Starz renova Black Sails e encomenda série de Antonio Banderas

31 de julho de 2015 Por:

Se depender do canal Starz, os piratas de Black Sails não precisam se incomodar com a mudança das marés por no mínimo 2 anos. É que a série já garantiu a sua 4ª temporada, sendo que o 3º ano só estréia ano que vem. Criada por Jon Steinberg e Robert Levine, com produção de Michael Baya série apresenta as aventuras do Capitão Flint (Toby Stephens), personagem do livro A Ilha do Tesouro, de Robert Louis Stevenson.

Black Sails 2014

Ambientada 20 anos antes da história do livro, somos apresentados à Flint e  e seu jovem aprendiz John Silver (Luke Arnold) vivendo na ilha de Nova Providência, um lugar que abriga ladrões, assassinos, prostitutas, piratas e caçadores de fortuna. No comando do Walrus, Flint e sua tripulação navegam pelos sete mares em busca de riquezas.

Em sua primeira temporada, Black Sails conquistou a média de  760 mil telespectadores, ao vivo, chegando a 5.3 milhões na soma do DVR, reprises e outras plataformas, segundo divulgado pelo canal. A 2ª temporada foi exibida no início de 2015 e a série não não estreou no Brasil.

A notícia foi dada durante o painel do canal no TCA, onde também foi divulgada a produção de Havana Quartet, que terá Antonio Banderas como protagonista. Baseada em uma série de livros do autor cubano Leonardo Padura, a trama segue o detetive alcoólatra  Mario Conde, que deseja ser escritor, mas continua preso aos seus trabalhos como policial. O roteirista Eduardo Machado ficará a cargo do script, tendo em Banderas, Peter Nadermann, Jennifer Kawaja e Julia Sereny seus produtores executivos.

“O canal Starz continua vendo uma grande oportunidade em diversificar a sua programação com diversas comunidades e gêneros. A parceria com a eOne para desenvolver a série Havana Quartet com a estrela Antonio Bandeiras, vai nos possibilitar dar aos espectadores uma série premium que vai contemporizar a beleza decadente de Cuba durante seu ‘Período Especial’ – um tempo e lugar que os turistas não puderam experimentar”, disse o chefe executivo do canal, Chris Albrecht.

Nascida em Recife, infância no interior de SP e criada no Rio. Vivo e respiro Séries, Filmes, Músicas, Livros... Meu gosto é eclético, indo do mais banal ao...

Ler perfil completo

Rio de Janeiro - RJ

Série Favorita: São muitas!

Não assiste de jeito nenhum: Friends (não gosto de sitcoms)

Desafio: você se lembra de quem foi essa declaração de amor?

2 semanas atráscomentarios

Ah, o dia dos namorados. Aquele momento do ano para espalhar aos quatro cantos nosso sentimento por aquela pessoa especial, que faz o coração acelerar e as palmas da mão suarem. Aquela pessoa por quem você faria qualquer coisa, até mesmo deixar a vergonha – ou o medo – de lado para professar seu amor. Nas séries, existem muitos personagens  que não esperam data especial nenhuma para declarar seu amor, seja num momento de desespero, num pedido de casamento ou só para reforçar aquilo que o parceiro já sabe e Tom Jobim cantava aos quatro ventos: é impossível ser feliz sozinho. Você também acredita nisso e se derrete toda vez que sabe que chegou a hora de surtar, porque vai ter […]

Leia o post completo

Guia da Trilha Sonora: Scream – Season 1

3 semanas atráscomentarios

Entre os poucos pontos positivos que posso destacar em Scream, a trilha sonora fica em primeiríssimo lugar (talvez porque seja da MTV). Misturando canções atuais, dançantes e tristes, que fazem parte da vida dos jovens de Lakewood, a série soube utilizá-las para compor a história e os personagens. Assim, nada melhor do que ouvir as músicas da primeira temporada, agora disponível em uma playlist na nossa conta do Spotify!

Leia o post completo

House of Cards e a Política Brasileira

3 semanas atráscomentarios

Primeiramente, #foratemer. E se você ainda não conferiu a última temporada de House of Cards, não se preocupe, esse texto não contém spoilers, – apenas reflexões. Pra gostar de House of Cards você precisa torcer pelos Underwood. Claro, a gente sabe o quanto eles são escrotos, mas é ficção, certo? Não tem problema torcer pelos vilões. Ou pelo menos era o que pensávamos em 2013, quando a série estreou. Mas de lá pra cá a política mundial virou de ponta à cabeça. Os Estados Unidos elegeram Trump e nós tivemos Temer enfiado goela abaixo. Isso sem contar os acontecimentos dignos da ficção, como a morte de Teori Zavascki, a delação do Joesley e os testes nucleares da Coréia do Norte. […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter