Aquele em que dizemos adeus

Pra quem não sabe, o Apaixonados por Séries existe há quase dez anos. Eu e Camila…

O que esperar de 2018

Antes de mais nada, um feliz ano novo para você. Que 2018 tenha um roteiro muito…

Agents of S.H.I.E.L.D. – 2×03 Making Friends and Influencing People

Por: em 9 de outubro de 2014

Agents of S.H.I.E.L.D. – 2×03 Making Friends and Influencing People

Por: em

Posso soar repetitiva, mas Agent’s of S.H.I.E.L.D. nos entregou mais um ótimo episódio essa semana!

Primeiramente, falarei do assunto que deixou todos em polvorosa semana passada, quando as promos de Making Friends and Influencing People que foram divulgadas. Simmons no lado negro da força? Ainda bem que não! Já suspeitava que fosse algo orquestrado por Coulson (que mais uma vez guardou a informação da sua equipe). Jenna está infiltrada, trabalhando no laboratório da Hydra. Eu sinceramente duvidava que ela tivesse mudado de lado e o episódio não demorou para mostrar que ela continua leal à S.H.I.E.L.D. Quando chamada para falar com braço direito de Withehall, ela afirma que a sua lealdade está com a ciência, o que não deixa de ser verdade, mas ela também é leal à sua antiga equipe, e acredito que acima de todos, ao Fitz.

Simmons 3

No episódio voltamos a um assunto suscitado em Shadows: a corrida de Coulson para conseguir trazer para si os agentes que ainda lhe são leais. O único problema é que a Hydra também está na disputa. Vemos que os dissidentes nazistas conseguem chegar na Agente 33 (Maya Stojan) primeiro que a S.H.I.E.L.D. ( o episódio começa com Whitehall promovendo uma lavagem cerebral na moça.), porém quando Jenna dá a informação que a Hydra está atrás de Donnie Gill (Dylan Minnette), novamente é dada a largada! Aliás, muito legal como os poderes de Gill foram mostrados (tivemos um gostinho na primeira temporada – episódio 1×12: Seeds), as cenas dele congelando e quebrando pessoas, o mar  e o barco da Hydra, foram muito maneiras. #Letitgofeelings

Em meio a tudo isso, Coulson, o poderoso Diretor, resolveu usar uma tática inimiga quando pediu para que Skye tirasse Gills de cena. Esse foi o primeiro tiro para matar da garota, que se manteve calma (ela passa o episódio inteiro controlando os batimentos cardíacos, para provar que consegue deixar as emoções de fora da jogada.).

Depois de não aparecer semana passada, Ward ganhou um pouco mais de relevância nesse episódio. Primeiramente ao dar informações para Skye, que proporcionaram a equipe realizar a operação de encontrar Donnie, mas principalmente pela cena dele com Fitz. Só tenho uma coisa a dizer: WOW. Fitz, com a ajuda de Mack (#bromance!), vem conseguindo permanecer mais lúcido, inclusive concluindo por si só que Ward estava no Playground. Antes de enfrentá-lo, ele fala para Jenna imaginária que ela não existe! Boa Fitz! Quero você no auge de novo!

fitz

Voltando a cena do primeiro confronto de Fitz e Ward, para mim foi a melhor do episódio. O jovem engenheiro era considerado por muitos (por mim também) bobinho no começo da série, mas na sua atual situação, ganhou uma carga dramática muito grande. O ator Iain De Caestecker está dando conta do recado. Eu fiquei atordoada com ele tentando falar sem conseguir. Então o que ele fez? Tentou fazer Ward sentir um pouco do que ele lhe causou, diminuindo o oxigênio da cela pela metade. Por mim o Ward poderia logo ter uma Hipoxia profunda e morrer. Fitz mostrou o quanto ainda está ferido psicológicamente, ou seja, espero que Ward não ganhe nenhuma redenção. E quando ele diz que não conseguiu atirar neles?! Que os atirou no mar para salvá-los?! Quem mata um cachorro lindo, mata qualquer pessoa! #neverforget

Se antes Simmons não conseguia entregar muitas informações para Coulson, agora que ela conseguiu a confiança de Bakshi (Simmons Kassianides) ao ajudar na captura de Donnie Gill e fazer com que ele ficasse obediente aos comandos do lado negro da força, ela foi “promovida” dentro da organização. Creio que por ora ela esteja em segurança, mas se ela andar fora da linha, pode acabar sofrendo a lavagem com as animações do Windows Media Player (Brinks!), como  a Agente 33 e Donnie. Mas gostei muito da evolução de Jenna, ela agora consegue lidar com a pressão do trabalho, o que é uma mudança que chega a ser engraçada se lembrarmos que ela não conseguia nem mentir na primeira temporada.

Ward -Skye

A cena “pós créditos” do episódio foi entre Skye e Ward. Ele está imbuído a conseguir que a moça confie nele simplesmente porque quer que ela acredite quando ele falar mais sobre sua família. Ele inclusive diz que pode levar ela ao encontro do pai! Jogo baixo, Ward! Ela tinha conseguido manter os batimentos tranquilos no episódio inteiro. Agora vamos ver se teremos uma Skye levada pelo emocional ou racional, né? Acho a tensão que existe entre Skye e Ward pode trazer problemas nos próximos episódios. Eu estou na torcida para ela se pegar logo com o Hunter que é muito melhor. (e não é escocês!)

Making Friends and Influencing People nos dá uma ideia de como o conflito entre a S.H.I.E.L.D. e a Hydra vai se desenvolver, tendo em vista que ambas querem trazer para suas respectivas asas, as pessoas consideradas especiais. Colocando Simmons atrás das linhas inimigas, a série ganha um quê de espionagem.  O episódio manteve o nível que Agen’ts of S.H.I.E.L.D. vem apresentando desde o meio da primeira temporada, e que se Odin quiser, vai se manter assim!

Assistam agora a promo do próximo episódio “I Will Face My Enemie”, que vai ao ar dia 14 de outubro:

Gostaram do episódio?

Obs: Para quem ainda não começou a ver ou quer rever, no dia 9 de novembro a nova temporada será exibida, as 21 horas, pela Sony.

 


 

ÁREA RESERVADA PARA MARVEL MANÍACOS:

– O episódio revisitou muitas coisas que aprendemos sobre a Hydra em Capitão América 2: O Soldado Invernal. O uso da lavagem cerebral em pessoas (que eles usaram com Donnie Gill e com a Agente 33 – e creio também que com Crusher Creel) e a busca pelas pessoas dotadas com dons que lhes possam ser úteis. Lembram do Barão Von Strucker no final do filme, que além do cajado de Loki, tinha dois “milagres” cativos? Os Gêmeos Pietro e Wanda Maximoff ou, se preferir, Mercúrio e Feiticeira Escarlate, que estarão em Os Vingadores: A Era de Ultron.

– Whitehall permaneceu sem envelhecer desde 1945, da mesma forma que Von Strucker. Vamos descobrir o motivo na série? Nos quadrinhos isso se dá por experiências biomoleculares orquestradas pela Hydra.

– Donnie Gil (conhecido também como Blizzard ou Nevasca): nos quadrinhos ele aparece primeiramente como vilão do Homem de Ferro.  Será que ele morreu mesmo? Acho o personagem com um grande potencial. Se o Capitão América sobreviveu anos congelado, porque não a Elsa da Marvel?! (bricandeiriiinha)

– A Agente 33, nos quadrinhos se chama Kary Lynn Palamas, é muito culta e inteligente, especialista em mitologia e com um conhecimento profundo de história antiga. Como agente da S.H.I.E.L.D, ela não trabalhava muito em campo, ficando com as tarefas mais intelectuais, chegando a atuar como espiã em alguns momentos. Vamos acompanhar para ver se ela terá alguma relevância.

– O humor do episódio ficou a cargo de Hunter, Tripplet e May, pelo fato de o mercenário ter atirado neles no episódio passado. Quando ele pede desculpa pela 470ª vez, ela diz “Don’t be sorry, just wait.”, e quando eles voltam da operação com May tendo o atingido, Tripplet solta “Man, I wanted to be the one.” Aliás queria ver mais de Tripplet e Mack.

– Gostei muito da franca conversa entre Fitz e o Diretor Coulson sobre a importância do jovem para equipe e como o jovem, também odeia Ward, mas que precisa tê-lo por perto para saber mais da Hydra.
E o melhor:

Fitz: “Is there…anything more…”
Coulson: “That I’m keeping from you? Yeah…I’m Director, There’s a hell of a lot more.

– Sobre o método Faustus de lavagem cerebral, tem algo haver com o Dr. Faustus? Outro super vilão da Marvel? Mesmo que ele não apareça, a referência foi super legal de pescar.
Alguma outra observação? Fiquem à vontade para comentar!


Lívia Zamith

Nascida em Recife, infância no interior de SP e criada no Rio. Vivo e respiro Séries, Filmes, Músicas, Livros... Meu gosto é eclético, indo do mais banal ao mais complexo, o que importa é ter conhecimento de causa.

Rio de Janeiro - RJ

Série Favorita: São muitas!

Não assiste de jeito nenhum: Friends (não gosto de sitcoms)

×