The Fosters – 4×19 Who Knows/4×20 Until Tomorrow (Season Finale)

18 de abril de 2017 Por:

Vai ficar tudo bem…

Não, não vai. Nem aqui, nem em San Diego. Não em The Fosters.

Com a missão de fazer uma temporada mais sombria, o drama da família Foster sai de cena em sua quarta temporada com tantas doses de sofrimento, altos e baixos e incansável melodrama que nos deixa temoroso pelo que vem na sua quinta temporada. A reta final do quarto ano não deixou de dar resoluções esperadas e fez isso de forma energética, diria agoniante. Nós temos muito o que comentar, então vamos por partes!

Anchor Beach.

Era fácil prever que a informação de que a escola poderia ser privatizada chegaria aos ouvidos de Lena e, consequentemente, Monte. Foi interessante ver as duas trabalharem juntas para descobrir quem estaria por trás desse golpe contra a escola e, ninguém menos que papai Stratos estava envolvido nessa história. Seu plano de transformar a escola em um ambiente de elite não era somente investimento e sim uma vingança mesquinha contra Mariana e sua família, quem ele culpa pelo transtorno de Nick. Óbvio que os estudantes não ficariam calados e, além de mais um discurso emocionante de Lena sobre qual a proposta da escola desde sua fundação, foi o coro dos alunos embaixo da chuva obrigando o conselho a ouvi-los:

Educação não é um direito só para ricos e brancos!

Além de um tapa, é inspirador a luta dos estudantes pelo lugar que estudam. Mesmo o conselho aprovando a privatização da escola, será que eles voltarão atrás nessa decisão e escutar quem realmente necessita e usufrui da educação de qualidade sem precisar pagar por isso?

O retrocesso de Mariana.

Acompanhar o crescimento da personagem foi importante e tinha tudo para um desenvolvimento digno nessa reta final da temporada, o que não aconteceu. Da latina empoderada e destemida, fomos para uma garota mimada e egoísta em questão de episódios. A terapia parecia ser a ajuda perfeita para a menina superar todos os traumas que passou, mas o que aconteceu foi o contrário.

Talvez, relembrar o passado de abandono durante esse processo justifique toda sua revolta, pois a leva diretamente para a escolha que Ana também poderia ter feito, mas não lhe dá o direito de interferir na vida da melhor amiga e do irmão. É decepcionante rever um reflexo da Mariana do começo da série e espero que seus rumos sejam melhores daqui pra frente.

Jesus, Emma e Brandon.

Um triângulo que só existe para a confusa mente de Jesus. Tomando a temporada para si, o garoto finalmente chamou atenção com um bom desenvolvimento para seu personagem. Nós vimos desde o começo a insegurança de Jesus em relação suas habilidades e relacionamento com Emma e todos esses medos se potencializaram depois de seu acidente. Além disso, foi possível ver uma maior cumplicidade entre ele e Brandon e um ciúmes, que há muito tempo, ele deve guardar para si.

Graças ao irmão, ele enxerga que sexo não é a unica ligação que ele mantém com a namorada e volta a beber os seus remédios, mas não é o suficiente para ele controlar de vez suas inseguranças. Foi muito bom vê-lo descobrir sobre a gravidez e aborção de Emma e compreender toda a situação sem grandes problematizações, ele só não contava com o fato de que toda sua família sabia disso e sequer o contou, principalmente que logo Brandon estivesse envolvido com a história, sendo o suficiente para ele considerar uma traição. Sabemos que nada mais grave deve acontecer, mas vamos torcer  para que os dois se reconciliem e estejam bem até o novo ciclo da série começar.

Callie.

Eu procurei vários motivos e entender o que acontece com a personagem como um todo. Antes de qualquer crítica, nós temos que entender o quão generosa essa garota é, o tanto que ela sente-se sortuda pelo que conquistou e tenta ajudar jovens que não possuem a mesma sorte que ela. Mas suas atitudes impulsivas levam tudo isso por água abaixo e o único pensamento que vem a cabeça é: me ajuda a te defender. Não só a Callie, como os roteiristas. Nós sabemos as qualidades da protagonista, o seu instinto para ajudar, mas não dá pra fechar os olhos quando há uma intensidade de sofrimento na trama dessa garota. Quantas vezes a vimos rir? Ou até mesmo, dar certo em algo? A quinta temporada está batendo ai e eles insistem em jogar a garota nesse buraco.

Mas vamos entender o que aconteceu. Já era de se esperar que quando essa trama de tráfico humano nas ruas de San Diego surgiu do nada e ressuscitaram o Girls United seria para envolver Callie em algo. Foi extremamente válida a discussão e ótimo para fermentar uma season finale, mas totalmente previsível. Não só essa parte da história, como a decepcionante resolução do arrastado caso de assassinato. Quem chegou até aqui e ainda se importava ou entendia alguma coisa disso? Foram tantas informações jogadas que não dava pra reconhecer os personagens dessa trama. E foi simples assim, tinham 24h para achar alguma evidencia que livrasse Callie das acusações e só foi pressionar um pouco aqui e acolá que a confissão de Troy saiu. Com dois personagens centrais trabalhando na polícia, por que raios não fizeram isso antes?

Assim como, haviam tantas possibilidades de resolver o problema quando Callie e Daphne encontraram as garotas fugindo do GU para encontrar o traficante. Callie não enxerga que seus impulsos são praticamente suicidas, pois mesmo que fosse para a cadeia, sua mãe Stef havia lhe garantido que ela não deixaria acontecer. Então, só nos resta esperar e torcer angustiados até 11 de Julho para que ela saia ilesa dessa confusão toda.

Observações:

  • Finalmente, Callie e Brandon lembraram da existência um do outro e, ao que parece, não haverá mais romance entre os dois. Amém?
  • Aliás, os dois podem montar uma dupla e sair cantando por aí.
  • Por mais momentos de irmandade nessa série. As cenas de Brandon e Jesus, Callie e Jude foram muito bonitas.
  • Não entendi muito bem a recusa da Ana em falar sobre o passado na terapia.
  • Por que raios Daphne não impediu a Callie ou ligou para Stef assim que elas saíram?
  • E o celular que foi levado? Meu deus, não da pra aguentar.
  • Retirem essa versão Mariana fofoqueira e tragam ela de volta.
  • Foi realmente muito estranha a cena de Ana, Gabe e Isabella reunidos como uma família perto dos gêmeos. Espero que a depressão dele seja resolvida e não esquecida.
  • Mesmo sendo inocente, Callie tinha que entender que não da pra salvar todo mundo, Kyle é um exemplo disso!

Salvem Anchor Beach, o Jesus e sim: protect Callie at all coasts. Não deixem de comentar o que acharam da reta final de The Fosters e segurem os corações, até Julho pessoal!

Paulistano e nerd. Viciado em livros e séries que possuem bons dramas, seja de fantasia ou ficção científica. Apaixonado por séries desde a época das tardes de ouro...

Ler perfil completo

São Paulo - SP

Série Favorita: The Fosters & Game Of Thrones

Não assiste de jeito nenhum: CSI: Criminal Scene Investigation

  • Concordo sobre o que você disse sobre a Callie, gosto da personagem mas precisa colocar a menina nessa situações ALL THE TIME? Gosto dela ser generosa mas não precisa passa-la por essas situações perigosas pra afirmar isso, tem outras formas. Give Callie a break!
    A resolução do caso Kyle foi tão pombo, todo aquele drama pra no final dar um simples pressionada e conseguir a confissão do Troy. Fiquei pensando:”Por que não fizeram isso antes?” ¬¬

    PS: Vamos pra 5ª temporada e essas crianças não se formaram. Tá na hora roteiristas!

    • Pedro Fernando

      Hahahah me pergunto sobre essa formatura sempre. Acho que a quinta temporada Brandon e Callie finalmente sairão da escola!

Músicas que conhecemos através das séries

5 dias atráscomentarios

Uma das melhores coisas que as séries podem nos proporcionar são suas incríveis músicas. Algumas dessas músicas já conhecemos, mas não dávamos tanto valor até ouvir de novo; outras ouvimos pela primeira vez e nos apaixonamos logo de cara. É tão bom assistir um episódio, ir procurar no Youtube e depois baixar no computador ou no celular aquela canção que fez parte da abertura, de um beijo esperado do casal, dos minutos finais… Enfim, de muitos momentos expressivos que precisavam de um toque ou uma letra no fundo. Então, vem comigo embarcar nesse post de sentimentalismo e ouvir as músicas que eu tive a oportunidade de conhecer pelas séries. Bad Reputation Freaks and Geeks tem toda aquela inspiração de ser jovem e livre, […]

Leia o post completo

CCXP Tour – Dia #3 – 15/04 Diário de Bordo (ou Aquele do Painel da Netflix)

1 semana atráscomentarios

Quem conhece um pouco de CCXP, sabe que a primeira regra de qualquer Apaixonado por Séries é: Dia de Netflix é dia de acordar junto com o sol, pegar uber ou metrô, uma fila imensa, passas horas em pé… Tudo pra curtir aquelas horinhas já reservadas ao painel daquele que já é o “canal” favorito de provavelmente 8 entre 10 fãs de seriados. E, é claro, eu não ia deixar o ritual falhar. Mesmo tendo ido dormir tarde (pós meia-noite), 5h da madrugada estava de pé e cheguei ao Centro de Convenções de Pernambuco entre 6h30 e 7h. Problemas de falha de comunicação aqui e ali (algo que acontece muito em dias como esse), consegui entrar no auditório Twitch mais […]

Leia o post completo

Easter Eggs: a origem das mensagens secretas nas séries

1 semana atráscomentarios

O coelhinho já te visitou hoje? Então, enquanto você se delicia com chocolates, te convido para ler a história dos famosos Easter Eggs (ovos de Páscoa, na tradução) – que não têm nada a ver com cacau. É assim que chamamos as mensagens que roteiristas escondem nas séries, em referência a elementos da cultura pop ou da própria narrativa. O apelido Easter Eggs deve-se à tradicional caça aos ovos e à surpresa que geralmente há dentro deles. A Páscoa não costuma ser representada na TV, igual a outras datas festivas – como Natal, Réveillon, Halloween e Thanksgiving -, mas a homenagem está aí. Por ora, esqueça tudo que você já aprendeu sobre a origem da Páscoa. No mundo geek, essa história começa com o vídeo game Atari 2600, em 1979. O criador da linha Adventure, Warren Robinett, cansado de […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter