Primeiras Impressões: The Guest Book

7 de agosto de 2017 Por:

A premissa de The Guest Book, nova comédia do canal TBS, é muito boa. Uma pousada nas montanhas da Califórnia recebe hóspedes que querem um tempo de descanso. A cada episódio, novos personagens chegam ao chalé e vivem as mais diferentes, e malucas, situações. Possibilidades infinitas de roteiros que podem funcionar mais ou menos de acordo com a ideia desenvolvida, o que acaba sendo um ponto negativo, já que não há uma linearidade.

A antologia, com dez episódios nesta primeira temporada, é do mesmo criador de My Name is Earl e Raising Hope, Greg Garcia. Ele teve a ideia de criar o seriado porque gosta de deixar histórias nos livros de visita dos locais onde se hospeda, com o objetivo de divertir, ou mesmo assustar, os futuros hóspedes. Há um elenco fixo e a cada episódio atores convidados, muitos deles conhecidos por fazer comédia, dão as caras. No primeiro capítulo, as estrelas são Danny Pudi (Community) e Lauren Lapkus (Orange is the New Black). Também participam do seriado Garret Dillahunt (Raising Hope), Jenna Fisher (The Office), Michael Rappaport (My Name is Earl) e Margo Martindale (Justified), entre outros.

Entre o elenco fixo, as histórias dos personagens serão desenvolvidas ao longo da temporada. O dono da pousada, seus funcionários, uma policial local, um vizinho e os donos de uma casa de striptease vão tendo participações maiores ou menores em cada episódio. O foco está mesmo nas histórias vividas pelos atores convidados, que depois escrevem no livro de visitas as situações malucas que viveram no local.

Divulgação/TBS

No primeiro episódio, um professor de ciências do ensino fundamental resolve passar um fim de semana no chalé com a esposa (Lauren Lapkus), disposto a retomar a vida sexual do casal. Os dois acabaram de ter um bebê e a mulher está à beira de um ataque de nervos, num verdadeiro show de clichês sobre o tema. Desesperado para agradar a mulher e conseguir que ela relaxe, o marido acaba tomando uma decisão questionável e acaba se metendo numa grande confusão.

O desenrolar da situação em que se mete o marido, vivido por Danny Pudi (Community), chega a ser engraçado em alguns momentos, mas nada que arranque verdadeiras gargalhadas. Tudo soa previsível e sem muito timing. Sem contar as sequências politicamente incorretas, que chegam a incomodar.

A questão com as comédias, em geral, é que nem todas as pessoas acham graça das mesmas coisas. Há quem goste do escracho, há quem goste do sarcasmo, há quem prefira o nonsense. Há comédias, ainda, que exigem um certo repertório de quem assiste, geralmente do universo cultural e político. Em The Guest Book, o mote parece ser a comédia de situação, fazendo com que o telespectador tenha que se identificar com os personagens de alguma forma para achar graça do que está acontecendo com eles. Como em cada episódio há novos personagens, isso acaba não atraindo muita audiência fiel.

Como se trata de uma antologia e há atores muito bons como convidados, é possível que um ou outro episódio seja mais engraçado, mas não sei se muitos telespectadores terão paciência para esperar por um episódio que seja mais do seu agrado.

Se você já assistiu, deixe nos comentários o que achou da nova série!

Jornalista, mãe, apaixonada por séries desde a época da Sessão Comédia, Gosto de dramas que emocionam e de comédias inteligentes. Também sou fã dos seriados de super-heróis.

São Bernardo do Campo, SP

Série Favorita: Outlander

Não assiste de jeito nenhum: The Blacklist

O que você precisa saber de Jessica Jones antes de Defensores

6 dias atráscomentarios

A primeira série da Marvel protagonizada por uma mulher começa quando os pais de Hope Shottman (Erin Moriarty) pedem a ajuda de Jessica Jones (Krysten Ritter) para investigar o paradeiro da filha, e ela então descobre que o sequestrador da moça é ninguém mais ninguém menos que Killgrave (David Tennant): aquele que a traumatizou através de um relacionamento abusivo. A moça não é então a típica heroína a qual estamos acostumados, e algumas vezes até chegamos a duvidar se podemos chama-la assim. Por ter um passado marcado pelo abuso sua personalidade se torna um tanto ácida e sombria, além de deixar para a personagem um descontrole no consumo de álcool e a ideia de que desistir é a melhor saída, e […]

Leia o post completo

O que você precisa saber de Demolidor antes de Defensores

1 semana atráscomentarios

Com o sucesso do universo cinematográfico desenvolvido pela Marvel nos cinemas, um dos personagens mais interessantes e queridos dos fãs de quadrinhos foi ansiosamente aguardado para voltar a fazer parte do mesmo mundo. Homem-Aranha? Não, na verdade Demolidor. Após a Fox deixar os direitos de uso do personagem retornar para a casa das ideias, Marvel e Netflix fecharam uma parceria para desenvolver diversas séries de heróis. Demolidor abre essa parceria com maestria, trazendo uma série obscura, e violenta, diferente do que o personagem já viveu nas telas até então (abraço Ben Affleck!) Charlie Cox (Broadwalk Empire), dá vida a Matt Murdock, sofrido e realista. A série apresenta ele como advogado com o escritório associado em Hell’s Kitchen, e em seguida suas […]

Leia o post completo

Com pais como estes, hoje é um dia para esquecer

1 semana atráscomentarios

Existe um ditado que diz que a vida imita a arte (ou vice-versa) e isso sempre se mostra realidade quando comparamos as séries que assistimos à vida real. Claro que ainda não descobrimos um universo paralelo, uma cabine telefônica que nos transporte por aí ou que alienígenas têm planos de conquistar a Terra, mas muitas vezes a realidade é espelhada nos roteiros das histórias que mais amamos. House of Cards está aí para comprovar essa teoria, se compararmos os acontecimentos aos fatos que vemos nos noticiários todos os dias. Com os pais não poderia ser diferente. Existem pais que assumem o papel integral da criação da criança, pais que são os melhores amigos dos filhos, filhos que têm dois pais, pais de […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter