The Voice US: Top – Melhores apresentações

18 de dezembro de 2012 Por:

Depois de uma temporada eletrizante, The Voice chega a sua final nessa terça-feira, dia 18 de dezembro. Mudando seu formato em alguns momentos, mas sempre com o cuidado de levar ao público o melhor entretenimento possível, a NBC entregou uma temporada redondinha para seus espectadores, formando uma das melhores finais que já se viu em reality‘s musicais em muitos anos. E nós, aqui do Apaixonados por Séries, não poderíamos estar mais ansiosos pelo resultado dessa final. Então, para passar o tempo, decidimos revisitar algumas apresentações que rolaram desde o início da fase ao vivo do show e mostrar para vocês as nossas favoritas.

Funcionou assim: cada autor poderia votar em uma apresentação por time no top 20. A partir do top 12, cada autor votou em 2 apresentações. As mais votadas são as que figurarão nesse post para vocês. Como é possível notar, essa publicação é a nossa opinião dos melhores e não obrigatoriamente aqueles que foram escolhidos como tais. Então, bora botar um som na vitrola?

Top 20 – Programas exibidos em 5, 7 e 8 de novembro

Na primeira fase de apresentações ao vivo, os play offs, top 20 ou chacina, que reduziu o número de candidatos de 20 pra 12, já foi possível enxergar alguns candidatos que viriam a se destacar, como Cassade Pope, que hoje disputa a final, com uma versão mais soft de My Happy Ending, da queridinha adolescente Avril Lavigne. Amanda Brown, depois de uma batalha eletrizante, atraiu todos os holofotes com sua interpretação de Dream On, correspondendo as expectativas de todos os jurados depois de expor sua voz de maneira brilhante, além de Cody e Deborah que também fizeram bonito, segundo nossos autores. Pena que pra essa última, não foi suficiente e ela abandonou a competição ali. Vamos relembrar um pouco desses momentos?

Team Adam Levine – Amanda Brown – Dream On (Aerosmith)

Team Cee Lo – Cody Belew – One More Try (George Michael)

Team Christina Aguilera – De’Borah – Who Knew (Pink)

Team Blake Shelton – Cassadee Pope – My Happy Ending (Avril Lavigne)

 

Top 12 – Programas exibidos em 12 e 13 de novembro

Chegando ao top 12 e com a mudança nos regras, que “excluía” os times e instituía um “mata-mata”, era preciso que os técnicos treinassem seus pupilos de modo a não apenas emocionar, mas arrebatar seu público. Foi isso que Christina e Adam fizeram. Dez fez de “Can’t Take My Eyes of You” seu ponto alto na temporada, ao passo que Melanie, com Cough Syrup, mostrou sua potência vocal e seu tom mais intimista.

Dez Duron – Can’t Take My Eyes Off of You (Frankie Valli)

Melanie Martinez – Cough Syrup (Young the Giant)

 

Top 10 – Programa exibido em 19 e 20 de novembro

Ao cantar uma música de Miranda Lambert, escrita pelo próprio Blake para seu falecido irmão, Cassadee emocionou não só ao técnico, mas a todos que a assistiam, consagrando-se, ali, como uma das grandes favoritas ao prêmio. Foi, talvez, a melhor apresentação de toda a temporada. No mesmo dia, Dez veio logo em seguida, fechando a noite com uma versão de Feeling Good que fez juz a música original e conseguiu voltar, ao menos nessa noite, os olhos da América para ele. E os nossos também.

Cassadee Pope – Over You (Miranda Lambert)

Dez Duron – Feeling Good (Nina Simone)

 

Top 8 – Programas exibidos em 26 e 27 de novembro

Uma das maiores injustiças da temporada foi cometida na semana do Top 8, onde Cody Belew (e Dez Duron) foi surpreendentemente eliminado após uma versão atual, original e belissimamente interpretada do clássico do Queen, Somebody To Love. Cassadee, na mesma semana, só veio confirmar seu favoritismo, fazendo de Are You Happy Now mais um dos seus grandes momentos na temporada.

Cody Belew – Somebody To Love (Queen)

Cassadee Pope – Are You Happy Now? (Michelle Branch)

 

Top 6 – Programas exibidos em 3 e 4 de dezembro

Com a final quase batendo as portas, qualquer deslize poderia ser fatal. Cassadee e Nicholas, contudo, pareciam saber disso. E, ao terem a chance de escolher o que cantar, trouxeram a tona versões atuais e poderosas de duas canções já consagradas: I’m With You e Somewhere Over the Rainbow. Um show de ambos e que mostra o porquê, ao lado de Terry, disputam a final do programa.

Cassadee Pope – I’m With You (Avril Lavigne)

Nicholas David – Somewhere Over the Rainbow (Harold Arlen)

 

Top 4 – Programas exibidos em 10 e 11 de dezembro

Independente do resultado de hoje a noite, uma coisa é certa: Blake Shelton é o grande vencedor moral da temporada e não apenas por ter feito 2 das 3 vagas na final, mas por ter feito de Cassadee e Terry mais que dois cantores: Duas estrelas, que, se existir justiça, terão uma longa trajetória pela frente. Por isso, consagramos as apresentações dos dois no programa da semana passada como as melhores.

Terry McDermott – Let It Be (The Beatles)

Cassadee Pope – Stupid Boy (Keith Urban)

 

E agora? Considerando o top 3 de ontem, em quem você aposta suas fichas como próximo campeão do The Voice? Terry, Nicholas ou Cassadee? Nós do Apaixonados já temos nosso favorito, queremos conhecer o seu! Solte a voz nos comentários!

Caiçara, viciado em cultura pop e uns papo bobo. No mundo das séries, vai do fútil ao complicado, passando por comédias com risada de fundo e dramas heroicos...

Ler perfil completo

Santos - SP

Série Favorita: Arrow

Não assiste de jeito nenhum: The Walking Dead

  • alex

    Formando uma das melhores finais que já se viu em reality‘s musicais em muitos anos – se a Amanda Brown estivesse na final, i sim seri umas das melhores finais. Infelizmente, vai dar Pope!

  • Manú

    Torço muito pelo Terry, mas essa já é da Cassadee

  • Melhor performance da história do The Voice – Amanda Brown ( Dream ON)

    • Eliza

      Apoiado!

  • Karla Pereira

    A final tinha que ser composta de 4 cantores, com a Amanda Brown.
    Aliás, eu prefiro qualquer um dos outros, menos a Cassadee. Preferência pessoal, eu não gosto desse estilo “Avril” que ela insiste sempre. Enfim, mas ela canta bem e a final foi linda de qualquer jeito!

  • Gleek

    Dez e Amanda para mim eram os justos vencedores!

  • Milla

    Sou só eu que tenho a impressão que a aparência só não importa nas blind auditions e que depois tudo passa a rodear em função da aparência? Como pode em um programa no qual o foco é a voz, as vozes mais potentes sempre serem eliminadas? Como pode sempre ganhar os perfis clássicos americanos, como eles mudam tanto a voz que ouvimos ao vivo em comparação a versão de estúdio? Como eles mudam tanto o estilo dos participantes de como vieram da primeira fase para quando entram nas etapas ao vivo? (quando alisaram o cabelo da Kim, foi ridículo). Enfim como pode ter tudo para ser e no final ficar devendo. Eliminações como Amanda, Jesse, Kim, Nicole, só tiram a credibilidade do programa, apesar de adorar, não consigo levar a sério e sempre vejo com o pé atrás de namorada traída, que sabe, mas não consegue mudar. A Avril Lavigne desta temporada que me desculpe, mas tirando o ar de princesinha americana, não vejo graça, não tive tesão de ouvir um única música completa cantada por ela.

Ash vs Evil Dead

6 dias atráscomentarios

Que atire a primeira pedra quem nunca assistiu ao clássico de terror trash, The Evil Dead, ou se vocês preferem o enorme título traduzido, Uma Noite Alucinante – A Morte do Demônio! O filme lançado em 1981 e dirigido por Sam Raimi (o mesmo cara que dirigiu Spider-Man), foi o primeiro de uma grande franquia e é até hoje considerado o melhor filme trash já feito. Alavancada pela avalanche de remakes e spin-offs televisivos de filmes que fizeram ou não sucesso – citando só alguns, Scream, Shadowhunters e Limitless -, Ash vs Evil Dead nada mais é do que uma continuação dos filmes da franquia Evil Dead, lançados há 30 anos. A série, transmitida pelo canal Starz, estreou em 2015 e ainda conta com Raimi na produção. Ashley […]

Leia o post completo

Maratona The O.C. – 3ª temporada

7 dias atráscomentarios

A terceira temporada é oficialmente minha favorita. Talvez eu esteja me precipitando, sem ter assistido à quarta, mas eu realmente não esperava gostar tanto da terceira. Já assisti à série inteira, mas nunca havia reprisado esta temporada, digamos que por limitações emocionais. Meu coração ficou muito traumatizado da primeira vez. É engraçado como eu não me lembrava de muita coisa (nem sei como pude apagar o casal Julie e Neil da memória), mas, ao longo das cenas, tudo fazia sentido para mim. O elenco principal estava afinadíssimo com seus personagens e entre si. Ryan (Ben McKenzie) deixou o riso frouxo em vários episódios, o que nos ajuda a crer na evolução do personagem, cada vez mais à vontade com a vida em Newport. Também conhecemos novos personagens para chacoalhar a dinâmica da […]

Leia o post completo

As séries com viagens no tempo

1 semana atráscomentarios

Como meu amigo Wander comentou quando compartilhou com a gente suas primeiras impressões de Timeless, viagens no tempo is the new black. Doctor Who é a série de ficção científica mais longa do mundo. 12 Monkeys já vai para a terceira temporada, Legends of Tomorrow já exibiu na metade da segunda. A canadense Travelers já exibiu uma temporada. Continuum durou quatro temporadas, assim como a querida Being Erica. As novatas Timeless e Frequency exibem a temporada de estreia e, com a baixa audiência, lutam pela renovação. Time After Time e Making History são outras produções do gênero com estreia marcada e garantida. Ao perceber a maioria dessas séries na minha watchlist e muitas fazendo sucesso com os telespectadores, comecei a me perguntar: Por que amamos séries com viagens no tempo? Não sei […]

Leia o post completo

Siga as nossas redes sociais e fique sempre conectado:

Assine nossa newsletter