Primeiras Impressões: Somewhere Between

2 de agosto de 2017 Por:

Não é fácil fazer as primeiras impressões de uma série, principalmente pelo fator pessoal de cada um. No caso de Somewhere Between, que envolve o sobrenatural ou algo do gênero, é necessário colocar de lado o que acredita para poder ver o que a série realmente quer nos mostrar. Infelizmente, não é muita coisa.

Reprodução/ABC

Entre tantas estreias, chegou a vez de Somewhere Between ganhar destaque. A nova aposta da ABC conta a história de Laura Price, mulher do promotor Tom Price. Sendo produtora de um telejornal, ela se envolve na investigação de um assassino em série, que logo causa a morte de sua própria filha. Ganhando uma nova chance de tentar salvá-la, Laura sabe exatamente onde e quando o destino pegará sua filha, mas enfrentará dificuldades para conseguir salvá-la. O elenco conta com Paula Patton (Warcraft), Devon Sawa (Nikita), J. R. Bourne (Teen Wolf), Serge Houde (iZombie) e Aria Birch.

Como toda série da ABC, a fotografia e a produção não deixam a desejar. As atuações são as já esperadas para uma série do nível, mas tudo indica que ainda pode melhorar nos episódios seguintes. O número de telespectadores para a premiere foi consideravelmente bom, mas deve cair duramente nos próximos episódios, visto que muitas impressões foram negativas. No IMDb, a nota geral é de 5,1/10, enquanto atingiu apenas 33% no Rotten Tomatoes, fechando com uma nota geral de 2.4/5.

Reprodução/ABC

Em termos de roteiro, a história acaba não atingindo nenhuma expectativa (caso alguém tenha alguma). Baseada em uma série sul-coreana chamada God’s Gift – 14 days (14 dias – Um Presente dos Deuses) e agindo como remake ocidental da mesma, a série falha em seguir os mesmos passos e desagrada a qualquer um que tenha gostada da série anterior (o que não é grande novidade em adaptações norte-americanas). Quem não assistiu a série sul-coreana, logo poderá notar os pontos negativos, que ainda permanecem mesmo desconsiderando o fator remake.

Entre tantos pontos, o mais notável é o ritmo estranhamente acelerado dos acontecimentos. Mesmo sendo algo que falta em muitas produções, aqui ele se torna um fator negativo. O motivo é que a série tende a tentar passar emoção, mas os acontecimentos corridos não tornam isso possível para o público. Outro acontecimento é que é nítida a pressa do roteiro apenas para chegar ao ponto desejado – a segunda chance – não dando tempo para desenvolver o que deveria ser desenvolvido, tornando tudo clichê e fazendo que cada acontecimento, por mais que tenha um peso, soe vazio.

Reprodução/ABC

Mesmo com uma premissa não tem bem desenvolvida e com o ponto principal – o assassino – completamente deixado em segunda plano, a série ainda pode se desenvolver melhor, visto que muitas séries boas tiveram um piloto ruim. No entanto, com base em seu primeiro episódio, talvez não seja a melhor hora para apostar em uma série que ainda não encontrou seu caminho.

 


E você? O que achou do episódio? Não se esqueça de deixar sua opinião e continuar acompanhando as reviews aqui, no Apaixonados por Séries.

Leonino. Não ligo para signo, mas sei que muita gente se importa, então fica aí a informação.

Santa Branca/SP

Série Favorita: Game of Thrones

Não assiste de jeito nenhum: Revenge

  • Nickolas Girotto

    Eu entendi o publico haha, não gostei também, olhei o primeiro episódio e concordo com tudo que tu disse na review, acrescento que a criança é muito chata. Foi tudo clichê de mais, claro que é legal ter um clichê ali ou aqui, mas me pareceu que tudo era haha.
    Agora vem a parte em que eu fiquei confuso, quando li a sinopse eu achei que fosse algo relacionado a ela ter visto o futuro e dai em diante ela iria tentar salvar a filha ou que tipo a filha morria e ela magicamente ela acordava no dia anterior, sempre, até que ela conseguisse salvar a filha, pela sinopse eu achei legal, mas dai eu fui ver e não tinha nada disso no primeiro episodio, isso contribuiu pra que eu não gostasse da série, mas agora lendo a sua review fiquei pensando que isso pode acontecer no segundo episodio, me diga, alguma coisa do gênero acontece no segundo? pq eu posso ter me precipitado com a série.
    Ah e já ia me esquecendo, também achei que o assassino foi jogado na história o que faz com que eu não fique no suspense de saber quem é e porque faz isso.

    • Nickolas,

      Um clichê bem colocado sempre é bom, mas Somewhere Between acabou usando e abusando disso, o que tornou tudo bem negativo. Eu ainda não consegui assistir os outros episódios (leia-se grade de séries completamente lotadas), mas eu entendo que o tempo volta e é por isso que ela sabe de tudo. Tanto que, sempre que ela muda alguma coisa, essa coisa atinge o mesmo resultado de todo jeito, pois já está destinada a acontecer.

      Muito obrigado pelo seu comentário!

O que você precisa saber de Jessica Jones antes de Defensores

6 dias atráscomentarios

A primeira série da Marvel protagonizada por uma mulher começa quando os pais de Hope Shottman (Erin Moriarty) pedem a ajuda de Jessica Jones (Krysten Ritter) para investigar o paradeiro da filha, e ela então descobre que o sequestrador da moça é ninguém mais ninguém menos que Killgrave (David Tennant): aquele que a traumatizou através de um relacionamento abusivo. A moça não é então a típica heroína a qual estamos acostumados, e algumas vezes até chegamos a duvidar se podemos chama-la assim. Por ter um passado marcado pelo abuso sua personalidade se torna um tanto ácida e sombria, além de deixar para a personagem um descontrole no consumo de álcool e a ideia de que desistir é a melhor saída, e […]

Leia o post completo

O que você precisa saber de Demolidor antes de Defensores

1 semana atráscomentarios

Com o sucesso do universo cinematográfico desenvolvido pela Marvel nos cinemas, um dos personagens mais interessantes e queridos dos fãs de quadrinhos foi ansiosamente aguardado para voltar a fazer parte do mesmo mundo. Homem-Aranha? Não, na verdade Demolidor. Após a Fox deixar os direitos de uso do personagem retornar para a casa das ideias, Marvel e Netflix fecharam uma parceria para desenvolver diversas séries de heróis. Demolidor abre essa parceria com maestria, trazendo uma série obscura, e violenta, diferente do que o personagem já viveu nas telas até então (abraço Ben Affleck!) Charlie Cox (Broadwalk Empire), dá vida a Matt Murdock, sofrido e realista. A série apresenta ele como advogado com o escritório associado em Hell’s Kitchen, e em seguida suas […]

Leia o post completo

Com pais como estes, hoje é um dia para esquecer

1 semana atráscomentarios

Existe um ditado que diz que a vida imita a arte (ou vice-versa) e isso sempre se mostra realidade quando comparamos as séries que assistimos à vida real. Claro que ainda não descobrimos um universo paralelo, uma cabine telefônica que nos transporte por aí ou que alienígenas têm planos de conquistar a Terra, mas muitas vezes a realidade é espelhada nos roteiros das histórias que mais amamos. House of Cards está aí para comprovar essa teoria, se compararmos os acontecimentos aos fatos que vemos nos noticiários todos os dias. Com os pais não poderia ser diferente. Existem pais que assumem o papel integral da criação da criança, pais que são os melhores amigos dos filhos, filhos que têm dois pais, pais de […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter