Punho de Ferro – 1×11 Lead Horse Back to Stable

19 de março de 2017 Por:

Um episódio de transição.

Reprodução/Netflix

Depois de uma reviravolta na história, “Lead Horse Back to Stable” foi usado para recolocar as peças no lugar e definir onde os personagens estarão nos últimos momentos. Assim, enquanto Danny precisou recuperar-se das feridas obtidas no combate, vimos um pouco sobre a relação da Colleen com Tentáculos ao mesmo tempo em que Harold tenta tracejar o seu plano contra Bakuto.

Acho que nessa altura do campeonato já é possível afirmar, sem sombra de dúvidas, que Danny Rand é bem idiota em diversas situações. O herói é carismático e tudo isso, mas é impossível negar que ele é completamente ingênio e impulsivo nas suas decisões. Tudo bem que ele ficou grande parte da vida afastado do nosso mundo, não teve contato com a civilização ou manipulações em geral, porém esse comportamento já está começando a irritar. Por exemplo: a madame Gao mencionou os pais de Danny e ele quer desesperadamente informações, ele conheceu Bakuto e cinco minutos depois estava chamando de amigo, Collen revelou sua história e imediatamente a classificou como uma vilã maldosa e não considerou uma provável manipulação… Esses são somente alguns exemplos dos últimos episódios, existem inúmeros outros de anteriormente.

Reprodução/Netflix

Claro que está sendo difícil para o Danny se adaptar e abrir a mente, mas felizmente, a Claire estava ali para ser a voz da razão nesse instante. Estou torcendo para que no final da temporada ele registre uma evolução na personalidade, afinal Rand precisa aprender com seus erros e estar mais consciente no futuro do universo Marvel/Netlix. Aliás, sobre a Claire, vale destacar que ela voltou a exercer seu papel insubstituível para os Defensores: a enfermeira particular praticamente capaz de conceber milagres. Não bastasse isso, ela aconselhou e plantou a sementinha capaz de permitir a reaproximação do Danny e Colleen no final. Foi uma participação simples, entretanto muito mais crível do que jogá-la no meio de viagens para China ou cenas de luta simplesmente para agradar os fãs com sua presença.

Por falar na Colleen, fico contente que ela já desvinculou-se d’o Tentáculo. Seu companheirismo com o Danny – mesmo que eles não possuam química nenhuma como casal – é mais interessante de acompanhar do que uma manipulação que hora ou outra chegaria a um fim. Davos também está oferecendo suporte para o protagonista, mas possui algumas atitudes suspeitas, como sua constante desaprovação pelo fato de Danny ser o Punho de Ferro. Se tem uma coisa que aprendi na série foi não confiar em ninguém, então permaneço com um pé atrás diante dele.

Reprodução/Netflix

Como era esperado, a trama do Harold convergiu com o Danny: os dois unindo-se contra um inimigo em comum. Como o Harold não é flor que se cheire, talvez algum conflito surja dessa aliança quando eles se envolverem melhor. Uma surpresa foi o Danny decidindo matar o Bakuto ao invés de procurar alguma forma de justiça como a prisão, então esse já é um indício de que nosso herói está deixando a inocência de lado e ficando cada vez mais sombrio. Joy também está envolvida, porém ainda não aparenta possuir esse lado corrupto, tanto é que não esperava essa decisão. Como em Punho de Ferro nem tudo é o que parece, é difícil não ficar desconfiado de cada movimento na reta final: será que veremos outras reviravoltas?

– 

Observação:

-O Danny usado a roupa do Luke Cage!

Possui mais séries na grade do que tempo disponível. Viciado em cultura pop, bandas indies e, principalmente, ketchup.

Curitiba / PR

Série Favorita: Seinfeld

Não assiste de jeito nenhum: Anger Management

Guia da Trilha Sonora: Parenthood – 4ª temporada

2 semanas atráscomentarios

Parenthood é o tipo de série que sempre nos emociona de alguma forma: seja com o clima familiar, com os dramas dos personagens ou com a alegria de suas conquistas. E na 4ª temporada a gente sofreu bastante com alguns personagens, e claro que a trilha sonora contribuiu bastante pra que tivéssemos o maior impacto possível de tudo que a temporada queria nos passar. Abertura: Forever Young – Bob Dylan Abertura Internacional: When We Were Young – Lucy Scwartz 4×01 – Family Portrait Just As Loud – PAUL MCDONALD Corner – ALLIE MOSS Call Me the Breeze – BETH ORTON Amen – ROCCO DELUCA A Little One – PEASANT Counting Stars – PAUL MCDONALD T-Bone Shuffle – T-BONE WALKER 4×02 […]

Leia o post completo

Maratona Parenthood – 6ª temporada

2 semanas atráscomentarios

Pegar a última temporada de Parenthood para fazer o post de maratona foi um imenso desafio. A expectativa era grande, junto com o medo de não conseguir terminar o texto. Mas é isso que uma série faz conosco, não é? Nos encher de emoções e deixar aquele gelinho na barriga no final. Família é uma coisa difícil. Você não vive sem ela e não consegue, muitas vezes, ficar perto dela. Talvez porque família não tenha o dever de ser um amigo e dizer que certas atitudes estão corretas. Ela tem o dever de apoiar, apesar dessas atitudes e estar ao lado nas horas mais importantes, sejam elas felizes ou tristes. E isso define bem o que os Braverman são. O sexto ano da […]

Leia o post completo

The Good Fight

2 semanas atráscomentarios

The Good Wife é uma das séries jurídicas mais queridas dos fãs do gênero. Mesclando casos jurídicas repletos de reviravoltas com escândalos políticos num roteiro afiado com protagonistas cativantes e coadjuvantes de luxo, os contornos da vida pessoal e profissional de Alicia Florrick e cia conquistaram nossa atenção. Mas como tudo que é bom tem um fim, a série acabou caindo na qualidade e foi cancelada após sete temporadas. Era o fim da criatividade? Graças a Deus (e aos King), não. Menos de um ano após o final de The Good Wife foi lançada The Good Fight, um spin off dos mesmos produtores e que não deixou a desejar comparando com a série mãe. TGF deu sinais de que seria interessante logo […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter