Primeiras Impressões: Haters Back Off

18 de outubro de 2016 Por:

A Netflix lançou recentemente a primeira temporada de sua nova série Haters Back Off, estrelando a youtuber e celebridade da Internet Miranda Sings (Colleen Ballinger). A série acompanha a vida da jovem Miranda, que almeja o estrelato mesmo que não tenha algum talento especial, e de sua família.

Haters Back Off - S01x01

O episódio de estreia mostra a jovem Miranda Sings adicionando seu primeiro vídeo ao Youtube e todo o desenrolar inicial a partir deste fato. De cara, conhecemos a família de Miranda e só podemos chegar a uma constatação: ou eles são muito ingênuos, ou eles vivem em um universo totalmente paralelo e alienado. Os personagens não criaram empatia nenhuma, pelo contrário, só causaram uma sensação de “qual o problema com esses indivíduos?”

Essa família é formada por Miranda, sua mãe Bethany (Angela Kinsey de The Office), seu tio Jim (Steve Little), o mais ingênuo e idiota de todos, e sua irmã Emily (Francesca Reale), que mesmo sendo a mais nova da família parece ser a que tem mais bom senso.

Haters Back Off - S1X01

A temática da série é muito boa e bastante atual: pessoas que tentam fazer sucesso na Internet. Entretanto, quando colocados personagens completamente alienados, fora da realidade e que desconhecem a lógica da Internet, não funcionou. A série é arrastada, quando já estamos saturados de uma determinada cena ela só se prolonga cada vez mais e ainda com um humor forçado. Se a tentativa foi criar um humor nonsense, Haters Back Off precisa aprender muito com Scream Queens ainda (não querendo comparar porque a comparação aqui é inviável).

A parte mais engraçada da série ficou por conta de Miranda Sings fazendo o que sabe fazer de melhor: nada. É muito engraçado ver a personagem sempre tentando cantar ou atuar ou até mesmo passar batom e não conseguindo. Foi bacana da Netflix manter essa essência da personagem já consagrada nas redes sociais.

Já a recepção do público está bastante variada. Os amantes da série são, majoritariamente, quem acompanha o canal do Youtube da Miranda, por estarem  acostumados com seu jeito rude e narcisista. Talvez o desgosto seja apenas nesse momento inicial, com o choque de uma personagem com características tão impactantes e com o passar dos episódios a série melhore. Quem sabe…

Ainda está na dúvida se vai ver ou não? Confira a promo:

E vocês, assistiram Haters Back Off? O que acharam? Contem nos comentários!

Futura jornalista, viciada em séries e louca dos signos. Adora músicas pop punk e passa muito tempo em redes sociais. Só abandona a Netflix quando chamam pra ir...

Ler perfil completo

Rio de Janeiro / RJ

Série Favorita: Freaks and Geeks

Não assiste de jeito nenhum: Orange Is The New Black

  • Laís Rangel

    Acho que foi a pior coisa que a Netflix já fez.

    • Maria Eduarda

      Concordo! Não consegui continuar acompanhando.

  • Renata

    N consegui nem termina o primeiro ep, foi uma tortura

  • Pablo B. Silvino

    É um tipo de humor nonsense e retardado que eu costumo gostar. Mas da forma que foi retratado (no primeiro episódio pelo menos, não vi os outros ainda), o sentimento que eu tive foi “essas pessoas tem problemas mentais”. Miranda e o tio principalmente. Aí fica difícil rir quando se tem essa perspectiva.

    • Maria Eduarda

      Pablo,
      É exatamente isso! Eu também adoro humor nonsense e esse foi todo errado! Acho que os personagens não são carismáticos, são idiotas e isso tornou difícil gostar da série.

  • Pensei em começar essa, mas pelos comentários eu desanimei um pouco. Nunca curti muito comédia, então essa não parece ser uma boa série para ver hahaha mas quem sabe eu dê uma chance algum dia. Ótimo texto!

    • Maria Eduarda

      Oi Lucas!
      Nossa se você já não curti muito comédia essa série só vai piorar sua visão do gênero haha Tem outras muito melhores na Netflix!

      Obrigada pelo comentário!

  • bianca

    Nunca vi uma série tãaaao desconfortável. Acredito que o intuito seja a comédia, mas não consigo rir em nenhuma cena, só fico extremamente desconfortada. Pra mim, todos tem problemas de personalidade e mentais SÉRIOS. A única que se comporta de maneira coerente é a coitada da irmã. Adoro a Miranda no youtube, mas apenas lá. Acho que colocá-la numa ”realidade” foi um erro…Sei lá, dá vontade de chorar de tão incômoda.

    • Filipe Dias

      eu me senti incomodado do modo que ela trata a mãe e o modo que mãe aceita

      • Maria Eduarda

        Também fiquei muito incomodada com essa parte! Acho que foi por isso que não consegui gostar dela haha

        • Filipe Dias

          Eu gosto muito de um humor exagerado. Mas eu notei que ele exagera no exagero. Pelos personagens serem idiotas demais. O Monty Phython sabe fazer isso com uma qualidade incrível e o exagero é um elemento e não um recurso apelativo

    • Maria Eduarda

      Bianca,
      Acredito que a Miranda seja boa no espaço de 10 a 15 minutos que ela consegue, sozinha, criar o vídeo no Youtube. Quando a colocaram para interagir com outros personagens e estenderam a duração não deu certo e ela não conseguiu manter o ritmo dos vídeos. Também fiquei desconfortável (e com vergonha alheia) com as situações!

  • Filipe Dias

    Realmente, parece que os personagens não vivem nesse mundo.

    parece um universo com Gugus e xuxas dos anos 90, que sempre pareciam estar alheio do que acontecia

    • Maria Eduarda

      Filipe,
      Exatamente, parece que eles vivem em uma realidade paralela e isso deixou a série muito desatualizada! Achei o tema muito boa, mas eles não conseguiram produzir de uma maneira legal e interessante.

  • Anna Mraz

    Como estudante de psicologia pude entender que é uma comédia totalmente psicológica. E provavelmente, na visão psicanalítica a família da mãe de Miranda possue um complexo de inferioridade que se estendeu de geração em geração. É perceptível que o tio Jim e Miranda foram encorajados a fazerem o que quiserem sem medir limites. Assim, os dois se tornaram extremamente narcisistas patológicos e com estrutura dominante de personalidade perversa e psicótica. Esse seriado é extremamente interessante de se analisar. Assisti em um dia, estou ansiosa para a segunda temporada!

1 Contra Todos

1 semana atráscomentarios

Com a lei de incentivo à produção nacional, várias produções poderiam sair do papel. Muitas delas não têm a menor pretensão de introduzirem uma ideia nova ou em mesmo de fazer sucesso. É por isso que uma série estoura na medida em que 1 Contra Todos fez, a gente tem que prestar atenção e dar os louros. Cadu (Júlio Andrade) é um advogado de Taubaté que será pai pela segunda vez, mas perde o emprego devido seus princípios éticos. Para piorar sua situação, é injustamente preso ao ser confundido com o Doutor do Crime, maior traficante do país. Para tentar sobreviver, e com o apoio de sua esposa Malu (Julia Ianina), ele decide se passar pelo criminoso como única forma […]

Leia o post completo

Queens que merecem redenção em RuPaul’s Drag Race: All Stars – Parte 2

1 semana atráscomentarios

Comemorando que RuPaul’s Drag Race acaba de conquistar o Emmy de Melhor Apresentador de Reality, Melhor Edição de Fotografia e Melhor Figurino (pelo episódio: Oh! My! Gaga!), além da VH1 não perder tempo em agendar a próxima edição All Stars para Janeiro de 2018 (está quase chegando!), em breve teremos a lista oficial das queens que estarão retornando para brigar por um lugar no Hall Of Fame do programa e ter a oportunidade de reescrever parte da sua história na competição. Assim como na primeira parte desse especial, eis aqui uma outra lista de participantes que não conseguiram atingir seu potencial e chegar longe na competição. Então, shall we begin? Trixie Mattel – Temporada 7 (Top 6) Oh honey! Quem não […]

Leia o post completo

Stephen King na televisão

1 semana atráscomentarios

Stephen Edwin King sem dúvida alguma é um (se não for “o”) maior escritor de terror e suspense de todos os tempos. Nascido em Portland, no estado de Maine, cenário da maioria das suas histórias, em 21 de setembro de 1947, teve uma infância complicada, tendo seu pai abandonado a família quando ainda tinha dois anos, e testemunhou um acidente com a morte de um amigo. Já escrevia desde criança, e vendia suas histórias aos amigos. Estudou inglês na Universidade do Maine, casou-se com Tabitha Spruce, em 1971, e lecionou sua formação em Hampden, enquanto isso escrevia para revistas masculinas. Teve problemas com álcool, e em 1999 sofreu um acidente sério, em que foi atropelado enquanto caminhava aos arredores de […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter