Punho de Ferro – 1×11 Lead Horse Back to Stable

19 de março de 2017 Por:

Um episódio de transição.

Reprodução/Netflix

Depois de uma reviravolta na história, “Lead Horse Back to Stable” foi usado para recolocar as peças no lugar e definir onde os personagens estarão nos últimos momentos. Assim, enquanto Danny precisou recuperar-se das feridas obtidas no combate, vimos um pouco sobre a relação da Colleen com Tentáculos ao mesmo tempo em que Harold tenta tracejar o seu plano contra Bakuto.

Acho que nessa altura do campeonato já é possível afirmar, sem sombra de dúvidas, que Danny Rand é bem idiota em diversas situações. O herói é carismático e tudo isso, mas é impossível negar que ele é completamente ingênio e impulsivo nas suas decisões. Tudo bem que ele ficou grande parte da vida afastado do nosso mundo, não teve contato com a civilização ou manipulações em geral, porém esse comportamento já está começando a irritar. Por exemplo: a madame Gao mencionou os pais de Danny e ele quer desesperadamente informações, ele conheceu Bakuto e cinco minutos depois estava chamando de amigo, Collen revelou sua história e imediatamente a classificou como uma vilã maldosa e não considerou uma provável manipulação… Esses são somente alguns exemplos dos últimos episódios, existem inúmeros outros de anteriormente.

Reprodução/Netflix

Claro que está sendo difícil para o Danny se adaptar e abrir a mente, mas felizmente, a Claire estava ali para ser a voz da razão nesse instante. Estou torcendo para que no final da temporada ele registre uma evolução na personalidade, afinal Rand precisa aprender com seus erros e estar mais consciente no futuro do universo Marvel/Netlix. Aliás, sobre a Claire, vale destacar que ela voltou a exercer seu papel insubstituível para os Defensores: a enfermeira particular praticamente capaz de conceber milagres. Não bastasse isso, ela aconselhou e plantou a sementinha capaz de permitir a reaproximação do Danny e Colleen no final. Foi uma participação simples, entretanto muito mais crível do que jogá-la no meio de viagens para China ou cenas de luta simplesmente para agradar os fãs com sua presença.

Por falar na Colleen, fico contente que ela já desvinculou-se d’o Tentáculo. Seu companheirismo com o Danny – mesmo que eles não possuam química nenhuma como casal – é mais interessante de acompanhar do que uma manipulação que hora ou outra chegaria a um fim. Davos também está oferecendo suporte para o protagonista, mas possui algumas atitudes suspeitas, como sua constante desaprovação pelo fato de Danny ser o Punho de Ferro. Se tem uma coisa que aprendi na série foi não confiar em ninguém, então permaneço com um pé atrás diante dele.

Reprodução/Netflix

Como era esperado, a trama do Harold convergiu com o Danny: os dois unindo-se contra um inimigo em comum. Como o Harold não é flor que se cheire, talvez algum conflito surja dessa aliança quando eles se envolverem melhor. Uma surpresa foi o Danny decidindo matar o Bakuto ao invés de procurar alguma forma de justiça como a prisão, então esse já é um indício de que nosso herói está deixando a inocência de lado e ficando cada vez mais sombrio. Joy também está envolvida, porém ainda não aparenta possuir esse lado corrupto, tanto é que não esperava essa decisão. Como em Punho de Ferro nem tudo é o que parece, é difícil não ficar desconfiado de cada movimento na reta final: será que veremos outras reviravoltas?

– 

Observação:

-O Danny usado a roupa do Luke Cage!

Possui mais séries na grade do que tempo disponível. Viciado em cultura pop, bandas indies e, principalmente, ketchup.

Curitiba / PR

Série Favorita: Seinfeld

Não assiste de jeito nenhum: Anger Management

5 momentos incríveis da 2ª temporada de Master of None

4 dias atráscomentarios

Somos apaixonados por Master of None por aqui. Depois de uma primeira temporada sucinta, porém arrebatadora, esperamos quase dois anos (ou foi mais que isso?) para reencontrarmos Dev em um novo momento da sua vida. E, ao longo de dez episódios, tivemos a oportunidade de passear por muitos momentos incríveis na companhia do personagem, com um roteiro extremamente crítico e que faz com que a gente pare, reflita e mude algumas atitudes tão intrínsecas do nosso ser. Por isso, separamos (só) cinco dos grandes momentos dessa nova temporada, para revisitarmos e te convencermos de que, se você ainda não viu, essa é a hora para parar tudo que está fazendo e devorar o segundo ano de Master of None.   […]

Leia o post completo

Gypsy

5 dias atráscomentarios

Confesso que a princípio eu achei que Gypsy fosse um filme, afinal Naomi Watts e Billy Crudup são atores que estamos mais acostumados a ver na telona. Estranho ter um casal desse porte em uma produção para telinha do Netflix. De fato, Gypsy não é como a maioria das séries que estamos acostumados. Tem uma cinematografia de tirar o fôlego e um enredo que se desenvolve sem qualquer pressa. Com episódios de 50 minutos em média, Gypsy é quase um estudo de personalidade da sua protagonista, Jean Holloway, vivida por Naomi Watts. Ela é uma psicóloga, casada com Michael, um advogado que parece ter uma vida normal no subúrbio dos EUA. Tudo é muito sútil no início, mas vamos notando […]

Leia o post completo

Primeiras Impressões: Atypical

5 dias atráscomentarios

Estreou ontem na Netflix a comédia Atypical, que conta a vida de Sam (Keir Gilchrist), um garoto autista que chega a idade adulta e passa a ter uma série de necessidades/curiosidades para descobrir quem realmente é. E nesse caminho de descobertas vamos entendendo mais sobre a sua personalidade, suas limitações e como tudo isso afeta a sua família e a todos que o cercam. Trazer o universo adolescente parece ter sido uma maneira do canal de streaming se aproximar do seu público, trabalhando pautas mais complicadas através de uma abordagem diferente. Foi assim com o suicídio em 13 Reasons Why e agora com o autismo em Atypical. Mas o que chama atenção mesmo é que, apesar de todas as limitações do […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter