Séries que nos embalaram com Wonderwall, do Oasis

4 de novembro de 2016 Por:

I said maybe
You’re gonna be the one that saves me
And after all
You’re my wonderwall

A banda inglesa Oasis lançou Wonderwall em 1995, como parte do álbum (What’s the Story) Morning Glory?. Na época, o autor e guitarrista Noel Gallagher revelou que a canção seria uma homenagem à então namorada Meg Matthews. Mas, quando o casal se divorciou em 2001, Gallagher desmentiu: a letra falava de um amigo imaginário.

Pouco importa. O hit fez tanto sucesso que, ao longo de 21 anos e sei lá quantas adaptações, ainda mexe com os fãs. O cover mais famoso foi gravado em 2000, pelo cantor Ryan Adams, e ganhou elogio de Noel Gallagher, em entrevista à Spin, em 2008: “Acho que foi o único a acertar [na melodia]. Eu gostaria de tocar a versão dele, mas é impossível fazer isso para um público de 60 mil fãs do Oasis.” Ele não resistiu e acabou tocando mesmo assim.

Wonderwall emplacou na trilha sonora da recém-chegada Frequency, cujo piloto foi exibido no início de outubro nos EUA, e nos lembrou de outras séries que também trouxeram a música para a TV. Prepare-se para aquele momento em que o controle remoto vira microfone!

frequency-1x01

Girls (2×04)

Na segunda temporada de Girls, Hannah canta Wonderwall na banheira e, em seguida, ouvimos a música original no desenrolar dos créditos. Acreditem ou não: no dia seguinte em que o episódio foi ao ar na TV americana, em fevereiro de 2013, o hit voltou à tona e assumiu a 50ª posição da Billboard, superando a fama de Glee.

The O.C. (1×19)

Se você está acompanhando nossa maratona The O.C., provavelmente já viu Seth e Summer dançando ao som de Wonderwall – desta vez, a versão mais romântica, do Ryan Adams.

 Lost (3×08)

Desmond viaja no tempo e encontra o roqueiro Charlie, na rua, tocando Wonderwall em troca de moedas. Os fãs de Lost apostam que essa música não foi mera coincidência: Charlie canta exatamente o refrão para Desmond, que, na série, frequentemente salva sua vida. You’re gonna be the one that saves me…

Smallville (3×13)

Pardon my French… Não encontrei essa cena de Smallville em inglês ou dublada em português, mas será que alguém se incomoda de ver Tom Welling falar francês? E ainda ouvir Wonderwall? Acho que não. Clark e Pete têm uma D.R. sobre sua amizade.

 

 


Curtiu? Pega o controle remoto e aumenta o som, DJ!

Jornalista que não bebe café, mas vai ao Central Perk com frequência. Sapateadora nas horas vagas.

Rio de Janeiro - RJ

Série Favorita: Friends

Não assiste de jeito nenhum: Game of Thrones

  • Muito legal Alice!
    Eu confesso que não conhecia a música, apesar de ter assistido Smallville e de estar fazendo a maratona de The OC. E isso acontece com várias outras canções, rende bastante post haha

    • Alice Reis

      Que bom que agora vc já conhece, Lou, essa música é demais!!!

  • Giovanna Hespanhol

    Quando vi o nome desse especial, logo me veio My Mad Fat Diary na cabeça, tive que até ir conferir pra ver se não tava confundindo haha
    Ótimo post, Alice <3

    • Alice Reis

      A Cristal também lembrou de My Mad Fat Diary, pena que não achei vídeo, mas já botei na lista!!

  • Lívia Guimarães Sandes

    Faltou falar de Chuck #chatiada

    • Alice Reis

      Lívia, você sabe qual foi o episódio de Chuck? Sei que toca outra música do Oasis, que também é ótima!

      https://www.youtube.com/watch?v=w0qLw_YD2o0

      • Lívia Guimarães Sandes

        Tava procurando exatamente essa cena pra te mandar…. Essa cena junto com a trilha sonora do Oasis Don’t Look back in anger me marcou!! Até hoje quando assisto a cena fico com uns ciscos no olhos huahauahua Agora que você falou, realmente não lembro de tocar Wonderwall em Chuck =/

  • É impressionante como essa música parece fazer parte de todos os momentos da minha vida. Não importava a fase, ela sempre estava junto hahaha ela aparece em tantas séries, mas sempre parece ser a primeira vez que estou ouvindo. Ótimo texto!

  • Hilton Silva

    Essa é a música da minha vida…

Ash vs Evil Dead

1 semana atráscomentarios

Que atire a primeira pedra quem nunca assistiu ao clássico de terror trash, The Evil Dead, ou se vocês preferem o enorme título traduzido, Uma Noite Alucinante – A Morte do Demônio! O filme lançado em 1981 e dirigido por Sam Raimi (o mesmo cara que dirigiu Spider-Man), foi o primeiro de uma grande franquia e é até hoje considerado o melhor filme trash já feito. Alavancada pela avalanche de remakes e spin-offs televisivos de filmes que fizeram ou não sucesso – citando só alguns, Scream, Shadowhunters e Limitless -, Ash vs Evil Dead nada mais é do que uma continuação dos filmes da franquia Evil Dead, lançados há 30 anos. A série, transmitida pelo canal Starz, estreou em 2015 e ainda conta com Raimi na produção. Ashley […]

Leia o post completo

Maratona The O.C. – 3ª temporada

1 semana atráscomentarios

A terceira temporada é oficialmente minha favorita. Talvez eu esteja me precipitando, sem ter assistido à quarta, mas eu realmente não esperava gostar tanto da terceira. Já assisti à série inteira, mas nunca havia reprisado esta temporada, digamos que por limitações emocionais. Meu coração ficou muito traumatizado da primeira vez. É engraçado como eu não me lembrava de muita coisa (nem sei como pude apagar o casal Julie e Neil da memória), mas, ao longo das cenas, tudo fazia sentido para mim. O elenco principal estava afinadíssimo com seus personagens e entre si. Ryan (Ben McKenzie) deixou o riso frouxo em vários episódios, o que nos ajuda a crer na evolução do personagem, cada vez mais à vontade com a vida em Newport. Também conhecemos novos personagens para chacoalhar a dinâmica da […]

Leia o post completo

As séries com viagens no tempo

1 semana atráscomentarios

Como meu amigo Wander comentou quando compartilhou com a gente suas primeiras impressões de Timeless, viagens no tempo is the new black. Doctor Who é a série de ficção científica mais longa do mundo. 12 Monkeys já vai para a terceira temporada, Legends of Tomorrow já exibiu na metade da segunda. A canadense Travelers já exibiu uma temporada. Continuum durou quatro temporadas, assim como a querida Being Erica. As novatas Timeless e Frequency exibem a temporada de estreia e, com a baixa audiência, lutam pela renovação. Time After Time e Making History são outras produções do gênero com estreia marcada e garantida. Ao perceber a maioria dessas séries na minha watchlist e muitas fazendo sucesso com os telespectadores, comecei a me perguntar: Por que amamos séries com viagens no tempo? Não sei […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter