Primeiras Impressões: Bull

24 de setembro de 2016 Por:

Bull, estreia da CBS para esta fall season, é mais um procedural jurídico que, já no piloto, apresentou um roteiro previsível, meio mal construído e pouco interessante. A direção é de Rodrigo Garcia e Peter Leto, e o elenco traz  Michael Weatherly (NCIS), Freddy Rodríguez (The Night Shift) e Geneva Carr (Law & Order: SVU) como personagens principais.

bull-piloto

Para não dizer que nada se salva ali, saiba que a premissa é até interessante. Um psicólogo especialista em analisar o perfil do júri para ajudar advogados a conseguirem sentenças favoráveis. Além de ser um exímio observador das manifestações da psiqué, ele conta com a tecnologia para preencher as lacunas que seus olhos não são capazes de captar. Em um momento em que discute tanto a exposição nas redes sociais e a invasão da privacidade por governos e gigantes da tecnologia, é um bom tema para se explorar.

Em três minutos de episódio, eu estava empolgada com as possibilidades que se abriam a partir dessa ótica. Em seis minutos de episódio, já sabia que eles passariam longe de aproveitar aquele potencial. O meme da semana é se definir com três personagens de ficção, e o Dr. Bull certamente postaria uma montagem com o Tobby de Scorpion, o Dr. House e Brian, de Limitless. Há dez anos, escolher um homem genial, sarcástico, engraçadinho e com insights que salvam o dia como protagonista de série era uma excelente ideia… hoje em dia é só mais do mesmo.

O caso do dia foi interessante: uma jovem é assassinada, jogada no mar, e o filho de um milionário é acusado pelo crime. O time de advogados não está se saindo tão bem, e o pai do rapaz resolve recorrer à ajuda especial do Dr. Bull para entender melhor o quadro e reverter a rejeição do rapaz. Algumas revelações foram de fato surpreendentes, e o piloto teve sim os seus momentos memoráveis, mas também teve elementos que pareceram estar ali só para preencher o tempo de tela, como um tiroteio meio sem propósito e um vazamento de fotos íntimas que não fez muita diferença no resultado final. Onde havia espaço para surpreender, optaram por fazer exatamente o que já estávamos esperando, e a conclusão do caso foi fraca, para dizer o mínimo.

A ausência de uma história de fundo pode acabar afastando o público, que mesmo em um procedural, busca um link entre os episódios na trama de fundo dos personagens fixos. Para dar certo apostando apenas nos casos do dia, eles vão precisar aprimorar muito o formato e as abordagens, além de aprofundar os personagens, que foram apresentados de forma extremamente superficial neste primeiro episódio – parte da “culpa” certamente veio da direção de elenco, muito aquém da esperada para o padrão que temos hoje em dia. Do contrário, acabará se tornando mais uma série esquecível e a boa audiência da estreia deve cair semana a semana.

bul-zzzzz

Já assistiu ao piloto de Bull? Gosta tanto de procedurais que vai dar uma chance à série mesmo assim? Deixe seu comentário e continue acompanhando as nossas Primeiras Impressões sobre as estreias desta fall seaason! Até a próxima!

 

Jornalistatriz, viajante, feminista e apaixonada por séries, pole dance e musicais.

Rio de Janeiro / RJ

Série Favorita: Homeland

Não assiste de jeito nenhum: Two and a Half Men

  • Nickolas Girotto

    Humm Lais, não vou assistir hehe.
    Eu gostava muito de The Mentalist, acho que também deve entrar na lista de series similares, assim como Lie to me, acho que como você disse, já não é mais novidade.

    Obs.: Entendo pq voce parou de escrever sobre a série Justiça, da metade em diante a série ficou muito fraca, quase não tinha mais vontade de ver.

    • Laís Rangel

      Oi, Nickolas! Pois é, nada de novo, Bull parece uma releitura dessas séries, mas será que hoje em dia isso ainda é suficiente para segurar o público? Tenho dúvidas…
      Sobre Justiça, de fato a qualidade deu uma baita caída, mas o que pesou mais foi o tempo mesmo… acompanhar diariamente ficou difícil nas últimas semanas por causa do trabalho. Mas publiquei agorinha mesmo uma última review sobre o fim da série e alguns fatos referentes à terceira e quarta semanas. Fique à vontade para comentar lá se quiser 😉

      Bjs, obrigada pelo comentário!

  • milatelcontar

    Vi o piloto hoje.
    Realmente não dá pra aproveitar muita coisa, e eu gosto de procedurais.
    A série quer ser Lie to me, mas sem roteiro bom. Eu gostava do Michael em NCIS, mas ainda não mostrou a que veio nessa não.
    Além dos diálogos rasos, que vc pensa: como um advogado deixaria a discussão morrer em 2 frases de efeito??

    • Laís Rangel

      Sempre que eu não gosto de um procedural, eu fico em dúvida se é por eu não ser fã do formato ou se a série é ruim mesmo ahahaha pelo menos com a sua opinião eu já fico com a consciência mais leve de não ter gostado xD
      Em vez de perder tempo com aquele tiroteio esquisito, poderiam ter desenvolvido melhor os diálogos, né?
      Obrigada pelo comentário =)

      • Andrezza

        Ontem comecei a escrever um post Top séries jurídicas. De repente li essa sinopse e pensei em assistir o piloto. Ainda bem que vim procurar a PI no blog porque me poupou tempo. Com tanta série boa encalhada na minha watch list, imperdoável gastar tempo com algo assim.
        Obrigada pela dica! =)

  • Wander

    Plmdds. Desisti depois de 12 minutos. História clichê, situações forçadas, montagem confusa e personagens intragáveis e com uma profundidade de um pires. Não dá. Parabéns pela coragem Laís! haha

Desafio: você se lembra de quem foi essa declaração de amor?

2 semanas atráscomentarios

Ah, o dia dos namorados. Aquele momento do ano para espalhar aos quatro cantos nosso sentimento por aquela pessoa especial, que faz o coração acelerar e as palmas da mão suarem. Aquela pessoa por quem você faria qualquer coisa, até mesmo deixar a vergonha – ou o medo – de lado para professar seu amor. Nas séries, existem muitos personagens  que não esperam data especial nenhuma para declarar seu amor, seja num momento de desespero, num pedido de casamento ou só para reforçar aquilo que o parceiro já sabe e Tom Jobim cantava aos quatro ventos: é impossível ser feliz sozinho. Você também acredita nisso e se derrete toda vez que sabe que chegou a hora de surtar, porque vai ter […]

Leia o post completo

Guia da Trilha Sonora: Scream – Season 1

2 semanas atráscomentarios

Entre os poucos pontos positivos que posso destacar em Scream, a trilha sonora fica em primeiríssimo lugar (talvez porque seja da MTV). Misturando canções atuais, dançantes e tristes, que fazem parte da vida dos jovens de Lakewood, a série soube utilizá-las para compor a história e os personagens. Assim, nada melhor do que ouvir as músicas da primeira temporada, agora disponível em uma playlist na nossa conta do Spotify!

Leia o post completo

House of Cards e a Política Brasileira

3 semanas atráscomentarios

Primeiramente, #foratemer. E se você ainda não conferiu a última temporada de House of Cards, não se preocupe, esse texto não contém spoilers, – apenas reflexões. Pra gostar de House of Cards você precisa torcer pelos Underwood. Claro, a gente sabe o quanto eles são escrotos, mas é ficção, certo? Não tem problema torcer pelos vilões. Ou pelo menos era o que pensávamos em 2013, quando a série estreou. Mas de lá pra cá a política mundial virou de ponta à cabeça. Os Estados Unidos elegeram Trump e nós tivemos Temer enfiado goela abaixo. Isso sem contar os acontecimentos dignos da ficção, como a morte de Teori Zavascki, a delação do Joesley e os testes nucleares da Coréia do Norte. […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter