Primeiras Impressões: The Mick

7 de janeiro de 2017 Por:

O maior desafio que eu enfrento ao escrever as Primeiras Impressões de uma série é se o fato de eu não ter gostado muito ou me identificado o bastante faz dela ruim, e com The Mick não foi diferente. Depois de assistir dois episódios, vi cenas que me fizeram rir e pensar “até que essa série é legal”, mas não acho que a história me prendeu o suficiente para entrar na minha listinha. Resumindo, o que eu quero que você leve desse post é que eu não achei a série ruim, tem momentos muito bons, inclusive, mas não é como se você estivesse perdendo muita coisa.

A comédia tem como premissa uma tia desajustada que se vê obrigada a cuidar dos sobrinhos depois que sua irmã e o marido fogem do país. O nome dessa anti-heroína é Mackenzie (Kaitlin Olson), uma mulher que, claramente, não tem controle sobre sua própria vida e, portanto, a melhor escolha para cuidar de três seres humanos (há controvérsias), não é mesmo? Mas não há como deixar de elogiar Kaitlin e o seu talento para comédia, algo que temos testemunhado há mais de 12 anos em It’s Always Sunny in Philadelphia, a mulher arrasa mesmo.

Já adianto que não há piadas “gourmet”, hiper sofisticadas, nem nada do tipo; me peguei rindo de cenas bem toscas, como quando alguém cai, é atropelado ou atingido por um vaso na cabeça, por exemplo, sim, nesse nível. As crianças também são um ponto positivo nessa história, igualmente adoráveis e pentelhas. Sabrina (Sofia Black-D’Elia) é a típica adolescente mimada que não vai aceitar ordens de ninguém, o que promete muitos conflitos entre ela e Mickey. Chip (Thomas Barbusca) é o do meio, porém se comporta como um verdadeiro adulto tamanha noção que tem de seus privilégios como homem branco e rico; cômico e trágico. Por fim, Ben (Jack Stanton) é o caçula, uma criança fofa que não foi completamente estragada pelos pais, ainda.

A Fox, assim como várias emissoras têm feito nos últimos anos, lançou o piloto da série dias antes da verdadeira estreia, a fim de situar a premissa, o que costuma funcionar bem, mas não sei se foi o caso dessa vez. Para mim, o piloto funcionou melhor do que o segundo episódio, The Grandmother, pois mostra uma Mickey que apesar de desequilibrada se importa com os sobrinhos (pelo menos com Ben, um pouco), o que é o contrário do que vemos no episódio seguinte, que dá várias voltas para terminar exatamente como o piloto.

Claro, foram só dois episódios, é possível que os próximos tragam mais novidades, mas, por ora, é isso. A crítica parece incerta quanto ao futuro da série, e nós, como apaixonados por séries, sabemos melhor que ninguém que não há garantias de nada nesse mundo perverso dos seriados. Enfim, se você se interessou e ficou curioso para saber mais, segue abaixo o trailer de The Mick! Se você viu e gostou, ou não, vem discutir comigo nos comentários! Até a próxima!


Estudante de humanas que já perdeu a conta de quantas séries fizeram e fazem parte de sua vida. Fã da internet, da literatura e do ócio; especialista em...

Ler perfil completo

São Paulo/SP

Série Favorita: Veronica Mars

Não assiste de jeito nenhum: The Vampire Diaries

  • Romulo Brenno

    Não é a coisa melhor do mundo das comédias, mas por enquanto me fez rir um pouco.

    • Lara Monteiro

      Eu podia ter resumido o post com esse comentário hahah

  • Andreza Soares

    Eu curti um pouco a série. As atuações da Kaitlin Olson e da Sofia Black-D’Elia me chamaram atenção. A história pode ser boa, é interessante, mas acho que pode cair no clichê. Mas vamos ver o que vai acontecer. Ainda é cedo para uma conclusão definitiva.

    • Lara Monteiro

      Sim, Andreza! Concordo! As duas são muito boas, né? E ainda é bem cedo mesmo, mas espero que vejamos mais coisas boas daqui pra frente!

Ash vs Evil Dead

1 semana atráscomentarios

Que atire a primeira pedra quem nunca assistiu ao clássico de terror trash, The Evil Dead, ou se vocês preferem o enorme título traduzido, Uma Noite Alucinante – A Morte do Demônio! O filme lançado em 1981 e dirigido por Sam Raimi (o mesmo cara que dirigiu Spider-Man), foi o primeiro de uma grande franquia e é até hoje considerado o melhor filme trash já feito. Alavancada pela avalanche de remakes e spin-offs televisivos de filmes que fizeram ou não sucesso – citando só alguns, Scream, Shadowhunters e Limitless -, Ash vs Evil Dead nada mais é do que uma continuação dos filmes da franquia Evil Dead, lançados há 30 anos. A série, transmitida pelo canal Starz, estreou em 2015 e ainda conta com Raimi na produção. Ashley […]

Leia o post completo

Maratona The O.C. – 3ª temporada

1 semana atráscomentarios

A terceira temporada é oficialmente minha favorita. Talvez eu esteja me precipitando, sem ter assistido à quarta, mas eu realmente não esperava gostar tanto da terceira. Já assisti à série inteira, mas nunca havia reprisado esta temporada, digamos que por limitações emocionais. Meu coração ficou muito traumatizado da primeira vez. É engraçado como eu não me lembrava de muita coisa (nem sei como pude apagar o casal Julie e Neil da memória), mas, ao longo das cenas, tudo fazia sentido para mim. O elenco principal estava afinadíssimo com seus personagens e entre si. Ryan (Ben McKenzie) deixou o riso frouxo em vários episódios, o que nos ajuda a crer na evolução do personagem, cada vez mais à vontade com a vida em Newport. Também conhecemos novos personagens para chacoalhar a dinâmica da […]

Leia o post completo

As séries com viagens no tempo

1 semana atráscomentarios

Como meu amigo Wander comentou quando compartilhou com a gente suas primeiras impressões de Timeless, viagens no tempo is the new black. Doctor Who é a série de ficção científica mais longa do mundo. 12 Monkeys já vai para a terceira temporada, Legends of Tomorrow já exibiu na metade da segunda. A canadense Travelers já exibiu uma temporada. Continuum durou quatro temporadas, assim como a querida Being Erica. As novatas Timeless e Frequency exibem a temporada de estreia e, com a baixa audiência, lutam pela renovação. Time After Time e Making History são outras produções do gênero com estreia marcada e garantida. Ao perceber a maioria dessas séries na minha watchlist e muitas fazendo sucesso com os telespectadores, comecei a me perguntar: Por que amamos séries com viagens no tempo? Não sei […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter