Aquele em que dizemos adeus

Pra quem não sabe, o Apaixonados por Séries existe há quase dez anos. Eu e Camila…

O que esperar de 2018

Antes de mais nada, um feliz ano novo para você. Que 2018 tenha um roteiro muito…

Glee – 6×09 Child Star

Por: em 1 de março de 2015

Glee – 6×09 Child Star

Por: em

Se não tivesse que fazer review desse episódio, eu poderia muito bem trancá-lo em uma gaveta e fingir que ele nunca aconteceu, tamanha minha preguiça dele. Os poucos e bons momentos foram insuficientes para, ao final de Child Star, ir embora aquela sensação de “o que está acontecendo aqui?”. Talvez anos de Glee tenham me deixado excessivamente dramática e o plot do Roderick com o Spencer (e algumas performances fracas) tenham tomado conta da minha mente. Lendo comentários do pessoal sobre o episódio, percebi que tive uma opinião muito diferente acerca dos acontecimentos.

Glee-6x09-Roderick-Spencer

Já assisti ao episódio pela segunda vez para garantir que não estava imaginando errado, mas não deu outra. Não estou engolindo essa história do Roderick com Spencer. Sério mesmo que ninguém percebeu o quanto isso foi preconceituoso e presunçoso? O novo queridinho da equipe esportiva não só humilhou diversas vezes o colega de coral, como desrespeitou suas escolhas e ainda aproveitou das conexões dele para descolar um boy. Fez as piores coisas que poderia a ainda classificam os dois como um bromance. No final de tudo, ainda ficou como o herói, que fez Roderick subir a corda lá (o que poderia ter machucado e humilhado ainda mais) e avaliar suas atitudes quanto a comida/entrar numa fase de reeducação alimentar.

Ok, não julgo a decisão dele, mas não consigo acreditar que ele fez isso diante da opressão do colega. Ele deveria ser livre para ter a alimentação que quisesse e, avaliando a si mesmo e à própria saúde, decidir sozinho a mudar. Repito: apenas sob a própria vontade. Fico me perguntando como Glee pode abordar preconceitos de forma tão profunda e efetiva em uma hora e, em seguida, fazer algo como isso. Foi atestar que Roderick poderia prejudicar outras pessoas apenas por ser como é – e isso é absurdamente errado.

Nessa história, além de herói, Spencer ainda conseguiu, de fato, ganhar de vez o boy. [Fazendo um parêntese aqui, esse cara me pareceu tão velho para estar no colégio]. Sem contar que o Alistair se diz amigo do Roderick, mas acreditou muito rápido na mentira de que ele e Spencer eram super amigos. Mas fora isso, quando eles se acertaram, foi até que bonitinho vê-los juntos. Eles devem ter sido feito um para o outro, vide a forma aleatória com que eles entraram para o Glee club.

Glee-6x09-Sue-Myron

Paixões, elas fazem mesmo as pessoas perderem a cabeça. Foi exatamente o que aconteceu com Sue. Em nome do amor pelo Superintendente Harris, ela virou quase uma escrava nas mãos do sobrinho maníaco dele. Foi hilário e um tantinho merecido, já que ela infernizou a vida de tanta gente naquele colégio. Tudo isso para um nenhum resultado aparente. No entanto, sua participação se fez mais destacada quando ela declaou (novamente) guerra ao Will e suas “crianças”. Será que Myron vai ser uma peça para conseguir a destruição do New Directions?

Por falar nesse menino cheio de atitude, ele chegou para abalar as estruturas do Glee club. Um garoto de 13 anos no meio do pessoal mais velho, apenas tentando encontrar o sentido nisso. Cheira a medida desesperada para conseguir os membros que estão faltando para completar a equipe, mas aceitamos porque ele pelo menos saber cantar e dançar. Além disso, é a versão talentosa da Sugar, que vai patrocinar o coral sempre que precisar e, quiçá, subordar alguns juízes para colocar o New Directions nas mais altas posições. Brincadeira, tenho fé nessa garotada.

Glee-6x09-New-Directions

O que nos leva ao próximo tópico. Talvez o melhor do episódio tenha sido conhecer um pouco melhor alguns dos novos integrantes da série. A história da paixão de Mason por Jane e do ciúme descontrolado de Madison foi para lá de interessante. Os irmãos (ampla e maldosamente conhecidos como incesto) deram uma explicação para o grude todo e foi algo bem plausível. Tudo começa com os pais, ausentes. Madison se via na obrigação de cuidar do irmão e zelar meticulosamente por ele, deixando pouco espaço para que o coitado respirasse. Uma coisa bem maníaca mesmo. Super explicativa a cena do refeitório, naquela explosão da menina.

Eu bem senti um climinha entre Mason e Jane lá no Jagged Little Tapestry (6×03). E foi legal terem continuado com isso, para dar identidade aos novatos. Só ficava imaginando quando ele teria forças para sair da redoma imposta pela irmã para dar oportunidade a novas pessoas entrarem em seu mundinho. O possível novo casal aparentemente tem química, pelo menos observando as trocas de olhares. Já estou shippando – e muito.

Performances:

Lose My Breath – Myron

Acho que fiquei com a mesma cara de choque de todo mundo naquele auditório. Foi totalmente bizarro uma criança daquele tamanho cantando uma música dessas. Fora isso, era o que faltava para terminar de humilhar a nova geração do Glee club. Um menino de 13 anos de idade com mais talento e produção que todos juntos. Mais talento e atitude, vamos combinar. Agora só fico me perguntando como será a dinâmica do coral, com a entrada dele. No mais, os figurinos estavam um pouco bregas e exagerados, mas foi uma ótima performance.

Friday I’m In Love – Spencer

Realmente, ninguém esperava uma música apaixonadinha vinda do cara mais durão do coral. Teria sido bem esquecível sem não tivesse a dancinha meiga com a Kitty. Quando penso que Glee não vai superar a breguice do boné de otp, vem aquela chuva de corações de papel enquanto o Spencer está cantando. Isso é tão coisa da antiga Rachel fazer, na privacidade do quarto, claro.

I Want You Break FreeMason

Foi uma performance atormentadamente verdadeira. Ele cantou cada palavra com sinceridade e raiva, procurando mandar uma mensagem para a irmã. Pelos episódios anteriores, nunca imaginei tamanha atitude vinda dele. Foi a melhor dele até agora e ele até conseguiu convencer com a dublagem da música. O cenário estava incrível, assim como os movimentos coreografados com as grades e a cortina de pedrinhas. Até mesmo as novinhas enlouquecidas deram um charme a mais.

Uptown Funk – Jane, Spencer e Roderick

Outra coisa que não esperava, que o Roderick, além de um cantor maravilhoso, arrasasse nos passinhos. Deixa talento para os amiguinhos, moço. Quanto mais passa o tempo, mais gosto da Jane. Ela tem muita atitude, é lindíssima e tem um poder incrível quando está cantando. Nem aquela botinha feia tirou o momento dela. Já Spencer foi responsável pela parte do “hot dawn”. O superintendente dançando também fó ótimo, assim como os convidados aleatórios que subiram ao palco para fazerem piruetas.

Break Free – New Directios, Rachel, Will, Sue, Sheldon e Myron

Rachel Berry, brilho, iluminação, coreografia elaborada e até a participação de Sheldon… Myron não poderia ter uma big performance melhor. Arrisco a dizer que essa versão ficou melhor que a original.

Kool Kids – Glee Club

Gente, sério? Que coisa mais fraca. Parecia mais uma versão acústica em que inventaram passos de dança para qualificarem como uma performance. Nem a Kitty, mais experiente nesse mundo de apresentações, mostrou seu potencial. Será que eles estavam tentando fazer voz de crianças? Ou fazer a gente dormir? São as únicas explicações. Nem adianta falar que foi para manter o clima “calminho” da original, porque é calma, mas a voz da vocalista pelo menos tem vida.

Notas:

– Foi triste o modo como Spencer e Roderick deixaram os problemas de Mason pra lá. Nem para ajudarem o amigo, que teve que enfrentar a irmã sozinho, enquanto os outros dois “se ajudavam” (palavras da sinopse, não condiz com a minha opinião).

“Rachel Berry and the New Directions” – Myron é mesmo um garoto sábio.

– Apenas aguardando as cenas do próximo capítulo. Kitty arrumou um novo “parceiro de crime”, uma criança-bitch disposta a infernizar e comprar a vida de todos. Onde será que essa história vai parar?

– Prêmio de melhor cena do episódio vai para a Sue pulando em cima do Will e eles se estapeando no chão.

E vocês, o que acharam do episódio? Na sinceridade, fiquem a vontade para discordar. Child Star foi mesmo um aquecimento para o que vem pela frente. Pela promo de The Rise and Fall of Sue Sylvester, o próximo promete algo bem épico, a batalha final entre Sue e Will. Já estou contando os dias para chegar sexta-feira. Até lá!


Giovanna Hespanhol

Jornalista apaixonada pela cultura pop e por tecnologias. Forte tendência a gostar de séries ruins e comédias água com açúcar.

Bauru/SP

Série Favorita: Doctor Who

Não assiste de jeito nenhum: Game Of Thrones

×