Primeiras Impressões: Disjointed

26 de agosto de 2017 Por:

A Netflix disponibilizou, na última sexta-feira (25/08), em seu catálogo a sua nova série original cômica, Disjointed. O seriado narra a história de Ruth (Kathy Bates), uma defensora da legalização da maconha, que possui uma loja que vende produtos derivados da cannabis. Ela tem como braço direito o filho, Travis (Aaron Moten), e mais o staff composto por três ajudantes, Jenny (Elizabeth Ho), Olivia (Elizabeth Alderfer) e Pete (Dougie Baldwin), e mais o melhor segurança do pedaço Carter (Tone Bell).

Divulgação/Netflix

Loucuras, loucuras e mais loucuras, isso marca a maior parte da série, mas não poderíamos esperar outra coisa, já que estamos falando de um seriado que envolve maconha. Essa loucura é, de modo geral, algo bom, pois traz muita graça para a série e também acaba camuflando as piadas forçadas e sem graça, que também não estão de fora de Disjointed. Entretanto, em alguns casos, essa loucura acaba sendo excessiva, nos deixando um pouco perdidos em determinados momentos do episódio.

Um ponto que chamou a minha atenção foi a abordagem da relação mãe e filho, um assunto comum em séries e, de certa forma, sério, tudo isso de uma maneira sútil e engraçada. Sendo ele, a relação entre Ruth e Travis, que ficou marcada pelas tentativas dele em transformar o negócio atípico da mãe em uma grande empresa. A busca pela aprovação da mãe alternativa enriqueceu a trama e trouxe um ponto muito interessante para ser desenvolvido no futuro.

Divulgação/Netflix

A divisão de núcleos da série também chamou atenção positivamente. Essa foi uma ideia inteligente e inovadora no campo das sitcom, seremos apresentamos a diferentes linhas de narrativa em um mesmo momento, uma vez que descobriremos mais sobre a família de Jenny, enquanto ouvimos os discursos de Ruth sobre a legalização da maconha. Esse é um recurso que mostra um potencial enorme, mas precisa ser muito bem utilizado, ou seja, não pode deixar nenhuma história perdida conforme a série for avançando.

Algo que não pode faltar em nenhuma série é… o romance.

Afinal, todos nós gostamos de ver que os personagens também são humanos, sofrem pelas mesmas coisas que todos. Confesso que gostei bastante (assim como a Ruth) do romance Olivia e Travis. Será interessante entender essa história, que já começou com um papo diferente: metanfetamina X maconha.

Divulgação/Netflix

Kathy Bates é um outro ponto alto de Disjointed. Ela entrega um trabalho incrível e diferente do que ela tem feito nos últimos anos, ela conseguiu encaixar-se perfeitamente no papel e trazer muita graça para o seriado com a sua atuação.

Vale a pena assistir? Certamente

Disjointedcomo um todo, não deixa a desejar, inclusive entrega mais do que se esperava, acredito que seja uma daquelas séries para passar o tempo ou para maratonar em um “sábado da preguiça”.

Confira o trailer da série:

Já assistiu Disjointed? Comente o que achou!

Amante de Taekwondo. Potterhead. Adora tudo que envolva séries, cinema, livros, músicas e muitas outras coisas. Gaúcho, wanderlust, que passaria viajado e curtindo a vida como ela deveria...

Ler perfil completo

São Leopoldo - RS

Série Favorita: Hawaii Five-0

Não assiste de jeito nenhum: The Big Bang Theory

1 Contra Todos

1 semana atráscomentarios

Com a lei de incentivo à produção nacional, várias produções poderiam sair do papel. Muitas delas não têm a menor pretensão de introduzirem uma ideia nova ou em mesmo de fazer sucesso. É por isso que uma série estoura na medida em que 1 Contra Todos fez, a gente tem que prestar atenção e dar os louros. Cadu (Júlio Andrade) é um advogado de Taubaté que será pai pela segunda vez, mas perde o emprego devido seus princípios éticos. Para piorar sua situação, é injustamente preso ao ser confundido com o Doutor do Crime, maior traficante do país. Para tentar sobreviver, e com o apoio de sua esposa Malu (Julia Ianina), ele decide se passar pelo criminoso como única forma […]

Leia o post completo

Queens que merecem redenção em RuPaul’s Drag Race: All Stars – Parte 2

1 semana atráscomentarios

Comemorando que RuPaul’s Drag Race acaba de conquistar o Emmy de Melhor Apresentador de Reality, Melhor Edição de Fotografia e Melhor Figurino (pelo episódio: Oh! My! Gaga!), além da VH1 não perder tempo em agendar a próxima edição All Stars para Janeiro de 2018 (está quase chegando!), em breve teremos a lista oficial das queens que estarão retornando para brigar por um lugar no Hall Of Fame do programa e ter a oportunidade de reescrever parte da sua história na competição. Assim como na primeira parte desse especial, eis aqui uma outra lista de participantes que não conseguiram atingir seu potencial e chegar longe na competição. Então, shall we begin? Trixie Mattel – Temporada 7 (Top 6) Oh honey! Quem não […]

Leia o post completo

Stephen King na televisão

1 semana atráscomentarios

Stephen Edwin King sem dúvida alguma é um (se não for “o”) maior escritor de terror e suspense de todos os tempos. Nascido em Portland, no estado de Maine, cenário da maioria das suas histórias, em 21 de setembro de 1947, teve uma infância complicada, tendo seu pai abandonado a família quando ainda tinha dois anos, e testemunhou um acidente com a morte de um amigo. Já escrevia desde criança, e vendia suas histórias aos amigos. Estudou inglês na Universidade do Maine, casou-se com Tabitha Spruce, em 1971, e lecionou sua formação em Hampden, enquanto isso escrevia para revistas masculinas. Teve problemas com álcool, e em 1999 sofreu um acidente sério, em que foi atropelado enquanto caminhava aos arredores de […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter