Primeiras Impressões: Incorporated

3 de dezembro de 2016 Por:

Incorporated se passa no ano de 2074, em que, após drásticas mudanças climáticas que devastaram o planeta, causando fome, e levando os governos a falência, quem domina o mundo são as grandes corporações. Elas lutam por market share e pelo controle dos escassos recursos naturais. Nesse mundo, quem trabalha para as corporações vive nas Zonas Verdes e quem não trabalha vive nas favelas das Zonas Vermelhas.

A premissa não tem nada de novo, desde 1984 e Admirável Mundo Novo, muitos futuros distópicos fizeram parte do nosso imaginário. O que pode diferenciar Incorporated de outras narrativas especulativas é a fotografia e a maturidade com a qual trata os assuntos. Desde o início do episódio, com texto explicativo para situar o expectador no mundo em que vai entrar, o episódio piloto nos mostra que não está interessado em enrolação. Esse uso de texto em audiovisual, gera uma certa desconfiança, afinal a regra do jogo é mostre, não fale. Dado o contexto do episódio no entanto, achei válido. A verdade é que eu prefiro texto explicativo no início do que diálogo brega didático no meio da série.

Incorporated Spiga

O primeiro episódio já põe a plot para funcionar. Somos apresentados a Ben Larson, nosso protagonista, que vai nos conduzir neste mundo corporativo. Ben se encontra em uma situação complicada. A verdade é que ele tinha outros objetivos quando se infiltrou na empresa, mas isso já faz seis anos. Ben é aquele amigo que todos temos que só colocou terno e gravata para trabalhar por um tempo e financiar seu mochilão depois da faculdade – e nunca mais saiu de lá. No decorrer dos anos, ele encontrou aliados, fez alguns amigos e achou uma noiva. Várias coisas o prendem a Spiga além do seu objetivo original e o personagem vai começar a sentir a pressão de todas elas a medida em que pequenas mudanças ocorrem ao seu redor: o software no qual está trabalhando, a esposa que quer ter filhos, o acesso privilegiado a informações e as suas conexões na zona vermelha.

A zona verde, onde Ben vive, é uma bolha. As favelas são escondidas por murais eletrônicos, uma versão tech do que foi feito no Rio de Janeiro para as Olímpiadas; os ambientes assépticos, cheios de vidros para cercear a privacidade dos executivos; a violência banalizada a ponto de sequestros e mutilação serem normais e facilmente reversíveis. Basta trabalhar para uma grande corporação para ver o mundo cor de rosa e tudo que ela pede em troca são trabalho duro e lealdade. Parece justo?

Incorporated Highway

Incorporated é o primo rico e mais velho de 3%. As duas séries tratam de futuros distópicos não muito distantes e fazem questionamentos muito atuais e processos seletivos tensos. Onde a série brasileira deixou a desejar, por certo amadorismo, Incorporated foi impecável. Spiga é sufocante, com seus escritórios envidraçados, a falta de privacidade e um clima pesado de futuro à la anos 50, em contraste com os bairros onde os funcionários moram, que mais se parece um rico subúrbio americano. O elenco que tem Sean Tale, um ator pouco conhecido no papel principal, mas que segurou bem o personagem, conta ainda com a  maravilhosa Julia Ormond e Dennis Haysbert, que mostra uma calma assustadora. Por fim, a fotografia complementa perfeitamente a narrativa.

Se por um lado não houve nenhum momento de impacto no piloto, talvez dado ao fato de que a violência foi completamente banalizada nesta sociedade, ele parece meticulosamente pensado. O episódio é rico em detalhes, como as notícias de desastres na televisão e o “champagne” norueguês ser o melhor do mundo e a melhor referência a pornô da história – sério! São essas particularidades que me fazem acreditar que a jornada de Ben Larson, ainda que não seja a mais original, tem tudo para ser um excelente entretenimento e fazer a gente questionar um pouco o valor do trabalho nas nossas vidas.

A série vai ao ar as quartas-feiras pelo canal Syfy e tem como produtores executivos Ben Affleck e Matt Damon.

Apaixonada por histórias, em todos os formatos, conta com listas enormes de livros que quer ler e filmes e séries para assistir.

Porto Alegre / RS

Série Favorita: House of Cards, Game of Thrones, Scandal

Não assiste de jeito nenhum: Once upon a time...

  • Estava muito ansioso para essa série. Tanto pelo tema quanto pelo Sean Teale hahaha fiquei feliz que as primeiras impressões foram positivas, então já vou ir ver o episódio. Ótimo texto!

    • Mariane Lima

      Obrigada! Depois conta o que achou do ep. 😉

  • Gulliter Henrique

    Achei a série muito interessante e bastante promissora. Adorei a review.

    • Mariane Lima

      Opa! Obrigada! Também achei a série promissora, ansiosa para ver como se desenvolve.

  • DarkAngelblue

    hj em dia a gente nem sabe se começa a ver depois não tem nem 2 temp

  • Heitor Oliveira

    Que felicidade, vi a série quando vazou o primeiro episódio após a pré-estreia, 3 semanas antes da estreia oficial, e gostei muito, estou feliz que esta série está tendo reviews semanais, vou acompanhar com gosto!

  • Lucas Amarello

    serie cancelada !

O que você precisa saber de Jessica Jones antes de Defensores

5 dias atráscomentarios

A primeira série da Marvel protagonizada por uma mulher começa quando os pais de Hope Shottman (Erin Moriarty) pedem a ajuda de Jessica Jones (Krysten Ritter) para investigar o paradeiro da filha, e ela então descobre que o sequestrador da moça é ninguém mais ninguém menos que Killgrave (David Tennant): aquele que a traumatizou através de um relacionamento abusivo. A moça não é então a típica heroína a qual estamos acostumados, e algumas vezes até chegamos a duvidar se podemos chama-la assim. Por ter um passado marcado pelo abuso sua personalidade se torna um tanto ácida e sombria, além de deixar para a personagem um descontrole no consumo de álcool e a ideia de que desistir é a melhor saída, e […]

Leia o post completo

O que você precisa saber de Demolidor antes de Defensores

6 dias atráscomentarios

Com o sucesso do universo cinematográfico desenvolvido pela Marvel nos cinemas, um dos personagens mais interessantes e queridos dos fãs de quadrinhos foi ansiosamente aguardado para voltar a fazer parte do mesmo mundo. Homem-Aranha? Não, na verdade Demolidor. Após a Fox deixar os direitos de uso do personagem retornar para a casa das ideias, Marvel e Netflix fecharam uma parceria para desenvolver diversas séries de heróis. Demolidor abre essa parceria com maestria, trazendo uma série obscura, e violenta, diferente do que o personagem já viveu nas telas até então (abraço Ben Affleck!) Charlie Cox (Broadwalk Empire), dá vida a Matt Murdock, sofrido e realista. A série apresenta ele como advogado com o escritório associado em Hell’s Kitchen, e em seguida suas […]

Leia o post completo

Com pais como estes, hoje é um dia para esquecer

7 dias atráscomentarios

Existe um ditado que diz que a vida imita a arte (ou vice-versa) e isso sempre se mostra realidade quando comparamos as séries que assistimos à vida real. Claro que ainda não descobrimos um universo paralelo, uma cabine telefônica que nos transporte por aí ou que alienígenas têm planos de conquistar a Terra, mas muitas vezes a realidade é espelhada nos roteiros das histórias que mais amamos. House of Cards está aí para comprovar essa teoria, se compararmos os acontecimentos aos fatos que vemos nos noticiários todos os dias. Com os pais não poderia ser diferente. Existem pais que assumem o papel integral da criação da criança, pais que são os melhores amigos dos filhos, filhos que têm dois pais, pais de […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter