de 15 episódio por exemplo.
    Se não vai ficar nessa enrolação sem fim, eu gosto que as estórias tenham começo, meio e fim e sentido.

    Se fosse pra chutar qual realidade é verdadeira, diria que o filho está morto e a mulher viva, perder a pessoa amada é ruim, mas até que “biologicamente” normal, mas um filho morrer antes de vc e por sua culpa, é muito pra qualquer ser humano, isso é um trauma muito grande mesmo.

    • Gabriela Carvalho

      Oi Raquel!

      Obrigada pelo comentário. Confesso que fiquei pensando bastante qual é a realidade verdadeira, mas ainda não consegui formular uma opinião. Acredito que exista inúmera possibilidades, o que tornará a série excelente.

  • Bruna Yugulis

    Vi o piloto ontem e fiquei muito empolgada, a série tem um potencial enorme, uma série mais adulta e que pode ganhar muitos fãs eu acho. Espero sinceramente que a série continue porque tem capacidade para pelo menos umas 4 temporadas né? A fotografia da série é uma coisa muito notável também, muito bem trabalhada e os atores estão ajudando muito, somente ótimos atores.
    Tô ansiosa pra mais episódios, espero de verdade que dê certo. E ai, já sabe em qual realidade acreditar? haha

    Beijos, ótima review

    • Gabriela Carvalho

      Oi Bruna!

      Também estou extremamente empolgada com o show e vai ser muito difícil esperar até o dia 8 de março para poder ver um episódio inédito.
      Quanto a realidade verdadeira, ainda está muito complicado de fazer uma aposta. Existem inúmeras possibilidades: a da mãe, a do filho, ser uma realidade paralela, nenhuma ser real e ele estar em coma por exemplo. Entretanto, é isso que me anima a continuar a ver a série!

      Apareça sempre!

  • Gabi….que série. Coisa linda maravilhosa que vc disse. Ótima review.

    Eu fiquei bastante confuso durante o episódio. Ficava me perguntando: a realidade que é a dra. Evans é a do filho ou da esposa? Mas isso me fez amar ainda a série. Umas coisas quero te perguntar e podemos teorizar juntos.

    Quando ele corta a mão, na realidade verde a mão não está machucada, né? Então não existe como ele provar….por exemplo: digamos que ele tire uma foto com a esposa na realidade vermelha, guarde com ele na hora de dormir e quando acordar na realidade verde, mostrar para a dra. Evans a foto, como uma prova da existência da outra realidade. Mas tudo muda, o corpo dele (evidenciado pelo corte), as reformas na casa…enfim. Então quando ele dorme e acorda na vermelha, é como se o tempo não passasse na verde, certo? Dai ele dorme e acorda na verde, começando do ponto em que parou antes de acordar na vermelha. Pois do contrário, ele passaria um dia dormindo na realidade oposta.

    E na realidade vermelha, o parceiro da verde ainda existe, e vice-e-versa. Na vermelha, o negro é ex parceiro que está sendo transferido, e na vermelha, o outro ainda é só policial, e não detetive. Será que dr. Lee existe na realidade da dra. Evans? Pois provaria que não é um psiquiatra inventado.

    E pode me explicar sobre a teoria da dra. Evand quando ele leu sobre a constituição? Fiquei tão perdido que não,entendi.

    Mas amei a série. Tem mt potencial e pelos casos da semana o povo americano pode acabar gostando, apesar de complexa. Isaacs está perfeito, e a cena final com o pedido da esposa foi simplesmente linda.

    • Gabriela Carvalho

      Caio querido!

      Desde que assisti o piloto criei umas cinco teorias diferentes, mas acredito que ainda seja muito cedo para apostar em alguma, até porque a série deverá nos apresentar inúmeros novos elementos em cada episódio.

      Vamos marcar um dia no talk para teorizarmos a respeito, hehe.

      Beijos!

  • Série com cara de tv a cabo. Não acho que dure na NBC. Confesso que não passei da metade do episódio. Achei meio chatinho e, a meu ver, seria melhor se o protagonista fosse a esposa.

    • Gabriela Carvalho

      Rodolfo,

      acho que tens que tentar assistir pelo menos mais episódio. Acho que a série será imperdível.

      Beijos.

  • Series

    eu também me confundi um pouco quando ele leu a constituição, mas voltando mais uma vez, o que aconteceu foi o seguinte: a terapeuta deu um papel a ele, sem revelar o conteudo e pediu pra ele ler algo aleatoriamente, e ele leu um trecho, então ela perguntou se ele havia decorado a constituição e ele disse que nao, ora, se ele não decorou a constituição, como ele poderia ter lido ela, mostrando que aquilo não era um sonho, fiquei meio que acreditando que essa era a verdadeira realidade, mas na verdade, podem existir n motivos pra ele ter lido e ainda assim estar numa realidade paralela

    • Gabriela Carvalho

      Esta parte da Constituição é um pouco complicadinha mesmo, mas entendi exatamente da mesma forma que você e concordo que as inúmeras possibilidades do show não nos permite cravar uma teoria logo no início da série.

  • Evaristo

    Assisti ao piloto ontem e também achei GENIAL! Espero que não se perca nos próximos episódios porque, como a própria Gabriela escreveu na excelente review, as possibilidades de desenvolvimento do roteiro são praticamente infinitas! Espero também que a série se mantenha por mais temporadas e com cada temporada tendo cerca de 13 episódios mesmo, estilo tv paga, sem “encher muita linguiça”.

    Por falar nisso, bem que os produtores poderiam tentar emplacá-la em algum canal por assinatura. Pelo piloto, a série passaria facilmente como uma série da HBO, Showtime ou até mesmo da AMC, só para citar alguns exemplos. Tenho medo da continuidade da série na tv aberta. Produtores com propostas ousadas como essa deveriam oferecê-las diretamente para a tv paga. E nem parece ser o tipo de série assim tão cara que não se sustentaria fora da grade das grandes redes abertas.

    Tô com o Caio também e, apesar do Series ter entado explicar, ainda não entendi muito bem o lance da constituição.

    • Gabriela Carvalho

      Oi Evaristo!

      Obrigada pelo comentário. Estou com muito medo da recepção do público norte-americano e também ficaria mais tranquila se Awake fosse exibida em algum canal por assinatura.

      Apareça sempre!

  • Robert Diego

    Universo vermelho, universo verde, realidades alternativas, acidente de carro, risco de cancelamento. Tantas coincidências com FRINGE. Será que é a fonte inspiradora?

    • Gabriela Carvalho

      Oi Roberto!

      Fringe é uma série tão espetacular e complexa que me faz compará-la com tudo. Entretanto, acho que Awake, apesar de utilizar elementos parecidos, trilhará um caminho único.

      Espero que você continue acompanhando o show conosco!

  • Gostei muito da série e continuarei a acompanhar a série e as reviews pelo blog.

    Gabriela, vc já pensou em alguma teoria de qual realidade existe ou se nenhuma das duas existe?

    • Gabriela Carvalho

      Oi Keila!

      Confesso que desde que assisti o piloto já me passaram inúmeras teorias pela cabeça, mas ainda não me arrisco a dizer o que está acontecendo com o Britten!

      Te espero nas próximas reviews.

  • Renata

    Eu realmente amei o piloto. Já assisti um filme parecido com Demi Moore onde ela era numa vida uma executiva bem sucedida e na outra uma dedicada mãe de família. Até hoje nunca consegui descobrir qual era a realidade e qual era o sonho. O que me fascinou em Awake foi exatamente isso. Qualquer uma das duas vidas do protagonista pode ser real. Ou nenhuma das duas… Seria ele o morto? Ou estaria em como? Ou as duas realidades são reais?
    Enfim… da pra discutir isso por um bom tempo.

  • Paulo Cesar Ferraro

    O negócio da constituição não é tão complicado, a terapeuta imprimiu algumas páginas da constituição e ele leu um trecho palavra por palavra, o ponto da terapeuta é que como ele não memorizou aquilo é impossível que ele esteja citando em um sonho, pois não se aprende nada em um sonho, não dá para tirar uma nova informação ou realizar uma leitura de algo que você não conhece em um sonho.
    Mas se vocês forem atentos verão que aquilo que ele lê é na verdade uma informação comum que não é de espantar que um americano possua.
    E também a série trabalha ali através dos terapeutas que o protagonista não está em realidades alternativas e sim que ele vive em uma realidade e que ao mesmo tempo desenvolve um universo complexo similar a realidade enquanto está dormindo. Então uma das realidades ocorrem enquanto o protagonista na verdade dorme.
    Sinceramente eu não vejo a série indo para o lado de ficção científica e explorando a coisa de universos paralelos, faz muito mais sentido se ater a psicologia e no final o cara estar em coma seria muito batido, a minha torcida é que uma das realidades realmente seja a correta enquanto a outra apenas um sonho e que a partir dos episódios vamos embarcando com o protagonista na busca por uma resposta, embora no final do piloto ele deixa claro que não quer deixar uma realidade, mas acho que deve acontecer alguma coisa que vá forçá-lo a procurar pela realidade correta, vejo até ele tentando cometer suicídio para ver se acorda de uma das realidades.

  • gabriel pimentel

    eu estou com um pouco de receio em assistir, pois tenho a impressão que n vai muito longe, os americanos são preguiçosos e não assistem séries mais complexas ex: fringe
    vou esperar mais alguns episódios =)

  • Ana Célia Gomes Pedroso

    Foi uma pena essa serie não ter tido continuidade! A trama é muito boa, e o que mais me fascina é exatamente a complexidade, onde podemos debater a teoria Espaço-Tempo de Albert Einstein.

×