Breakout Kings

9 de março de 2011 Por:

Livre de quaisquer opiniões, fui assistir ao piloto da série e não me arrependo de ter despendido 40 minutos da minha semana na série. Com algumas ressalvas que serão ressaltadas durante esse texto, posso garantir que para quem curte o gênero policial/ação, a série foge do lugar comum de muitas tramas policiais e busca nessa novidade explorar personalidades tão diferentes, mas que no fundo buscam a mesma coisa: fugir.

“Everybody is always running for something”

Breakout Kings tem uma premissa simples. Policiais buscam na inteligência de bandidos já condenados, a ajuda para capturar novos fugitivos e como mérito, os fugitivos reduziam suas penas e eram transferidos para prisões mais seguras. O interessante da série é mostrar que até mesmo os nosso protagonistas, policiais e que deveriam ser o lado ‘bom’ da trama, tem um passado nebuloso, do qual querem fugir. Ray, um policial em condenação por extorsão de dinheiro, a muito tempo já tinha sugerido utilizar de prisioneiros para caçar novos fugitivos, mas parece, pelo menos no piloto, que essa idéia foi descartada. Depois de muito tempo, agora com o comando de Charlie, a idéia é retomada e trabalhando em dupla, os dois tem de comandar uma equipe que servirá a US Marshall. A dupla faz o verdadeiro estilo ‘não suporto você, mas vou ter que te tolerar’ e discordam a todo momento, o que me fez temer cair pro lado cômico, o que fugiria totalmente da intenção inicial. Apesar das pitadas de humor, a dupla funciona bem e gera os conflitos necessários para prender a atenção do público.

Temos também nossos criminosos, que a meu ver, são muito mais interessantes do que os policiais. O lado negro escondido de cada um os torna charmosos por si sós e toda a inteligência utilizada para o próprio benefício torna tudo mais interessante. De longe, o mais interessante deles é Lloyd, inteligentíssimo, com sacadas geniais e uma leitura da mente humana incrível. Preso por problemas com suas apostas, o prodígio do grupo vê nessa oportunidade, a chance de sair daquele ambiente hostil com o qual ele não sabe lidar. Grandes problemas com a rejeição de sua mãe também devem ser tocados ao longo da trama. Philly é uma bela mulher que utiliza do seu charme para conseguir o que quer, ou seja, uma excelente golpista que pouco revela o seu passado. Shea é o típico gangster da parada, cheio de gírias e malandragem, dá o toque que faltava para o grupo fluir. E tem também o coroa lá que tenta se dar bem logo de cara e consegue mesmo é um passe só de ida para a cadeia com direito a aumento na pena.

Como eu não conhecia muito do que seria o piloto, imaginei que a captura do tal Tillman (que foge da prisão no melhor estilo Scolfield de ser, relembrando bem Prison Break) seria tipo um arco de episódios e não algo do tipo ‘caso da semana’. Não sei como a série pretende se encaminhar, mas acho que esse gênero mais solto não seria muito interessante, mas pode ser uma maneira de ganhar um público mais maleável. A agilidade da trama também foi algo que me agradou bastante, bem rápida, com sacadas e ações extremas, coisas que prendem a atenção de quem está assistindo e que provavelmente voltará para ver mais. Agora uma das coisas que me incomodou bastante foi o episódio terminar de um jeito bem conclusivo, sem tramas abertas, sem um bom Cliff para atrair a audiência. Esse é um dos maiores problemas que pode existir para mim em um piloto: a falta de algo que prenda o público. Apesar da trama ser muito interessante, a gente quer é ser tomado por ela, ser levado para dentro desse rolo de confusões que os personagens se metem e por isso o Cliff é tão importante. Pecando nessa ponto, acho que não houve nenhuma maior penalidade para a série.

Dos criadores de Prison Break, Breakout Kings veio para mostrar uma nova face da cadeia, dessa vez longe dos mocinhos inocentes e mais perto dos criminosos de verdade. Ação, drama, aventura e muita agilidade na trama, o novo drama do A&E tem tudo para se tornar uma excelente série e garantir a fidelidade do público. Dissecando a mente obscura dos criminosos e usando isso a seu favor, a série manda bem em personagens, casos e tempo de tela, bastando agora garantir seu lugar entre o cenário atual. Vale a pena ser assistida e logo você conferirá nossas impressões semanais. Até mais!

Caiçara, viciado em cultura pop e uns papo bobo. No mundo das séries, vai do fútil ao complicado, passando por comédias com risada de fundo e dramas heroicos...

Ler perfil completo

Santos - SP

Série Favorita: Arrow

Não assiste de jeito nenhum: The Walking Dead

  • Andrezza

    Prision Break é uma das melhores séries que já assisti. Quando li que dois roteiristas de PB estavam criando uma nova série fiquei muito empolgada.
    Concordo inteiramente com suas primeiras impressões, Leandro, a única coisa que faltou foi um bom cliff.
    Fora isso, a série tem parte das estratégias de fuga de PRISION BREAK, a leitura de mentes de LIE TO ME com o condenado Lloyd, o comportamento do criminoso analisado em busca do seu próximo passo, como em CHASE.
    Além disso, Philly me lembrou a Sophie de LEVERAGE.
    Por fim,a utilização de criminosos para pegar criminosos é bem WHITE COLLAR.
    Em suma: ótimos ingredientes para uma série imperdível. Espero que a audiência americana concorde.
    Até o próximo epi!
    Abraços.

    • Leandro Lemella

      Como eu não assisti a maioria das séries que você citou, tirando Prison Break é claro, não posso falar muito sobre os elementos e tal, mas tudo me agradou bastante em Breakout Kings, só ressaltando o cliff que faltou, mas acho que isso é arrumável com o passar dos episódios!

      Até o próximo episódio, abraço!

      • Andrezza

        Leandro, Chase tem uma boa idéia, mas alguns episódios fracos. Lie to Me era excelente até a metade da segunda da temporada.
        Já Leverage me divertiu em todas as 3 temporadas. White Collar, após exibir uma ótima primeira temporada, encerrou essa semana sua impecável segunda temporada.
        Se você algum dia tiver tempo, recomendo: Lie to Me (até a metade da segunda temporada), Leverage e White Collar.
        Enquanto isso, vamos aguardar o próximo de BK!
        Abraços

  • Jéssica

    Olá, gostaria de saber se ja encontro para comprar a primeira temporada da série Breakout Kings??

  • Natália Araújo

    vi só o episódio em que aparece o T-Bag de Prison Break e parece ser muito boa, irei acompanhar porque Prison Break é uma das minhas séries preferidas e essa tem tudo pra ser ótima.
    uma verdadeira mistura de Prison Break e White Collar

  • Gostaria tbm de saber onde encontro pra comprar a serie completa ou as primeiras temporadas?

  • Laila Daré

    Alguém sabe qual a previsão de sair o próximo episódio de Breakout kings?

    • Leandro Oliveira

      Essa série já foi cancelada. Não terão novos episódios.

Girlboss: guia do que NÃO fazer na vida adulta

2 semanas atráscomentarios

Teve gente que gostou de Girlboss, teve gente que achou a série fraca. Mas em uma coisa todo mundo certamente concorda: Sophia é um dos piores seres humanos que já vimos como protagonista de uma série. E com ela a gente pode aprender muito sobre o que não fazer para ser uma pessoa melhor. 5. Não roubar Em GirlBoss, uma das primeiras coisas que descobrimos sobre Sophia é que ela acha normal roubar. Não, ela não rouba porque precisa, porque quer ajudar alguém, ou se quer por uma questão de princípios contra uma sociedade capitalista. Sophia rouba porque se sente superior e simplesmente não respeita os outros, – muito menos suas propriedades. 4. Não ser egoísta com a melhor amiga […]

Leia o post completo

Desafio: você se lembra de quem foi essa declaração de amor?

2 semanas atráscomentarios

Ah, o dia dos namorados. Aquele momento do ano para espalhar aos quatro cantos nosso sentimento por aquela pessoa especial, que faz o coração acelerar e as palmas da mão suarem. Aquela pessoa por quem você faria qualquer coisa, até mesmo deixar a vergonha – ou o medo – de lado para professar seu amor. Nas séries, existem muitos personagens  que não esperam data especial nenhuma para declarar seu amor, seja num momento de desespero, num pedido de casamento ou só para reforçar aquilo que o parceiro já sabe e Tom Jobim cantava aos quatro ventos: é impossível ser feliz sozinho. Você também acredita nisso e se derrete toda vez que sabe que chegou a hora de surtar, porque vai ter […]

Leia o post completo

Guia da Trilha Sonora: Scream – Season 1

3 semanas atráscomentarios

Entre os poucos pontos positivos que posso destacar em Scream, a trilha sonora fica em primeiríssimo lugar (talvez porque seja da MTV). Misturando canções atuais, dançantes e tristes, que fazem parte da vida dos jovens de Lakewood, a série soube utilizá-las para compor a história e os personagens. Assim, nada melhor do que ouvir as músicas da primeira temporada, agora disponível em uma playlist na nossa conta do Spotify!

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter