Séries Procedurais: Um formato que evoca a fidelidade do público

19 de junho de 2017 Por:

Vocês já pararam para pensar sobre o que nos atrai tanto nas Séries Procedurais?! Pois bem, este é o assunto da pauta de hoje, as séries procedurais são quase que uma unanimidade na lista da grande maioria dos Apaixonados por Séries, mesmo que seja somente uma, aquela que já tem uma quantidade impressionante de temporadas e você não abandona por costume e/ou uma vontade imensa de saber o final, mesmo que o negócio esteja muito ruim e você permaneça perdendo o seu tempo ao assistir, fidelidade é isto, se ancorar no barco enquanto ele afunda lentamente, ou a situação contrária, mesmo que com muitas temporadas algumas séries procedurais conseguem manter a qualidade e melhorar a cada ano.

O fato é que as séries ditas procedurais, um termo genérico atribuído a séries que trabalham com o mesmo formato de episódio padrão em todas as semanas, geralmente séries policiais, jurídicas e médicas, entre outros temas, vão ao ar aos jarros na televisão americana nos dias atuais e gozam de grande sucesso e popularidade entre o público, e a explicação para este fenômeno é bastante simples: Séries Procedurais são confortáveis e simples de acompanhar, não demandam atenção exagerada do público, quase que não é afetada com reviravoltas que causam grandes efeitos em seus personagens, como mortes imprevisíveis e afins, enfim, e tantas outras características que mantém a impressão de uma estabilidade, que pode ou não ser relativa.

Divulgação/NBC

As Séries Procedurais de grande sucesso atualmente no ar geralmente são construídas em cima de metodologias densas e que dão o tom a toda a série, como por exemplo, as séries com equipes forences que auxiliam na investigação de crimes para a polícia, é o caso de Bones CSI, que deu origem a CSI: Miami CSI: NY, também, as séries com equipes de bombeiros/policiais/médicos que lutam para salvar vidas e/ou solucionar crimes, nestes moldes temos a franquia Chicago, com Chicago FireChicago PD Chicago Med,  assim como, as séries jurídicas que semanalmente cobrem um caso específico, temos toda a franquia Law and Order que se desmembrou em Law and Order: True CrimeLaw and Order: SVU e Law and Order: LA, assim como The Good Wife e a sua mais recente derivada The Good Fight; Estes são alguns exemplos de fórmulas que estas séries podem seguir, mas ainda existem uma variedade de temas que são explorados no modo de produção procedural, alguns condizentes com a realidade, outros nem tanto.

Um padrão é inegavelmente notável, as Séries Procedurais supracitadas fazem tanto sucesso e são tão rentáveis que somente uma não é suficiente, isto explica o acentuado modismo de spin-offs e séries derivadas que tem sido lançadas, para que ganhar dinheiro com somente uma série quando se pode fazer duas ou três mais no mesmo universo e arrastar a audiência para acompanhar uma verdadeira franquia, onde os personagens vez ou outra se cruzam ou interagem nos chamados ”crossovers”, temos também o fato de que isto cria uma verdadeira hegemonia producional. visto que, a maior parte da grade dos canais atualmente é preenchida por muitas séries encabeçadas por um número pequeno de agentes e equipes producionais muito bem sucedidos.

Divulgação/Fox

Alguns dos segredos que explicam tanto sucesso das Séries Procedurais se encontram na comoção e empatia do público, que forma um verdadeiro laço com o show, estes, geralmente se desenvolvem no fortalecimento de seus personagens centrais, na criação da impressão de familiaridade e comunidade com os personagens secundários, nas histórias de amor que levam um tempo significante para realmente engrenar entre os protagonistas, mesmo que a química entre os personagens saia pelos poros, crimes e criminosos peculiares e interessantes, casos médicos antes impossíveis de serem curados, mas que naquele determinado hospital e/ou equipe são solucionados, casos jurídicos com dualidade ética, enfim, entre tantas outras fórmulas que seguem dando certo ao atrair, justamente por serem simples de digerir.

Neste sentido, o formato permite que um plot colocado em centralidade seja desenvolvido de forma lenta e gradual, arrastada, durante todo o ano da série, enquanto episódios com diferentes temas e resolutividades são lançados semanalmente, o que permite que a temporada de uma Série Procedural seja composta por mais de vinte episódios, com o tema central do seu ano sendo evocado e trabalhado somente na média de cinco episódios. O mesmo acontece com os seus personagens, que são trabalhados de modo gradual e com eventuais mudanças significativas, nem sempre radicais, mas com uma significância mais simbólica, que mantém o nível confortável da coisa toda, afinal, não se mexe em time que está ganhando, é claro que esta fórmula não é seguida em todas as séries procedurais, toda regra tem a sua exceção.

Divulgação/CBS

Portanto, este não é um post que visa criticar o formato das Séries Procedurais, pelo contrário, o objetivo é o de realizar uma análise acerca deste modo de produção que faz tanto sucesso entre o público e rende tanto dinheiro na indústria televisiva americana, e também brasileira por meio dos canais a cabo, nos dias atuais. São séries com temáticas confortáveis, com personagens carismáticos e que despertam a empatia do público, que não demandam muita articulação e formação de teorias mirabolantes, tudo acontece e é resolvido do espaço de quarenta minutos, e estes são os motivos que despertam a fidelidade do público, que permanece acompanhando estas séries mesmo que com muitas temporadas, e ainda os seus derivados no mesmo universo.

Para falar a verdade, em minha singela opinião, todo mundo precisa de pelo menos uma série procedural em sua grade, é legal poder fugir um pouco do universo das séries mais complexas e que requisitam uma atenção exacerbada aos detalhes rápidos a todo momento, e migrar para o confortável e empático, um dramalhão daqueles dos bons que o modo procedural sabe muito bem produzir.

Jovem bahiana simpática e gente boa que curte um bom número de séries e por este motivo tem a audácia de escrever suas opiniões positivas e negativas sobre...

Ler perfil completo

Itamaraju/BA

Série Favorita: How i Met Your Mother/Friends

Não assiste de jeito nenhum: The Vampire Diaries

  • Se eu assistisse séries ao vivo só veria procedurais, pois eu sempre me perco nos horários da programação e esse estilo é do tipo que não tem problema perder um episódio e aí eu não ficaria boiando na história hahahaha

  • Denia Karru

    Fiquei orfã de CSI, Bones, Rizzoli and Isles, as pequeninas CSI: Cyber e Criminal Minds Beyond Borders, fora as que não estou lembrando agora. Gosto muito de procedurais, são bastante confortáveis e como vc disse, são mais fáceis, tanto pela comodidade, como por maior simplicidade nas histórias.

  • Adriano Vitorassi

    Nunca assisti a Law & Order, mas sempre tive interesse, só não sei se é boa o suficiente para encarar tantos episódios. No momento, de procedurais assisto a Criminal MInds e estou empacado com Bones ainda na 9ª temporada.

  • Eu simplesmente fujo de séries procedurais. Duas séries que acompanho, que seguiam mais ou menos essa vibe (Scandal e How to get away with murder) deixaram de ter “os casos da semana” para focar numa história só, o que me agrada muito mais.

    • Luis Fernando

      Concordo, esse negocio de procedural esta morto e enterrado. Agora eu apoio antologia, como Black Mirror e Tales From The Crypt, onde todo episódio é uma história diferente, um ”mini filme”.

      • Concordo, procedural é um formato que já está muito batido. Antologia é um formato bacana, Luis Fernando.

  • Luis Fernando

    Séries procedurais são ruins, chatas e ultrapassadas. Tem coisa mais chata de que assistir uma porcaria de série de 22 eps a temporada, um igual o outro, o mesmo caso, o mesmo assassinato, o mesmo modus-operandi, os personagens agindo como robos programados para desvendar o caso da semana, o maldito e chato caso da semana.

    Três realmentes boas de caso da semana, a americana MONK, a britanica SHERLOCK e a Japonesa DETECTIVE CONAN. Esta sim séries maravilhosas, pois possuem história principal além de casos inteligentes e personagens incrivelmente carismaticos.

    Agora Law and Order apesar de muito bem produzida a atuada, é chata demais. Assim como as genericas e chatas CSI e seus milhares de Spin Off.

    Tenho pena de gente ingenua e ignorante que depende apenas das séries genericas americanas para se divertir. Com internet não tem desculpa, da para mergulhar em um mundo de séries maravilhosas de vários paises, dentre deles os maravilhosos K-Drama e J-Drama, séries modernas de continuação direta, com inicio, meio e fim, sem enrolação.

Girlboss: guia do que NÃO fazer na vida adulta

1 semana atráscomentarios

Teve gente que gostou de Girlboss, teve gente que achou a série fraca. Mas em uma coisa todo mundo certamente concorda: Sophia é um dos piores seres humanos que já vimos como protagonista de uma série. E com ela a gente pode aprender muito sobre o que não fazer para ser uma pessoa melhor. 5. Não roubar Em GirlBoss, uma das primeiras coisas que descobrimos sobre Sophia é que ela acha normal roubar. Não, ela não rouba porque precisa, porque quer ajudar alguém, ou se quer por uma questão de princípios contra uma sociedade capitalista. Sophia rouba porque se sente superior e simplesmente não respeita os outros, – muito menos suas propriedades. 4. Não ser egoísta com a melhor amiga […]

Leia o post completo

Desafio: você se lembra de quem foi essa declaração de amor?

2 semanas atráscomentarios

Ah, o dia dos namorados. Aquele momento do ano para espalhar aos quatro cantos nosso sentimento por aquela pessoa especial, que faz o coração acelerar e as palmas da mão suarem. Aquela pessoa por quem você faria qualquer coisa, até mesmo deixar a vergonha – ou o medo – de lado para professar seu amor. Nas séries, existem muitos personagens  que não esperam data especial nenhuma para declarar seu amor, seja num momento de desespero, num pedido de casamento ou só para reforçar aquilo que o parceiro já sabe e Tom Jobim cantava aos quatro ventos: é impossível ser feliz sozinho. Você também acredita nisso e se derrete toda vez que sabe que chegou a hora de surtar, porque vai ter […]

Leia o post completo

Guia da Trilha Sonora: Scream – Season 1

3 semanas atráscomentarios

Entre os poucos pontos positivos que posso destacar em Scream, a trilha sonora fica em primeiríssimo lugar (talvez porque seja da MTV). Misturando canções atuais, dançantes e tristes, que fazem parte da vida dos jovens de Lakewood, a série soube utilizá-las para compor a história e os personagens. Assim, nada melhor do que ouvir as músicas da primeira temporada, agora disponível em uma playlist na nossa conta do Spotify!

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter