The New Normal

3 de setembro de 2012 Por:



A nova série de Ryan Murphy, o criador dos sucessos (e controversos) Glee, American Horror Story e Nip/Tuck, ficou marcada pela polêmica antes mesmo de ir ao ar. The New Normal conta a história de um casal gay David Murray e Bryan Collins (interpretados por Justin Bartha e Andrew Rannells respectivamente) tentando ter um filho por meio de uma barriga de aluguel. Após algumas entrevistas frustradas com potenciais candidatas, acabam conhecendo Goldie Clemmons (Georgia King) que, precisando de dinheiro para sustentar a filha Shania (Bebe Wood) aceita ser a barriga. O casal ainda tem o apoio de Rocky (NeNe Leakes), que no piloto não disse muito para o que veio.

Com um enredo desses, nada tradicional, dá para imaginar qual era a polêmica. A filiada da NBC no Estado de Utah, pressionada por grupos conservadores, decidiu não exibir o programa (ela também se recusou a exibir a cancelada The Playboy Club no ano passado). A atriz Ellen Barkin, intérprete de Jane, a super conservadora avó de Goldie, expressou no Twitter (@EllenBarkin) a sua irritação e disse em entrevista à imprensa que acha que a emissora tem o direito de banir algum programa, mas considera isso uma forma de censura. “Não entendo como um show que eu adoro, como Law & Order SVU é aceitável [estar na TV, apesar de ser bem violento], mas um show sobre um casal do mesmo sexo super carinhoso e compromissado querendo ter uma família é explícito e ofensivo”, explicou. Concordo com ela.

Polêmicas à parte, The New Normal é a série mais fofa que a mente perturbada de Ryan Murphy já criou (e quem já assistiu a Nip/Tuck sabe que ele tem talento para criar histórias bem fora do normal). Mas todos os elementos de suas séries estão presentes: o humor sarcástico, as situações bizarras – como a anã brincando com as crianças no parquinho, mostrando que o “fora do normal” é o novo “normal” –, a homossexualidade (tema que Ryan sabe explorar muitíssimo bem), as referências à cultura pop e um toque de clichê. David e Bryan são estereotipados, assim como Shania e Jane, mas isso não torna a série ruim, pois são bem usados.

Jane é a típica republicana que não aceita homossexuais – inclusive, a primeira aparição da personagem é justamente um dos maiores clichês de pessoas que não se acham preconceituosas, dizendo que “ama os gays, sem eles o cabelo dela não ficaria tão bonito” –, não gosta de negros e carrega uma arma para todos os cantos como forma de resolver seus problemas. Shania é a criança com jeito de adulto, mais esperta do que todos ao redor e está sempre conectada. Como muitos hoje em dia, ela é criada sem muito limite na internet, tanto que chega a fazer o streaming de uma briga da nova família para o Twitter.

Bryan é o que adora fazer compras e que tem a ideia de se tornarem pais, enquanto David é mais discreto e gosta de esportes. Ambos adoram a Gwyneth Paltrow e chegam a escolher uma sósia da atriz para usar os óvulos (e vale lembrar que a Gwyneth, também em participação especial, já trabalhou com o Ryan em Glee). Outras participações que valem a pena destacar neste primeiro episódio são Jessica Lu (de Awkward, como a amante do ex de Goldie) e Leslie Grossman (mais conhecida por Popular, que também tem o dedinho de Murphy), como uma picareta que encontra o casal para ser a barriga de aluguel, mas só está atrás do dinheiro deles.

Sejamos sinceros: nenhuma atuação chama atenção, mas os atores estão confortáveis em seus papéis, os personagens são carismáticos e a história tem muito potencial para ser desenvolvida, tanto pelo lado dramático como pelo cômico. Portanto, se você não tem preconceitos, é fã do trabalho de Ryan Murphy e/ou procura uma série familiar para se divertir por vinte minutos, pode apostar sem medo em The New Normal, que estreia oficialmente em 11 de setembro. No site oficial da série é possível assistir ao episódio piloto, mas infelizmente ele não está disponível no Brasil.

Feminista, rata de biblioteca, adora filmes, séries e cultura pop. Acha o Twitter a melhor rede social.

São Paulo - SP

Série Favorita: Grey's Anatomy

Não assiste de jeito nenhum: Flash Forward

  • Boa review, estou ansioso para assistir, pena que só estréia oficialmente dia 11, mas vamos aguardar né!

  • Tenho receios, em Glee ele levou esse tema a exaustão na segunda temporada, extremamente irritante e cansativo. E nos primeiros teasers eu vi, e para falar a verdade não me impressionou, me pareceu algo que será bobo, infantil, clichê e chatinho.

  • Gostei muito do piloto. Me surpreendi positivamente. Sempre tenho um pé atrás com o Ryan Murphy (impossível não ter, ele sempre dá um jeito de estragar as coisas), mas é certeza que The New Normal merece atenção. Adorei a personagem da NeNe (aliás, a atriz é ótima) que compra coisas pra ela com o dinheiro do chefe.

  • Sidnei

    Adorei o review, concordo com tudo o que foi dito.
    Assisti o episódio piloto e certamente vou seguir a série, pois apesar dos clichês, minha atenção ficou presa o tempo todo.
    Só uma curiosidade: David é médico, ginecologista. E o Bryan, qual a profissão dele? Alguém sabe?

    • Também não lembro da profissão do Bryan. Me pareceu que ele tem alguma profissão mais clichê, tipo decorador, ou é dono-de-casa. Não lembro de terem dito o que ele faz nem no piloto e nem no segundo episódio.

  • Flávia

    Achei a séria a coisa mais fofa do mundo. Com certeza vou continuar assistindo!

  • Bruno Mendes

    Sou suspeito, tudo o que Ryan cria pra mim é ouro (com exceção do último epsódio de suas criações, ahah). The New Normal é uma série que muitos vão se deleciar, ri e se identificarem (principalmente quem eh gay). Mas o que curti é que eh uma série que mostra o amor da família, e não apenas o tema “homossexualismo”, embora a trama seja baseada no assunto. É minha gente, eu curti muito e to acompanhando!

    • The New Normal é uma graça! E o segundo episódio continua bom =)

      Só uma correção, Bruno: a comunidade gay usa o termo “homossexualidade” ao invés de “homossexualismo”. O “ismo” dá impressão de que ser gay é uma doença, coisa que não poderia estar mais longe da verdade 😉

  • Eu sou muito boba por ter acabado de assistir o piloto e estar chorando? Coisa linda e fofa essa série!

  • Camila

    Eu realmente amei essa série.. vou continuar acompanhando e espero que titio Ryan Murph continue fazendo-nos emocionar com os temas tratados nos episódios. Muito boa a review!

1 Contra Todos

1 semana atráscomentarios

Com a lei de incentivo à produção nacional, várias produções poderiam sair do papel. Muitas delas não têm a menor pretensão de introduzirem uma ideia nova ou em mesmo de fazer sucesso. É por isso que uma série estoura na medida em que 1 Contra Todos fez, a gente tem que prestar atenção e dar os louros. Cadu (Júlio Andrade) é um advogado de Taubaté que será pai pela segunda vez, mas perde o emprego devido seus princípios éticos. Para piorar sua situação, é injustamente preso ao ser confundido com o Doutor do Crime, maior traficante do país. Para tentar sobreviver, e com o apoio de sua esposa Malu (Julia Ianina), ele decide se passar pelo criminoso como única forma […]

Leia o post completo

Queens que merecem redenção em RuPaul’s Drag Race: All Stars – Parte 2

1 semana atráscomentarios

Comemorando que RuPaul’s Drag Race acaba de conquistar o Emmy de Melhor Apresentador de Reality, Melhor Edição de Fotografia e Melhor Figurino (pelo episódio: Oh! My! Gaga!), além da VH1 não perder tempo em agendar a próxima edição All Stars para Janeiro de 2018 (está quase chegando!), em breve teremos a lista oficial das queens que estarão retornando para brigar por um lugar no Hall Of Fame do programa e ter a oportunidade de reescrever parte da sua história na competição. Assim como na primeira parte desse especial, eis aqui uma outra lista de participantes que não conseguiram atingir seu potencial e chegar longe na competição. Então, shall we begin? Trixie Mattel – Temporada 7 (Top 6) Oh honey! Quem não […]

Leia o post completo

Stephen King na televisão

1 semana atráscomentarios

Stephen Edwin King sem dúvida alguma é um (se não for “o”) maior escritor de terror e suspense de todos os tempos. Nascido em Portland, no estado de Maine, cenário da maioria das suas histórias, em 21 de setembro de 1947, teve uma infância complicada, tendo seu pai abandonado a família quando ainda tinha dois anos, e testemunhou um acidente com a morte de um amigo. Já escrevia desde criança, e vendia suas histórias aos amigos. Estudou inglês na Universidade do Maine, casou-se com Tabitha Spruce, em 1971, e lecionou sua formação em Hampden, enquanto isso escrevia para revistas masculinas. Teve problemas com álcool, e em 1999 sofreu um acidente sério, em que foi atropelado enquanto caminhava aos arredores de […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter