The Good Wife – 3×16 After The Fall

10 de março de 2012 Por:

Esse episódio serviu para satisfazer as dúvidas quanto ao destino de Will. Após o episódio passado, era justamente nesta posição que eu o imaginava: a de consultor. E claro, era de se esperar tamanha movimentação no escritório acerca do lugar vago que ele deixou. Não foi a toa que Julius disse que, quando Will retornar, ele terá de se esforçar para retomar seus clientes e seu lugar.. Por mais que Will vá ao escritório e ajude em alguns casos, ter um nome no letreiro e alguém usando a sua sala demonstra, no mínimo, que sua saída não abalou a firma, e a briga de egos entre Eli, Julius e David, tenho pra mim que não termina aqui.

Eu estou amando o foco que esta temporada está dando a Will, eu adoro o Josh Charles, ainda quando Will toma pra si uma mentira e a transforma em verdade. Não entenderam? Eu explico. Que conversa boba era aquela de “não quero namorar agora, não quero pensar em namorar”? Ou então, essa recusa dele em admitir que não ama Alicia, simplesmente porque ela lhe deu um pé na bunda? Não que ele possa fazer alguma coisa, quando um não quer dois não namoram, mas essa indiferença dele e essa relação profissional com Alicia, como se nada tivesse acontecido, chega a ser irritante.

Mas, se esse fosso em que está serviu pra conhecer suas duas irmãs, eu já amei. Me lembrou um pouco as irmãs de Derek, Grey’s Anatomy, toda a implicância delas. E a gente conseguiu saber muita coisa em pouco tempo, como por exemplo, que Will é advogado por causa do pai (o que explica a lot); que a família não o apoia muito, as próprias irmãs, insistiam pra ele arrumar um novo emprego; as namoradas do Ensino Médio (eu pensei que ele devia arrasar no Ensino Médio pegando as líderes de torcida, mas me enganei)…

Vocês viram como sutilmente a série relacionou o caso de suicídio com a dispensa de Will na primeira cena dele assistindo o vídeo na sala? Me deu medo (risos). Este caso, aliás, foi muito intenso, tanto que podia até render mais, e eu jurava que Alicia estava defendendo a família da vítima, até que vi ao seu lado o diretor do vídeo. Sinceramente, acho que o roteiro não se aprofundou sobre o por quê da criação do vídeo, apenas deu uma explicação rápida e quase óbvia, e principalmente, não se preocupou em nos deixar conhecer mais o diretor pra evitar que questionássemos o julgamento e a posição de Alicia.

O foco foi desviado para a advogada dos autores, nova participação da Mamie Gummer, e sua capacidade de manipular o Júri e o Juiz, até que alguém com a mesma malícia pudesse fazer o mesmo jogo: Caitlin. Quando eu perguntei semana passada sobre um plot decente pra essa menina, não esperava uma promoção. Não sei, algo nela me incomoda, não gosto desse sorriso estampado e dessa solicitude constante. Mas não dá pra tirar o mérito dela, até porque, ela fez por merecer quando entendeu o jogo do adversário. Alicia não teria tamanho jogo de cintura pra ganhar da Croizer no Tribunal, não com um caso daquele com tão poucos argumentos.

Por fim, a campanha de Peter atinge um ponto crítico e, atitudes como esta, de demitir alguém pra contratar um amigo porque precisa do apoio deste, é um detalhe que amanhã ou depois se torna costumeiro e derruba um candidato como ele, alguém que se envolve fácil emocionalmente. Eli, como sempre, soube caminhar entre os pólos e fazer a mediação, e, voltou a se meter no casamento de Alicia e Peter. Eu sempre achei o cúmulo do absurdo isso. A função de Eli é eleger Peter, nada mais. Se é tão importante assim a esposa dele, o máximo que ele pode fazer é conversar com o candidato, não procurá-la e perguntar se eles vão ou não se divorciar. Nem prometer a um terceiro que eles não vão.

Colatina - ES

Série Favorita: Friday Night Lights

Não assiste de jeito nenhum: Friends

  • emmanuele

    Não entendi aquela olhada da Alicia para a Caitlin no final. Se puderem explicar.. não sei se vi com muito sono, mas enfim.. não consegui raciocinar.

    • Larissa

      Nunca houve um conflito direto entre as duas, mas há certa estranheza com potencial de criar uma rivalidade estilo Alicia-Cary no início da primeira temporada. No início, a Alicia foi praticamente forçada a contratar a Caitlin, mas, no decorrer do tempo, viu que ela era uma boa advogada e, agora, com a oportunidade que a ausência do Will gerou, a “garota” teve uma rápida ascensão na firma. Esse clima de “pulga atrás da orelha” ficou bem claro depois que a Diane pediu pra Alicia dividir a secretária. Tenso. 😀

      • emmanuele

        Obrigada!!

  • Andrezza

    As irmãs do Will são irritantes, não gostei delas. A briga de egos foi a melhor parte do episódio. Eli sempre brilha. David Lee é desprezível e nem por isso ele deixa de ser um dos melhores personagens da série.
    Adoro a recorrência de advogados(as)/juízes(as) na série.
    Foi um dos episódios que menos me empolgou essa temporada, embora tenha sido muito bom.
    Ótima review!
    Bjs

    • Lara Lima

      Não curtiu as irmãs dele? =// Ah eu gostei. Especialmente da mais nova haha.

      Bjs!

  • Caroline®

    Nancy Crozier provou do seu próprio veneno. Com isso, Alicia teve que engolir Caitlin mais uma vez. Acho que essa guerra de urubus só beneficia o Will, enquanto eles estiverem brigando pelo lugar, nenhum vai conseguir apoio suficiente. E Alicia, que odeia ser usada (mais é usadíssima por geral, vai entender), provocou David Lee, e acabou ajudando Peter. David Lee é um canalha (mas me divirto demais com ele, ri litros dele “se oferecendo generosamente” pra ser sócio nominal) e pode prejudicá-la, especialmente pra favorecer a sobrinha.

    PS: melhor cena do episódio: as irmãs chatas do Will conhecendo sua “namorada” Kalinda. Por um momento, tive medo que elas descobrissem a Caitlin…

    PS.2: melhor fala do episódio: “You’d hate it. You hate people.”

    • Lara Lima

      “E Alicia, que odeia ser usada (mais é usadíssima por geral, vai entender)” — Né? Exatamente o que penso.

  • Rodney

    Oi Lara, td bem? Realmente vc acertou sobre o papel do Will. Mas o que quero comentar é que achei de novo o desempenho da Alicia abaixo do aceitável. Ela demonstrou inseguranças e impotência no tribunal. Outra coisa é esse passo pra trás pela carreira do marido. Eu acho que os roteiristas estão preparando uma reviravolta. Quem diria? A temporada mostrava uma mulher avançada e está mostrando um boa esposa, um verdadeiro capacho, de novo.

    Outra coisa, as irmãs do Will deixaram claro que ele gosta de mulheres mais jovens como… a Caitlin. Já faz dois episódios ou mais que tem um clima surgindo entre os dois. Eu apostaria em uma dor de cotovelo aquela olhada da Alicia pra cima da Caitlin. Quando é o próximo episódio? Esses demorara demais para sair. Aliás, o que a UC Brasil está fazendo é um absurdo. Muuuito atraso. Eu assistIA na TV, mas é um desrespeito eles pensarem apenas na grade deles. Até a próxima.

    • Lara Lima

      Oi Rodney, eu não seria tão precipitada em fazer essa leitura da Alicia porque não acho ser o caso. Prova disso é ela enfrentando a Wendy e o ex-marido no episódio do Grand Juri. Mas entendo que você tenha visto dessa maneira. Vamos aguardar e torcer pra que não.

      Quanto a Will e Caitlin, isso eu sempre achei. Desde o primeiro dia que a vi, e acho que por isso mesmo, Alicia se sente ameaçada por ela. Acho sim que pode rolar algo entre os dois. Vou cruzar os dedos pra que não.

      Abraço!

  • Achei a Kalinda mais “aberta” nesse episódio. Se fosse em outros momento, provavelmente ela não teria dado muito espaço para as irmãs do Will. Inclusive, uma delas (a que tocou violão) faz a Zoey em Nurse Jackie.

    A Alicia me decepcionou um pouco no tribunal. Senti que faltou firmeza. Se continuar assim, Caitlin vai pegar o posto dela algum dia.

    O melhor ficou por conta da disputa Julius x Eli x David Lee. Os dois últimos são fantásticos. Adoro esse clima de rivalidade.

  • daniela

    adoreiii as irmas do Will. Principalmente a aubrey morria de ri elas nao escutam o irmao! E sinceramente desde q o Will abraçou kalinda no grande Juri, vi u quimica nos dois. E sinceramente nao gosto da Catlin e sua voz sussurada arg

  • dpollyanna

    Gostei bastante das irmas do Will. Concordo contigo com relação ao Eli se intrometer no casamento de Alicia, embora goste muito do personagem (já gostei mais) ele me irrita muito quando faz essas coisas. Mas me irrita mais ainda quando a Alicia cede. Não estou gostando do fato da serie estar retornando ao inicio. Eu não entendo a insistência em manter Alicia presa a Peter, que eu acredito que não demorara muito a se mostrar o mau caráter do inicio. Não gostei de Alicia ter desistido do divorcio e muito menos de deixarem em aberto uma aproximação com Peter. E como se retrocedessem tudo o que ela construiu. E também não gostei do fim abrupto do romance entre Wil e Alicia, pois esperei tanto por ele e ele simplesmente acabou, do nada?

  • Rodney

    Vejo que há uma insatisfação geral com o rumo da Alicia, ainda que a Lara não acredite que isso acontecerá. Pode ser que sim mesmo, tvz aquela olhada pra Caitlin se transforme numa ação mais contundente. Vamos aguardar. Mas gosto quando os roteiristas nos surpreendem, desde que não fique sem pé nem cabeça. Mas tb acho que isso não acontecerá.

Masterchef Brasil 3ª temporada – Torcidas

5 dias atráscomentarios

Foram 24 episódios e inacreditáveis 21 cozinheiros que entraram na disputa este ano. Na edição de Mastechef Brasil mais longa que um BBB, não faltaram características desse reality no programa culinário da Band. Ao longo de cinco meses, vários personagens foram criados e agora, há poucos dias da grande final (que vai ao ar na próxima terça), restam apenas dois: Bruna Chaves e Leonardo Young. E não tem nada melhor que torcer pelo nosso favorito, não é mesmo? Por isso, reunimos aqui alguns motivos pelos quais Bruna e Leo deveriam sair daquela cozinha com o troféu em mãos. #GanhaBruna A mineirinha perua do Masterchef foi ganhando seu espaço aos poucos. Sempre correndo pelos lados, Bruna conquistou seu lugar na final […]

Leia o post completo

Os melhores momentos com esportes nas séries

5 dias atráscomentarios

Em agosto não se fala de outra coisa além de pokemon esportes. Até quem normalmente não acompanha vôlei, futebol, ginástica, nada, tem parado um pouco com as séries pra poder assistir o Brasil ganhando (ou perdendo também, por que não?) alguma coisa. E pra entrar no clima, preparamos esse especial com alguns momentos marcantes das séries – tenham elas o esporte como protagonista ou não. Friday Night Lights “Clear Eyes, Full Hearts, Can’t Lose”. Esse é o lema do Coach Taylor e que não paramos de repetir enquanto vemos a série Friday Night Lights, que tem o futebol americano como um de seus personagens principais. Um dos episódios mais emocionantes da série é o Mud Bowl (1×20) em que, por […]

Leia o post completo

Mozart In The Jungle

6 dias atráscomentarios

O abrir das cortinas que precede um espetáculo é sempre lindo, tocante e emocionante, não somente para os amantes de música clássica. Contudo, existe aquele questionamento de como seria o clima dos bastidores, o processo de preparação para alcançar o objetivo da perfeição orquestral, o relacionamento entre os seus integrantes, enfim. Mozart In The Jungle se dispõe a responder algumas destas questões de modo leve, cômico sem fugir do drama, mas, a série está longe de se resumir a esta prévia definição. É um dos frutos dos recentemente populares serviços de streaming, produzida pela Picrow para a Amazon Studios, a mesma responsável por Transparent, possui duas temporadas totalizando 20 episódios curtos de 30 minutos cada. Gostosa de acompanhar, uma das melhores qualidades […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter