Aquele em que dizemos adeus

Pra quem não sabe, o Apaixonados por Séries existe há quase dez anos. Eu e Camila…

O que esperar de 2018

Antes de mais nada, um feliz ano novo para você. Que 2018 tenha um roteiro muito…

Revival Gilmore Girls: Top 10 piores momentos

Por: em 29 de novembro de 2016

Revival Gilmore Girls: Top 10 piores momentos

Por: em

Spoiler Alert!

Este texto contém spoilers pesados,

siga por sua conta e risco.

Dá pra gostar do revival e ainda assim odiar várias coisas que aconteceram nele? Com certeza! Pensando nisso, preparamos uma lista com os 10 piores momentos de Gilmore Girls – A Year in the Life. Foram nove anos de espera, a gente tem o direito de reclamar, certo?

E, não custa lembrar: esse especial contém spoilers de todo o revival. Se você ainda não terminou, então pare por aqui e acompanhe nossas reviews individuais de cada episódio: Winter, Spring, Summer e Fall.

10. A separação de Paris e Doyle

paris-doyle-revival

Que Paris não é uma pessoa muito normal a gente sempre soube. E justamente por isso Doyle era o cara ideal pra ela. Ele podia não ter o mesmo nível de loucura (afinal, quem teria?), mas entendia e completava a amiga de Rory como ninguém. Claro, a gente sabe que ela não precisa de ajuda pra dominar o mundo, mas temos certeza que ao lado do Doyle ela ficaria mais feliz. Mas, olhemos pelo lado positivo, quem sabe a essa altura os dois já não fizeram as pazes e estão transando na escadaria do apartamento?

9. A interminável cena com a Brigada

revival-brigada

Há quem adore a Brigada de Vida e Morte, – eu não sou essa pessoa. Acho uma trama interessante para a quinta temporada da série, mas não é tão fácil gostar de uma turma de jovens ricos, mimados e irresponsáveis, gastando o dinheiro da família por aí, sem consequências, como se não houvesse amanhã. Ainda assim, entendo a presença deles no revival porque fazem parte do “pacote Logan”. Ok, as cenas foram bonitas e tiveram uma trilha sonora linda (With a little help from my friends”, na versão do musical Across the Universe), mas precisa mesmo durar tanto? Foram quase 15 minutos do último episódio gastos com Colin, Finn e cia. limitada. Um pouco exagerado, não?

8. O musical mais longo da história

musical-stars-hollow-revival

Já que estamos falando mal de cenas muito longas, chegou a vez do musical de Stars Hollow. Estamos nos referindo ao musical todo? De forma alguma. Mas são 10:30 minutos (sim, nós contamos!) desde que Taylor sai do palco até o final, com “Waterloo”, clássico do Abba. Com tanta coisa pra acontecer em somente quatro episódios de revival, era mesmo necessário perder tanto tempo com algo assim?  Sem a participação dos moradores de Stars Hollow no palco? Cadê Kirk nessas horas? Miss Patty?

7. A turma dos 30 e poucos anos

revival-turma-trinta-e-poucos-anos

Dos 157 episódios de Gilmore Girls, me arrisco a dizer que “a turma dos 30 e poucos anos” foi a pior ideia que Amy Sherman-Palladino já teve. Talvez a ideia não seja tão ruim assim porque é uma realidade. Muitos jovens norte-americanos estão sim voltando pra casa depois de formados, enquanto os brasileiros sequer saíram de casa. Mas se você vai fazer uma crítica social, seja à instabilidade financeira mundial, aos jovens mimados da geração Y, ao que for, por favor, o faça de maneira mais inteligente, e não com personagens acenando para uma câmera toda fez que aparecem.

6. A ausência de Sookie

sookie-st-james-revival

Sim, Sookie estava lá, por cinco minutos, mas estava. Isso era suficiente? De forma alguma. Claro, sabemos que Melissa McCarthy não participou de todo o revival por questões contratuais, – resumindo: ela hoje é maior do que todo o elenco junto e não era possível bancá-la. Muito se especulou se teríamos Sookie ou não e, no final das contas, quando Melissa confirmou sua presença no revival, ficou claro que aquela seria uma participação afetiva e curta. É difícil dizer se pela pressa ou por outro motivo, mas naquela cena única curta, Melissa não parecia Sookie (e alguém sabe se a atriz teve algum problema de saúde que tenha afetado sua voz?). Talvez do meio pro final tenha sido mais fácil reconhecer a melhor amiga de Lorelai, mas tudo soou esquisito, fora de sintonia, como Sookie grávida, sem conseguir sentir o gosto da comida.

5. Lane

lane-hep-alien-revival

Lembram da Lane das primeiras temporadas? Pois é, cadê ela? A sétima temporada já foi suficientemente injusta com a filha da Mrs. Kim: grávida de gêmeos, sem gostar de sexo, tendo que deixar a Hep Alien de lado. Quando o revival foi confirmado, muita gente achou que a redenção chegaria para Lane… Mas não foi dessa vez. Ela continuou exatamente onde estava e, pior, não teve sequer uma interação significante com qualquer personagem em nenhum dos episódios.

4. A aparição mínima de Jess

revival-jess-mariano-janela

Independente da torcida por qual seria o namorado ideal pra Rory, uma coisa há de se concordar: todos são importantes para a história da Rory. E se Logan esteve em todos os episódios com um certo destaque, o mesmo não pode ser dito do sobrinho de Luke. Jess Mariano só deu as caras no terceiro episódio e mesmo assim pra uma ceninha rápida. Na última vez que vimos Rory e Jess juntos, na sexta temporada da série, os dois tinham se tornado amigos e Jess continuava apaixonado. De lá pra qual, qual foi o contato dos dois? Eles se veem ocasionalmente em Stars Hollow? Trocam indicações de livro? Se falam pelo facebook?

A gente não sabe como ficou a relação dos dois, mas parece haver carinho ali. Mas quão estranho foi ver Rory sequer se levantar pra cumprimentá-lo na Gazeta de Stars Hollow? Dois minutos depois, é ele quem lhe dá a sugestão pro livro sobre a história dela e da mãe. Sempre Jess, chegando quando as coisas estão confusas para dar um empurrão em Rory. Depois disso, só vemos mais um pouco dele e Luke, e é praticamente isso. Nos despedimos de Jess com seu olhar triste na janela, observando Rory e pensando no que poderia ter sido, – mas não foi.

3. O retrocesso do Logan

logan-revival-gilmore-girls

Mesmo quem não gostava do Logan teve que admitir o crescimento do personagem na sétima temporada. Ele deu uma mancada ou outra, com certeza, mas no geral: saiu da barra da calça do pai,  arranjou um novo trabalho, assumiu suas mancadas com Rory, pediu desculpas, a tratou da forma que ela merecia e a pediu em casamento. É ótimo que ela não tenha aceitado, mas a questão é: ele estava disposto a passar a vida com ela.

E o Logan do revival? Morando em Londres, trabalhando para o pai, noivo de uma herdeira e mantendo um caso extra-conjugal com a Rory. É como se a sétima temporada nunca tivesse acontecido. E de certa forma foi isso mesmo. Nas entrevistas pré-revival, Amy Sherman-Palladino mencionou que ela teria escolhido um caminho totalmente pra uma coisa. E agora me parece claro que ela se referia ao Logan. Pense comigo: na última vez que vimos Logan na sexta temporada ele estava em um elevador, se despedindo da Rory e deixando os Estados Unidos para morar em Londres a mando do seu pai. E foi exatamente assim que o encontramos agora.

2. A estagnação profissional da Rory

rory-gilmore-jornalista

Esse é um tópico bem polêmico. Há quem defenda que a estagnação profissional da Rory é ótima pra nos mostrar que ela não é perfeita, como nenhum de nós é, e isso a transforma em uma personagem ainda mais complexa. Mas há controvérsias. Que a Rory não é perfeita a gente já sabe desde a quarta temporada, quando ela perdeu a virgindade com o ex-namorado casado. Também fomos lembrados dessa imperfeição no final da quinta temporada, quando ela largou Yale e passou meses sem falar com a mãe. E agora, o que mudou?

Na época que Rory cometeu esses erros ela tinha 20 e poucos anos. Eram erros normais, certo? E se os trinta são os novos vinte, não seria natural que ela continuasse metendo os pés pelas mãos? Não. Rory formou em Yale há nove anos. Quase uma década. Quando a série acabou, ela estava indo cobrir a pré-campanha de Obama (e todo mundo sabe qual o final dessa história), então como ela se tornou uma jornalista sem grandes feitos? Sem um currículo decente? Nada? A Rory CDF que a gente conhece poderia não ter se transformado na próxima Christiane Amanpour, claro, mas dificilmente estaria solta por aí, sem um emprego estável, sem perspectivas, sem calcinha.

Mas por que reencontramos a personagem assim? Isso com certeza tem a ver com…

1. As 4 palavras finais

gilmore-girls-revival-final

Reza a lenda que Amy Sherman-Palladino tem as quatro palavras finais prontas há anos. Ela sempre soube como a série terminaria e costumava deixar isso claro, até com um certo orgulho. Como se fosse um final pré-determinado, destino, “estava escrito”, como Luke e Lorelai na inesquecível cena do horóscopo. Mas se tivéssemos pensado mais um pouquinho a fundo sobre o fato dela ter essas quatro palavras finais há tanto tempo, talvez a ficha tivesse caído e percebêssemos que isso não era necessariamente algo bom.

Pegue o caso de HIMYM. Você viu a série? O protagonista Ted passa nove temporada contando para seus filhos como conheceu a mãe deles. Nos últimos 30 segundos o que acontece? A gente descobre que ele ainda era apaixonado pela ex-namorada e Ted volta com ela. Era um final também pré-determinado pelos showrunners e que faria todo o sentido se a série tivesse terminado anos atrás. Mas o tempo passou, os personagens evoluíram e a conclusão foi tão mal aceita pelos fãs, que a CBS liberou um final alternativo no DVD. A situação de Gilmore Girls é bastante parecida, – e ainda mais triste.

Se a revelação final da série sempre foi a gravidez de Rory, então não adiantava o seu desenvolvimento, sua evolução, nada. Seu destino sempre seria o mesmo: mãe solteira em Stars Hollow. Não me entenda mal, não há nada de errado em ser mãe solteira, eu mesma sou filha de uma. Mas todo mundo sabe que não é uma missão fácil. Não foi fácil pra Lorelai, mesmo com todo o apoio da cidade, então porque Rory mereceria o mesmo destino? Mesmo que isso  não se encaixasse na personagem? Só pra “completar o ciclo”?

gilmore-girls-revival-final-gravida

Completar o circo é repetir o erro dos nossos pais? Todos já entendemos o complexo de Electra explorado na série: Logan é Christopher, rico, mimado, segue tirando Lorelai (mãe e filha) do eixo; Jess é Luke,  amigo, alguém com quem ela pode contar e que estará sempre por perto (o que só se refere ao Jess das últimas temporadas, claro). Há até quem faça o link entre Dean e Max: completamente apaixonados pelas garotas Gilmore e deixados de lado. Mas até que ponto Rory precisava ser só um reflexo pálido da mãe no passado? Um fantoche do destino?

Não, Rory não precisava ganhar um Pulitzer aos trinta anos, mas quão injusto é que ela não tenha direito a um destino só dela? Um final pensado pra ela, e não uma história pronta, focada na sua mãe e planejada muito antes da personagem crescer, evoluir e, de certa forma, ganhar vida própria? Sim, a vida real é injusta. Mas não é pra isso que assistimos séries e é difícil não ficar triste com o final preguiçoso dado a Rory Gilmore.

 


Concorda? Discorda? Conta pra gente as coisas que você menos gostou no revival!


Cristal Bittencourt

Soteropolitana, blogueira, social media, advogada, apaixonada por séries, cinéfila, geek, nerd e feminista com muito orgulho. Fundadora do Apaixonados por Séries.

Salvador / BA

Série Favorita: Anos Incríveis

Não assiste de jeito nenhum: Procedurais

  • Nadia Maria

    Eu adorei o muscial pq eh um coisa bem Star Hollow, mas realmente ficou faltando Kirk nele.
    Quanto a estagnação de Rory eu achei necessária para que ela pudesse refletir e crescer, rever a vida.
    As ultimas palavras concordo com você. Eu realmente detestei é diminuir muito a Rory, fazendo com que ela repita os memos erros da mãe. É muito clichê fazer isso de que logan-cris e jess-luke a serie devia ser mais do que isso. Foi algo extramente óbvio e que tirou a beleza do final.

  • Jéssica Santos de Souza

    Nossa tantas coisas pra falar rs
    triste a separação, mas a cara da Paris o drama e tal e parece mesmo que ainda se gostam.
    Gostei da cena da Brigada e do musical, mas muito tempo pros dois e pra cena de gordofobia e nada pra pelo menos a Lane e a Rory conversarem.
    Sobre a Lane e mesmo sobre a carreira da Rory, independente da competência Cristal o mercado é assustador e nisso eu tenho que concordar com o pai do Logan, a Rory é ótima, mas não é um tubarão e pra comunicação ou vc é um tubarão ou um puxa-saco. Mas ainda sim podiam ter falado como ela chegou nisso… E a Lane eles podiam pelo menos mostrar a banda toda tocando em vários bares, pq é o que acaba acontecendo, pode não dar muita grana, mas dá satisfação pessoal.
    Fiquei com vergonha alheia da turma dos 30 e vi como uma metáfora do que tá rolando mesmo, não tá fácil se sustentar sozinho, então mtos voltam pra casa mesmo.
    Nooooosa fiquei muito chateada com a ausência da Sookie e sei lá a explicação de pq ela foi embora não desceu mto bem. a cena começou estranha, mas depois aquietou um poko a saudade rs.
    Sobre a gravidez, bem mesmo com prevenção a gente engravida, o fogo é parecer algo obrigatório. realmente a rory nunca demostrou muito a vontade na maternidade, e bem nos EUA o aborto é permitido, não é uma sentença como é aqui, pelo menos legalmente.
    Ahhh sobre Logan e Jess, acho ótimo ela ficar sozinha e o que não fez sentido no relacionamento extra deles dois é a 7 temporada mesmo. E sei lá queriam mesmo mostrar que ela não evoluiu desde a história com o Dean casado? Podia ter rolado o caso e deixarem claro que a noiva sabia e que os dois iam se casar por conveniência e por isso teriam outras pessoas, sei lá, muita cosa podia ter rolado sem essa coisa dela continuar amante.

  • João Paulo Ritter

    eu não acho que necessariamente ela seja uma mãe solteira em Stars Hollow… E também não vejo que o Logan vai ser o Christopher ou o Jess vai ser o Luke, se vier a existir mais episódios (acho que vai). Para mim, a Rory vai ser uma mãe solteiro só que com um destino diferente do da Lorelai, eu não consigo ver ela ficar em Stars Hollow e ponto final. Tipo para mim se fizerem mais coisas voltadas na Rory, vai girar nela ser mãe solteira, escritora e morando em outra cidade… Porque ela não tinha achado um apartamento em NY ou eu tô embaralhando as coisas já?

    • Laís Rangel

      Sim, ela comenta com a Lorelai que vai se mudar pro Queens.

    • Ela comenta sim, @joopauloritter:disqus, mas eu não botei fé. Acho que isso muda assim que ela assume a gravidez pra mãe, sabe?

      • João Paulo Ritter

        sim, eu entendo… Mas eu não sei, não quero pensar que a vida da Rory seria uma cópia da vida da Lorelai só que, sei lá, para mim isso seria um puta mal aproveitamento de personagem e preguiça, quando tentam vender um personagem como uma versão 2.0 de outro, ainda mais quando existe esse arco ciclo e etc, é preguiça mesmo… Se existir mais episódios voltados na Rory, seria legal ela em New York com o livro sendo lançado e depois virando best-seller, depois virando um filme (sei lá) voltou a moda grandes filmes baseados em livros. Como já diria aquela fã de Restart, vou xingar muito no Twitter se a Rory ficar presa em Stars Hollow para sempre e fim.

        • Alice Reis

          Acho que a metalinguística do livro “Gilmore Girls” foi exatamente isso. Como se a série inteira fosse uma ilustração do livro que a Rory está escrevendo.

  • Thais Gonzaga De Oliveira

    Confesso que ri muito com o musical, a indignação da Lorelai com todo aquele absurdo, mas realmente poderia ter durado menos. Também detesto a Brigada, até avancei nas cenas. Esses bobos serem mais importantes em cena do que a Lane foi bem errado. O restante seguiu o que eu imaginava, mesmo não gostando da Rory com o Logan. Aliás, quase abandonei a série na época que ele surgiu e trouxe todo o enredo da briga das duas. Mas ok, foi isso que a Amy planejou e faz sentido no final das contas.

  • Thais Gomes

    Acho que vou reclamar até o final da minha vida sobre o revival de gilmore. Espero que não tenha mais. Nem vamos falar de Rory porque foi a maior decepção da série. Eu sempre me identifiquei com ela e me inspirava nela, mas destruíram quase tudo bom nela. A carreira estagnar é uma coisa, mas a dela nem era tão relevante o que foi muito triste, levando em conta o fim da sétima temporada. Vamos falar de Logan. Por que retrocederam totalmente o personagem? Só porque Amy não gostava dele??? Ele tinha avançado muito, quis casar com ela; tinha crescido como pessoa, deixado de ser tão mimado, se tornado mais responsável na 7° temporada,etc.Ele não é o Christopher de Rory. Também sinto muita pena de Lane. Parece que Palladinos esquecem desenvolvimento de personagens em churrasco. Sinceramente, a Emily sim foi o destaque desse Revival. Agora entendo porque não querem fazer nada novo de Friends.

    • Pri

      Tb esperava mais da Rory, fiquei com uma sensação ruim, acompanhei a série por anos na warner, desde o piloto. Concordo Logan não é novo Christopher, gostava do personagem, ele tinha evoluido mto. Prefiro ficar com o final da 7º temporada com encerramento da série. E aprendi a lição, revival nunca mais.

  • Laís Rangel

    Paris e Doyle – Gostava deles juntos, mas não chegou a me incomodar a separação.
    A cena da brigada – Enquanto eu assitia, também achei longa demais, mas não ruim. Quando a Rory falou que estava grávida, passei a amar a cena, porque caramba! Ela vai ter um filho fruto da noite mais maluca e maravilhosa da vida dela. Tinha que ser especial.
    O musical – AMEI. Mas ok, eu sou aloka dos musicais e adoro a Sutton, sou suspeita pra falar. Entendo que muita gente não tenha gostado.
    A turma dos 30 e poucos e a ausência da Sookie – CONCORDO
    Lane – Acho que a única vez que me interessei de fato pela personagem foi na cena em que a mãe dela descobre que ela tem uma “vida secreta” escondida nos assoalhos. Fora isso, a Lane sempre foi meio paisagem pra mim, então não me incomodou.
    Jess – Acho que ele e o Dean tiveram o tempo que mereciam mesmo. Foram pessoas que passaram pela vida da Rory, mas não são mais importantes. Apareceram pelo fator nostalgia que esteve presente em todos os episódios. Fiquei contente por terem focado a narrativa na vida delas, e não nos rapazes. O Logan só apareceu muito porque precisava de alguém pra ser o pai, no fim das contas.
    Falando em Logan – Sei lá, nunca fui com a cara dele, nunca achei ele bom para a Rory e só confirmei mesmo a opinião que eu já tinha.
    Vida profissional da Rory – Quando anunciaram o revival eu queria MUITO ver a Rory jornalistona poderosíssima, mas no fim das contas achei genial a sacada de colocar ela no mesmo barco que quase todo mundo da nossa geração. Se antes eu me identificava com ela por ser a garota que sempre andava com um livro por perto, agora me identifico porque ela também participaria da comunidade do Orkut “Eu tive um futuro promissor”. Achei ela bem arrogante pra quem não está por cima da carne seca, mas ela sempre foi mimada e ouviu a vida toda que era um gênio, então também não é uma atitude incoerente.
    As palavras finais – Primeiro fiquei WTF, depois pensei em tudo que foi mostrado nesse revival e fiquei contente. Porque mais que a repetição de um ciclo, eu vejo uma evolução. Não vejo a Rory repetindo os perrengues que a Lorelai com 16 anos passou. Vejo que a Lor criou uma pessoa que vai ter um filho depois dos 30, com um diploma de uma universidade de elite, e que será mãe solteira sim, mas também pode ser uma escritora (talvez de sucesso, talvez não), que mora no Queens e passa os fins de semana em Stars Hollow. Que um dia deve encontrar aquela pessoa “que combina com ela”, mas que se não encontrar também tudo bem, porque elas sempre terão uma a outra, e terão essa nova pessoa que vem aí. Só porque ela disse que vai ter um filho todo mundo assumiu que ela repetiria a vida da Lorelai, eu não entendo assim.
    O mais legal de tudo é que esse revival foi sutil e deixou lacunas que os fãs preenchem de acordo com as próprias perspectivas que eles têm da série. É muito divertido se perder nesses universos alternativos que a gente monta =)

    • Kamilla

      Eu não sou de comentar, mas quando vi alguém lembrar dessa comunidade “Eu tive um futuro promissor” eu tive que surtar kkkk, queria que o orkut voltasse só por causa dela, essa comunidade representa mais a geração 30 e poucos do que todos aqueles figurantes de SH juntos kkk

      • Laís Rangel

        Nossa, não tem nem comparação com aqueles figurantes sem graça que arrumaram ahahahah Juro que se o Orkut ainda existisse, eu criaria um fake da Rory só pra entrar nessa comunidade xD

    • Julia Sebber

      Tirando o musical, acho que concordo com tudo que a Lais falou, então vou nem comentar.
      E acho que o divórcio da Paris era só gracinha e se tiver/tivesse continuação eles voltariam.

  • Leandro Fonseca

    O fato das personagens voltarem como se o tempo tivesse parado depois do fim da 6ª temporada realmente me incomodou. As cenas da brigada e do musical… gzuiz! Quase uma tortura.

    Concordo que Rory deveria ter um destino só dela MAIS EXPLÍCITO mas gostei das últimas palavras. Não acho q a intenção tenha sido de que Rory vai repetir exatamente o destino de Lorelai, mas reforçando que ela pode fazer o que quiser da vida dela, sozinha ou não e que tudo vai dar certo.

    • Alice Reis

      O problema é que, com aquela cara de pânico, a Rory não parecia que “poderia fazer o que quisesse da vida, sozinha ou não, que tudo ia dar certo.” Ela parecia mesmo uma garota de 16 anos.

  • Laís Rangel

    Só pra não faltar um pentelho que diz que faltou x, y ou z: CADÊ A CENA DA PISCINA?

    • Alice Reis

      Eeeeeh! Momento Fat Pat e os molequinhos escravos também entra pra lista!

      • Como eu pude esquecer de falar mal disso??? Critiquei na review e esqueci aqui! Gordofobia rolou solta ali.

      • Luana

        Sim, totalmente sem noção! Fiquei indignada com as cenas da piscina, ainda mais com toda essa luta de aceitar mais o diferente, amar o nosso próprio corpo, que todo mundo pode ir na praia desde a pessoa gorda ou um velho todo flácido e que tudo isso é normal e não é feio!!! Pareciam duas patricinhas se achando ali aaaafff ¬¬

    • Mayara Knoeller Mendes

      Não lembro dessa cena,qual foi?

      • Laís Rangel

        Em Summer, elas na piscina pública fazendo piada com as pessoas gordas em traje de banho.

  • Alice Reis

    Cristal, me dá um abraço, que eu adorei o post!

    A Rory de 32 não pode ser a Lorelai de 16. Não pode. Fiquei esperando o momento dela falar: “Logan, estou grávida e quero você, então termina com a Odette e vem ser feliz comigo.” Claro que o Logan aceitaria. Ele não é o Christopher, independentemente do que a Amy queira provar para o mundo. Em vez disso, a Rory vira para o Dean e mostra a caixa de cornstarch. O que foi aquilo?

    Você reparou que fizeram a mesma coisa com a Paris, né? Ela virou a própria mãe, que abandona os filhos com a babá (e a tia Rory). Nada a ver.

    “sem um emprego estável, sem perspectivas, sem calcinha” – crise de risos!!!

    Ah. Posso confessar uma coisa? Eu pulei a parte do musical. Não aguentei. Mas curti o tchauzinho da turma dos 30 e poucos anos kkkkkk

    Resumo da ópera: estou decepcionada com o revival, mas continuo amando GG.

  • Eduarda Freitas

    Amanda, concordo com você. Todos tem a mania de demonizar o Logan, o que é muito injusto. Ele foi um dos personagens que mais amadureceu ao longo da série. O Logan foi o relacionamento mais normal da Rory e o cara que daria
    estabilidade para ela. Se eu fosse o roteirista e a Amy, ela acabaria com o
    Logan. Não concordo com o final dado para ela. Na sexta temporada o Logan, não merecia o “não” da Rory, e ela tão destemida e corajosa,
    deveria ter enfrentado, não acho que foi pela falta de amor, mas sim por
    ter sido pega de surpresa, e Rory não é boa com coisas de surpresa,
    como quando perdeu a virgindade com um cara casado. Logan fazia bem para Rory. Era isso que eu gostava do Logan para a Rory. Ele foi o único que não
    era apaixonado por ela logo no começo, ele era o único que despertava
    nela esse lado de querer mais, de ser diferente, de se arriscar mais. As
    coisas eram bem simples e fáceis para a Rory, até ela conhecer o Logan. E isso era a diferença dele para os outros amores da Rory.

    • Tati Lima

      Também sou Team Logan. A Rory feliz e apaixonada, com vontade de conhecer as coisas, de se arriscar, sempre foi com o Logan do lado. Ele é mimado, ela também é! Mas acho que ela fez certo em não aceitar ser a amante, até porque isso nem combina com ela. Gostei dela estar grávida dele.
      Ela não deu certo na vida profissional talvez por que sempre ouviu da mãe que era a boa e tal.
      Agora vamos ver se vai ter continuação… Vou assistir com certeza! Gostando ou não.
      Não dá pra agradar todo mundo… E isso é o legal.

  • Super concordo com todos os momentos! É exatamente o que eu escreveria se tivesse feito o post hahaha

    On único momento de Rory que salvou no revival foi a cena dela entrando no escritório do Richard pra começar a escrever o livro.

    O maior erro da Amy foi agir como se a sétima temporada não tivesse acontecido, porque aconteceu – mesmo que ela não tenha escrito. E nós terminamos a temporada com uma Rory Gilmore decidida a focar na sua carreira, dando mais importância a isso do que ao relacionamento com o Logan. Então é um big de um retrocesso tudo que vimos dela nesse revival…

    Sookie e Lane também mereciam mais destaque. Se não pelas próprias personagens pelo menos pelo fato de serem as melhores amigas das protagonistas.

    E não acredito que separaram Doyle e Paris – eram o melhor casal depois de Lorelai e Luke (já que Rory e Jess pós sexta temporada nunca aconteceu).

    • Alice Reis

      Achei que vc ia curtir a cena da Brigada!

      • Curti, mas também achei muito longa.
        Nas temporadas clássicas eu gosto dos momentos deles porque ainda tem tempo pra trabalhar as outras coisas, mas em apenas 4 episódios tempo demais pra eles eu acho desnecessário.

  • Keyla Mendes

    Tirando o musical, que gostei (mas super entendo quem não gostou pq realmente foi muito longo), concordei com tudo.
    A cena da brigada foi eternaa. A cena até foi bonita, mas não suporto eles. Fora que tive uma enorme agonia vendo eles dirigindo aquele carro daquele jeito depois de beber tanto.

    Queria mais da Sookie, Lane e Jess e quero Paris e Doyle juntos de novo. Inclusive, na conversa da Rory e Paris no banheiro eu fiquei achando que a Paris estava grávida e que depois eles iam acabar com ela e o Doyle tentando voltar. Mas foi tudo ilusão =(

    Só adicionaria a cena da piscina porque o que foi aquilo?? Bem desnecessária. Elas nem conseguem disfarçar a gordofobia com “é saúde” pq vamos combinar que a alimentação delas não é exemplo pra ninguém.

  • Mayara Knoeller Mendes

    Gostei mt do post
    Realmente o musical foi uma tortura
    Eu só consigui gostar da Rory até meados da segunda temporada
    Depois ela fica insuportável
    Considero a Lorelai uma santa por suporta-la

  • Mayara Knoeller Mendes

    Sempre fui team Logan
    Eu já odeio muito a Rory então não concordo com quem só fala mal do Logan
    Ela ficou com o Dean quando ele era casado!
    Acho que pra ela a relação com o Logan era algo como um namoro
    Ela só estava se cegando

  • Ivy

    Bom como eu falei, o final só não ficou “ruim” porque foi no Revival, mas imagina ISSO no final da sétima temporada? ASP é egocêntrica demais… Sempre tive birra da mania dela de desfazer da sétima temporada só porque não foi ela que escreveu. Filha, você escreveu a sexta temporada e aquilo é uma bomba!

    Primeiro eu tinha odiado o Revival, depois eu até tentei ver o lado positivo e relevar, mas agora eu já formei a opinião de que “não deviam ter mexido no seriado”. Olha, eu sempre defendi a sétima temporada (mesmo com todo mundo metendo o pau falando que ela destoava das demais) porque eu não vi nenhuma diferença entre ela e as outras temporadas. Sim, a Lorelai estava diferente, mas pra mim isso foi proposital; A diferença entre o ritmo da temporada também não me incomodou, visto que a quinta temporada já é meio broxante e a sexta é uma tristeza; Até a Lane não teve salvação na última temporada porque a ASP já tinha f*dido a história dela toda, então.

    Na boa, eu sei que ela é ocupada e tal, mas o que a Melissa fez foi um tremendo desserviço com a série e os fãs, não só ela como a ASP, afinal como não lembrar de como a Sookie ficou pra escanteio depois da quarta temporada?

    O Logan é um bosta, desculpa ele é sim, não tem essa de “deixar a Rory agir como ela quer”, “ele mostrou pra ela coisas novas”, “ele a ama de verdade”, não desculpa, isso é bullshit! De longe ele é o PIOR namorado dela, o principal motivo é ele ser um dos motivos que levou a briga da Rory com a Lorelai, se uma namorado te afasta da sua família, na boa ele é um merda e não o seu verdadeiro amor. Ele É SIM o Christopher da Rory, riquinho mimado com problemas com o pai, inconsequente que não quer saber de responsabilidade e só traz o pior da personagem. Exatamente igual a Lorelai com o Christopher (ou alguém ADORA a Lorelai chata e egoísta da segunda temporada ou a deslumbrada bobona do começo da sétima?)

    Eu ODEIO!! ODEIO ODEIO ODEIO ODEIOOOOO essa droga de brigada de vida e morte e esses amigos boçais do Logan!! É uma coisa TÃO inútil (um monte de ricos mimados e sem responsabilidade) e tão desnecessária pra ter sido trazida novamente no Revival… Deixa essa droga pra lá ASP!!! Meu, ela me cansa com a insistência de manter plots chatos… (O namoro arrastadíssimo da Rory com o Dean na segunda temporada, a história da Lane dividida em QUATRO temporadas, o caso April e a briga das Gilmore na sexta temporada).

    Eu continuo gostando muito do seriado, mas mais do que antes, eu acho que a ASP já tinha perdido a linha com o seriado na quinta temporada, eu acho que o David Rosethal ter assumido a sétima temporada foi a MELHOR decisão do canal.

    PS: Como NINGUÉM associou a gordofobia delas com o fato da melhor amiga da Lorelai ser a Sookie?!!! Gente foi TÃO sem noção que eu nem sei o que falar…

    PPS: Quão desnecessário foi a aparição do pai da Lane? E a separação da Paris?

    PPPS: Vou falar uma coisa que vai soar muito mal, mas eu não gostei da ASP ter colocado o Michel como gay… Eu sempre achei que o Michel fosse uma satirização dos franceses e da futilidade, pra mim esse “ele era gay, mas a gente não podia falar” só um subterfúgio dos delírios egomaníacos da ASP. E eu sou gay, só pra deixar claro.

    PPPPS: Só a história da Emily que foi bonita, porque o resto foi bem triste… Não ruim, mas também não o que eu esperava depois de tanto tempo.

    • Luciana Santos

      Miga, esse teu comentário me representou! Ia comentar aqui mas qdo li o seu não tenho mais oq dizer!

  • Pri

    Me senti representada depois q li esse texto. Rory achei tudo meio desconstruído. Cadê a menina que se esforçou tanto? Passou em todas as melhores universidades? Ahhhh mais a
    vida real não é assim… Ok, não é a vida real,
    é a série q acompanhei por anos, e não em 1 mês e pouco de Netflix,
    foram
    anos. Pra voltar e ser isso? Desculpe, sei q pode ser visto como uma
    opinião imatura, mas sério fiquei decepcionada. Prefiro o ficar com o final do último ep. Da sétima temporada na cabeça. Fim

  • Cah Martell

    Cristal, falou tudo q tva entalado na minha garganta. A Amy ficou tão frustada q n fez o final oficial e daí o revival seria continuação com a Rory mãe, q ela fez o q qria e dane-se q os fans já são maduros, é 2016, não fez sentido, nem Freud ia entender. Os deslizes cometidos na serie, leves, como pco foco p desenvolvimento d coadjuvantes, as piadas ofensivas inadequadas, tramas inúteis, Rory parecnd q tva num liquidificador etc TUDO SE REPETIU NO REVIVAL, SEM NECESSIDADE. Tipo, Amy, lamento mas todos personagens iguais aos pais? Imigrantes são mostrados só cmo empregados? O marido dla escrevnd os piores eps? POR FAVOR PARE
    O revival foi nostálgico e fofo mas é impossível não ter um gosto amargo d decepção. A história n foi p lugar nenhum, n queríamos um final feliz mas um decente. Rory, invés d presa nqla d 6season, madura e livre d macho atrapalhando a vida dla, e se reencontrando. Lane com um enredo, q n tem dsd a 4temp, Paris e Sookie felizes, Jess com enredo tbm invés d ser o cara q conserta tdo e evapora. E deuses, eu odeio o Logan mas sla q ele ficasse cmo na 7, menos insuportável protótipo de Chuck Bass.

    E PIOR D TUDO, AMY QR FZR OUTRO REVIVAL, imagine Rory com uns 40 anos e ainda agindo cmo se tivesse 21 e na 6 temp. Por mim, Gilmore já pde ir ou voltar cmo deveria

  • Aline Machado

    Final preguiçoso. Exatamente. Pensei a mesma coisa sobre HIMYM, os criadores estabeleceram o final, mas os personagens evoluíram e os showrunners continuaram presos aos finais pré-determinados, esquecendo completamente que os personagens já não eram mais os mesmos, assim como as histórias tinham se tornado algo completamente diferente

  • Eliana Araujo

    Perfeita sua avaliação. Eu era muito fã da série. Vi duas vezes as sete temporadas e foi uma frustração enorme este revival. A melhor e mais certeira colocação sua é a respeito do destino profissional de Rory. Quer dizer que formada numa das Ivy Leagues americanas que é Yale, seguindo a campanha do vitorioso Obama, depois de 10 anos não tem emprego? Difícil acreditar.
    E concordo especialmente com o tédio total que foi aquele musical sobre a cidade que durou e durou e durou, e a dispensável cena dos amigos ricos, chatos e mimados de Logan correndo pela cidade ao som de With a litle help for my friends. Nesses quatro episódios, os autores não se definiam entre uma homenagem à série e um história a ser contada sobre como estariam nossos amados personagens 10 anos depois. Não foi nem uma coisa nem outra. Uma pena! Ficaram devendo.

  • nnaa

    Concordo com todos os pontos. Mas gente, o que foi esse musical ad aeternum?

  • Roli Di Mario

    Cristal, eu nunca comentei mas sigo os posts seus e do Leandro desde o começo da maratona Gilmore Girls e sempre leio seus comentários nas resenhas dele, pois você consegue expressar tudo o que eu penso.
    Só passei para dizer algo sobre a Paris: Eu fiquei intimamente magoada com essa desenvoltura que a Amy deu para ela. Paris agia da forma que agia, principalmente, por que não recebia amor dos pais. Claro que eu entendo que muitas pessoas se tornam reflexo deles, mas eu acreditava piamente que Paris amaria seus filhos. Se não amasse como a Lorelai, que, pelo menos, não os destratasse como eu senti que ela o fez…
    Aliás, quando sai a resenha da Sétima temporada?
    Obrigada por, novamente, expressar o que estava entalado aqui.
    <3

  • Kelly

    Não assisti e até desanimei de ver. Ainda não assisti a sétima temporada (e olha que eu tenho o box há muito tempo) porque a sexta acabou com todo o sentimento bom que eu tinha por GG. A briga idiota de Laurel e Luke, a Rory sendo uma personagem insuportável com o insuportável namorado dela. Pelo menos os comentários de vocês me deram força pra finalmente assistir, já que aparentemente melhora. Agora assistir o revival da 6a temporada? Meu tempo de vida é muito precioso pra isso.
    E quer dizer que Rory perder a virgindade com um homem casado realmente não pode ser encarado como uma loucura de uma adolescente mas uma falha de personalidade mesmo né? Porque uma vez é um erro, duas vezes já é um padrão.

  • Flavia

    Eu concordo com a parte que esses paralelos entre os personagens mais velhos e mais novos, como se sua vida fosse uma repetição dos erros dos seus pais bem mal feita, Gilmore Girls sempre foi, para mim, exatamente o contrário, cada um constrói sua vida, independente de sua criação.

    Quanto a carreira da Rory, eu gostei do fato dela não ser bem sucedida, na vida mesmo que você seja a melhor aluna, não significa, necessariamente, que isso vai te garantir um futuro maravilhoso. E sobre ela ter tido uma noite louca, acho que isso também combinou com sua trajetória, desde a S1 a Rory apresenta um comportamento mais impulsivo, ela tinha um botão de fazer loucuras dentro dela e gostava, nas raras vezes, quando ele era acionado, mas nunca deixou esse lado imprudente dela tomar conta dela por completo, quem muito se reprime uma hora explode. Rory não tinha nada a perder, tudo na sua vida não estava como ela queria, então, ela ao invés de tentar ser a boa moça que é a maior parte do tempo, ela extravasou e fez tudo que queria fazer, viver sem preocupar com as consequências, Rory era muito muito complexa e revival só mostrou o quanto disso.

    Quanto a todo o resto, concordo plenamente, tão importante quanto os personagens principais, os secundários tbm faziam parte da mitologia e mereciam mais desenvolvimento do que tiveram.

  • Celle Fonseca

    Concordo com tudo que foi escrito, também me incomodou o retrocesso a 6a temporada, ignorar a 7a fez com que tudo aquilo do revival ficasse fora de contexto, como se eles tivessem todos estagnados em um mundo paralelo.
    Lane tão acomodada, Sookie sem a alma Sookie (por instantes achei que não fosse ela), Loralei ainda cheia de questões mal resolvidas, e Rorye!!! Ela cobriu a campanha do Obama que veio a se tornar presidente, e aí? Sai disso para virar amante do seu grande amor? Sim, ninguém vai negar ter sido o Logan, o cara que fez ela ousar, sair da casca, amadurecer! E o Logan, que evoluiu como pessoa por amor a Rory, voltou a ser só um inconsequente que vai casar por convenção?
    Alguns personagens nós amamos por ser quem são, Michael e Kirk, eles tinham de ser ‘o de sempre’, pois o que os torna essenciais são suas personalidades e marcar registradas.
    Concordo com a cena do musical, enorme e chata.
    Paris separada não me incomodou é adorei o lance das escadas da casa dela, só mesmo ela viveria em um lugar assim!!!
    Amei aquela família enorme da Berta misturada na sofisticação da mansão Gilmore, haver uma única empregada do início ao fim, mostrou que Emily estava mesmo se refazendo de uma grande perda, ela não era mais a mesma, e foi lindo ver isso.
    De resto, apesar de bom revê-las, preferia ter visto a Lorelai com um filho do Luke, com a pousada lotada e ela administrando uma vida com outros dramas que não os mesmos, a Rory realizada vivendo com um Logan os dramas de uma relação madura nos tempos atuais, queria a Lane roqueira e linda, Jess um escritor vencedor de prêmios na dúvida se vendia ou não os direitos para o cinema..enfim, queria ver o depois, e não uma Rory aos 32 dizendo a sua mãe ‘estou grávida’.

  • Nicolas López

    Esqueceram de colocar na lista o Paul, o bizarro namorado novo da Rory. Simplesmente não tem nada a ver com o feitio dela manter um relacionamento daquele jeito – não se justifica nem com a saída clássica “Mas a personagem mudou”. Era para ser engraçado, mas só ficou uma coisa constrangedora e sem sentido.

    Eu acrescentaria o Paul nessa lista aí. Mas tudo bem, de tão desnecessária que é a participação desse personagem, todo mundo acaba se esquecendo dele… (risada irônica).

    • Renata Carneiro

      Vergonha alheia desse Paul! Naaaada a ver com a Rory, nem com amadurecimento. Meu Deus! Isso é retrocesso total!

  • sandramorena

    Qdo assisti GG, eu não era adolescente, e nem tinha 30 e poucos como a Lorelay. Mas era mãe solteira como ela, de um filho com a idade da Rory e me identifiquei.
    De todas essa cenas aque menos gostei foi a do musical. O resto é o que acontece mesmo com a vida real.
    O meu filho hj com 31 mora em casa, fez uma ótima faculdade com muito sacrifíco meu, e hj em dia trabalha como bancário. Ele como a Rory é um genio desde pequeno, foi super bem na faculdade de direeito, mas não seguiu seu sonho.
    Logan ter um retrossesso não é nada difícil, pq ele ficou melhor por e para Rory, e como ela não quis casar com ele, foi fácil cair nas garras de uma familia tradicional como a dele.Ele sem elaseguiu seu destino.
    Assim como a Rory, filhos de pais solteiros tem 3 destinos, serem pais solteiros, se casarem precocemente e ter muitos filhosou se casarem ou ficarem solteiro, sem filhos. Isso é científico? Não, mas é o que eu vejo por aí.
    E a Rory de 32 anos, pode ter outro destino que não ser mãe solteira, ela pode ficar com o filho, e se casar com outro, pq hj em dia não existe mais o problema de ou se casa ocm o pai, ou só se casa depois que o filho cresceu. Pode ser o Jess, ou pode ser outro, que se casaria com ela, e ajudaria ela criar o filho.
    E existem mulheres hj em dia que tem até filho por inseminação artificial, pq ela não poderia querer um filho, mesmo que não queira ficar com o pai?
    Quem garante que foi um acidente como a mãe? Quem garante que não foi algo planejado?

  • Carolina Nogueira

    Se Amy ignorou a existencia da sétima temporada vamos fazer uma experiência em laboratória. Alguém que nunca viu a série, assiste da primeira à sexta temporada e na sequencia: “a year in the life”. De repente fica bom!

  • Luana

    Cristal, gostei do top 10.
    A Sookie fez muita falta mesmo!!! Adoro ela 😀
    O musical da Brigada da Noite, eu já não gostei muito e qdo percebi que o negócio não acabava fiquei muito chateada,o negócio forçado. O Logan estava muito bobo, ele trabalhando para o pai, pois aquele pai dele a Rory não merecia um sogro chato daqueles xD
    Sobre o polêmico final da Rory, acho plausível a teoria do ciclo da vida e tal. Porém, também não me agradou a personagem parecia tão dependente dos outros e que ficou nisso.
    A Rory com atitude e disposta a fazer as coisas acontecerem parece que sumiu, esse negócio dela estar perdida e tal,ok eu compreendo, mas com 4 episódios somente, isso ficou muito chato e a personagem dela não evoluía.
    E o Jess, poxa podiam tem dado mais espaço para ele :/

  • Marcos Aurelio

    Ótimo texto, parabéns, mesmo sabendo que você não é do teamlogan (rs) achei muito inteligente tudo o que escreveu e concordo com tudo e mais um pouco ainda rs.. Nem deveria escrever algo porque eu nunca fui um fã de gilmore girls, o motivo de todos amarem a série, aqueles diálogos rápidos e sem sentido, motivo que muitos amavam a série, eram os mesmo motivos que me afastavam de GG. então eu assistia esporadicamente a série, mais na reta final das temporadas. Nunca fui um fã como sou de outras séries, mas assistia. Lembro o quanto Rory me irritava em determinadas temporadas e mesmo assim após o fim da série, sempre assistia um filme ou outro com a atriz pois passei a gostar da Alexis.

    Entao esse revival foi animador, mesmo tendo pavor disso porque tirando fuller house, poucos revivals ou novas edições como 90210 e melrose funcionaram, pelo contrario, destruíam personagens e conclusões de séries finales de anos atras. Mesmo assim a nostalgia falou mais alto e como eu mal me lembrava de desfechos e historias de 10 anos atras pensei que nao seria ruim tentar ver.

    Embora tenham tido muitos momentos lindos e emocionantes e o fator saudosismo tenha batido forte ao rever os personagens isso nao pode me cegar pelo egoísmo, birra e egocentrismo da criadora da série. Achei um absurdo ver reportagens onde ela diz que nunca assistiu a temporada 7 e apos isso entregar um revival onde ela simplesmente ignorou que existiu uma temporada 7. O revival pra mim foi como se tivesse sido uma continuação da pessima sexta temporada, pois o que vimos foram personagens estagnados mesmo com 10 anos de diferença. Um total absurdo. Foi revoltante o que ela fez com Logan, com Rory e essa idéia absurda de já ter um final pronto há anos pra Rory, com a idéia de ser um ciclo, flha repetir “erros” da mãe e demais personagens serem as novas produções dos personagens antigos, pode soar lindo e romantico na cabeça da criadora, pode ter agradado muitos fãs da série (mais de 50% ou a maioria? não sei…) mas pra mim foi de um egoísmo repugnante. Rory nao precisa ser Lorelai, Jess não precisa ser Luck, Logan nao precisa ser Christopher e por aí vai… Essa mulher teria sido uma louca se no final da temporada 7 tivesse nos entregado uma Rory grávida aos 22 anos, como final de temporada de uma serie correndo risco de cancelamento podendo ser o série finales, o tanto de dinheiro pago a ela pra dar um final horrivel desses, ainda bem que não foi ela quem escreveu a temp 7, porque ao menos as coisas ficaram meio que encaminhadas ali.

    Nao acho que rory precisaria ter tido uma carreira fodástica e tals, achei bacana essa crise profissional nos 30 e poucos anos,problema é as burradas que ela fez junto a isso, e a missao de sempre ser salva por namorados. 10 anos se passaram e pouco ou nada os personagens evoluiram. Gastaram tempo com um musical ridiculo e chato, com taylor e não se dedicaram a lane, a paris, pessimo isso. Um logan todo amadurecido e melhorada na temp 7 foi destruido em 4 episodios. Esse revival serve para mim como nostalgia de ver a cidade, alguns personagens e por ver um Jess amadurecido e uma Emily guerreira e que amadureceu muito.

    Prefiro ficar em mente que rory seja uma emily, que saiba se adaptar, crescer, mudar, que emily sirva de exemplo para esta rory gravida e que siga o exemplo da avó e se refaça, pois se emily conseguiu mudar talvez tao radicalmente da pessoa que era, espero que rory também. No meu final não coloco ciclo algum, repetição alguma, coloco uma rory gravida, um logan apaixonado e emocionado por ser pai com a mulher que ama, largando tudo em londres, familia e emprego para ficar com rory e criarem essa criança, começando uma vida mesmo que simples mas com apoio e amor.

    obs: nao preciso de mais uma temporada para ver ASP dando continuidade a esse ciclo doido que colocou na cabeça. ela e o marido conseguiram deixar esse revival menos prazeroso e feliz.

  • Marcos Aurelio

    acho que meu post aqui não entrou. também ficou enorme. só dizendo que o texto está ótimo e concordo com tudo. achei muito egoismo, egocentrismo e birra da criadora em ignorar a season 7, acho que li em algum lugar que ela nem assistiu, e continuar como se o final fosse a season 6 descaracterizando varios personagens e historias criadas. detestei o que ela fez com logan e eu sei que ela ja disse que a ideia era fechar um ciclo fazendo rory similar a lorelai, com as 4 ultimas palavras e com os relacionamentos e personagens similares aos pares de lorelai, mas acho essa ideia pessima e fez com o que revival fosse decepcionante pra mim. uma pena. valeu pela saudade e nostalgia, e por emily que por incrivel que pareça foi a q mais evoluiu, se desprendeu d n coisas dificeis para uma pessoa ja na idade dela e seguiu em frente, q isso sirva de exemplo pra rory nessa nova fase pra quebrar com esse ciclo abominavel que foi criado.

  • Renata Carneiro

    Sou #teamJess (acho o personagem super injustiçado no seriado como um todo), mas não acho o Logan o novo Chris. Acho que ele teve um processo de amadurecimento normal para quem cresceu nas condições que ele cresceu. E isso inclui cagadas e imaturidades. Ele evoluiu a partir da sexta temporada e retroceder nessa característica foi algo bem nonsense. Preferia a Rory com o Jess, mas vejo como muito verdadeira a relação dela e do Logan (tirando a parte do revival, porque colocá-lo traindo a noiva, claramente apaixonado pela Rory, foi tipo nada a ver).

  • Aline Garcia Telli

    Bom, estou beeeeeem atrasada para comentar aqui, visto que quase todos os comentários são de 9 meses atrás…maaassss…terminei de ver o revival ontem e PRECISO desabafar sobre isso! Mesmo que ninguém leia….
    Vi muitos comentários falando sobre a Rory…mas o que sempre me prendeu a série foi a Lorelai. Meu Deus! Amo essa mulher, queria ser como ela. E acho que eu nunca shippei tanto um casal na vida como eu shipei Lorelai e Luke, eu cheguei a sonhar com eles enquanto assistia a série, tem noção? E aí que pra mim foi um tiro saber que durante os 9 anos que passaram, eles ainda não tinham casado e sequer tinham tido uma conversa decente sobre ter ou não filhos. Na minha cabeça, depois do beijo do final da 7 temporada, eles tinham casado quase que imediatamente, apaixonadíssimos e teriam tido sim um filho, pq tanto o Luke já havia manifestado essa vontade, quanto a Lorelai, na 6 temporada, em que está no carro conversando com a psicóloga que Emily e Richard tentaram empurrar para o Christopher (vcs lembram?) e ela diz claramente: eu estou pronta para ter um filho do Luke. E aí como assim, eu vejo que 9 anos depois eles tiveram uma relação meio que superficial, sem conversar abertamente, sem se entregar completamente? Fiquei muito, muito, muito desapontada. Estou sofrendo! rs

    Outra coisa que eu não gosto, é que parece que a Amy não é muito fã de personagens que demonstram sentimentos… falta um “eu te amo” dito daquele jeito que faz a gente se arrepiar entre Lorelai e Luke, desde a 5 e a 6 temporadas que eles estavam juntos que eu esperava por isso e não, a única vez que ela disse a ele que o amava, foi quando ela terminou tudo com ele e seguiu para a casa do Christopher, no final da 6. Nem no revival eles disseram. E sem contar que, na 7 temporada, a cada 5 minutos ela fala pro Christopher que ama ele (eu sei que não foi a Amy que escreveu), mas poxa, Chris merece 200 eu te amo por dia e Luke só um na vida inteira? Não gostei.
    Assim como eu acho que ela e a Emily poderiam ter se abraçado e chorado e falado eu te amo uma para outra e finalmente superado todas as mágoas. E Rory poderia em algum momento ter demonstrado alguma gratidão ao Luke por tudo o que ele sempre representou para ela. Enfim…

    Queria também entender de onde saiu uma piscina em Star Hollows? Nunca existiu e não vi o menor sentido naquelas cenas…
    E um erro que percebi (mas isso pq sou muito detalhista mesmo, acho que ninguém nunca repara nessas coisas, só eu) é que no início do Revival é Janeiro de 2016, então a Rory tem 31 anos e não 32, como é falado o tempo todo. Isso pq na primeira temporada, ficamos sabendo que Rory nasceu no dia 8 de Outubro de 1984, ou seja, ela só faria 32 no final do ano. Ignoraram esse fato e ela passou um ano inteiro com a mesma idade.

    Acho que desabafei! Obrigada!! =)

  • Verônica Magalhães Rosário

    Eu concordo com todos os pontos q vc colocou, especialmente com o retrocesso do Logan e a destruição da Rory. Mas tb fiquei triste por Luke e Lorelai… É claro q eu queria mt q eles se casassem e fossem felizes para sempre, mas achei mt ruim q só deixassem pra fazer isso no último minuto e quase q escondido… Tb achei m ridículo aquele diálogo em que ele fala q a vida dele com sua família deve ser separada da vida dela e sua respectiva família… O Luke não teve nenhum dos seus sonhos minimamente atendidos… Não teve a casa q sonhou, não teve os filhos com a Lorelai q desejou, ficou apenas à sombra da vontade dela (q, no caso, parece ter sido a total inércia)… Nem sequer chegou a pedi-la em casamento uma única vez… Lorelai e Luke são meu casal preferido de todas as séries, esperava mais do Revival…

×