Primeiras Impressões: The Sinner

4 de agosto de 2017 Por:

Mais um mistério policial, envolvendo a investigação de um crime, estreia na telinha da USA Network. The Sinner, a nova série limitada do canal, estreou nesta quarta, 2/8, trazendo como protagonistas Jessica Biel (que também assina a produção executiva), interpretando a mãe de família Cora Tannetti e Bill Pullman, como o investigador Harry Ambrose. A produção, adaptação do livro de mesmo nome de Petra Hammesfahr, acompanha a história da mãe-super-normal-e-aparentemente-tranquila Cora, que (até então inexplicavelmente) comete um assassinato brutal, em um lindo e ensolarado dia de verão, em frente a várias testemunhas, incluindo seu marido Manson (Christopher Abbott / Girls) e seu filho bebê.

Divulgação/USA Network

Para quem como eu, não leu o livro, o roteiro prende bastante a atenção. Primeiro porque, na contramão da maior parte dos dramas policiais, aqui nós já sabemos de cara quem cometeu o crime e não há dúvidas quanto a isso. O que instiga a nossa curiosidade e a do investigador Ambrose é justamente a motivação do crime e é na busca a essa resposta que a história será centrada.

Essa dinâmica de roteiro me lembrou bastante The Night Of e Big Little Lies (referências citadas pelos próprios produtores da série), ambas da HBO. A diferença aqui reside na existência de testemunhas oculares (são mais de 20) e na improbabilidade de uma mãe com aquele perfil e histórico, ser capaz de cometer tamanho ato de violência gratuito. Não houve legítima defesa, não houve defesa de terceiros. É chocante e horrível testemunhar a cena, executada friamente e na presença de tantas pessoas, motivada por algo que está somente na cabeça e no coração de Cora. É inacreditável também. E acho que é exatamente esse fator de incredulidade que motiva o investigador a ir atrás de respostas.

Divulgação/USA Network

Ainda é cedo para tirar qualquer conclusão precipitada, mas já deu para perceber que a vida da protagonista não é a calmaria e placidez que aparenta. O olhar de Cora (e algumas atitudes também) nos diz muito de uma inquietação/perturbação/tristeza meio constantes. Nas cenas de flashback, vimos que sua infância não foi das mais tranquilas. É fácil supor que ela teve problemas com a mãe ultra religiosa e que a relação entre as duas ficou bem complicada, especialmente após o nascimento da irmã mais nova. Outro ponto de estranhamento é justamente essa questão religiosa, que me pareceu algo forte na infância da protagonista, mas que não a acompanhou com a mesma força na vida adulta. Ou seria melhor dizer que a acompanhou, porém com um significado totalmente oposto?

O casamento de Cora e Manson também é outro ponto que me deixou apreensiva. Está nítido que o marido é bem apaixonado por ela, mas não consegui perceber se a recíproca é verdadeira. Em uma das cenas do piloto fica inclusive bem claro que a esposa não corresponde às investidas dele, que parece não perceber ou se importar. Além disso, o comportamento dele pós atitude de Cora, apesar de super compreensível, só serviu para reforçar o quanto homens e mulheres (de maneira geral, é claro) agem de forma diferente diante de um momento de extrema adversidade. Lógico que não dá pra ser a pessoa mais bacana e normal do mundo depois que sua esposa comete um assassinato a sangue frio, na sua frente. Mas é curioso constatar como às vezes sumir é a estratégia mais utilizada para enfrentar um situação complexa.

Divulgação/USA Network

Fora do casamento, outro ponto de tensão é o fato de o casal morar ao lado dos pais de Manson e trabalhar com o pai dele. Essa relação, que envolve ainda a avó, que é babá do filho, também não está na lista das melhores para Cora. A jovem mãe claramente não compartilha das mesmas certezas do marido acerca do benefício dessa proximidade. Analisando todos esses fatos apontados, a impressão que fica é que Cora está deslocada no tempo e espaço. Ela tem uma vida (aparentemente) estável e normal, mas tudo soa  insuficiente. Falta alguma coisa ali.

O susto do marido ao presenciar o o crime reforça também a minha impressão que essa sensação de não pertencimento, estranhamento e incômodo não é compartilhada pelo casal. É algo extremamente pessoal e que ela ainda não se permitiu dividir com ninguém, talvez nem consigo mesma. Algumas pequenas frases soltas somadas à intuição de um detetive bastante experiente é que irão ajudar a montar esse quebra-cabeças e pode ser até que tenham incentivado a moça a mudar a percepção acerca da sua culpa.

Em um piloto bacana, com atuações bem seguras e que dosou bem as novas pistas, The Sinner promete entreter, sem ser muito óbvio. E vocês, assistiram ao episódio? Contem pra gente o que acharam.

Jornalista, cinéfila e literalmente, apaixonada por séries. Não recusa: viagem, saidinha com amigos, um curso novo de atualização/aprendizado em qualquer coisa legal. Ama: família, amigos, a vida e seus desdobramentos...

Ler perfil completo

Belo Horizonte/MG

Série Favorita: Breaking Bad

Não assiste de jeito nenhum: Two and a half Men

O que você precisa saber de Jessica Jones antes de Defensores

6 dias atráscomentarios

A primeira série da Marvel protagonizada por uma mulher começa quando os pais de Hope Shottman (Erin Moriarty) pedem a ajuda de Jessica Jones (Krysten Ritter) para investigar o paradeiro da filha, e ela então descobre que o sequestrador da moça é ninguém mais ninguém menos que Killgrave (David Tennant): aquele que a traumatizou através de um relacionamento abusivo. A moça não é então a típica heroína a qual estamos acostumados, e algumas vezes até chegamos a duvidar se podemos chama-la assim. Por ter um passado marcado pelo abuso sua personalidade se torna um tanto ácida e sombria, além de deixar para a personagem um descontrole no consumo de álcool e a ideia de que desistir é a melhor saída, e […]

Leia o post completo

O que você precisa saber de Demolidor antes de Defensores

1 semana atráscomentarios

Com o sucesso do universo cinematográfico desenvolvido pela Marvel nos cinemas, um dos personagens mais interessantes e queridos dos fãs de quadrinhos foi ansiosamente aguardado para voltar a fazer parte do mesmo mundo. Homem-Aranha? Não, na verdade Demolidor. Após a Fox deixar os direitos de uso do personagem retornar para a casa das ideias, Marvel e Netflix fecharam uma parceria para desenvolver diversas séries de heróis. Demolidor abre essa parceria com maestria, trazendo uma série obscura, e violenta, diferente do que o personagem já viveu nas telas até então (abraço Ben Affleck!) Charlie Cox (Broadwalk Empire), dá vida a Matt Murdock, sofrido e realista. A série apresenta ele como advogado com o escritório associado em Hell’s Kitchen, e em seguida suas […]

Leia o post completo

Com pais como estes, hoje é um dia para esquecer

1 semana atráscomentarios

Existe um ditado que diz que a vida imita a arte (ou vice-versa) e isso sempre se mostra realidade quando comparamos as séries que assistimos à vida real. Claro que ainda não descobrimos um universo paralelo, uma cabine telefônica que nos transporte por aí ou que alienígenas têm planos de conquistar a Terra, mas muitas vezes a realidade é espelhada nos roteiros das histórias que mais amamos. House of Cards está aí para comprovar essa teoria, se compararmos os acontecimentos aos fatos que vemos nos noticiários todos os dias. Com os pais não poderia ser diferente. Existem pais que assumem o papel integral da criação da criança, pais que são os melhores amigos dos filhos, filhos que têm dois pais, pais de […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter