Aquele em que dizemos adeus

Pra quem não sabe, o Apaixonados por Séries existe há quase dez anos. Eu e Camila…

O que esperar de 2018

Antes de mais nada, um feliz ano novo para você. Que 2018 tenha um roteiro muito…

Salem

Por: em 16 de Maio de 2016

Salem

Por: em

Bem-vindos ao século XVII. Estamos agora no pequeno povoado de Salém, uma cidadezinha de Massachusetts. A população é composta por mulheres sem direitos, homens que vão à guerra e pela Igreja, o mais alto poder que se tinha na época. Era ela que ditava todas regras baseado naquele livrinho chamado Bíblia, e todos deveriam respeita-la sobre coerção. Já sabemos que em todos os fatos relatados do mundo, nenhum resultado bom ocorreu quando a religião falava mais alto que a razão, e em Salém isso não foi diferente.

Em Outubro de 1692, ocorreu uma série de julgamentos baseado nas provas de que existiam bruxas, mulheres do demônio, feiticeiras no povoado de Salém. Nessa mesma época, a varíola estava começando a atacar as pessoas e vários dos seus sintomas eram confundidos como “sintomas” de um pacto com o diabo. Mas o que amedrontou todo mundo foi quando, Betty, a filha de 9 anos de um reverendo, começou a desmaiar, salivar e recusava-se a comer. Quando seu pai chamou o médico, este só disse que o antídoto era uma boa reza, porque a menina estava enfeitiçada. Logo, outras meninas, amigas de Betty, começaram a apresentar os mesmos sintomas. Esse ocorrido ficou conhecido como o Julgamento das Bruxas de Salém e em 2014, tal história foi transformada em série por Adam Simon e Brannon Braga.

Salém

Salem é uma série do canal WGM America e apresenta Mary (Janet Montgomery, Human Target), uma mulher que vivia um grande amor com John Alden (Shane West, Nikita), só que este partiu para a guerra e voltou anos depois. Quando voltou, John encontrou uma Mary totalmente diferente – ela se casou com o conselheiro George Sibley, um homem rico e influente na cidade, por puro interesse. Mas não era só o nome que a Sra. Sibley tinha mudado, depois que seu amor partiu, ela descobriu que estava grávida e percebendo que não tinha como continuar vivendo na pobreza e sobre o perigo de descobrirem sua gravidez, ela segue o conselho da bruxa Tituba (Ashley Madekwe, Revenge), e se junta ao coven de bruxas, para conseguir tudo o que queria.

Tituba, sem dúvidas, é o personagem mais conhecido. Ela era uma escrava que contava histórias e praticava rituais vodus e foi acusada de ser uma bruxa, sendo uma das três primeiras a ser acusada e a primeira a confessar o crime.

Salém elenco

Vários personagens foram baseados em pessoas reais que ou foram vítimas daquela época horrível, ou ajudaram o julgamento a acontecer. Como eu já disse, a Igreja torturava e matava todos que estivessem do lado oposto ao que ela acreditava. É obvio que na realidade, não existiu nenhuma bruxa, ou pelo menos, nunca foi comprovado nada que pudesse incriminar as pessoas de tal ato. Já na série, por misturar a realidade com a ficção, o enredo foi muito mais fundo.

Não estamos falando de bruxas nível American Horror Story: Coven ou The Vampire Diaries, mas sim, de bruxas de verdade, que botam terror e fazem rituais com sangue, animais e pessoas mortas. Aquele tipo que não sentimos pena delas, mas sentimos pena das pessoas que as irão enfrentar.

O fanatismo religioso era tão grande que qualquer prova ou falta de uma, era usado no tribunal. E não só as acusadas de bruxaria que eram condenadas, mas toda pessoa que pecasse, deveria ser punida por aquilo.

Salém

As bruxas cometiam seus pecados, mas elas não tinham um papel que as impedissem de fazer isso. Já as pessoas ligadas a Igreja, como Cotton Mather (Seth Gabel, Fringe), julgavam a sociedade sem olhar para os próprios pecados, como dormir com uma prostituta. Apesar disso, o reverendo era um dos mais justos, pois exigia provas para uma condenação. Na série, Cotton é um homem de baixa autoestima, que vive na sombra de seu pai, o Increase Mather, um homem puritano que utiliza os métodos de tortura da Inquisição para conseguir todas as confissões, sejam elas verdadeiras ou não. Na realidade, Cotton Mather foi um pastor da Igreja Congressional de Boston, e ajudou a julgar vários casos, com seus sermões e escritos.

Uma das coisas que Salém se saiu muito bem foi no desenvolvimento de Mercy Lewis, que apesar de se chamar Misericórdia, não conseguiu receber nenhuma. Já no primeiro episódio, é mostrado Mercy sofrendo terríveis ataques e ela é protagonista da melhor cena da série: quando ela começa a andar igual a um cachorro e acusa as pessoas que estão envolvidas com bruxaria. Os efeitos especiais e o terror foram muito bem explorados.

Mercy Lewis

Se você ainda não está convencido de assistir a série, seja pela história ou personagens, acredito que só uma coisa te faça mudar de ideia: a abertura. Marilyn Manson foi chamado para compor a música de abertura e ela ficou simplesmente incrível!!


Alguém aí já assistiu Salem? O que acharam? Conta aí!

Hoje em dia, as séries de terror estão cada vez mais “normais”, mas esta vale a pena para quem gosta de uma boa trama sobre bruxas!


Karine Medeiros

Futura jornalista. Mora em uma cidade desconhecida. Apaixonada por séries. Cinéfila e bookaholic. Sonha em um dia morar em Nova Iorque. O que ama mais do que tudo isso? Comer e dormir.

Votorantim / SP

Série Favorita: Friends

Não assiste de jeito nenhum: The Big Bang Theory

×